Top Comentarista de Abril

Por Naty Araújo •
01 abril 2020

Olá, leitores. Hoje o top comentarista vai ao ar. Você poderá escolher qual dos livros indicados você deseja ganhar.

O que vocês precisam fazer? Se atendem aos detalhes para não serem desclassificados, ok?

Regras:
1- Para participar, preencha o formulário usando seu e-mail ou conta do Facebook.

2- São obrigatórios:
★ Comentar as postagens do mês de abril;
★ Ter um endereço de entrega no Brasil;
★ Curtir a página do Blog no Facebook;
★ Indicar qual livro deseja ganhar;
★ Deixar nos comentários um e-mail que usou para participar do sorteio.

Lembrando que o não cumprimento dessas regras deste item gerará a desclassificação do participante.

3- A primeira entrada confirma sua participação no Top Comentarista, as demais entradas são chances extras. O sorteio será feito pelo Rafflecopter.

4- Para comentários terem validade, é necessário que haja um conteúdo. Um simples “gostei”, “não gostei”, “quero ler” não serão considerados. Pode comentar o quanto quiser, mas será computado apenas um comentário por postagem.

5- Os comentários devem ser feitos nas postagens referentes ao dia 01 até o dia 30 de abril de 2020 até 23h59

6- Para chances extras:
★ Diariamente você poderá comentar em postagens fora do mês obrigatório. Esse critério foi atribuído para caso a pessoa não consiga comentar diariamente, ela terá a chance de fazer comentários nas postagens obrigatórias ou nas opcionais e computar pontos no formulário.

7- O resultado será divulgado no Top Comentarista do mês seguinte. Será avisado na mesma postagem que o resultado saiu. Então, fiquem ligados.

8- O vencedor terá um prazo de até 48h para entrar em contato com seus dados para o e-mail: natalia.araujo@live.com. Atentem a esta regra, pois o leitor ficará responsável por enviar o e-mail com os dados. Faremos a postagem apenas com o resultado da promoção.

9- O prêmio será enviado em até 40 dias pelo Blog. Porém, caso seja enviado pela editora, esse prazo poderá ser estendido.

10- Não nos responsabilizamos por extravio dos Correios. Será enviado ao vencedor um código de rastreio para consultá-lo quando quiser (caso o livro seja enviado por nós, quando enviado pela editora não posso garantir que o código será feito). Portanto, caso o livro retorne o segundo envio será custeado pelo vencedor.

11- Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita.

a Rafflecopter giveaway
***************
RESULTADO DO TOP COMENTARISTA DE FEVEREIRO

Fiquem atentos porque o resultado do Top comentarista já saiu. Confiram aqui.

E o resultado do sorteio do Desapego também saiu. Segue abaixo o número sorteado:

Os vencedores precisam enviar um e-mail para natalia.araujo@live.com com seus dados em até 48h. Lembrando que pedimos para nos informar o e-mail para checar o endereço e evitar que outra pessoa se passe pelo ganhador.

Leia mais

Resenha: Os garotos dinamarqueses que desafiaram Hitler

Por Naty Araújo •
30 março 2020

O que mais gosto da Vestígio é o fato de publicarem histórias sobre a Segunda Guerra Mundial, o que sou apaixonada. Quando faço a solicitação dos livros, eu nem me preocupo se vou gostar ou não, pois sei que eles arrasam nesse gênero. Neste aqui, temos uma história pequena, mas que transmite uma lição profunda, com ensinamentos que levamos para a vida toda.

O que você faria se visse o seu país ser invadido? Talvez não fizéssemos nada, mas o país vizinho se fecha para a invasão dessa nação estrangeira… E o seu país libera tudo, pode tudo e qualquer semelhança com o nosso caso pode ser considerado mera coincidência.

Inconformado com a situação e envergonhado com os líderes de seu país, que se renderam sem resistência aos ocupantes alemães na Segunda Guerra Mundial, o jovem dinamarquês Knud Pedersen, de 15 anos, junto com seu irmão mais velho, Jens, fundou o Clube Churchill. Esse grupo é composto por adolescentes e tem como objetivo praticar atos de sabotagem, despertando a fúria dos alemães, que acabaram identificando e prendendo os garotos. 

Tudo o que o Clube realizou não foi em vão, pois acabou ocasionando uma resistência generalizada na Dinamarca. Esses garotos fizeram o que adultos não tiveram a coragem de fazer, afinal, alguém precisava lutar para não abrir mão da liberdade, para evitar perdas e maiores sofrimentos. Esse grupo se tornou um exemplo, foi um grito dinamarquês da não aceitação das tropas alemãs comandadas por Hitler, um grito de indignação e esperança.


Coragem, ousadia, resiliência… São diversas emoções, sensações e lições de vida que essa história apresenta. É um excelente livro para ser lido nesse período que estamos passando, um período que precisamos fazer a nossa parte, nos preocuparmos com o próximo e refletirmos nossas ações, um tempo que estamos em guerra, mas não uma guerra física e sim com algo que não podemos ver, não podemos tocar. Uma guerra contra um vírus e contra nós mesmos, afinal, precisamos ter consciência. Recuar é a melhor forma de atacar, de nos proteger. Essa história nos faz pensar tantas coisas e percebemos o poder de uma união.

É um livro que merece ser lido por qualquer pessoa, qualquer idade, com uma temática forte, não é uma leitura cansativa. Indico a obra, aproveitem e comprem o e-book para lerem nesse período.

