Vem por aí: Companhia das Letras vai publicar mais dois livros da série Millennium

Quinta história deve ser lançada em 2017

Vem por aí: lançamentos da Geração Editorial

A Geração Editorial preparou dois grandes lançamentos para o mês de janeiro. Há um tempão estava esperando pelo volume 4 da série A Guerra dos Fae e a editora divulgou o lançamento para o início do ano. Vamos às sinopses: 

Confúcio



Sinopse: 

Esta é uma seleção de ensinamentos de Confúcio (551-479 a.C.), um dos maiores vultos da filosofia e da religião. Confúcio ensinava que a sobrevivência da civilização depende do exercício correto de uma cultura racional, da prática de uma moral eficaz em inibir o mal e ensejar o altruísmo e a bondade. 
Os preceitos confucionistas defendem uma base humanística na educação, cujo cerne é o aspecto humano e moral. 
Para o Mestre, o tipo ideal de indivíduo é o Junzi, o “educado”, uma pessoa de bons modos, instrução e qualidades morais elevadas. Traduzidos direto do chinês, estes pensamentos compõem um guia indispensável para nos aconselhar em tempos confusos e de relativismo moral como os de hoje.

Promoção: 2 anos de Interesses Sutis


Olá, queridos leitores! Hoje o Interesses Sutis completa 2 anos de existência, e como já é de praxe, para comemorar essa data especial quem ganha é você, leitor. Para isso, os blogs Confraria CulturalReality of BooksO Diário do LeitorMinhas EscriturasMeu Vício em LivrosSeguindo O Coelho BrancoCidade dos LeitoresAmores e LivrosConjunto da ObraLost Girly GirlLivros e FloresGarotinha AdolescenteRevelando SentimentosSome Fantastic BooksLua LiteráriaThe Queen's CastleRelicárioMeu amor pelos livrosEscritos e EstóriasLiteraleituraDicas de livrosThe book is on the tableSir James MatthewDa imaginação a escritaUm livro e nada mais se juntaram ao Interesses Sutis para fazer 10 kits com livros e/ou marcadores! Não deixe de participar.

Resenha: Indesejadas



Indesejadas é o primeiro livro da série de Kristina Ohlsson e seu romance de estreia. A autora é sueca e cientista policial. Sua obra foi uma surpresa para mim. A história é angustiante e eletrizante. Não dá para largar o livro e não ficar curioso pelo que acontecerá.

Fredrika Bergman é a protagonista da série, uma analista criminal que seus colegas de trabalho, Alex e Peder, não fazem questão de seu auxílio nas investigações, menosprezando sua qualificação profissional. Em muitos momentos, o preconceito predomina. Na maioria das vezes, o leitor se apega com raiva de Alex e Peder, por tratar Fredrika como se não tivesse nenhuma utilidade no trabalho. Porém, ela mostrará que é capaz de fazer muito mais do que eles pensam e do que ela acredita.


Desejados da vez

A cada mês fica mais difícil lutar para não adquirirmos livros com tantos lançamentos ótimos que as editoras nos apresentam. Este mês de janeiro não é diferente e agora vou apresentar para vocês os meus desejados da vez. 

    

Resenha: Estrelas perdidas



Estrelas Perdidas é o primeiro contato que tenho com o mundo Star Wars. Tenho todos os filmes e confesso que não assisti ainda (não me joguem pedras, por favor). Acredito que, para quem nunca teve contato com esse universo, o melhor a ser feito é começar por esse livro. Ele é leve e une diversos elementos que prendem o leitor e o faz admirar a série tão querida.

Neste livro somos apresentados a eventos paralelos à trilogia. Ele é apenas uma parte da série, como a própria propaganda da obra nos mostra. Com isso, o leitor acompanhará acontecimentos desde o surgimento da Rebelião até a queda do Império. O livro trata de eventos inéditos que se passam depois do episódio VI (O Retorno de Jedi) e leva o leitor ao delírio com enigmas sobre o episódio seguinte (O despertar da Força).


Resenha: O direito à verdade



O direito à verdade é uma obra que, antes de tudo, faz-nos refletir apenas pelo título e pelo subtítulo: Cartas para uma criança. O livro recebeu o Prêmio Jabuti 2003 na categoria Educação e Psicologia. Por esses três fatores a obra chamou a minha atenção e entrou na lista de uma das melhores leituras do ano.

Logo no início, o autor dá um nocaute naquilo que chamamos de Estatuto da Criança e do Adolescente. Muitos juristas ousam afirmar que ele é considerado como de Primeiro Mundo, todavia, não é bem assim que as coisas acontecem. O autor escolhe dois artigos para provar a sua teoria de que esse Estatuto está cotidianamente esquecido.

