Resenha: A melodia feroz


Sabe aquela coisa de ir com sede ao pote por causa da capa? Então, há um tempo achei linda e fiquei namorando-a. O fato é que o título nunca me chamou a atenção. A sinopse eu não tinha nem chegado perto, não sou muito fã de lê-las. Quando recebi o livro da editora, de surpresa, não sabia o que esperar dele. 

A melodia feroz é o livro que vai te deixar sem palavras. Nem sei há quantos meses li, mas só fui capaz de expressar alguma coisa hoje. O feroz no título talvez assuste alguns, talvez encante. No meu caso, ao finalizar a leitura, fiquei procurando essa ferocidade e não achei até agora, mesmo depois de tanto tempo. 

Aqui temos a Cidade V dividida entre Norte e Sul. Após muito clamor e ranger de dentes, é feito um acordo de paz entre os líderes, Harker e Flynn. Enquanto Harker procura ser a mais cruel possível em seus atos, para chamar a atenção do pai, Flynn quer o oposto, a fim de defender os inocentes. Porém, o que é inusitado é que ele rouba a vida das pessoas com notas musicais do seu violino. 


What the fuck? 

O que vi muita gente comentando é que a história de Kate e August se parece com Romeu e Julieta, porém, sem o romance em si, com um mundo pós-apocalíptico. Não sei se concordo muito bem com isso, mas para quem analisa sob este ponto pode ter a sua razão em alguns aspectos. 

O fato é que não consegui me apegar à história tanto quanto imaginei que seria, nem tampouco aos personagens, considerei alguns bem enfadonhos; tirando o Flynn que soube ter o seu lugar. O que não significa dizer que será o mesmo para vocês. Talvez isso ocorra porque as minhas expectativas estavam altíssimas. Talvez não tenha sido o meu momento, mas ainda quero ler a continuação. 

O que gostei no livro foi a humanidade presente no corpo de um monstro. Ainda que tenha o seu lado negativo, podemos perceber que a solidariedade de Flynn é de emocionar o leitor. Ele se doa para ajudar as pessoas, não mede esforços e foi um dos personagens que a gente pode sentir alguma espécie de afeto. 


A resenha ficará bem curta, proporcional à paciência que tive. A gente começa esperando uma coisa FEROZ, algo veloz, emocionante, cheio de ação, de fantasia. Então, daí o que encontramos? Calmaria, tranquilidade, mas aquela bem tranquila mesmo. E a guerra? Pera aí, vou procurar nos registros... 

Sobre a edição: Não tenho do que reclamar. A Seguinte caprichou na capa, como já cansei de elogiar. A diagramação é bem simples, mas confere uma leitura agradável. 

Outras fotos:



Título: A melodia feroz (exemplar cedido pela editora) 
Autora: Victoria Schwab 
Editora: Seguinte 
Páginas: 384 
Ano: 2017
0 Leia mais