Resenha: Um amor feliz


Regina Przybycien fez uma seleção de poemas de Wislawa Szymborska. A escolha foi feita a partir de toda a obra da autora, mas, em especial, os poemas da fase inicial (dos livros de 1957, 1962 e 1967) e da final (publicados já no século XXI), além de incluir o póstumo Wystarczy (lançado em 2012) e o discurso proferido pela autora quando recebeu o prêmio Nobel.

A distribuição foi feita por ordem cronológica para dar uma ideia dos temas que a autora abordou ao longo de meio século de atividade literária. Em sua maioria, os temas são sombrios, além de usar um tom irônico para as tragédias do século, a fragilidade da vida, indiferença do universo, a incomunicabilidade entre os homens e as outras formas de vida.


Wislawa sabe ser sutil, mas, ao mesmo tempo, intensa; sabe nos fazer refletir sobre pontos que muitas vezes sequer damos credibilidade. Um exemplo claro disso é retratado em seu discurso, ela afirma que valoriza as palavras “não sei”, pois são elas que possibilitam a abertura para outros modos de ver e ser.

“[...] Pequenas, mas de asas poderosas que expandem nossa vida por espaços contidos em nós mesmos e espaços nos quais está suspensa nossa minúscula Terra. Se Isaac Newton nunca tivesse dito a si mesmo ‘não sei’, as maçãs do pomar poderiam ter caído como granizo diante de seus olhos e ele, na melhor das hipóteses, teria se abaixado para apanhar uma e comido com apetite.” (p. 325)


Fica evidente que a autora tinha interesse por ciências. Astronomia, matemática e biologia forneciam inspiração para suas criações, além de fazer o leitor refletir sobre a fantasia e os fatos da natureza, ou seja, a evolução – conforme observado por Przybycien.

Przybycien deixa claro que traduzir Szymborska é uma atividade lúdica, porém, muitas vezes um pouco sofrida e isso ocorre porque sua linguagem clara e aparentemente acessível pode ser enganosa. Para a tradutora, a dificuldade está em existir jogos de palavras tirados de expressões correntes da língua portuguesa e que poderia perder o sentido se traduzido para o nosso idioma oficial, sem contar as rimas que se perderiam.


Esse foi meu primeiro contato com Szymborska, passo inicial para que eu tenha acesso a outras obras dela. Um jeito encantador de mostrar poesia, de escrever poemas e de falar coisas tão pequenas, talvez insignificantes, mas de forma intensa e marcante. É uma autora que merece ser lida, conhecida, ainda que a pessoa não seja leitora do gênero. Não podemos nos prender ao que estamos habituados, é necessário sair da zona de conforto para conhecer outros mundos, ampliar nosso conhecimento, nosso vocabulário e divagar em dimensões que outrora não fazíamos.

Quotes:
“Nem um dia se repete,
não há duas noites iguais,
dois beijos não são idênticos,
nem dois olhares tais quais.” (p. 31)

“Jamais vou descobrir
o que A. pensava de mim.
Se B. até o fim não me perdoou.
Porque C. fingia que estava tudo bem.
Que papel teve D. no silêncio de E.
O que F. esperava, se é que esperava.
Porque G. fingia, já que sabia muito bem.
O que H. tinha a esconder.
O que I. queria acrescentar.
Se o fato de eu estar ali ao lado
teve qualquer importância
para J., para K. e para o resto do alfabeto.” (p. 237)

Outras fotos:




Título: Um amor feliz
Autora: Wislawa Szymborska
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 327
Ano: 2016

29 Revelaram sentimentos:

  1. Oi!!
    Normalmente não leio livros de poemas. Mas fiquei encantada com os quotes do livro. São extremamente marcantes!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena, Marta.
      Mas é sempre bom dar uma chance.

      Beijos

      Excluir
  2. Nathália!
    Estou gostando demais de ver os livros de poesias voltando ao cenário literário.
    Nunca li nada da autora, mas pelo visto é uma pessoa bem inteligente e culta.
    Como gosto de poemas, gostaria de conhecer.
    Desejo uma semana alegre e feliz!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é antigo, Rudy, embora o livro seja novo. Se é que me entende rsrsrsrs

      Excluir
  3. Oi Natalia, tudo bem?
    Infelizmente eu não sou uma apreciadora de poesia, acho que não tenho sensibilidade o suficiente para compreender o que contém os versos, mas gostei basante dessa ultima que está no quote, e fiquei curiosa para conhecer o trabalho da autora. Quem sabe mais para frente quando eu tiver me mostrado mais madura na leitura, eu possa começar por este livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena, Lara.
      É sempre bom abrir os olhos para novos ares, ter uma nova direção. Espero que um dia você leia e goste.

      Beijos

      Excluir
  4. Tenho me interessado cada vez mais por livros de poesias, e por isso sempre que vejo algum já quero logo adquirir, e esse não foi diferente. Ainda não conhecia a obra dessa autora, e fiquei bastante cativada pelo fato de aborda a revolução da época retratada, de forma irônica para as tragedias da época, além de nos fazer refletir sobre coisas ou assuntos que não damos credibilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é ótimo, Lana.
      Eu sempre gostei e me faz enxergar muitas coisas que não faço sempre.

