Resenha: Dália Negra


Olá lindíssimos, recentemente terminei o livro Dália Negra, e ainda não estava preparada para escrever sobre ele. Mas percebi que se não começasse logo, não iria escrever nunca, tamanho meu espanto.

O autor James Ellroy tem um passado um pouco obscuro. Na adolescência, sua mãe foi misteriosamente assassinada (o caso permanece em aberto até hoje) e devido a isso, ele fez muita coisa errada na vida: roubou, virou um bêbado sem teto e acabou preso. 

Quando saiu da prisão, ele mudou de vida e resolveu trabalhar. Lá por 1948, houve um violento e estrondoso assassinato de uma moça que ficou conhecida como a Dália Negra. Ellroy ficou obcecado pelo caso da moça, tamanha a brutalidade, e recortou dos jornais todas as informações que foi possível reunir. Baseado nesses fatos, ele decidiu escrever um livro de ficção com realidade. O caso da Dália Negra também permanece em aberto até os dias de hoje.

O livro é narrado por Bucky Bleichert, um policial, ex-boxeador. Ele conhece Lee Blanchard, também policial e ex-boxeador. Nessa "relação" existe uma rivalidade de mentirinha, pois ambos eram muito bons no ringue, se respeitam e são policiais com uma ficha limpa (até certo ponto. A sujeira grossa sempre é varrida pra debaixo do tapete), e cada qual teve seus motivos para largar o boxe e entrar na polícia. Por vários acasos, Bucky e Lee viram parceiros e começam a resolver vários casos juntos, os dois são bons! Dois policiais com todos os indícios de uma carreira brilhante, até aparecer Elizabeth Short - a Dália Negra - e ferrar com tudo!


Certa manhã, ao revistar o esconderijo de um perigoso assassino, os dois são surpreendidos por uma grande muvuca próximo ao local. Ao verificarem, percebem que uma moça foi assassinada, a área está isolada e vários policiais já estão cuidando do caso. Mas ao olharem mais de perto, percebem que a moça foi totalmente estripada e cortada ao meio (se vocês querem ter uma ideia, deem um Google sobre Dália Negra, mas já vou avisando: Não é nada bonito!!), fica nítido que ela não foi simplesmente morta; ela foi torturada de várias formas e depois assassinada. Imediatamente 100 policiais são realocados para ajudarem nas investigações sobre o caso, incluindo Bucky e Lee.

Álibis são checados, pistas são verificadas, pessoas são entrevistadas (de várias formas possíveis) e nada do assassino. Ao reconstruírem a vida da nossa querida Elizabeth, descobrimos que a moça tem um passado feio: louca por aviadores, marinheiros e heróis de guerra, ela vai para cama com qualquer um, não trabalha e quer muito ser atriz (chega a fazer um pornô). E, para variar, ela guarda o contato de todos os seus "namoradinhos" em um livro, que misteriosamente é enviado para a polícia em um envelope.

Temos também Kay Lake, a namorada de Lee. Mas eu não vou dar detalhes sobre ela, pois isso aborda a parte da "ficha limpa" do policial.

Conhecemos Madeleine Sprague, a "garota da alta", namoradinha de Bucky. Os Sprague praticamente construíram toda Hollywood (de formas não muito lícitas) e são uma das famílias mais abastadas da cidade. Bucky a conheceu durante as investigações, mas eu também não vou falar mais, porque aqui a coisa também fede.

Temos vários sargentos, tenentes e policiais que tem participações decisivas na história, mas, sério, falar sobre todos eles vai alongar essa resenha muito mais. Basta você saber: existem os policiais bonzinhos e os malvados, todos importantes para o enredo, e que todos os personagens mentem sem grande peso na consciência.

Lá pela página 250 os acontecimentos dão uma parada brusca. A narrativa, até então eletrizante, fica estagnada. Pensei que a coisa ia ficar por isso mesmo e quis largar o livro, mas eu não largo livros, então perseverei, e ainda bem, pois lá pela 350 as coisas voltam a acontecer e se desenrolam de maneira magistral.

A vida do autor está presente no livro: está retratada em Lee. No livro, Lee fica obcecado pelo caso Dália Negra e comete algumas loucuras, se enfiando em grandes encrencas, sujando seu nome para descobrir o nome do monstruoso assassino. O caso virou pessoal, pois no passado, a irmã de Lee foi misteriosamente sequestrada e o corpo dela jamais foi encontrado.

A escrita do autor é crua, preconceituosa e com bastante termos baixos (mas não podemos culpá-lo, pois as pessoas falavam assim naquela década, muitos tabus ainda estavam para ser quebrados). Já assisti ao filme, mas sinceramente não lembro de nada, vou rever assim que possível. 

No livro, ao contrário da vida real, o autor nos aponta o assassino. Eu sinceramente teria mudado um pouco o final, mas gostei demais da obra como um todo! Só dei quatro estrelas por causa daquelas 100 páginas de nada acontecendo. Recomendo para quem gosta de um romance policial onde o autor vai nos deixando pistas falsas, fazendo nos chegar a conclusões erradas.