Será realmente que as crianças e os adolescentes têm todas as oportunidades de desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social? Será que sua liberdade e dignidade são tão garantidas quanto o Estatuto atribui? Sabemos que é dever da família, da comunidade e do Estado assegurar uma melhor qualidade de vida abrangendo desde a sua criação até a sua educação, dignidade, respeito e liberdade.

Adaptações dos livros do Grupo Record são destaques no Globo de Ouro e Critics' Choice Awards


Um dos filmes mais badalados do momento, “A grande aposta” tem elenco estreladíssimo – Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling e Brad Pitt – e usa como pano de fundo a grande crise que abalou o mercado imobiliário e a economia dos EUA em 2008. A trama é inspirada em “A jogada do século” (Best Business), livro no qual o jornalista e escritor Michael Lewis destrincha a crise financeira de forma envolvente e até divertida. No Globo de Ouro, o filme concorre nas categorias Melhor Filme – Comédia ou Musical, Melhor Ator de Comédia (Christian Bale e Steve Carell) e Roteiro (de Charles Randolph e Adam McKay).

O ator britânico Mark Rylance concorre a duas estatuetas que têm relação com nossos livros: pode levar como Melhor Ator Coadjuvante em Filme por seu papel em “Ponte de espiões”, o longa dirigido por Steven Spielberg baseado no livro “Uma ponte entre espiões” (Record), de James B. Donovan; e está na briga também como Melhor Ator em Minissérie pela performance em “Wolf Hall”. A minissérie da BBC é baseada no livro homônimo da autora Hilary Mantel lançado pela Record. A produção televisiva pode ganhar ainda como Melhor Minissérie e Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie (Damian Lewis).


Resenha: Se houver amanhã



Quando vi que a continuação de Se houver amanhã tinha saído, fiquei eufórica e decidi que estava na hora de trazer a resenha do primeiro livro para vocês. A obra se baseia em torno da vida de Tracy Whitney. Garota simples, trabalha num banco e está noiva de Charles, um homem riquíssimo. Sua vida é mudada drasticamente ao descobrir o suicídio de sua mãe. Ela se matou por não aceitar perder todo o patrimônio que o marido lhes deixara para um integrante da máfia. Indignada com tudo isso, Tracy procura-o para tirar satisfações e acaba sendo vítima de uma armadilha.

Acusada por roubo e tentativa de homicídio, Tracy é condenada a passar 15 anos na prisão por crimes que ela não cometeu. É humilhada e estuprada por criminosas e acaba perdendo o bebê que estava esperando de seu noivo. Além de ser vítima de tudo o que passou, ela ainda é desprezada. Seu próprio noivo não acredita em sua inocência e então a abandona.

Promoção: Amamos nacionais


Apesar de existir uma pequena corrente de descrédito na qualidade das histórias nacionais, baseada, principalmente, na insistência de nossas escolas em não enxergarem o amadurecimento dos jovens diante da leitura e fornecerem obras que não representam a vontade dos alunos, a grande maioria aprecia e lê com afinco.

Resenha: Esperando por Doggo



Histórias que envolvem animais tem o dom de me fazer ficar encantada só pelo fato de eles existirem no enredo. No entanto, o charme desse livro acaba por aí. Não existe um elemento forte e envolvente na história de Dan e Clara. Dan é abandonado por Clara e o que mais intriga o nosso protagonista é que ela simplesmente partiu sem motivo algum. Quatro anos juntos, uma vida regada de união dentro de casa e ela parte sem dar uma explicação. A única coisa que ela faz é deixar uma carta de despedida e um cachorro. Curioso? No mínimo intrigante.

Essa parte inicial deixa o leitor esperando uma surpresa, uma revolução e coisas diferentes. Eles não aparecem. Dan se entristece, como todo o ser humano que tem um coração dentro de si, e não sabe o que fazer com Doggo, não sabe como cuidá-lo e resolve devolver ao mesmo abrigo que Clara o pegou. Acontece que o sentimento de afeto impede o protagonista de fazer isso. No momento em que ele descobre que é preciso castrar o animal, ele prefere tentar cuidar do pobre coitado que também foi abandonado por sua dona.

Renovação de parceria: Geração Editorial


Existem coisas boas, coisas maravilhosas e coisas perfeitas. Hoje estou aqui para falar de todas elas misturadas numa única novidade: renovação com a Geração Editorial. Este ano é o terceiro consecutivo que sou parceira da Geração e me sinto honrada por isso. Não, não é rasgação de seda, mas é que sempre fui fã dos livros publicados por essa editora e me esforcei bastante para conseguir a parceria na primeira vez e, desde então, busco sempre fazer o melhor para manter algo que para mim é motivo de satisfação.