      Excluir
  5. Acho muito legal livros de poesia para dar uma quebrada na rotina de leitura. É bom ler coisas assim quando acabo de ler alguma outra história e só gostaria de relaxar e pensar um pouco. Esse parece ser bem interessante, fala da vida de uma forma que faz pensar, tem um lado um tantinho cientifico de pensar nas coisas...gostei. Parece ser bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Cris.
      É bom fugir da rotina e ler gêneros novos

      Excluir
  6. Olá, Natalia.
    Infelizmente não gosto muito de ler poesias e poemas. Se não tivesse outra coisa para ler, até leria, mas como tem tantos livros de ficção sendo lançados, e cada vez mais livros entrando para minha lista, acho que não lerei. Mas achei interessante essa parte sobre o não sei. Tem muita gente que não sabe admitir isso.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Sil. Achei algo que não somos parecidas hahaha.
      Enfim, quem sabe um dia você dê uma oportunidade rs.
      Sim, essa parte do não sei eu nunca tinha pensado nisso.

      Excluir
  7. Oi Natalia!
    Acho que vou seguir seu conselho de sair da minha zona de conforto e ler essa obra. Confesso que só tive contato com poemas no colégio, mas achei muito interessante o livro trazer reflexões sobre a evolução! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre bom, Gaby.
      Espero que dê certo e você goste bastante.

      Beijos

      Excluir
  8. Gosto muito dos gêneros poesia e poema, realmente me interessei muito pelo pouco que li, além de trazer reflexões. Quando tiver a oportunidade com certeza lerei :)
    Abraços !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimo que você goste, isso já um bom caminho.
      Adorei.

      Abraços

      Excluir
  9. Não gosto nada desse gênero mas fiquei interessada nesse livro. O ponto que mais me chamou atenção foi justamente o livro acompanhar todos esses anos, fiquei bem curiosa com a mudança nos textos de acordo com a época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você leia um dia, Maíra.
      Pelo menos um ou outro, certeza que vai gostar rsrsrs

      Excluir
  10. Natalia,confesso que sou uma pessoa bemmm avessa a poemas,ainda mais de forem bemm antigos como a maioria destes,mass olha,se tem um livro que me ganhou pelos quotes é esse viu,nossa estou impressionada com a capacidade dela de desdobrar um assunto e nos fazer refletir e pensar: "nossa,pior que é verdade mesmo rs".. E adorei o que ela diz sobre as palavras "não sei".. Nunca tinha pensado dessa forma,mas é isso mesmo!!
    A autora parece brilhante,se tiver uma oportunidade lerei com certeza 😉😁
    Bjosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani. Uma pena.
      São dos antigos que eu gosto mais rsrs.
      Espero que você leia então, já que esse te chamou a atenção pelos quotes.

      Beijos

      Excluir
  11. Oi, Naty
    Gosto bastante de poesias, apesar de não ser uma leitora ávida no gênero. Mas como você falou de uma forma tao sutil e bela sobre o livro, daria uma chance.
    Gostei muito da dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance sim, Lê. Acredito que você vá gostar.

      Excluir
  12. Mesmo não sendo fã de poesia agora, quando eu era nova lia muito mas perdi a atração por esse gênero, eu tenho que admitir que os dois últimos poemas que você colocou foram tão lindinhos que até deu vontade de dar uma chance para esse livro. Quem sabe eu Não acabo me surpreendendo não é mesmo ? Obrigada pela linda resenha.

    ResponderExcluir
  13. Dificilmente leio poesias, pois algumas poucas são de fácil entendimento, algumas eu leio e releio e não sei o que o autor quis expressar. Mas tenho que admitir que os quotes são muito bons, gostei muito do alfabeto.

    ResponderExcluir
  14. Olá, não tenho costume de ler livros assim, a o fato da autora registrar as tragédias daquele período me deixou curioso. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Não gosto tanto de poesias, mas essa obra me chamou a atenção por trazer em seus versos um pouco da ciência e fazer uma reflexão em cima disso. Amei a dica e resenha, uma boa dica para me aventurar em um gênero que não gosto tanto.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  16. Nat, sempre que alguém falar que "não sei" não é uma resposta correta mostrarei essa resenha para a pessoa. Desde criança eu gosto de poemas, gosto de poder interpretá-los da minha maneira e com esses não foi diferente, gostei bastante da escrita da Wislawa, realmente é uma escrita sutil e ao mesmo tempo intensa.

    ResponderExcluir
  17. Oi Nati...
    Amo poemas e confesso que nunca tinha ouvido falar dessa autora... Com certeza ela tra uma leitura que nos leva a muitos momentos de reflexão... Adorei o quote: “Nem um dia se repete, não há duas noites iguais, dois beijos não são idênticos, nem dois olhares tais quais.”... É simplesmente perfeito... Com certeza quero ler esse livro e deixar um lugar especial em minha estante para ele...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  18. Oi.
    Sinceramente já vou dizendo que não curto poesias, não entra na minha cabeça frases poéticas ou complicadas, não me interessei pela obra, mas fiquei muito interessada em conferir, espero gostar.
    P.S Adorei as fotos.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.