Felicidade


Um sorriso, um olhar
Ela ali está.
Um carinho, um amar
Pronta pra ficar.

Não tem olhos, mas sabe enxergar.
Não tem boca, mas sabe se expressar.
Não tem mãos, mas consegue tocar
Aonde quer que ela queira ficar.

Sabe amar, de mansinho
Mas intensamente!
Sabe habitar, rapidamente
E com carinho!

Ela é o que a gente procura
E isso ela ignora.
Quando menos esperamos, ela aparece
E isso ela adora.

Bate, rebate e se não abrir:
Se vai.
Bate, rebate e se deixar entrar:
Vai morar.

Ela é a felicidade.
Todos a querem
Mas poucos a tem
Vívida ela é
E somente a satisfação a convém.

Ela pode ser como um rochedo
Em seu peito petrificado,
Mas também pode ser vítrea
No chão despedaçado.


Poema para pauta do Bloínquês. Tema: Felicidade.


Amor ilegal


Delirante, afagante e exuberante
É o nosso amor.
Alarmante, desconcertante e horripilante
É a nossa dor.

Você apaga a luz
E me traduz.
Eu acendo a chama
E você me ama.

Noite e dia
É o nosso querer
Nunca e jamais
É o nosso poder.

Nos amamos com o amor mais puro,
Mas ainda é imundo.
Nos queremos com o desejo mais profundo,
Mas ainda é impuro.

Nosso amor é ilegítimo,
Nossa união é ilegal,
Meu querer não é frígido,
Mas nossa separação é fatal
Para minha vida não ser mais igual.

Sou teu amor de corpo
Sua alma por completo
Mas tua irmã de sangue
Tornando nosso amor infame
E a nossa vida um ditame.



Nada real também. Outra pauta para o Bloínquês. Poema/Poesia. Tema- Amor ilegal.

A minha morte

Apago a luz, para que assim eu seja capaz de te enxergar na escuridão, entre meus sonhos.
Morreu parte de mim:
Você. Levaste a quente e tão almejada alegria: Nossa união; arrebatando o que me é claro, deixando-me apenas com a escuridão da solidão.
Tantas cartas te escrevi, mas todas foram rasgadas, queimadas, antes que pudesse existir uma pequena suficiência de coragem para chegar até você.
Morro todos os dias. Um pedaço de mim se vai em cada lauda que insisto em queimar no fogo – jamais tido por você, somente por mim –, o fogo do meu amor.
Mato todos os dias a paixão que ainda existe em mim e, a cada assassinato, ele renasce em dobro, enquanto escrevo para ti.
Hoje ele acabará. A morte chega, mais uma vez, forte, incontrita e certa que chegará o fim desse amor. Nem que para isso eu seja preciso morrer com ele.
Esta é a última carta que te escrevo e não queimá-la-ei, mas enviarei a ti meu amor e minha dor. Levarei a você minha morte. Cuide bem dela.

Estou morrendo, não porque sou fraca, mas porque não tenho mais forças o suficiente para lutar por esse amor que me mantinha viva. Não estou desistindo de lutar, só não tenho mais condições de sofrer por ele, por você: Por nós!
Com carinho, ainda com amor, mas com o gosto da morte,
Madlyn.
Pauta para o bloínquês. Edição cartas e o tema: Morte. Espero não morrer com este texto, no quesito da nota rs.

Pôr-do-sol


Ele está ali
Bate, pulsa e repulsa.
Canta, encanta e contagia.
Sua canção é o silêncio
Sua beleza é seu brilho
Seu esplendor é sua magia.
Aos bons, aos pecadores
Ele está ali
Para saudar a todos seres.

Te fascina, te ilumina
Dá a sensação de vida
Tira a dor da morte.

O sol brilha por mais que você não queira
E se vai, por mais que você não deseje.
Mas antes da sua partida ele deixa uma marca.
A marca do anseio pela continuação.

Surge o pôr-do-sol,

E te mostra o quão grande pode ser tua noite,
Por mais que seu dia tenha sido fardo.
Ele aparece e te mostra que ainda existe uma luz,
Por mais que tudo pareça escuridão.
Ele, cansado, vai repousar

Assim como nós
E dá lugar para a magnífica lua,Para iluminar nossa noite
E voltar a iluminar mais um dia.


A grande procura

Procuro uma forma de tentar apagar
O vazio que você deixou.

Procuro um jeito de tentar esconder
As marcas que aqui ficou.

Procuro palavras pra tentar disfarçar
A alegria que você me roubou.
Procuro o alimento ideal
Para saciar a fome que você me causou.

Se passam os dias,
Se passam o tempo,
Mas a fome de amar,
A fome de amor, ainda permanece aqui.
Intacta!

Espero você para acabar com a guerra dos meus ossos fracos.

Cansados!
E destruir a fome do meu corpo, sedento pela presença do teu.
Necessitado!

Procuro-te em tudo
E me perco na desilusão de esperar te encontrar.



Coração partido

Gary,

É tão difícil para você, quanto para mim, saber como você se sente. A mesma dor que sentes, eu consigo sentir. As mesmas pedradas que você recebe, sinto cada uma latejando em minha pele.
Foi bem ali que tudo começou. Quando meus olhos contemplaram você, divagando numa miragem ilusória, entre o desejo e a loucura. Entre a vida e a morte. Foi exatamente ali que meus pés perderam o rumo do chão, das forças que tinha, das batalhas que sofri por você e com você.
Ela era sua direção, seu ápice de amor e de paixão. Sua obsessão. E eu, que sempre estive ao seu lado, era a que mais sofria, a que você mais pisava. Meu coração partido, ainda amava sentir a sua presença, por mais que eu soubesse de toda a realidade. O mesmo sentimento ainda permanecia forte, imaculado, dentro de mim.
Você não o quebrou!
Ainda sinto as dores dos nossos momentos de desentendimentos, mas os momentos de amor e de carinho são mais fortes e permanecem aqui, petrificados nesse coração partido pelas intempéries que o destino nos causou.
Sei que voltarás e poderá ver o sol nascer do mesmo modo que consigo ver. Sei que o caminho da droga te afastou de mim. Ela te afastou de mim, mas quando você voltar da prisão, iremos colocar tudo em dia.
Estou com o coração partido ao saber das coisas tão frias e cruéis que você está passando aí e sei também que o seu também está, mas saiba que seus dias estão contados, sei que, em breve, irei te buscar e em breve esse coração aqui, será renovado ao sentir o pulsar do seu, encostado em meu peito.


Com amor, eterno amor de sua querida mãe.
Aquela que sempre esteve e sempre estará em todos os momentos da sua vida, pra te completar, pra te fazer feliz e pra te salvar quando você estiver pensando em cair.
Eu amo você, meu filho, e nada, nem ninguém conseguirá destruir isso.