Resenha: King of Thorns


Fala, galera, lembra do Jorg, aquele garoto, sem coração, malvado, que mata qualquer um sem escrúpulos apenas para conseguir o que quer? Pois bem, ele vai casar. =O

Sim, isso mesmo, ele vai casar e é assim que se inicia o segundo livro da Trilogia dos Espinhos. Inclusive o livro se passa todo em um único dia, que é justamente o dia do casamento de Jorg (agora com seus 18 anos) com a pequena Miana, a filha de um lorde que, apesar de ser muito nova, de besta não tem nada.

Resenha: Nada consta



Absolutamente abandonado. As fraldas indicam, com o choro incessante, que é um bebê. Pessoas passam e encontram aquela criança na porta de um bar. Aqueles corações, moles, sentem dó do pequeno; se perguntam o motivo de tamanha atrocidade. Ninguém entende, eles não sabem explicar, mas apenas observam que há uma vida ali, no meio daquele nada, junto com a solidão.

É com essa reflexão que inicio esta resenha. Quantas crianças são largadas pelos pais? Quantos pequenos são abandonados, sem sequer ter o poder de escolha, o poder de demonstrar a sua vontade e de clamar por ajuda? Danilo foi um desses garotinhos. Um menino lindo, saudável, mas que foi largado por pessoas que eram consideradas seus pais. Até que ponto somos capazes de chamá-los dessa forma? Afinal, entende o Supremo Tribunal Federal que pai é quem cria, pai é aquele que possui um laço afetivo, independentemente do sanguíneo. Então, volto para consertar a expressão: Danilo foi um desses garotinhos abandonado pelas pessoas que o colocaram no mundo.

Resenha: ‘Salem


“Ben Mears havia jurado nunca mais pôr os pés em Jerusalem’s Lot. A cidadezinha da Nova Inglaterra onde ele passou quatro anos de sua infância foi palco de horrores que ainda lhe tiram o sono.

No verão em que Ben, finalmente preparado para exorcizar seus próprios demônios, decide voltar a ‘Salem’s Lot – como a cidade é conhecida por seus habitantes -, descobre que o mal que ele pensava estar sepultado ainda vive, e precisa ser destruído.
Junto com Ben, chega à cidade um enigmático forasteiro, trazendo consigo um segredo antigo e maligno que mudará para sempre a vida de todos em seu caminho.”

Resenha: Gelo negro


Olá, amigos,
O post de hoje talvez não seja tão agradável assim, pois vim para falar de um livro que não me agradou, e de algumas tendências que tenho percebido nos livros há alguns anos: a tendência em fragilizar as mocinhas, a tendência de sensualizar algumas situações, a tendência de morder o lábio... Quer dizer, jura que essa história ainda vende?


Resenha: Relíquias


O que falar dessa mulher que mal conheço, mas já considero pacas?
Brincadeira... mas, vamos pontuar umas coisas: 1) eu não conhecia essa autora até agora; 2) só adquiri o livro porque Stephen King indicou. Porém, SK gosta de Harry Potter, então não levem tão a sério o que ele indica por aí. Mas a indicação da Tess até que vale.

A história de Relíquias começa com um grupo de diferentes profissionais prontos para fazer exames de radiografia em uma múmia recém-encontrada. Seria tudo muito lindo se eles não encontrassem nas radiografias um dente obturado e uma bala calibre .22 na perna da múmia... que... tecnicamente... era para ter mais de 2000 anos. O que era para ser um dia de descobertas sensacionais se transforma em dia de descobertas de um caso de polícia!!

Resenha: Prince of Thorns


“As estradas do Império Destruído. Um cenário abandonado há milênios pelos enigmáticos Construtores. É nessa nova era medieval que o Príncipe Honório Jorg Ancrath se vê obrigado a amadurecer para saciar seu desejo de vingança e poder.

Jorg testemunhou o brutal assassinato da rainha-mãe e de seu irmão caçula, ainda criança. Jogado à própria sorte em um arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente a sua pele, e sua alma. Quatro anos depois, o Príncipe dos Espinhos lidera uma irmandade de assassinos. E sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.”

Resenha: Belleville


Sabe aquela felicidade por encontrar mais um talento nacional? É exatamente isso que eu senti ao ler Belleville, de Felipe Colbert.

