Resenha: Dias Perfeitos


Téo é um estudante de medicina, e, aos 22 anos, é fissurado por anatomia. Ele não é nada sociável e considera Gertrudes sua melhor amiga. O que algumas pessoas podem achar estranho ou fora do normal é que a mulher em questão é um cadáver de uma idosa. Ele sente-se bem perto dela e gosta de imaginar o que ela já fez e viveu.

“[...] a sala de anatomia era seu espaço. As macas pelos cantos, os cadáveres dissecados, os membros e os órgãos em potes davam a ele uma sensação de liberdade que não encontrava em nenhum outro lugar. Gostava do cheiro de formol, das ferramentas nas mãos enluvadas, de ter Gertrudes sobre a mesa.” (p. 10)


Téo é frio e tem uma mente doentia, que o leva a fazer coisas erradas, mas que ele julga serem corretas e normais, com seus pensamentos e as explicações que ele frequentemente dá para si mesmo a fim de convencer-se de que nada daquilo é errado.

“Jamais seria capaz de cometer abusos: faltava-lhe o instinto animal que os homens ganham ao nascer. Essa era apenas uma de suas qualidades. Se houvesse mais gente como ele, o mundo seria melhor.” (p. 46)

“Concluiu que a desordem íntima que o perturbava não era movida pelas causas, mas pelas consequências.” (p. 117)


Clarice é uma jovem de alma livre, que faz o que bem entende e não liga para o que os outros pensam sobre ela. Costuma deixar as pessoas espantadas com seu jeito explosivo e sedutor de ser. Ela está escrevendo um roteiro sobre três amigas viajantes que vão para um hotel fazenda chamado Lago dos Anões, em Teresópolis. Para obter melhor concentração e inspiração para a escrita, Clarice resolve ir até o hotel, com intenção de hospedar-se sozinha por três meses para terminar o roteiro.

Após conhecer Clarice em uma festa que a mãe o forçou a ir, Téo decide que precisa tê-la para si. Ele fica obcecado com ela, a sequestra e começa a forçar um relacionamento. Ele a leva até o hotel fazenda para que ela possa realizar o que planejava – terminar de escrever “Dias Perfeitos”. Na mente dele, é apenas questão de tempo até que Clarice se apaixone por ele e possam viver felizes para sempre. O tempo que os dois passam juntos e os momentos que vivem vão nos deixando na dúvida: estará Clarice, aos poucos, se rendendo ao amor de Téo?


Os pensamentos de Téo, por vezes, me causaram repulsa. Ele não é uma pessoa amável, então, para mim, não foi fácil lidar com o personagem durante a leitura. Eu me sentia enclausurada, impotente – pois não havia nada que eu pudesse fazer para mudar o que estava acontecendo na história – e, em alguns momentos, tive vontade de deixar o livro de lado para respirar um pouco e esquecer aquele clima pesado que ele estava me proporcionando.

Eu gosto de leituras que me causam esse sentimento quase claustrofóbico, essa vontade de sumir da história por um tempo para recuperar o fôlego e poder continuar a ler em seguida para saber o que irá acontecer. Por esse motivo, curti muito Dias Perfeitos. Recomendo fortemente para quem gosta de thrillers onde o autor vai construindo o suspense aos poucos.

Com este livro, me apaixonei pela escrita do Raphael Montes. Porém, devo dizer que algumas escolhas do autor me frustraram, eu gostaria que certos acontecimentos tivessem se desdobrado de outra forma no final da obra, e esse foi o único motivo de eu ter tirado uma estrela na hora da avaliação. Ele não deixou pontas soltas e tudo é explicado, apenas cabe ao leitor escolher se curtiu ou não o destino dos personagens. Como já disse, eu, particularmente, queria que fosse diferente.

A editora Companhia das Letras está de parabéns, a revisão está ótima e a diagramação também. A capa passa muito bem sobre o que o livro trata. Em suma, recomendo a leitura!


