Resenha: Silenciadas


Quando finalizei a leitura de Silenciadas, precisei de uma longa pausa para fazer esta resenha. Estava me preparando psicologicamente para escrever sobre a história. Posso dizer que, até agora, desde que concluí essa leitura, nenhum livro conseguiu passar pelas minhas mãos por tanto tempo até largar e começar outro, outro, outro... E não sei mais quantos começarei até sair dessa ressaca literária.

Quase tudo começa em 2008 – tirando o prólogo que não revela a real data, mas, fazendo as contas, é por volta de 1993. Quinze anos atrás, uma adolescente é surpreendida enquanto colhia flores para a celebração do solstício de verão e é brutalmente violentada. O tempo passa e aquela garota poderia ter sido apenas uma jovem comum, feliz e sem marcas – se não fosse esse passado que a tormenta dia após dia. Já em 2008, um homem é morto em um atropelamento e não possui nenhuma identificação. Ao mesmo tempo, um sacerdote e sua esposa são encontrados mortos em um aparente duplo suicídio. Fredrika Bergman, juntamente com a equipe de investigação de Alex Recht, é encarregada de casos aparentemente desconexos.

Tudo parece fios soltos, com histórias desconexas, mas é aí que o leitor é surpreendido, pois nada, absolutamente nada dessa história, fica sem ligação. A autora não deixa pontas soltas e o que queremos apenas é entender para onde cada uma vai nos levar. Quando descobrimos, o susto é grande.


Silenciadas consegue ser uma história forte e nos transmitir sentimentos intensos. O leitor se desespera, pois não sabe se aquele é o mocinho, se aquela é a vilã ou se é mocinha também. Não importa, a gente torce, quer defender, quer invadir as páginas e resgatar aquela que está em perigo, aquele que está perdido nas drogas, o casal que está prestes a morrer. E parecemos um salva-vidas fora d’água – e daí, não é mesmo? A gente só quer proteger para que nada de ruim aconteça. Porém, não estamos lá, não podemos oferecer ajuda, então, coisas ruins acontecem. Com isso, o leitor chora, fica com o coração apertado e não quer saber de mais nada além do final.

O final... Ah! Mas que final, senhora Kristina Ohlsson. Você poderia ter maltratado menos o nosso pequeno e frágil coração. O leitor quer um saudosismo fim, mas acontece que nem todas as histórias possuem finais felizes e Ohlsson nos prepara para isso. Com Ohlsson a gente aprende a perder, a sofrer, aprendemos que nem tudo pode ser como queremos. Afinal, o que seríamos de nós se pudéssemos fazer de tudo e de todos como marionetes? Ela nos ensina como um autor de verdade deve fazer para conquistar um leitor e ganhar um novo fã.

Ohlsson nos mostra que as aparências enganam, que as dúvidas corroem, mas as certezas... Essas nos destroem por completo. Podemos olhar sorrisos, no entanto, eles não significam felicidade; podemos ver lágrimas deslizar sobre diversos rostos, porém, eles não significam apenas que alguém está sofrendo. A autora nos conduz a um mundo onde tudo pode ser como imaginamos, mas também pode não ser. Afinal, quem entende o interior da outra pessoa? Só ela mesma.


É difícil resenhar esse livro sem divagar por tantas lições contidas na obra. Fiquei dias alimentando a ideia de escrever, contudo, sabia que não conseguiria transmitir o que esse livro proporcionou para mim. É delicioso saber que o segundo livro da autora conseguiu me ganhar de forma intensa e não poderia dar menos do que cinco estrelas. Não poderia deixá-la na estante e, com certeza, em meu coração.

A única coisa que tenho a reclamar ou que poderia ter sido melhor trabalhada foi a sinopse. Ela mostra pontos bons, mas outros são questões que poderiam ser silenciadas, afinal, não é bom deixar partes que possibilitam spoilers. Agora que li o livro eu enxergo, enquanto lia eu desconfiava, então seria bom evitar. No entanto, isso não compromete a leitura, pois o leitor não imagina que é aquilo mesmo; imagina que pode ser algo diferente, pensa que está sendo enganado. E, no final das contas, é isso mesmo.

A história pode não significar nada para um leitor, pode até não ter a surpresa que você tanto espera. Confesso que comigo ocorreu o contrário (embora o final fosse duvidoso e nem tão inesperado assim). O que gostei não foi apenas do conteúdo, da criação da história, do enredo e dos personagens. O que gostei foi do conjunto. O ensinamento que Ohlsson nos transmite perpassa o trabalho das entrelinhas. Obra indicadíssima!

Quotes:
“Ali suspirou e fechou os olhos. É claro que não sairia do apartamento – afinal de contas, estava trancado. Seus olhos se encheram de lágrimas, embora não chorasse desde pequeno. Não havia telefonado no apartamento, e o celular que recebera da mulher parecia não funcionar. A TV só exibia canais que ele não entendia; o AI Jaseera não estava na grade. Também não havia computador. As janelas não abriam e o exaustor da cozinha não funcionada. Já havia fumado alguns maços de cigarro e não fazia a menor ideia do que faria quando acabassem” (p. 48).