Eu não sei por onde começar esta resenha, pois a leitura foi tão mágica e rápida que todos os sentimentos ainda estão misturados dentro de mim.

Resenha: A última camélia


Olá, amores! Tudo bem com vocês?

Tenho uma queda por romances cuja narrativa flui entre duas épocas diferentes e neste livro da Sarah Jio acompanhamos acontecimentos importantes na vida de Flora que se passaram no início da década de quarenta e também na vida de Addison que se passam nos dias atuais. Em comum, elas têm o amor por botânica e a busca por uma rara camélia que supostamente está escondida no jardim dos Livingstons.

Flora não tem muitas perspectivas de futuro nos Estados Unidos, sua família possui uma padaria que está indo tão mal que não vai muito para fechar as portas. Apaixonada por plantas, a jovem sonha um dia estudar botânica e sua paixão acaba despertando o interesse de um negociador de raridades que acha que ela é a pessoa perfeita para se infiltrar na mansão e procurar pelo jardim a rara flor. Aproveitando a situação frágil da família, o negociador ameaça a garota que, para proteger o pai, parte para a Inglaterra assumindo a função de babá das crianças da família.


Resenha: Ecos do espaço


Recebi Ecos do espaço num kit lindo da editora, foi uma surpresa a sua chegada e, automaticamente, a ansiedade em ler foi aumentando assim que soube se tratar de ficção científica.

Nele temos a história de Skylar que, até os 5 anos, quando seu irmão fugiu de casa, ela era considerada uma menina “normal”. A partir disso, a garota se culpa e tenta entender o que possivelmente fez de errado para ver seu irmão partir. Depois desse ocorrido, ela não é mais a mesma pessoa. Vive perseguida por sensações de que algo está terrivelmente errado. Mas, apesar dos ataques de pânico que a atormentam, nada nunca acontece, e Sky já está começando a acreditar simplesmente que ela não é normal.

Resenha: Darkmouth


Olá, amores e amoras!

Darkmouth é a única das vilas flageladas que ainda é atacada por Lendas, os portais que as trazem até o nosso mundo se fecharam em todas as outras vilas e Darkmouth é, inexplicavelmente, a última onde os portais ainda se encontram ativos e cabe a família de Finn proteger essa vila.

Restando menos de um ano para concluir o treinamento como caçador de Lendas. Ogaroto ainda não conseguiu completar nenhuma missão, são necessárias três para torná-lo oficialmente um caçador e Finn é o caçador de Lendas mais atrapalhado que a vila flagelada de Darkmouth já viu, e olha que ela tem sido protegida pela família dele há séculos, eles são famosos entre os caçadores e o pai dele, Hugo o Grande, é quase um prodígio por ter sobrevivido ileso a diversas missões perigosas.

Resenha: Cidade do paraíso


Livros que nos fazem pensar sempre têm a minha atenção. E foi nesse clima conturbado que o país está vivendo que resolvi iniciar a leitura de Cidade do paraíso. Afinal, nada melhor do que esse período de crise, o excessivo desejo pelo poder, para refletirmos sobre a nossa vida e sobre como o Brasil está indo de mal a pior.

Com tantas coisas ruins acontecendo ao nosso redor, por que não ler uma obra que mostra algo diferente do que estamos habituados? Onde haveríamos de imaginar uma favela localizada num bairro nobre e que, diferente da excessiva violência, lá é possível encontrar pessoas felizes e criativas, que levam suas vidas de forma anônima, mas que encontram prazer na simplicidade, naqueles que conseguem transformar a sucata em uma obra de arte?


Resenha: De Pauliceia desvairada a Lira Paulistana


 Oi, pessoal!

O livro que vou resenhar para vocês hoje é um pouco diferente do nosso habitual, isso porque se trata de um livro inteiramente de poesia do grande mestre Mário de Andrade, que dedicou a maior parte de suas obras a retratar a São Paulo em que viveu. Neste livro vemos o autor fazer desde as reflexões mais simples sobre a vida a críticas muito importantes sobre a sociedade e a política da época.

