Resenha: A ilusão do tempo


Fantasia, ficção científica e fábula, uma combinação inusitada que deu muito certo.

Obs: Você irá encontrar muito a palavra “tempo” nesse texto, mas assim como ele… é inevitável.

Marcando o tempo (Sinopse)
Quando as coisas não vão nada bem e os economistas preveem uma enorme crise financeira, a família de Vitória - assim como o resto do mundo - decide se esconder em suas misteriosas caixas pretas à espera de tempos melhores. No entanto, após vários anos, a caixa de Vitória se abre e a menina se vê em uma cidade em ruínas.

Sem rumo, ela caminha por prédios e ruas tomadas por florestas e animais selvagens, até chegar à uma casa onde várias crianças se reúnem em torno de uma senhora para ouvir a história de um rei ganancioso que conquistou o mundo, mas desejava conquistar o tempo. Para poupar sua bela princesa dos dias escuros e sombrios, normais ou sem valor, ele a coloca em uma arca mágica transparente como cristal, mas tecida com uma seda de teia de aranha tão densa que o próprio tempo não consegue penetrar.

Vitória aos poucos percebe uma conexão entre sua própria história e a do reino mágico. Junto com seus novos amigos, ela precisa encontrar uma forma de consertar o mundo antes que seja tarde demais.

Aproveitando o tempo
A ilusão do tempo começa com Vitória, uma garotinha que quer apenas passar mais tempo com seus pais, seja assistindo filmes, saindo para tomar um sorvete ou algo do tipo, o importante é aproveitar os momentos juntos. 

Porém, seus pais andam muito preocupados com a situação do país, coisa que se agrava com a notícia dos Economistas de que uma grande crise está por vir. A salvação é uma caixa produzida pela TIMAX onde seu tempo é preservado e você pode esperar dentro dela até a crise passar. 

Essa é a solução encontrada pelos pais de Vitória assim como pelo resto do mundo. A consequência disso é devastadora, já que quando a caixa de Vitória se abre ela se depara com uma cidade invadida pela florestas, bichos e casas em ruínas. Tudo devido ao fato de todos estarem “dormindo” em suas caixas.


Vitória então encontra um garoto que a leva até uma casa habitada por outras crianças e uma senhora. Essa senhora chama-se Rosa e ela tem uma história para contar. É a história de um rei e sua filha (Obsidiana), onde o rei após fazer certas coisas (que não irei contar para não dar spoiler) fica obcecado em preservar sua única filha, bem mais precioso, protegendo-a das garras do tempo, fazendo assim com que ela saia da arca que a protege apenas em dias considerados perfeitos, para que Obsidiana não gaste seus minutos preciosos com coisas ruins.

Em um mundo cada vez mais corrido, onde a frase “tempo é dinheiro” se faz cada vez mais presente e pais passam menos tempo com seus filhos, A Ilusão do Tempo é um tapa na cara da sociedade. O livro inteiro constrói críticas em relação à como quando corremos em busca de ganhar tempo ironicamente acabamos por perdê-lo

As pessoas cada vez menos param para aproveitar coisas simples da vida. Levantamos, vamos trabalhar e ao chegar em casa já estamos cansados, restando apenas dormir para no outro dia retomar a rotina, com a desculpa de que precisamos trabalhar para ter as coisas e nos sustentar. Mas do que adianta ter as coisas se não se pode aproveitá-las? E até que ponto aquilo realmente é importante?

Muitas pessoas se apegam a bens materiais e esquecem de aproveitar o tempo com com as pessoas que estão ao seu redor. Um grande exemplo disso é o rei Dímon, que em sua busca por vencer o tempo e aproveitar suas conquistas, acaba não aproveitando os momentos que deveria passar com sua filha, sem contar a privação que provoca a jovem Obsidiana ao trancafiá-la na arca. 

A loucura de Dímon é tão grande que ele não consegue perceber como vai envelhecendo enquanto Obsidiana continua da mesma forma. Fazendo um paralelo ao quanto vamos perdendo oportunidades na vida por passar muito tempo preocupado com o que não é importante.

E assim, com várias passagens marcantes, lições e reviravoltas A ilusão do tempo vai conquistando o leitor a cada página, se tornando um daqueles livros impossíveis de parar de ler até que esteja de fato finalizado. Muitos personagens cativantes em uma mistura de gêneros literários que deu mais do que certo.


Se você é criança deve ler para aprender lições de como valorizar o tempo, se você é jovem deve ler para aprender que o tempo não é tudo, se você for adulto deve ler para aprender a dar tempo ao que realmente importa e se for idoso será uma ótima leitura para pensar no tempo que passou e lembrar que ainda dá tempo sim de fazer muita coisa.

Analisando o tempo
Em relação a edição da Morro Branco eu só tenho que elogiar. Perfeita, letras ótimas, detalhes no livro de encantar, uma capa muito bonita e de quebra um marcador que vem junto com qualquer livro da editora. Para que mais?

Tempo bem gasto
E é isso. A Ilusão do tempo é um livro que no meu entendimento deveria ser leitura obrigatória para todo mundo. Um livro incrível, gostoso de ler e divertido, com uma mensagem excelente de plano de fundo contada de forma magistral. Com certeza eu favoritei esse livro e posso dizer que sua leitura é sim um tempo bem gasto. 

Bjs, abraços e até a próxima. 

Lições aprendidas com o tempo (Quotes)
"Às vezes é possível controlar mais ao controlar menos." 

"Você acredita ter conquistado o mundo, mas eu lhe digo uma coisa: ninguém conquista o mundo se não pode conquistar o tempo!" 

"De que me vale meio reino se eu não tenho tempo para aproveitá-lo?"

"Mas é possível chorar mesmo com o sol brilhando lá fora - disse ela - e rir num dia de chuva e ventania." 

"Antes mesmo que você se dê conta, nós teremos mais um belo dia juntos. Não se preocupe com o tempo. Ele é só o sofrimento dos mortais." 

"Mas Jako disse que é melhor ser amado por uma pessoa que você também ama do que ser venerado por milhões que você não conhece! Que valor tem um amor que não é recíproco?" 

"Eu não tinha mais certeza se o mundo estava enfeitiçado ou se ele havia se livrado de um feitiço. As pessoas já o tinham destruído tanto. As pessoas estavam numa corrida contra o tempo, tentando acumular tantas coisas e tanto lixo quanto pudessem. Destruíram tudo que havia de belo e agora elas se fechavam dentro de sua própria idiotice." 

 

Título: A Ilusão do Tempo
Autor: Andri Snaer Magnason
Editora: Morro Branco
Páginas: 320
Ano: 2017
8 Leia mais
Resenha: O Bar

Resenha: O Bar

  Eu estava a caminho de um encontro, sabe? Um cara que eu conheci no Tinder. Acontece que no meio do caminho meu celular ficou sem bat...