Um detalhe interessante é que no início o autor procurou Knud para escrever a sua história e ele disse que uma pessoa já escreveria. E assim passou-se um tempo… Hoose decidiu entrar em contato e ver como estava o andamento do livro e não tinha dado certo. Knud e Hoose se encontraram e então ele começou a escrever a sua obra. Porém, Knud já estava numa idade delicada e enfim, ao finalizar o livro, Knud recebeu seu exemplar, distribuiu aos parentes e disse adeus a esse mundo, mas as suas atitudes ficarão para sempre em nosso coração. Knud será sempre um exemplo de homem para todos nós!


Título: Os garotos dinamarqueses que desafiaram Hitler (exemplar cedido pela editora)
Autor: Phillip Hoose
Editora: Vestígio
Páginas: 224
Ano: 2019
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: Verity

Por Je Vasques •
27 março 2020

Verity é a estreia de Colleen Hoover no suspense e, na minha humilde opinião, ela já começou muito bem. Se conhece a autora, saiba que essa história é muito diferente de tudo que você já leu dela. A essência da autora de te deixar ansiosa e te fazer sofrer ainda estão lá, mas em outro nível. Esse é um lançamento da Galera Record, mas ele está de graça no kindle unlimited na versão em inglês.

Lowen é uma escritora de suspense. Ela é extremamente reclusa e tem seus motivos para isso. Ela não participa de feiras nem de sessões de autógrafos. Não é famosa e nem rica, e por mais que acredite nela, também não acredita muito, bem assim e não quer ter nenhum contato com ninguém. Um dia, seu agente marca uma reunião, e é nessa reunião que ela descobre qual será seu próximo trabalho.

Verity é uma escritora de suspense, porém ela é o oposto de Lowen. Muito bem sucedida e famosa, ela tem uma série que vende como água. E quando digo isso estou sendo bem sincera, a série dela é muito, mas muito famosa e bem sucedida real. Só que Verity sofreu um acidente, e não consegue mais escrever. Seu marido Jeremy, junto com sua editora, decidem contratar uma escritora para terminar essa série. Lowen fica surpresa com a proposta, mas precisa do dinheiro e admira Verity. E está atraída pelo marido dela, claro. Ela se muda provisoriamente para a casa deles, para olhar as anotações e manuscritos de Verity e conseguir dar um final digno para a série. Mas quando ela está lá, percebe que tem muito mais coisas acontecendo na casa do que ela imaginava.


Tudo nessa casa é estranho. Descobrimos aos poucos como a família de Verity e Jeremy já sofreram muito, e como a situação de Verity é complicada. Não tem nenhum personagem 100% coerente e bom, todos tem alguma coisa a esconder. Lowen me deixou irritada já no começo do livro, a história é contada do ponto de vista dela. Ela é antissocial em um nível alarmante, e muito desmotivada com tudo. Por mais que aparentemente acredite na sua escrita as vezes,  não faz muito para que ela seja conhecida e ela consiga viver disso de forma melhor. Esse é o único trabalho dela, mas ela simplesmente espera que as pessoas encontrem seu livro, deem uma chance para uma autora totalmente desconhecida, e é isso. Quando ela começa a ver as anotações da Verity, descobre um manuscrito chamado que assim seja, e aí as coisas começam a ficar realmente assustadoras, meus amigos.

Jeremy já me deixou com o pé atrás desde sempre, e sem nenhum motivo aparente. Eu só achei ele estranho e calado demais desde o princípio, mas com o decorrer da história, entendi o motivo do silêncio. Verity é a estrela do livro, tudo gira em torno dela, de uma forma ou de outra, e ela é surreal. A forma como as coisas são conduzidas é perturbadora, inteligente e muito difícil de ser digerido.

Uma resenha de um livro de suspense não pode contar muito, então vou me conter. Mas digo para vocês que esse manuscrito muda tudo. A história começa a ser intercalada com a história do manuscrito e o tempo real, contado pela Lowen. Fiquei por várias vezes tão chocada que fechava o livro e dava uma volta na casa. Fiquei perturbada em várias passagens, e criei uma teoria na cabeça totalmente válida. Queria saber mais da Verity, mais do Jeremy, mais da Lowen. Queria que o romance entre eles começasse de uma vez, ao mesmo tempo em que achava isso muito errado. Queria que a Lowen saísse correndo daquela casa sem nunca mais voltar. Queria saber o que de fato estava acontecendo.


Colleen mostra toda sua maestria em criar cenas dentro de cenas, em subir o terror psicológico até o teto, em nos levar a acreditar em várias coisas que podem ou não ser verdade, e te deixar para pensar e refletir sobre o que você quer acreditar. E daí, no final, quando o plot twist chega, eu fiquei deitada na cama em silêncio refazendo todas as minhas teorias sem chegar a lugar algum, totalmente abismada com o que tinha lido. Fiquei surtada, e é isso. Não sei como descrever melhor, o surto vem, veio pra mim, virá para você. Surtada!

E um pedido importante: depois que você terminar, converse comigo sobre o final!



Título: Verity
Autora :Colleen Hoover 
Editora: Garela Record
Páginas: 320
Ano: 2020
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: Da morte ninguém escapa

Por Naty Araújo •
25 março 2020

Eu não sei você, mas sou fascinada por romance policial, com muito suspense e sangue para todo lado. Depois que você lê Uni-duni-tê, percebe que você foi preparado psicologicamente para o livro Da morte ninguém escapa. Não é que tenha muito mais assassinatos, mas aqui as coisas acontecem de forma mais cruel. E explicarei os motivos.

