Resenha: A insustentável leveza do ser


A história se passa antes, durante e depois da 2ª Guerra Mundial e nos descreve como foi a ocupação da cidade de Praga. O foco do livro é Tomas e Tereza, um casal que se conhece por causa de seis acasos e acaba se apaixonando e juntando as escovas. O problema desse casamento é que Tomas é totalmente infiel. Tereza sabe dos casos, mas não separa do traidor, fica convivendo com o sentimento de ciúme, se martirizando, achando que não é o suficientemente boa para ele, vivendo assim cada dia mais infeliz na sua miserável lamúria.

Tomas acha que as infidelidades em nada deveriam prejudicar o casamento, visto que ele não ama nenhuma de suas amantes, mas se sente culpado por não fazer Tereza feliz, sendo incapaz de largar essa vida infiel, mas amando muito sua querida esposa. Tereza ganha uma amiga: Karenin, uma cachorra que a salva momentaneamente da depressão, mesmo não sendo ela a solução para os seus problemas.


Ficamos sabendo então da existência de Sabina, uma das muitas amantes de Tomas e amiga de longa data. Sabina tem uma vida livre, é uma pintora renomada e não quer se envolver muito com ninguém. É também amante de Franz (porém, em uma época diferente da de Tomas), e acaba sendo a salvadora deste, que está em um casamento infeliz há anos e vê nela a oportunidade de se livrar da sua esposa e filha, ambas muito frívolas. A vida destes personagens está interligada de alguma forma, e a segunda guerra como pano de fundo serve para mostrar como a vida dessas pessoas muda e é afetada por ela.

O autor nos apresenta uma análise minuciosa da alma humana, esfregando na nossa cara alguns pensamentos que jamais repetiríamos em voz alta. Afirmando que a nossa alma jamais conseguiria ter uma existência leve, que a leveza do ser é insustentável, que procuramos e somos atraídos por problemas, infelicidade e tristeza (que procuramos sarna pra nos coçar) "Es muss sein" (Tem que ser). Uma profunda reflexão sobre a existência humana. Todos os personagens são cativantes, até Karenin conquistou um lugar especial no meu coração. Ressaca literária na certa.

Quotes:

"Tomas pensava: deitar com uma mulher e dormir com ela, eis duas paixões não somente diferentes mas quase contraditórias. O amor não se manifesta pelo desejo de fazer amor (esse desejo se aplica a uma série inumerável de mulheres), mas pelo desejo do sono compartilhado (este desejo diz respeito a uma só mulher)".

"Para Sabina, viver dentro da verdade, não mentir nem para si nem para os outros, só seria possível se vivêssemos sem público. Havendo uma única testemunha de nossos atos, adaptamo-nos de um jeito ou de outro aos olhos que nos observam, e nada mais do que fazemos é verdadeiro. Ter um público, pensar no público é viver na mentira".

"Tereza usava essa expressão desde criança quando queria exprimir a ideia que fazia de sua vida familiar. O campo de concentração é um mundo onde as pessoas vivem umas sobre as outras dia e noite. As crueldades e as violências são apenas aspectos secundários e supérfluos. O campo de concentração é a liquidação total da vida privada".

"Mas sobretudo: nenhum ser humano pode oferecer a outro o idílio. Só o animal pode, porque não foi banido do Paraíso. O amor entre o homem e o cão é idílico. É um amor sem conflitos, sem cenas dramáticas, sem evolução. Em torno de Tereza e de Tomas, Karenin traça o círculo de sua vida, baseada na repetição, esperando deles a mesma coisa".