“As palavras impulsionaram sua corrida como se fossem uma chicotada. Era o bebê que eles queriam, era o bebê que tentavam pegar. Viu que um dos homens segurava uma faca comprida e brilhante. Quando a alcançassem, arrancariam o bebê de sua barriga e a deixariam morrer na floresta. Assim como fizeram com todas as mulheres que encontrou largadas entre as árvores” (p. 70).

“Filhos são algo que a gente toma emprestado. E a gente sabe disso desde o início. Eles não foram feitos para ficar com a gente em casa eternamente. O objetivo da minha presença na vida deles é prepará-los para cuidarem da própria vida. Com Lena não é assim. Ela é “minha” de um modo totalmente diferente. E eu sou dela. Vamos estar sempre juntos” (p. 164).

Outras fotos:





Título: Silenciadas (exemplar cedido pela editora)
Autora: Kristina Ohlsson
Editora: Vestígio
Páginas: 320
Ano: 2016

33 Revelaram sentimentos:

  1. Oi, Natália!
    Menina, eu já fiquei interessada nesse livro logo nas primeiras frases da sua resenha. As histórias dos personagens que parecem ser soltas...
    Essa capa então está muito linda e eu sim compraria por causa dela.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário Balaio de Babados e Postando Trechos
    Participe da promoção 1 Ano de Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é lindíssima, Lu. Mas o conteúdo é ainda melhor. Vai por mim.
      Ambos estão perfeitos.

      Excluir
  2. Se eu fiquei interessada no livro depois de ler essa resenha maravilhosa? Sim, claro ou com certeza?
    Confesso que conhecia o livro meio por cima, já tinha visto a capa e tudo, mas não tinha parado pra saber ao certo o que ele transmitia.
    E o que acabei lendo aqui me deixou muito curiosa, sério.
    Parece ser um história bastante interessante e como você mesmo falou o "conjunto" faz com a leitura acabe sendo bem positiva para o leitor, gosto disso.
    Espero conhecer a obra em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que excelente notícia, Carol.
      Pois saiba que eu fiz essa resenha desejando que o leitor dela fique interessado realmente pelo livro, porque foi assim que aconteceu comigo e não me decepcionei.
      Aguardo sua leitura, sem dúvidas.

      Excluir
  3. Uma coisa que eu amo demais em livros é quando eles trazem lições que fazem a gente ficar pensando um bom tempo depois de finalizar a leitura da obra. Gostei bastante da proposta, o título é bem legal e instigante, pois já mostra que a história vai ter bastante mistério. Melhor ainda é saber que tudo é muito bem articulado e que cada coisinha que deveria ser insignificante faz todo o sentido depois. Gostei mesmo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eduarda.
      Também gosto de livros que nos transmitem além de um conjunto de palavras, gosto de lições. E esse livro me ensinou muita coisa.
      Abraço.

      Excluir
  4. Um livro que mexe tanto assim com o leitor com certeza merece ser lido! Adoro essas obras que nos deixam entorpecidos, meio anestesiados ainda dias depois. Ainda não conhecia Silenciadas, mas com certeza vou tratar de ler depois da sua resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também gosto muito, Carol.
      E entrou para minha lista de queridinhos da vida

      Excluir
  5. Olá, Naty.
    Não conhecia esse livor ainda, mas depois dessa resenha não tem como não ficar querendo ler ele agora. Apesar de preferir finais felizes, por isso adoro um romance de época, tem histórias que não dá para esperar por eles hehe. Vou anotar ele aqui para uma futura leitura. E que coincidência, também terminei um livro que fiquei assim. Comecei 6 livros para finalmente conseguir seguir na leitura hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Sil. Quem é que não gosta de um bom final feliz?
      Mas sabe que os finais tristes despertam mais o leitor? Pois nos coloca numa visão que a gente não quer enxergar e isso acaba nos passando muitas lições

      Excluir
  6. Oie! Nossa que história mais linda! Tem razão qdo disse q precisava de uma pausa... Parece mto emocionante e mto agradável a leitura, enredo perfeito!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Aline.
      A história é demais, eletrizante e de tirar o fôlego.

      Excluir
  7. O livro e pareceu legal quando vi, mas nossa, não tudo isso!
    É gostoso quando a história parece meio sem pé nem cabeça, aquele negócio de o que tem isso a ver com o que? e etc e então consegue te surpreender quando você descobre. É muito bom, eu gosto de livros assim. E de livros que fazem a gente torcer, não saber quem é bom ou ruim, com um final que te deixa meio "não!!!" mas ao mesmo tempo você aplaude a genialidade daquilo. Se for mais ou menos isso pode ser uma baita leitura mesmo. Fiquei com vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris, eu tive essa mesma impressão.
      Mas eu imaginei que o livro dessa autora me ganharia justamente porque amei o primeiro.
      Embarquei com tudo e não perdi a viagem.