Vem por aí: Lançamentos

O mês de janeiro está recheado de lançamentos e para agradar a todos os gostos. Vamos conferir quais são eles? Clique na imagem para ser redirecionado à sinopse:

Arqueiro:
                 

Resenha: O Bangalô



Tenho parado e analisado há alguns dias sobre a melhor forma de resenhar um livro que tenha causado um misto de sentimentos em mim. Explico: ler O Bangalô foi como ser arrastada para dois cenários distintos e misturados. Não entendeu, né? Na verdade acredito que eu não tenha sido tão clara quanto deveria. Imagine que a autora tenha feito uma receita e existem dois ingredientes que foram utilizados, o primeiro se chama O diário de uma paixão, o segundo é Pearl Harbor. Posteriormente, foi batido ambos e então surgiu O Bangalô. Uma receita rápida, simples, porém, existe algo nela que prenderá você: o sabor.

Como a resenha aqui é destinada para um livro, vou me ater a ele e deixar de lado os nomes que mencionei. Logo no início prevemos que uma história será contada dentro de outra e então conhecemos a contadora, Anne Calloway, uma senhora que, em 2012, recebe uma carta enviada por uma desconhecida e que a faz voltar à tona em seu passado. Curiosa, a neta pede para que ela conte sobre a origem daquela carta e somos arrastados para uma história não tão surpreendente assim. Afinal, para aqueles já assistiram aos filmes citados sabem do que estou falando.

Resenha: Os bons segredos



Nada melhor do que terminar/iniciar o ano com uma leitura que nos leva à reflexão. Geralmente as pessoas são fadadas à ideia de que o início do ano é um processo de mudança, de observar o que foi feito de ruim para que não seja repetido. Diante dessa linha de pensamento, esse livro é um grande auxílio para quem deseja essa meditação.

Dessen trata sobre superação, amadurecimento e, claro, antes de tudo isso vem os erros que ela soube descrever muito bem. Durante a história, senti-me comovida pelos personagens principais e consegui me colocar no lugar de cada um – aliás, quase. Sidney é uma garota simples e que vive rodeada de simplicidade, aquele tipo de pessoa que passa na rua e você nem a nota. 


Vem por aí: Adaptações

Olá, leitores. Hoje a novidade é sobre as adaptações que estão prestes a serem lançadas. A Companhia das Letras faz o convite ao leitor para ler as obras antes. Confiram:

O livro do filme Snoopy e Charlie Brown – Peanuts!

Charlie Brown vai fazer de tudo para impressionar a Garotinha Ruiva! Participar do concurso de talentos da escola com um número de mágica, tentar alguns passos de dança bem originais em uma competição e muito mais.

Será que ele finalmente vai provar que tem um grande talento? Ou mais uma vez vai fazer um papelão daqueles?

Promoção: Ano novo, livros novos


Nada como começar o ano com livros novos para ler. Ou então, renovar aquela coleção que você ama, mas que já está velhinha, prontinha para ir para uma outra estante, e, no lugar, colocar uma acabada de ser lançada! ;)

Resenha: Zac e Mia



Vou começar por aquela parte tão temida por alguns: a crítica. Não sei definir com precisão, foram poucos os livros que li com personagens doentes – em especial o câncer – e isso tem me incomodado um pouco. Parece que essa temática é feita apenas para atrair o leitor (leia-se: comover). Acredito que isso tenha tornado as coisas meio monótonas. Nesta resenha não é o momento apropriado para fazer menção, mas outro tipo de livro que já estou incomodada de ver são os de pintar. Sei que este assunto não é aqui, mas sinto como se fossem semelhantes no mesmo quesito: marketing.

Uma coisa é você comprar/ler um livro e se emocionar por seu conteúdo completo, outra coisa é se emocionar porque existe um personagem doente e que pode falecer a qualquer momento. Quer o livro tenha um final feliz ou não, essa parte vai comover o leitor – é algo praticamente certo. Porém, vejo que existem obras que podem se evitar isso e elaborar algo mais diferente e arrebatador, a exemplo do livro Extraordinário. Afinal, o personagem não é necessariamente doente.

Top Comentarista de Janeiro

Olá, leitores. Hoje o Blog trouxe o primeiro Top Comentarista do ano. Como a maioria já sabe, quem mais comentar no Blog recebe um prêmio. O vencedor poderá escolher o livro que quer ganhar entre as quatro opções: O Planeta dos Macacos, Esperando por Doggo, O segredo de Ella e Micha e Brilho.