Título: A insustentável leveza do ser
Autor: Milan Kundera
Editora: Altaya / Record
Páginas: 316
Ano: 1995

18 Revelaram sentimentos:

  1. Olá...
    Gosto de livros que trazem como tema a 2ª Guerra... Normalmente são livros que mexem bastante com a gente, mas ao mesmo tempo nos trazem muitas lições. Fiquei bastante curiosa para ler esse livro e ver como os personagens foram afetados por conta da guerra... Com certeza promete algumas lágrimas...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane,

      não te garanto lágrimas, mas garanto que você passará á encarar a questão humana de uma forma totalmente diferente :)
      Beijos

      Excluir
  2. Mas já nem precisava saber de mais nada! Falou em segunda guerra, ou qualquer tipo de guerra que foi tão impactante, e eu já quero ler. Gostei dessa dica! Não conhecia e ele parece ser bem interessante, cheio de reflexão e pelo jeito joga na cara a situação e faz a gente sentir um monte e coisas. Deu vontade de conhecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane,

      acertou em cheio!! Te faz pensar e questionar muitas coisas. Amoooo livros assim.
      Abraços

      Excluir
  3. Sua resenha está muito boa, eu não conhecia este livro, mas lendo a sua resenha fiquei bem interessada em ler este livro, geralmente não curto histórias envolvendo guerras, mas este livro me chamou a atenção e sua resenha despertou minha curiosidade, pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariele,

      aproveite e boa leitura, espero que goste :)
      Abraços

      Excluir
  4. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei a historia interessante principalmente por temos a segundo guerra no livro e diferente do que vi em algumas historia, parece que ela não é tão presente na historia, mas ainda sim tem grande importante por essa mudança na vida dos personagens, me deixando bem curiosa !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Suzana,

      exatamente! Mostra como as pessoas foram afetadas, sem contar diretamente a história de um condenado.

      Abraços

      Excluir
  5. Silvana!
    Na minha opinião é um dos melhores livros de todos os tempos, porque amo o tema filosófico e a análise da alma humana empreendida pelo autor que nos faz refletir e repensar vários aspectos da vida.
    “Natal não são as luzes lá fora, mas a Luz que brilha em seu coração... Feliz Aniversário, Senhor!” (Daniela Raffo)
    Boas Festas!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de DEZEMBRO ESPECIAL livros + BRINDES e 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudy,

      realmente é profundo!! Adoroo.

      Abraços

      Excluir
  6. Esse livro está na minha lista de leituras para o ano que vem, então adorei ver resenha sobre ele. Ainda não tinha lido nenhuma, mas despertou a minha vontade de fazer a leitura o quanto antes. Adorei! E adorei as fotos também.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cecília,

      obrigada!! Leia o quanto antes, é um livro bem profundo.

      Abraços

      Excluir
  7. Acho que não leria esse livro. Odeio livros que tenham traições, ainda mais assim declarada e a mulher sentindo culpa pelo sem vergonha do marido. Que bom que gostou, mas eu não leria ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sil,

      se esse tema não te agrada, melhor nao ler mesmo. Pois estas acontecem o tempo todo.

      Abraços

      Excluir
  8. Embora não gosto de tema como essa da traição, fiquei em dúvida se leria o livro ou não. É difícil compreender como a pessoa aceita a traição quando não sabe é uma coisa mas quando se sabe como a personagem é difícil entender, mas só quem sente na pele é que sabe qual atitude tomar. Legal ela ter um animal é um bom companheiro em muitos momentos.

    ResponderExcluir
  9. eu já tinha ouvido falar desse livro, me disseram a mesma coisa que você que ele analisa os pensamentos de um jeito, traz a tona o que nos tentamos manter enterrados.
    não sei dizer se leria esse livro. não preciso de história para mostrar o quão podre o ser humano é.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Silvana!!
    Gostei muito da sua resenha mais não fiquei com nenhuma vontade de ler esse livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  11. Silvana, OLHA AQUI QUERIDINHA. A minha lista de desejados está aumentando demais e a culpa é sua, tá!? hahahh
    na verdade eu já tinha ouvido falar super bem desse livro, mas não sabia bem do que se tratava. No início da resenha ele não tinha "me ganhado" mas ao chegar na parte que fala sobre a leveza da alma que a gente não consegue ter eu me identifiquei totalmente! Infelizmente tenho que reconhecer que sou assim, "amo" uma sarna pra me coçar. Aff, né?
    Mais um livro pra interminável lista!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.