Mário relutava em nomear sua arte lírica de poesia, preferia chamá-la de anotações líricas de momentos vividos, achava que a poesia tinha que ir além do que se conhecia, mas não se atrevia adiantar-se. Gostava de usar palavras e trechos que não se ligavam aproveitando a sonoridade de nossas palavras para criar suas poesias sem rima e, apesar das linhas melancólicas de suas obras, quis destacar em muitos momentos que a melancolia não representava seu estado de espírito, pois era muito feliz.

Resenha: O cavaleiro dos sete reinos


O mundo das Crônicas de Gelo e Fogo criado por George R. R. Martin é muito vasto, contando com uma mitologia única e personagens memoráveis, sendo frequentemente comparado ao Senhor dos Anéis.

As Crônicas de Gelo e Fogo já conta com cinco livros principais (e mais de cem invernos esperando o sexto U.U), mas com um universo tão grande assim é normal que se tenha algumas outras histórias publicadas que se passem nesse mesmo mundo e O Cavaleiro dos Sete Reinos é um deles.

Resenha: Jardins da Lua


Este é o livro para aqueles que estão preparados. Não é um tipo de preparo comum, habitual, algo ligado ao nosso dia a dia e ao gênero literário que nos deixa sentados na cadeira divagando sem necessidade de concentração. Este livro é para os fortes, os fortes de emoção, de sentimentos, os fortes de paciência e preparo físico também, oras, por que não? Explicar-me-ei!

Antes de adentrar no enredo, aviso que o autor deixa claro que esta série não é fácil – e isso fica evidente em seu prólogo, quando Erikson afirma que não tinha intenção em escrever um livro fácil de ser lido. Ele ainda declara que quem lê a série terá uma experiência 8 ou 80, ou seja, não existe meio termo. Ou você vai amar a obra ou vai odiá-la.

Resenha: Espero por você


Olá, pessoal! Tudo bem com vocês?

Recentemente fiz uma releitura que me fez relembrar o quanto amo a autora J. L. Armentrout por ter criado a série Wait for you, onde a cada livro vamos acompanhando amigos universitários que vão encontrando o amor quando e onde menos se imagina.

Em Espero por você conhecemos Avery Morgansten, uma jovem de dezenove anos que está fugindo de um passado de dor e julgamentos e que vê na faculdade a oportunidade de começar uma vida nova e tentar se livrar dos traumas do passado. Logo no primeiro dia de aula ela tromba com um corpo extremamente quente que pertence a ninguém menos que Cameron Hamilton um dos caras mais populares do campus e não bastasse ter atropelado o cara, ela ainda deu uma pirada quando o contato corpo a corpo foi demais para suportar. Com muita vergonha para entrar na sala de aula, ela resolveu faltar e como o destino é malandro, ela e Cam foram designados com parceiros de atividades durante todo o semestre.


Resenha: Desaparecidas


Desaparecidas é um livro que “apareceu” em meio aos lançamentos da Editora Vestígio. Quando soube da novidade, não pude deixar de solicitar o exemplar. Afinal, os dois primeiros livros que li de Ohlsson, Indesejadas e Silenciadas, foram um dos melhores que tive o prazer de conhecer do Selo do Grupo Autêntica.

Este é o terceiro livro da série, mas é importante dizer que não é necessário ler na ordem. É possível ler este primeiramente e compreender a essência da história. Neste, assim como nos demais, temos a investigadora Fredrika, seu chefe Alex Recht e outros policiais. Dessa vez eles precisam lidar com um caso delicado e assustador. Rebecca Trolle estava desaparecida; após dois anos, seu corpo foi encontrado, sem a cabeça e sem os braços, numa cova rasa em uma remota área florestal.

Resultado do Top Comentarista

Olá, leitores. Hoje trouxe o resultado do Top Comentarista para vocês.

Segue abaixo o nome do vencedor:


Resenha: Isolados – O enigma


Oi, pessoal! Tudo bem com vocês?

Esses dias li meu primeiro livro de youtuber e vim contar pra vocês o que achei.

A gamer Bibi Tatto é dona de um canal com mais de três milhões de inscritos no Youtube, a jovem de dezesseis anos alcançou essa marca principalmente graças a sua criatividade, pois, inspirada em uma série criada pelo maior ídolo dela, o também youtuber e gamer ResendeEvil, Bibbi criou uma música "narrando" a série criada por ele no mundo de Minecraft. O vídeo bombou tanto que viralizou até que ela foi vista pelo próprio Resende, que divulgou a canção e o canal dela para os seus dez milhões de inscritos. A partir daí foi só sucesso para Bibi.