Outros quotes:
“Quem nunca se apaixonou sem ser correspondido? Quem não gostaria de mostrar que poderia ser diferente, que a história de amor poderia dar certo? Ele apenas fazia o que todos já tinham desejado fazer. Havia criado para si a chance de estar próximo de Clarice, de deixar que ela o conhecesse melhor antes do ‘não’ definitivo. Era ousado e corajoso.” (p. 101)

“Passeou os dedos pelo vidro do copo vazio, preparando o ataque. Num movimento rápido, passou o bocal pela borboleta, aprisionando-a no copo comprido. Ela se debatia. As asinhas tilintavam contra o vidro. Os dedos de Téo envolviam o copo, pressionando o bocal contra a mesa, impossibilitando qualquer escape. Era assim a vida dele. Vinte e dois anos. Sem nenhum escape.” (p. 141)


Título: Dias Perfeitos
Autor: Raphael Montes
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 274
Ano: 2014

21 Revelaram sentimentos:

  1. Oi, Isabela!!
    É uma pena pois nunca li nenhum livro do Raphael Montes. Mas esse livro chamou muito minha atenção!! Gostei bastante da premissa do livro e da resenha do livro está maravilhosa!! Bom espero que em breve consiga ler alguma obra desse autor.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Na verdade não tenho costume de ler thrillers, porém como esse ano pretendo dar uma chance a novos gênero, tenho dado mais chances a esse tipo de leitura. Pelo visto essa história e muito bem construída, e meche com os nossos sentimentos ainda mais por ter uma bela descrição das situações. Me surpreendi com essa resenha, inclusive tem outros livros desse autor que estão na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Isabela.
    Eu só li um livro do autor, O Vilarejo e gostei muito da escrita dele. Esse eu li muitas resenhas positivas e algumas negativas. É um tema que eu gosto de ler, inclusive já li um livro com um tema semelhante, O Colecionador e lá eu até torcia pelo protagonista. Mas nesse acho que vai ser ao contrário hehe. Assim que der eu vou ler.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oi, Isabela
    Sou doida para ler algo de Raphael Montes, Todos elogiam tanto.
    Também gosto de leituras que me façam recuperar o fôlego. Esses livros são os que geralmente me agradam até o fim.
    Gostei de saber que você é mais uma do time que adorou esse livro. Preciso ler logo.

    ResponderExcluir
  5. Isabela!
    O Raphael vem se destacando no estilo thriller psicológico/terror. Já li outro livro dele e gostei muito.
    Deve ser sufocante mesmo ver as atitudes de um protagonista dde mente doentia e que sequestra uma garota pensando em ter um relacionamento com ela, além de preferir os cadáveres como amigos...
    Fiquei curiosa por saber o que ela sentia por ele?!...
    Desejo um ótimo final de semana!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Esse foi o primeiro livro que li dele e meu Deus, esse personagem! Não sabia se lia e ficava admirada com o autor ou se me perguntava o que ele tinha na cabeça pra fazer todas aquelas coisas! É um horror atrás do outro, tão cru e tenso de ler. Ficava com uma careta na maioria da leitura. E nem vamos falar do final porque esse me deixou pasma. Quando virei a última página e percebi que tinha acabado fiquei achando que meu livro veio com páginas faltando! xD
    Mas é bom mesmo, não é? O jeito como ele consegue despertar esses sentimentos, fazer a gente ficar pasmo e ter repulsa pelo personagem que narra a história... A gente se sente na mente dele e isso é muito doido. O autor me ganhou com esse livro e gostaria de ler mais coisas dele com certeza. Vale a pena =)

    ResponderExcluir
  7. Olha to meio que agora vendo se vou ler esse livrou ou não, porque temos aqui um protagonista com sérios problemas na cabeça e tenho certeza que vai ter momentos que vou querer entrar no livro e dar um tapa nele bem forte. Mas talvez o bom do livro seja esse, o poder que o autor teve pra te deixar super agoniada e os momentos que você precisava para respirar. Bem vamos ver se vou ler ou não. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  8. Oi Isabela, eu não li nada do autor até hoje, e o fato do Téo ter como melhor amiga, um cadáver, já despertou em mim uma curiosidade que só será saciada ao ler o livro.
    Beijos
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  9. Oi Isabela, tudo bem?
    Nossa, fiquei chocada lendo a sua resenha. Não sabia de que se tratava este livro e nunca tive curiosidade de ler a sinopse. Me interessei por ele ao ver que ele estava em promoção no Submarino e estou louca de vontade para conhecer esta história. Téo parece um personagem bem intrigante e seria ótimo poder saber um pouco mais sobre ele. Adorei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Isabela!
    Nossa, o Téo parece ser totalmente louco. A Clarisse mais ainda por deixar existir a possibilidade de se apaixonar por alguém que a forçou a alguma coisa. Adorei a resenha, mas eu não pegaria o livro para ler hahah Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Isabela! Tudo bom?
    Tenho uma vontade imensa de ler os livros de Raphael Montes, principalmente o lançamento Jantar Secreto.
    Adoro histórias com esse tipo de clima, meio psicopata, meio misterioso e, assim como você, que te dão uma sensação claustrofóbica.
    Bjs!