Este é o segundo volume de uma série com a detetive-inspetora Helen Grace e já aviso de antemão que você pode ler este sem ter lido o anterior, porém, com uma RESSALVA, você pegará spoiler sobre quem foi o serial killer de Uni-duni-tê. Claro, se você não tiver interesse em ler o anterior ou se simplesmente não liga para isso, vai conseguir ler fora da ordem numa boa. São histórias independentes.

O corpo de um homem de meia-idade é encontrado em uma casa vazia em Southampton. Ele é apenas uma vítima, porém, pelas características do assassinato, Grace sabe que não será a única. E a gente, assim como os investigadores, se perguntam o que um homem casado, com filhos e que tem uma vida feliz estaria fazendo tão longe de casa no meio da noite. Na verdade, corpos masculinos estão sendo encontrados pela cidade e todos têm uma característica em comum: tiveram o coração arrancado.


Estamos diante de um novo serial killer, sem dúvidas, e Helen precisará usar todo o arsenal da polícia para evitar que ele faça outras vítimas. A detetive consegue sentir a raiva por trás das mortes, mas não é capaz de prever o quão instável é o assassino... nem o que a aguarda ao fim da caçada.

Confesso que iniciei a obra com medo, pois, por mais que o autor tenha sido ótimo no primeiro livro, com a ressalva de alguns pequenos detalhes, fiquei com receio de pesar a mão nesse segundo, mas isso não acontece. Na primeira morte nós já meio que temos uma ideia do motivo de ser aquela pessoa, assim como a outra e a outra, mas não entendemos a razão desse serial killer fazer isso.

Essa pessoa não apenas mata e arranca o coração, ela embala numa caixa de presentes e pede para entregarem na casa da família. É claro que a esposa vai abrir, é claro que existe o risco de os filhos verem o conteúdo e, mais que isso, de o desespero reinar nos lares sem entender por que alguém seria tão frio por matar e por fazer questão de tirar o órgão e mostrar aos parentes. 


Eu não li nada igual a esse livro, apenas assisti a Prison Break e me lembrei de uma das cenas (sem spoilers), mas não tinha nada de coração sendo entregue… Não vou nem dizer o que era para evitar decepções para quem não assistiu. Só posso dizer que é uma história marcante, bem feita e vale informar que temos capítulos narrados pelo próprio serial killer. Então podemos sentir de perto como as suas emoções são afloradas e o que se passa em sua cabeça, em alguns momentos.

Sobre a edição:
A capa do livro é incrível e fiquei me perguntando o fato de ser azul, mas não achei ruim. Por dentro, ela é simples, não tem nada de diferente. As páginas são amareladas, a diagramação é confortável, é exatamente como a edição anterior. 


Título: Da morte ninguém escapa
Autor: M.J. Arlidge
Editora: Record
Páginas: 350
Ano: 2018
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: Confissões

Por Fabio Pedreira •
23 março 2020

A vingança é um prato que se come frio

Tudo que a professora Yuko Moriguchi tinha era sua filha de 4 anos. Uma menina fofa que adorava animais e que nunca conheceu o pai, pois ao descobrir que o marido tinha AIDS, o casamento de Moriguchi acabou. Então, é só ela e a filha juntas, ou melhor, era…

Moriguchi, quando ia trabalhar, deixava a filha com uma senhora que morava perto da escola, mas em determinados dias a garota a esperava na instituição, pois a mãe saía mais tarde. É em uma dessas esperas que a garotinha acaba morrendo e seu corpo é encontrado na piscina da escola. Sua morte é dada como afogamento acidental, mas o que Yuko descobre deixa as coisas muito mais chocantes, pois ela sabe que na verdade sua filha foi assassinada. E os culpados são alguns alunos dela.

Após essa descoberta, Moriguchi pede demissão, mas, antes, em sua última aula, ela tem um discurso para fazer e, junto com ele, um plano de vingança extremamente elaborado. E é assim que começa o livro, com Moriguchi sentada na sala de aula com seus alunos e fazendo todo um discurso de despedida. E o que começou como uma conversa normal, acaba com um relato chocante.

Caro leitor que aqui se encontra lendo essa humilde resenha, vou te dizer, o livro tem apenas 187 páginas, é bem curto, mas em sua história ele é gigante. Os seus capítulos são contados por pontos de vistas diferentes, por pessoas envolvidas na situação e cada um deles, sem exceção, contém uma bomba diferente. Isso acaba deixando a leitura pesada em alguns momentos, fazendo com que, mesmo que você não queira largar o livro, acaba dando uma pausa para associar o que aconteceu ali.


Cada ponto de vista tem algo chocante e interessante de se analisar, e não só analisar a visão de cada um dos culpados durante e antes do ato, mas o efeito dominó causado pela ação e pela vingança da professora. A autora consegue criar personalidades bem distintas para cada um e chega a ser chocante como ela consegue analisar o comportamento de cada personalidade mediante os acontecimentos.

Algumas vezes você começa a cair na armadilha de pensar “e se?”, pensando que e se fulano não tivesse feito isso, e se fulano tivesse feito aquilo? Será que seria diferente? Outras vezes você quase sente pena de determinados personagens, para quando chegar no fim... BOOM, tome a bomba na sua mão e você vê como a autora criou um livro que mexe diretamente com o psicológico e te deixa doidinho.

O “melhor” de tudo é que a trama é totalmente plausível, ou seja, diferente de outros thrillers que dificilmente aquilo ali vá acontecer, nesse - claro que com as devidas proporções - é totalmente mais real, mais crível, o que torna a leitura muito mais tensa. De bônus o livro ainda traz reflexões sobre vários assuntos, principalmente para a realidade do Japão, sobre a questão do abandono dos pais, preconceito com determinados assuntos, principalmente com status sociais e outras coisas.