Resenha: Por lugares incríveis


No início deste livro incrível, conhecemos Theodore Finch, o garoto "aberração" da escola, no parapeito do prédio, em um intervalo das aulas, como se estivesse prestes a pular. Todos da escola já estão acostumados com esse comportamento frequente do rapaz que vive falando sobre suicídio e citando "será que hoje é um bom dia para morrer?" Porém, o que chama a atenção de alguns alunos é que Violet Markey também está no parapeito! Que razões ela teria para estar lá?

O que o pessoal não sabe é que ela subiu lá com a intenção de tomar uma iniciativa para pular e acabar com sua vida. Em vez disso, todos acabam achando que a verdadeira razão para ela estar naquele local foi para salvar Theodore e evitar que ele pulasse. Assim, Violet fica conhecida como a heroína de Finch, a menina que salvou a vida dele. 

Resenha: Quando o amor bater à sua porta


Malu Rocha é uma mulher cheia de compromissos. Sem tempo para imprevistos, a vida dessa escritora baseia-se na rotina: pedaladas matinais, frequentar o aeroporto da cidade e visitar o amado avô. Além da escrita.

Trabalhando, agora, em seu mais novo livro, que promete ser um sucesso, o habitual da protagonista está cada dia mais corrido, cheio de participações em programas de TV e entrevistas, afinal, a próxima obra trará um enredo totalmente diferente de todos os outros, como adianta a autora. A complicação surge quando, em uma das entrevistas, a seguinte pergunta é lançada: “O que é o amor para Malu Rocha?”.


Resenha: A letra escarlate


Heey "pipous", tudo bem com vocês?!

Desde que assisti ao filme A mentira com a Emma Stone, fiquei louca para saber que obra era essa que poderia inspirar um livro que tratou com maestria e deboche um assunto tão delicado quanto a pureza feminina. Agora que realizei esse desejo que me consumia a tempos, vim compartilhar com vocês minhas impressões sobre a obra.

A letra escarlate nos apresenta a Hester Prynne, uma jovem mulher à frente de sua época. Recém-casada, Hester viajou sozinha para a Nova Inglaterra com a promessa de que o marido logo viria encontrá-la, porém, passado um ano após a sua chegada nenhum sinal do marido fora recebido e sabendo que as condições de viagem naquela época não eram muito seguras, todos passaram a imaginar que seu navio tivesse afundado.


Top Comentarista de Maio




Olá, leitores. Antes de começar como de costume, peço que leia isto com carinho:

Atenção!
Pessoal, mês passado tive um sério problema com um perfil fake cujo nome foi Rita de Cássia e se passou por irmã de uma vencedora para receber os prêmios. Farei todo tipo de verificação possível para que isso não aconteça novamente. Ela receberia 5 livros e até cheguei a enviar, mas solicitei aos Correios o bloqueio do envio. Por isso, acho importante vocês tomarem cuidado e olharem certinho quando vocês vencerem, além de mandar e-mail, é importante comentarem na postagem do resultado, pois assim é uma forma de vocês me ajudarem e de não sofrerem nenhuma injustiça. Claro que eu mandaria os livros para os vencedores, mesmo se não tivesse recuperado os livros. Eu soube disso assim que mandei, mas eu poderia não ter descoberto e, se as pessoas não me cobrassem, pensaria que estava tudo ok. Entendem? Por isso, peço que olhem quando o resultado sair e deixem seu comentário aqui também, não apenas mandem o e-mail. Ah, se quiserem deixar o e-mail de vocês é até ótimo para eu checar as informações e evitar que outra louca se passe por algum vencedor novamente. Agora, vamos ao que interessa?!

Como estamos no mês das noivas, nada melhor do que presentear os fãs da Nora Roberts. Se você já tem este box ou não gosta do gênero, não tem problema. A gente aqui pensa em tudo e você poderá escolher a opção de receber 3 livros. 

É claro que não será qualquer livro, só deixar o link de vocês do Skoob para eu ver a lista de desejados ou pelo menos dizer os gêneros que gostam, assim o vencedor não ficará prejudicado. Correto? Está bom assim para vocês?