Abraços


Título: Dália Negra
Autor: James Ellroy
Editora: Record
Páginas: 427
Ano: 2006

20 Revelaram sentimentos:

  1. Nunca tinha ouvido falar desse caso, mas amo histórias policias e amei a resenha desse livro.
    Achei a ideia do autor incrível de misturar ficção com realidade, deve ficar difícil saber o que é ou não real na história e isso deve dar um suspense/agonia muito bom, fiquei louca pra ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maíra,

      fico feliz que tenha gostado. Leia sim, espero que vire um dos seus favoritos.

      Abraços

      Excluir
  2. Não sei se leria esse livro porque não me chamou muita atenção mesmo. Não sei se iria gostar. Ele parece ser bem cru e não fica enrolando com palavras bonitas pelo jeito e por isso até gostei. Só que não me animou muito. Fica a dica pra quem gostar de umas leituras assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane,

      nesse caso, passe para a próxima resenha :)

      Abraços

      Excluir
  3. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro e mesmo tendo uns partes lentas achei interessante a historia, principalmente pela historia do autor, que logo vai trazendo um suspense e um clima mais sombrio ao livro, e ficamos sem saber o que aconteceu e o que é ficção, mas infelizmente não é muito o tipo de livro que gosto de ler !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzana,

      nesse caso, passe para o próximo post.

      Abraços

      Excluir
  4. Silvana!
    Interessante ver que o autor conseguiu dar uma guinada em sua própria vida e escreveu um livro baseado em fatos reais e misturou com ficção, o que torna o enredo ainda mais crível e não tem como não ter vontade de ler.
    Vi as fotos no google e são realmente chocantes. Uma pena que na vida real os crimes não foram solucionados...
    “O verdadeiro sentido do Natal não está nos presentes e nem no papai noel, mas sim no nascimento de Jesus Cristo, que veio ao mundo para nos libertar do pecado e ser o nosso único salvador!” (Andréia Godoi)
    Boas Festas!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudy,

      é uma pena mesmo. Acho que as familias que perdem um ente querido dessa forma, nunca mais são as mesmas.
      Abraços

      Excluir
  5. Complicado quando uma narrativa eletrizante dá aquela parada brusca, né? Acho que isso desanima qualquer pessoa de fazer a leitura, mesmo sabendo que depois ela volta a ficar boa. De todo jeito, mesmo não sendo tão fã assim do gênero, vou colocar na minha listinha. Parece bom.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cecília,

      apesar da parada brusca, valeu totalmente a pena.
      Espero que você goste.
      Abraços

      Excluir
  6. Não conhecia e fiquei interessada, adoro historias que envolvam assassinatos misteriosos e faz com que o leitor tente desvendar o criminoso, mas sempre erro kk, mas como foi dito eles nos levam para pistas falsas. Fiquei curiosa em saber quem faria tanta crueldade com a personagem, embora seu passado não é um mar de rosas mas mesmo assim acho que nada justificaria ela ter sido agredida desse jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria,

      com certeza, nada justifica. Tanto que a desculpa apresentada no livro, chega a ser cruel.

      Abraços

      Excluir
  7. Caramba, esse livro parece ser bem complicado de resenhar mesmo. Os acontecimentos parecem ser totalmente instigantes e te prendem até que a leitura finalize. Mesmo com a parada brusca, acredito que tudo não perde a emoção. Fiquei mega curiosa.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/
    Participe dos SORTEIOS de Natal que estão rolando lá no blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduarda,

      espero que goste.

      Abraços

      Excluir
  8. Olá, Sil.
    Eu já estava achando que não ia ter final igual a realidade, mas ainda bem que tem hee. Acho que leria esse livro sim, mesmo tendo esse monte de páginas de lentidão. Acho que é normal acontecer isso em livros muito grandes. Me interessei bastante por ele e vou ler sim.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sil,

      tomara que ele vire um dos seus queridinhos, assim como virou o meu.

      Abraços

      Excluir
  9. Olá...
    Essa leitura deve ser intensa demais.... Até por conta de retratar um pouco do que o autor viveu em sua adolescência... Gosto de romances policiais cheios de mistérios... E espero poder ler o livro em breve... Não sabia de uma adaptação sobre o livro também, mas vou tentar assistir... Parabéns pela resenha... Ficou incrível...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  10. eu não conhecia esse autor, mas já foi para a minha lista do preciso ler
    adoro livros de policiais e esse caso eu já tinha escutado falar, mas achava que era ficção (é muito mais assustador quando vc descobre que isso aconteceu mesmo)
    obrigada por avisar das 100 páginas no meio
    pq ao contrário de vc eu largo mesmo o livro, mas quando eu sei que melhora eu continuo

    ResponderExcluir
  11. Oi, Silvana!!
    Não conhecia esse livro mais com sou fã de histórias policias fiquei bem interessada nele!! Amei a resenha desse livro!!.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Amo policiais, amo pistas falsas e tenho esse livro, mas em outra edição. A questão é que comprei pela internet e não me liguei que era edição de bolso. Até aí tudo bem, o problema é que as páginas são brancas e o acabamento é bem ruim, aí acabei abandonando ele por um tempo. Ao contrário de você, abandono livros o tempo todo eiuheuiehiueh
    É uma pena que a narrativa tenha essa parada tão brusca depois de ser tão instigante, mas acho que isso às vezes até é bom pra acalmar um pouco nossos ânimos.
    Agora vou fechar aqui e procurar no Google por dália negra porque sou uma curiosa de carteirinha

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.