Confesso - piadinha ruim intencional - que adorei esse livro e já estou doido atrás de Persuasão, outro livro da autora, para poder ler o mais breve possível. Se possível leiam Confissões, tenho certeza que todo fã de thriller irá adorar.


Título: Confissões
Autor: Kanae Minato
Editora: Gutenberg
Páginas: 187
Ano: 2019 (ano original 2008)
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: Segredos de uma noite de Verão

Por Cristina Golombieski •
20 março 2020

Sinopse: Primeiro livro da série As quatro estações do amor, esta é uma emocionante história de uma jovem que sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar. Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle.

Quando terminei o livro, meu primeiro pensamento foi: MEU DEUS QUE LIVRO É ESSE? A leitura foi tão boa que o devorei em 8 horas. Segredos de uma noite de verão é o primeiro volume da saga As quatro estações do amor. ⠀⠀⠀
A trama tem tudo que mais gosto: é intensa, vai além do esperado ao abordar temas reais, e o casal faz o estilo cão e gato (fingem que não se suportam, mas no fundo são loucos um pelo outro). Para a nobreza, Annabelle e Simon nunca poderiam ficar juntos. Mas, quem é que disse que o coração liga para as leis da sociedade?


Annabelle é linda, uma das beldades da sociedade, mas mesmo depois de quatro temporadas não recebeu nenhum pedido de casamento – e tudo porque ela não tem dote! Ainda assim, ela sonha com um bom casamento, com uma união que, antes de qualquer coisa, salvará sua família. ⠀⠀
⠀⠀
A questão é que apesar dela ter a convicção de que deveria escolher um pretendente da nobreza, algo dentro dela a deixava confusa, toda vez que Simon se aproximava.
⠀⠀
Simon, inadequado socialmente, está longe de ser o foco de alguma das jovens solteironas. Contudo, a questão central é que Simon quer Annabelle. Com o tempo ele percebe que a sede carnal vai diminuindo, conforme uma forte paixão vai crescendo. ⠀
"Parecia que uma sensação sutil de reconhecimento ocorrera entre os dois – não como se tivessem se encontrado antes, mas como se tivessem chegado perto um do outro várias vezes até que por fim um destino impaciente forçara seus caminhos a se cruzarem."

Estou adicionando Simon Hunt a minha lista de crushs favoritos, meu amor por ele foi instantâneo, mais uma vez eu torci pelo mocinho. ⠀⠀
⠀⠀
Esse é o primeiro livro que li da Lisa Kleypas e adorei a escrita dela, é envolvente e te prende a cada vírgula. A escritora fala sobre preconceito, abuso, dificuldades financeiras, e o amor que vai além de qualquer regra social.
⠀⠀
Adorei o romance e a história como um todo. Amei a forma inusitada que o namoro deles começa, através de um jogo de xadrez. Cada movimento das peças de Simon era um meio de ganhar a confiança de Anabelle. Houve tensão sexual, muita química e cenas picantes, do jeito que eu adoro. Nem preciso dizer que eu amei e super recomendo, né?


Título: Segredos de uma noite de verão
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2015
Compre: aqui
Leia mais

O que fazer na quarentena

Por Fabio Pedreira •
18 março 2020

Fala pessoal, em tempos de COVID-19 eu espero que estejam todos bem, em casa, seguindo as recomendações de saúde aplicadas para combater o vírus. E, como sabemos, alguns lugares - para não dizer a maioria - adotaram o sistema de quarentena, tanto para os infectados como para os que não estão. E aí vem a pergunta, o que fazer nesse período sem poder sair de casa? 

Ler um livro é a dica mais óbvia, mas séries e filmes também entram nessa categoria. Então vim trazer algumas novidades que algumas empresas, editoras, autores estão trazendo nesses tempos para que você tenha opções de lazer.

Editoras
Para começar, algumas editoras como a L&PM resolveu disponibilizar um e-book por dia. Para poder adquirir é fácil, basta entrar no catálogo de e-books da L&PM, procurar o título do dia e clicar em "comprar". Você será direcionado para as páginas parceiras e, em qualquer uma delas, o e-book estará liberado para download durante 24 horas.

O e-book gratuito do dia é "Arsène Lupin, ladrão de casaca", de Maurice Leblanc. Lembrando também que até o fim do mês os e-books da editora estarão com 30% de desconto.

Link do site

Autores
Alguns autores do grupo de WhatsApp chamado Papo de Autor resolveram se juntar durante a quarentena para poder proporcionar algum entretenimento para vocês. Assim, nos dias 21 e 22 de março, eles irão disponibilizar, gratuitamente, diversos títulos de autores nacionais, desde terror até comédia, passando por thrillers, fantasia e hot, então terá obras para todos os públicos. Vocês podem seguir a hashtag #leiaemcasa para ficar por dentro de tudo que eles irão lançar. Isso faz parte também da campanha #artistascontraocorona.

Muitos contos já foram confirmados, e aqui vai uma lista deles.