      Excluir
  8. Natália!
    É triste quando um livro é tão bom que nos leva a uma ressaca literária.
    Gostei demais de todo enredo e da forma como resenhou, expondo abertamente as sensações que teve.
    E gosto muito de livros que nos deixam na dúvida de quem é o vilão ou o mocinho, das reviravoltas e de um bom final.
    Fiquei muito curiosa em poder ler.
    “Demore na dúvida...E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.”(Padre Fábio de Melo)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste um pouquinho, Rudy.
      Pelo menos ele me deixou mais tempo refletindo sobre tudo e gostei disso.

      Excluir
  9. Estou ansiosa para começar a leitura, só pelo fato das tremendas lições que você mencionou. Parece ser bem interessante!

    http://intoxicadosporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então comece logo, Anne.
      Você vai gostar.

      Excluir
  10. Amei, que livro maravilhoso.
    Essa história deve ser muito bem bolada, ainda não conhecia a obra, mas fiquei super curiosa.
    Art of life and books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história é bem escrita sim, embora o final seja um pouco previsível, mas toda a obra me conquistou.

      Excluir
  11. Olá, Naty
    É a primeira resenha que leio do livro e adoreia premissa.
    Fiquei curiosa quanto ao final, por parecer que não será feliz. Sem contar que adoro histórias fortes e que parece ensinar tantas coisas.
    Ao que tudo indica uma ótima recomendação que com certeza leria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leeh.
      Você precisa conhecer essa escrita da autora e se deliciar nessa obra.
      Sério.
      Sério.
      Sério!
      Muito boa!

      Excluir
  12. Olá Natalia, tudo bem? Assim que terminei de ler tua resenha fui que nem louca adicionar este livro como desejado no Skoob. Ainda não conhecia ele, mas tua resenha me deixou mega interessada e cheia de expectativa para realizar a leitura, amo livros deste gênero, ainda mais se nos prendem.Amei conhecer ele e conferir tua resenha, espero gostar assim como você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi.
      Tudo bem e você?

      Ainda bem que você ficou assim, porque enquanto lia eu fiquei desse jeito e, quando terminei, queria gritar para todos sobre como essa obra é fantástica.

      Excluir
  13. Eu li o outro livro da autora depois que vi a resenha por aqui, achei incrivel, corri pra ler e não me decepcionei nem um pouco.
    Agora já quero ler esse também, parece ser mil vezes melhor que o outro, adoro livros que conecta histórias que inicialmente parecem tão distantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas que honra a minha saber que você leu o outro livro da autora que eu recomendei. E QUE VOCÊ GOSTOU, o que é mais importante.
      Agora esse eu tenho certeza que vai ganhar seu coração.
      Mulher, eu queria abraçar os personagens e salvar de tudo. Mas a autora queria ser George R. R. Martin e acabar com tudo. #choreeeeeeeei

      Excluir
  14. Não conhecia esse livro nem a autora.
    Já fiz uma pesquisa no Skoob e adicionei na minha ista de desejados.
    Parece que esse é o segundo livro da dupla Fredrika Bergman e Alex Recht. Me interessei muito!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Naty!
    Ainda não conheço a escrita da autora, mas tenho na minha lista de desejados esse e o livro anterior "Indesejadas" (você leu? Não lembro de resenha aqui no blog.). Amei a premissa desse livro, estou com ótimas expectativas para a leitura. E depois de tudo que você comentou a respeito da obra, mais certa fiquei de que vou gostar muito. Resenha perfeita! Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Uau! Nossa Naty, que resenha mais perfeita, sério. Quando vi o lançamento desse livro lá no comecinho do ano já adicionei no meu skoob, mas acabei me esquecendo dele. Como é a primeira resenha que leio, só posso dizer que simplesmente preciso ler esse livro, pois amo uma história com suspense, de reflexão e tocante, e esse daí pelo jeito é completo, como você mesma disse. Adoro um livro que me prende e me surpreenda desse jeito.
    Como recobrei a memória e lembrei que queria MUITO ler esse livro já vou colocar no topo da minha lista de próximas compras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. eu não conhecia nem o livro nem a autora.
    mas sua resenha fez com que eu colocasse o livro na minha lista, afinal são poucos os livros que conseguem mexer com a gente assim, né? conseguiu sair da ressaca que o livro te deixou?
    apesar do final duvidoso fiquei curiosa para descobrir o que acontece

    ResponderExcluir
  18. Ai Naty, tem tempo que uma leitura não mexe assim comigo... sua resenha me deixou curiosa, mas não sei se o meu coraçãozinho vai aguentar tantas emoções, rsrsr.

    ResponderExcluir
  19. Que resenha *__*
    Essa capa chamou muito minha atenção, mas nunca imaginaria que se tratava de uma história como essa...
    Estou precisando de um livro que me tire deste bloqueio de leitura e que me deixei de ressaca literária então esse dever ser o livro certo não é? Pelo que você disse deve ser ótimo, ele será minha próxima leitura hahaha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia esse livro mais amei a resenha e a premissa do livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.