    -Ricardo, Blog Lapso de Leitura

    ResponderExcluir
  12. Realmente o Téo é maluco, fiquei com dó da Clarissa, até o momento que teve uma possibilidade dela se apaixonar por ele. Achei a capa diferente, mas gostei. Adorei a resenha mas não fiquei com muita vontade de ler o livro haha.
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  13. Já tinha lido outra resenha do livro e essa só me confirmou que a história não me ia agradar, costumo gostar do gênero e de história com psicopatas mas a obsessão dele pela mulher me deixou com muito nojo e acho que não ageuntaria a leitura.

    ResponderExcluir
  14. Esse livro esta na minha listinha de compras, fiquei me perguntando se vou gostar do final ou não rs. Nossa que cara louco sequestrar uma pessoa e querer que ela goste dele tipo a força, isso não se faz, mas todo louco tem sua mania. Deve ser uma leitura que deixa o leitor agoniado com as coisas que o personagem deve fazer.

    ResponderExcluir
  15. Isabela,nossa só pela sua resenha fiquei angustiada com o protagonista e sua mente perturbada,nossa,sua melhor amiga é um cadáver!! Tive que voltar para ler para ver se entendi direito mesmo rsrs Enfim,mas fiquei curiosa sobre os pensamentos e as justificativas mais a fundo que ele mesmo se dá para tais ações no mínimo peculiares,dele...
    É uma pena quando o final do livro não segue o caminho que imaginávamos/queriamos,isso realmente tira um pouco do brilho da obra,mesmo não tirando o mérito das demais partes.. De qualquer forma fiquei curiosíssima sobre o final,se vai ser feliz ou mais realista,se o personagem tem salvação,será possível a Clarice mudar ele? Fiquei intrigada!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  16. Olá, o autor foi muito criativo e sem dúvidas é muito talentoso, mas acho que também me sentiria desconfortável lendo esse livro. Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito da história, gosto muito de suspense, principalmente quando ele é construído aos poucos e quando a trama depende de um psicopata bem desenvolvido, como é o caso da história apresentada. Que pena que algumas não se desenvolveram de uma forma que te agradasse. Amei a dica e a resenha.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  18. Isa, essa história tem tudo para ser verídica, porque loucos nesse mundo não é o que falta. Pois bem, posso dizer que repudiei o Téo, tudo o que ele é capaz de fazer para "conquistar" uma mulher. E também devo informar que a Clarice é outra louca se acabar se apaixonando por ele. Entretanto, gostaria de ler esse livro e saber o desfecho dessa história.

    ResponderExcluir
  19. Oi Isa...
    Téo parece ser uma pessoa extremamente fria, assim como é grande parte dos médicos... Talvez pelo fato de terem que lidar com casos impossíveis e com a morte de maneira extremamente natural... Fiquei curiosa para ler esse livro e descobrir qual foi o real destino de Téo e Clarice... Espero poder ler esse livro em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  20. Téo parece ser uma pessoa normal e tímida!! Mas é puro engano!! Clarice infelizmente vai conhecer de perto a maldade que habita nele. Dias Perfeitos é um daqueles livros que irá fazer com que as pessoas queiram saber o desenrolar desta trama até o final!!

    ResponderExcluir
  21. O primeiro livro que li do Raphael foi O vilarejo. A partir daí, quis ler tudo desse homem! Li Suicidas (quase 500 páginas) em menos de dois dias. Li Jantar secreto em algumas horas. O único que ainda não li foi Dias perfeitos, embora ele esteja aqui esperando.
    Acho que em nenhuma resenha desse livro que eu li citou isso da amiga dele ser um cadáver iueheuiheiueh o cara já começa sendo doido, não dá pra esperar coisa boa, né?
    Agora fiquei curiosa pelo final, pra ler e descobrir se eu também não vou curtir.

    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.