1 - A Prima - Eliza Edgar
2 - A Dama dos Loucos - Francine Cândido
3 - CyberSex 2090 e outros contos - Farrel Kautely
4 - Repim, O Teninte - Farrel Kautely
5 - É Todo um Processo - Duda Vila Nova
6 - As Histórias que te Conto - Marcos de Queiroz
7 - Uma Noite em New River - J. V. Teixeira
8 - Quatro Mulheres na Lua Cheia - J. V. Teixeira
9 - Satélite 616 - J. V. Teixeira
10 - 1940 Amores de um Carnaval Sangrento - J. V. Teixeira
11 - Gigantes, Heróis e Rex - J. V. Teixeira
12 - Uma Ilha no Atlântico - Day Fernandes
13 - O Último Samurai Mahou - Rod Zandonadi
14 - No Rastro da Iguana Dourada - Marcos de Queiroz
15 - Salve-me da Solidão - Cátia Serafim
16 - Línguas de Fogo - Karen Soarele
17 - Tempestade de Areia - Karen Soarele
18 - O Punhal do Tempo - Vivian Braunstein
19 - Paralisia do Sono - Mateus Queiroz
20 - Sugar Baby - Eva Sartorini
21 - Chiclete para Guardar pra Depois - Andreia Evaristo
22 - Em Pele de Cordeiro - Andreia Evaristo
23 - Allegra Antes do Play - Andreia Evaristo
24 - Cativeiro do Medo - Waldir L. Santos

Como podem ver, tem muito conto de todos os gostos para que você não fique sem opções. E outros ainda poderão entrar na jogada, então fiquem atentos na Hashtag

Televisão
Operadoras de TV e streaming, como a Sky, Claro/Net, Vivo TV e Oi TV, liberaram todos os canais para você assistir até o fim do mês.

Para quem não assina não tem problema. Vim trazer algumas dicas de séries que você pode maratonar enquanto estiver em casa.

Westworld
Domingo passado Westworld voltou à televisão com sua terceira temporada. Uma das melhores séries da atualidade, ela é mais uma ótima produção da HBO. Cada episódio é de explodir a mente e com certeza fazer você ficar grudado na tela querendo saber o que diacho está acontecendo ali.

Sinopse:
No futuro, o parque temático Westworld oferece a seus visitantes a oportunidade de conhecer o Velho Oeste em um grande terreno, incluindo a cidade fronteiriça de Sweetwater. A cidade e o terreno são ocupados por "anfitriões", androides indistinguíveis dos humanos, que possuem uma programação avançada que segue um conjunto pré-definido de narrativas entrelaçadas, com a capacidade de se desviar dessas narrativas à medida que os visitantes interagem com eles. Os anfitriões repetem essas narrativas todos os dias, tendo suas memórias apagadas no dia anterior, até que sejam reaproveitados para outras narrativas ou desativados e armazenados para uma futura reutilização. Para a segurança dos visitantes, os anfitriões são incapazes de prejudicar quaisquer outras formas de vida, permitindo aos visitantes liberdade quase ilimitada de se envolverem em qualquer atividade que quiserem, sem retaliação, incluindo sexo e assassinatos simulados com os anfitriões. Uma equipe supervisiona o parque, desenvolve novas narrativas e realiza reparos nos anfitriões quando necessário.

Trailer:

The Boys
Série da Amazon Prime, The Boys veio para mostrar que, no mundo real, provavelmente os Super Heróis que você tanto ama na verdade são um bando de sacanas. Com humor, ação e muita coisa sem noção, The Boys é uma excelente pedida para maratonar.

Sinopse:
Quando a fama sobe à cabeça, alguns super-heróis passam a se corromper e usar seus status para se promoverem ainda mais, o que pode colocar em risco a própria população. Pensando nisso, uma equipe da CIA foi preparada para cuidar desse caso. Conhecidos como "os meninos", esses agentes têm a missão de vigiar o trabalho dessas personalidades, assim como controlar o surgimento de novos heróis.

Trailer:

Não fale com estranhos
Uma série inspirada no filme do Harlan Coben. É um suspense que vai prender a sua atenção do início ao fim. A série é bem curtinha, conta apenas com uma temporada, então é uma ótima pedida para passar o tempo com qualidade.

Sinopse:
Quando segredos obscuros vêm à tona, o pai de família Adam Price (Richard Armitage) parte em uma busca desesperada e implacável pela verdade sobre todas as pessoas que têm algum nível de proximidade com sua vida.

Trailer: 
https://www.youtube.com/watch?v=tPXx3_NlAKo

Friends
E claro, se você está cansado desse clima trágico que o mundo se encontra, nada melhor do que dar risada com uma das melhores séries de comédia do mundo, Friends. Ver as loucuras de Ross, Rachel, Mônica, Chandler, Joey e Phoebe pode te render altas gargalhadas.

Sinopse:
Seis jovens são unidos por laços familiares, românticos e, principalmente, de amizade, enquanto tentam vingar em Nova York. Rachel é a garota mimada que deixa o noivo no altar para viver com a amiga dos tempos de escola Monica, sistemática e apaixonada pela culinária. Monica é irmã de Ross, um paleontólogo que é abandonado pela esposa, que descobriu ser lésbica. Do outro lado do corredor do apartamento de Monica e Rachel, moram Joey, um ator frustrado, e Chandler, de profissão misteriosa. A turma é completa pela exótica Phoebe.

Trailer
https://www.youtube.com/watch?v=SHvzX2pl2ec

How I met your mother
Se você já assistiu Friends, então vai outra dica de comédia. Você ficará ansioso, frustrado, curioso, com raiva, vai rir, chorar e tantas outras emoções que só assistindo para saber (e entender).

Sinopse:
How I met your mother é uma série de TV norte-americana transmitida originalmente pelo canal CBS. A comédia acompanha a busca de Ted para encontrar o amor de sua vida. Tudo começa quando seu melhor amigo, Marshall, anuncia seu noivado com a namorada Lily, uma professora do jardim da infância. Neste instante, Ted se dá conta de que precisa fazer alguma coisa para não terminar sozinho. Para ajudá-lo em sua busca está Barney, um amigo com opiniões infindáveis e sugestões muitas vezes imprudentes. Quando Ted conhece Robin, ele acredita ser amor à primeira vista. Porém, ele não sabe que o destino lhe reservou algo a mais. A história é narrada no futuro, a partir das lembranças do protagonista.

Trailer:
https://www.youtube.com/watch?v=aJtVL2_fA5w
Leia mais

A história com o Grupo Autêntica

Por Naty Araújo •
16 março 2020

Olá, leitores.
Há quase 6 anos somos parceiros do Grupo Autêntica, desde junho de 2014. Nos últimos anos a editora limitou os parceiros apenas para um selo, então escolhi a Vestígio. Este ano, novamente, renovamos a parceria com o mesmo selo e viemos contar para vocês quais são os lançamentos do mês. 

Ainda que sejamos parceiros apenas da Vestígio, apresentarei os lançamentos de todos os outros para vocês conhecerem. E desde já ressaltamos o nosso respeito com essa editora que há anos tem valorizado o nosso trabalho, nosso esforço e o carinho que temos tanto com eles, com os livros que publicam, quanto com os nossos leitores que sempre estão por aqui.

Para lerem a sinopse, basta clicar na imagem:

    

  

Leia mais

Resenha: Noites Brancas

Por Naty Araújo •
13 março 2020

Quem foi Dostoiévski? Durante muito tempo quis ler suas obras. Enquanto estudei, no curso de Direito, li parte de Crime e Castigo e já sabia que num futuro bem próximo eu leria muito mais. E, após 5 anos, não tão perto quanto imaginei, aqui estou cumprindo o meu objetivo: ler um livro do autor por mês.

Iniciei por Noites Brancas e não me perguntem o motivo pois não sei. Acredito que seja em virtude de o personagem sonhador deste livro ter relação com outros personagens das obras do autor. A minha intenção era começar por “Gente pobre”, primeiro livro publicado, mas acabei selecionando este e posso afirmar que ele me surpreendeu.

Respondendo a minha pergunta, para quem não sabe, ele foi um escritor russo considerado um dos maiores romancistas e fundador do existencialismo. Se você não conhece as obras do autor, através de uma rápida pesquisa, você descobrirá que a obra dostoievskiana explora a autodestruição, a humilhação e o assassinato, além de analisar estados patológicos que levam ao suicídio, à loucura e ao homicídio: seus escritos são chamados por isso de "romances de ideias", pela retratação filosófica e atemporal dessas situações.


A história se passa em São Petersburgo, numa das singulares “noites brancas”, já que o sol praticamente não se põe, e no cenário temos dois jovens, um homem e uma mulher, numa ponte sobre o rio Nievá. Ela está chorando e isso comove o rapaz e ambos começam o diálogo. Não acredito que falar o que acontece naquela cena irá dar spoilers, mas sinto que embarcar no romance sem saber de muita coisa é um grande passo para se surpreender, neste em especial. O livro é tão curtinho, possui apenas 96 páginas, e você entender o motivo de ela estar chorando, o que acontecerá depois e depois não seria uma leitura tão prazerosa. 

Não vou contar da história em si, até porque nem a sinopse faz isso, ela é bem fiel a não contar detalhes, nem mesmo o que eles estão fazendo ali. Apenas peguem o livro e leiam, será rápido, questão de 2h no máximo vocês já terão terminado. E posso dizer que a experiência foi bem diferente. 

Não há complexidade nas entrelinhas, se é que vocês estejam preocupados com isso, imaginando que a leitura será chata, que será arrastada, que haverá expressões bem rebuscadas. Não! É doce, é sutil e é perturbador. Porque a gente fica chocado com a inocência de algumas pessoas, com a burrice de outras e com a forma que tudo se desenrola.


Claramente eu não esperava esse final. Aliás, a gente cria umas teorias doidas, mas no final não deseja alguns desfechos. Dosto é performático em sua escrita e ainda que seja uma obra pequena, consegue ser detalhista e nos transmitir exatamente as emoções daqueles jovens, principalmente do rapaz, que a sua simplicidade e sinceridade chega a cortar nossos corações. Queria falar tanto dele, da vontade que senti de abraçá-lo. Ele nunca teve ninguém ao seu lado, mesmo tendo quase 30 anos de idade. Nunca teve uma namorada, nem sequer uma amiga com quem pudesse contar. Esse jeito dele foi tão puro, o autor conseguiu nos transmitir com tanta realidade que refleti por alguns dias essa obra e já indiquei para várias pessoas.

Agora, indico para vocês. Leiam! Apenas leiam, não vão atrás de outras resenhas, pois vocês podem acabar lendo coisas que não são necessárias. O livro é bem baratinho, podem confiar. Pelo menos hoje, sexta-feira, 13 de março de 2020, ainda está por causa de uma promoção (rsrs).

Vocês confiam em mim? Se sim, apenas cliquem aqui e adquiram. Caso vocês não tenham a assinatura do frete grátis, me procurem por e-mail (na aba contatos) ou no meu IG, faço questão de gerar o boleto e encaminhar para o seu endereço. Sério! Esse livro é tão pequeno, mas me marcou bastante. Pode marcar vocês também.
"Escute, por que nós todos não somos como irmãos? Por que parece sempre que até o melhor dos homens esconde algo do outro e se cala diante dele? Por que não dizer logo, diretamente, o que está no coração, se sabemos que não serão palavras ao vento? Mas todos aparentam ser mais duros do que realmente são, é como se todos temessem ofender seus sentimentos ao expressá-los muito depressa..." (p. 64)

Título: Noites brancas
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: 34
Páginas: 96
Ano: 2009
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: Metrópolis

Por Naty Araújo •
11 março 2020

O livro já começa nos assustando. Primeiro porque Thea Von Harbou não é quem a gente pensa, não tem uma visão tão agradável quantos muito gostariam… Mas o livro já inicia com uma nota dos editores mostrando a grandiosidade da história e nos deixando cientes que a autora se filiou ao partido nazista, e ainda, durante o governo de Hitler, foi presidente da Associação Alemã de Autores de Filmes Falados, que estava alinhada à Câmara de Cultura do Reich.

Em nota, já deixa-nos claro que essa edição é inédita no Brasil, traduzida direto do alemão e publicada com apoio do Instituto Goethe, mas que não tem a intenção de apagar e nem tampouco diminuir o envolvimento da autora com o regime nazista. Pelo contrário, traz à tona este importante documento histórico, além de encontrarmos conteúdos extras ao final do livro, como um posfácio de Franz Rottensteiner, famoso editor de ficção científica de língua alemã; um texto inédito da cineasta Marina Person a respeito do filme; assim como um relato do autor de Laranja Mecânica, falando sobre o impacto do filme em sua vida.

Para quem não sabe, Metrópolis foi um filme alemão lançado em 1927, dirigido por Fritz Lang, que se tornou esposo de Thea Von Harbou. E, ainda que ela tenha tomado um rumo não muito aceitável, como disse, em contrapartida temos uma história incrível criada de uma forma genial. É possível constatar tais acontecimentos nos dias atuais, acreditem. Parece que a autora escreveu o livro hoje, pois é tudo muito real. Engraçado dizer isso porque logo na primeira página, antes de iniciar o primeiro capítulo, Thea esclarece:


Em 2026, na cidade futurística de Metrópolis, a população divide-se em dois andares. No primeiro, uma elite dominante dispõe de todos os privilégios e desfruta os prazeres da vida; no segundo, subterrâneo, os trabalhadores empobrecidos e miseráveis lutam para sobreviver em jornadas estafantes; trabalhando constantemente para operar as máquinas que fornecem o poder aos ricos dirigentes.

Quando Freder, o filho do Senhor da grande Metrópolis e habitante do primeiro andar, se apaixona por Maria, da cidade subterrânea, começa a conhecer melhor as condições às quais os trabalhadores são submetidos. Uma revolta começa a surgir entre os operários, e só o que faltava para uma revolução era uma líder. Quando ela surge, nada pode conter a fúria dos oprimidos.

Temos personagens marcantes e Freder se tornou o mais querido, não acredito que seja novidade para quem leu. Ele é sábio, bate de frente com as ideias egocêntricas do pai e vê coisas que o seu pai não é capaz de enxergar: rostos em lugar de máscaras. Essas pessoas que manuseiam as máquinas são meros objetos para o Senhor da grande Metrópolis. Mas nosso sábio Freder não observa as coisas dessa maneira. E ele pode provar isso.


Esse livro me lembrou Charlie Chaplin com seu clássico filme “Tempos modernos”. É impossível ler e não pensar em como essas pessoas não têm uma vida digna após o trabalho, aliás, nem deveria ser chamado de labor e sim de um local em que são exploradas e tratadas como objetos, com insignificância, sem olhar que, por trás daquelas roupas, daquele rosto escondido, existe uma vida, um coração. É uma coisa aparentemente tão pequena, mas que me deixou reflexiva.

Acredito que não é necessário falar mais da história, já que o seu sucesso fala por si. E não recusem a leitura apenas pelo fato que citei no início da resenha. É uma obra grandiosa com uma das melhores edições que tenho na estante.

Sobre a edição:
A capa conta com tons em preto e dourado, a diagramação é impecável, com folhas em preto, ilustrações e conteúdos extras que enriquecem o trabalho da editora Aleph. Sem dúvidas, é um ótimo presente para si e para as pessoas. 

Outras fotos:




Título: Metrópolis (exemplar cedido pela editora)
Autora: Thea Von Harbou
Editora: Aleph
Páginas: 484
Ano: 2019
Compre: aqui
Leia mais

Resenha: A marcha dos zumbis

Por Fabio Pedreira •
09 março 2020

A marcha para a diversão
Jack Sullivan e seus amigos estão de volta em mais uma aventura emocionante de Os últimos jovens da Terra. No primeiro livro nós fomos introduzidos aos personagens e descobrimos que certo dia, do nada, vários monstros e zumbis apareceram na Terra. Muitos fugiram, muitos viraram zumbis e outros sumiram e Jack começou a morar sozinho, até encontrar seus amigos, Quint, Dirk e June DelToro.

Os quatro moram em uma casa na árvore, mas não é qualquer casa. O local é equipado com todo o armamento necessário para afastar ameaças, e, como se não bastasse, eles ainda contam com Rover, um cão monstro. Juntos eles derrotaram o poderoso BLARG e agora continuam com suas missões pós apocalípticas.

O grande mistério é que durante essas missões eles percebem que o número de zumbis estão diminuindo. Não por eles terem acabado com todos, mas sim porque eles estão simplesmente sumindo, isso além de estranho pode ser uma ameaça muito maior do que eles imaginavam.

Somado a isso está o fato de que uma poderosa criatura chamada Thrull - um monstro de outro mundo - acaba salvando a vida dos jovens e, assim, eles descobrem que não são os únicos na cidade e que além deles, existe um local - uma pizzaria - que está repleta de monstros inteligentes, convivendo em harmonia. Será que Jake e seus amigos podem confiar neles? Será que são todos amigáveis? Só lendo para saber.


Os últimos jovens da Terra volta com tudo. Se o primeiro volume já foi bom, esse segundo está melhor ainda. Um pouco maior que seu antecessor, A marcha dos zumbis expande ainda mais o universo criado pelo autor para a obra. Aqui vemos muitos monstros novos e também o fato de que muitos deles são criaturas de civilizações de outros mundos, consecutivamente aprendemos um pouco mais sobre a causa da terra ter sido invadida por tantas criaturas e a existência de um perigo bem maior.

Além de novos amigos e novos inimigos temos também a presença da mais nova fonte de informação e diversão da turma, que é o bestiário. Durante o livro Jack e Quint resolvem montar um bestiário para catalogar todos os monstros, com isso temos a presença de algumas “páginas” do bestiário no fim do livro, onde podemos conhecer algumas informações engraçadas sobre as criaturas que aparecem no livro.

Livro esse que por sinal continua no mesmo estilo. Além de texto, ele conta sempre com imagens. Isso faz com que a leitura seja bem dinâmica, tanto no sentido da rapidez da leitura como também na interatividade, já que ao mesmo tempo que vamos lendo podemos observar as cenas e os personagens.

Os últimos jovens da Terra pode ser catalogado como infantil, mas com certeza é mais um daqueles livros que divertem todas as idades sem exceção. Na minha opinião, a Faro já tinha acertado ao trazer essa série para cá, na inauguração do selo e agora levou mais um ponto positivo por não ter demorado em trazer a continuação. Espero muito que continue nesse ritmo, pois já estou bastante curioso para saber o que vem por aí no próximo volume.



Título: A marcha dos zumbis vol. 2 (exemplar cedido pela editora)
Série: Os últimos jovens da Terra
Autor: Max Brallier
Ilustrador: Douglas Holgate
Editora: Faro Editorial
Páginas: 296
Ano: 2020 (ano original 2016)
Compre: aqui
Leia mais

5 motivos para ler S. K. Tremayne

Por Fabio Pedreira •
07 março 2020

Fala galera, recentemente eu li as duas obras do autor S. K. Tremayne, são elas: As gêmeas do gelo e A criança do fogo. E com isso eu vim trazer 5 motivos para você que estava na dúvida se lia ou não avaliar se finalmente vai encarar a leitura.

1 - Paisagens
O autor gosta de usar em suas histórias paisagens de locais mais tranquilos e históricos. O primeiro livro - As gêmeas do gelo - se passa na Escócia, enquanto o segundo se passa na região da Cornualha. O autor descreve os locais de forma muito precisa, transportando o leitor para aquele lugar e dando talvez um gostinho do que pode ter por ali e fazer você querer visitar o local.

Claro que alguns são inventados, mas é a minoria e ainda assim é tão bem encaixado que você pode acabar esquecendo que aquele lugar ali não existe. Aliás, o segundo motivo para ler também está relacionado aos locais, já que o motivo é…

2 - As lendas
Todos os locais escolhidos pelo autor conta com alguma lenda local, seja ela real, fictícia, ou a mistura de ambos. O segundo livro por exemplo está localizado em uma região que é dominado por minas, onde por centenas de anos muitos mineiros trabalharam em condições absurdas. E é claro que com o passar dos anos lendas locais foram surgindo, como o fato de que em algumas noites, na casa do casal principal do livro, diz-se que é possível escutar os mineiros cantando nas minas, que o vento leva o som até eles.

Ou as histórias que contavam que as mulheres dos mineiros ficavam a noite com lanternas acesas para que eles pudessem ver o caminho de volta pelas encostas das minas e não caíssem no mar - algumas minas acabam passando por baixo do mar -. Tudo isso, real, de mentira ou ambas desperta uma grande curiosidade para quem gosta do assunto, e faz o autor brincar com um assunto que é o terceiro motivo.

3 - O sobrenatural
O autor em ambos os livros flerta com o sobrenatural, mas não é nada aterrorizante como um livro de terror. Esse sobrenatural aqui é algo mais sutil, uma maneira de fazer o leitor duvidar dos acontecimentos, sempre se perguntando se o que está acontecendo ali é real ou é mentira.

Isso provoca uma curiosidade em quem está lendo que pode fazer querer continuar até descobrir o que é que está acontecendo ali. Isso se funde bem com a questão das lendas contadas durante a leitura. E claro que acaba mexendo com o quarto motivo…


4 - O psicológico
O foco do autor durante o livro todo é a questão do psicológico. Aqui não é aquele livro onde alguém morre e o detetive vem examinar provas. Aqui o foco são nos segredos guardados, em como isso afeta as relações, desgastando-as de formas que muitas vezes podem não ter mais jeito. Isso ligado à questão do sobrenatural faz o psicológico da pessoa ficar muito abalado, ou melhor, o psicológico dos personagens e com isso você vai notando a mudança e descobrindo seus segredos aos poucos.

A questão da psicologia aqui ainda leva uma segunda camada, a dos…

5 - Transtornos psicológicos
S. K. Tremayne não só brinca com o psicológico das pessoas como também insere em seus livros transtornos psicológicos reais. Então junte isso com os itens anteriores e você verá que é uma mistura que tem tudo para dar certo.

Com certeza fará com que a curiosidade, as suspeitas e as ações dos personagens sejam diferentes e elevadas a outro patamar. E ele parece ter estudado bastante em relação aos transtornos que usa, tentando passar de forma realista cada um deles. Isso é um diferencial.

Mas, se esses motivos são suficientes para vocês lerem, quem vai me dizer são vocês. Comentem aí o que acham, se vão ler, vão passar, ainda estão na dúvida ou o quê?

Até a próxima e Beijos =D
Leia mais

Editoras parceiras

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in