Resenha: A lista negra


Olá,
Valerie e seu namorado Nick são duas pessoas muito bullyinadas por seus colegas da escola. O motivo? Nenhum. Desde quando bullying tem uma justificativa aceitável?

Frustrada e infeliz com a vida familiar que está aos trancos e barrancos e com a situação na escola, Valerie resolve fazer uma lista negra das pessoas que odeia. Nick descobre a lista e entra na brincadeira, acrescentando, assim, mais nomes a ela. Porém, com o tempo, a lista deixa de ser uma brincadeira para Nick, que começa a planejar a morte daquelas pessoas. Ele conta seu plano para Valerie, que continua achando que é faz de conta. Até que certo dia ele entra na escola e causa rebuliço, atirando em muita gente e matando alguns.


Quando Valerie acorda, em um hospital, precisa lidar com as consequências de seu ato: ao que tudo indica ela foi cúmplice de um tiroteio, sobreviveu e está sob investigação. Seus pais, já afastados dela, mantêm ainda mais distância, os poucos amigos da escola lhe viraram as costas, e a única pessoa que a ouvia e compreendia não pode mais fazer isso.


Valerie demorou um pouco para entender que a coisa estava feia para o seu lado. Em certos momentos também podia-se perceber que a mocinha era egoísta ao extremo, achando que era a única vítima dessa história toda. Estava claro que o bullying já havia criado raízes profundas em sua alma e na de Nick, fazendo com que este último tomasse atitudes extremas, nos fazendo questionar o motivo desses adolescentes não pedirem ajuda para resolver esses problemas de convivência.

Comparei o livro com minha fase escolar, e percebi que minha escola não era tão diferente da escola do livro: pessoas querendo subjugar outras através de humilhação ou violência, pessoas se achando melhores do que as outras, ridicularizando os diferentes. Isso mostra, principalmente, o tipo de pais que essas crianças têm, e a educação que recebem em casa.


Cheguei à conclusão de que pessoas idiotas existem aos montes e que não existe idade para se ser um. Podemos dizer que algumas pessoas tiveram o que mereciam, mas também que para outras não fez tanta diferença assim. E, principalmente, que pessoas que praticam o bullying são perdedoras. Um livro sobre ódio e cura; sobre perdão e desrespeito; sobre atos e consequências; sobre emoções contraditórias. Um livro sobre a vida.

Me conte aí nos comentários se você nunca sofreu bullying na escola. Se nunca, parabéns! Você foi premiado.

Abraços.


Título: A lista negra
Autor: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Páginas: 272
Ano: 2012

22 Revelaram sentimentos:

  1. Acho que em toda escola existe em bullying, o que muda é o nível e como cada escola lida com isso mas parece que nos EUA (que creio ser o país da autora) é tudo mais intenso e sempre traz esse tipo de consequência, atirador lá é uma coisa comum.
    Fiquei bem interessada na história, apesar de ser um livro sobre o mundo adolescente parece ser uma leitura pesada e cheia de reflexões.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Silvana
    Verdade, quem nunca sofreu bullying na escola que atire a primeira pedra. Eu mesma já sofri, mas há controvérsias. Antigamente alguns comentários que ouvíamos levávamos na tranquilidade, pois estávamos entre amigos, não nos ofendíamos com pouca coisa, agora qualquer coisa é bullying (sei que não é o caso da história do livro). E, claro, não sou a favor de quando as coisas são tratadas na violência e na agressividade. O que quero dizer é que o mundo está muito chato rs
    Acho que esse livro deve trazer questões importantes. Adorei a dica. Há tempos quero ler esse livro, vejo todos elogiando.
    Ótima resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão: o mundo ta chato!
      Mas as coisas so chegaram nesse ponto devido aos casos extremos de bullying. Vou te dar meu exemplo: um grupo de garotas me odiava na escola, e eu nunca fiz nada pra elas. Resultado? Brigas semanais, de puxar cabelo e rolar no chão, visitas semanais na direção da escola...até que eu nem tinha mais vontade de ir pra escola, por saber o que ia rolar. Não influenciou nas minhas notas, nem fiquei reclusa pois sabia que tinha meu direito no mundo, mas foi uma luta gigante para conquistar meu espaço e precisou de intervenção dos adultos. O grupo jamais se desculpou, mas depois de ameaça de expulsão parou de encomodar.Por causa de gente assim, as coisas chegaram nesse extremo. É uma pena

      Excluir
  3. Oi, Silvana!!
    Realmente que nunca sofreu bullying?!! De certa maneira todos nós já sofremos com esse tipo de assédio!! Mas infelizmente as coisas parece ser muito serias nos EUA pois lembro de várias reportagens onde um aluno abre fogo contra os colegas que faziam bullying com ele. Acho que esse livro deve tratar desse assunto. E por causa disso fiquei bem interessada na história.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sil!
    Esse livro circula nos meus desejados tem uma vida!
    Eu sofri bullying na escola até os meus 10 anos, mais ou menos. Ainda bem que isso não influenciou na minha vida.
    HBeijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
  5. Olá, Silvana!!
    Gostei muito do livro, de ele falar sobre o bullying, que é uma coisa muito chata, mas acontece constantemente. Não podemos fugir dele para fingir que ele sumiu, ao contrário temos que enfrentá-lo, para detê-lo e acabar com isso que na maioria das vezes é as crianças que sofrem.
    Amei a resenha!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito quando li esse livro, ele tem muitas questões boas e importantes de se verem ser discutidas. Ainda mais pra quem está na escola ainda ou coisa assim.
    A questão do bullying ali tem umas consequências que são bem tensas. Mais do que normalmente é esperado. Enquanto lia eu me lembrava de algumas coisas que vivi, mas outras vezes tinha um nojo do que estava lendo que nem queria imaginar que esse tipo de coisa pudesse acontecer mesmo.
    Já estudei em um lugar onde fazer bullying era tipo ser alguém. Se não machucassem os outros, se não arrumassem briga ou coisa assim não era ninguém. Entende? Quando me mudei e cresci é que percebi o quanto esse negócio é uma droga. Já fiz muito coisa que hoje em dia tenho até vergonha de pensar, mas achava que era brincadeira, que era engraçado e não que machucava. Tinha essa ideia na cabeça, que era só zoeira. E na maioria das vezes foi assim, uma brincadeira mesmo, e sem intenção de machucar. Mas machuca né. A gente não percebe, mas acaba fazendo tanta porcaria com os outros...principalmente na escola. É aquela coisa de se sentir parte, de ter um grupinho. Faziam muito comigo também, mas eu era tão briguenta que na maioria das vezes resolvia as coisas de forma nada politicamente correta xD
    Acho que faz parte da vida né. Do nosso crescimento como pessoas. Aprender...
    Quem nunca sofreu bullying na escola é premiado mesmo. Essa é uma daquelas situações que todo mundo já passou, na maioria das vezes.

    ResponderExcluir
  7. Miga bullying nunca foi um tema fácil de ser falado e falo pelo fato que já sofri muito por causa disso, principalmente por ser uma menina gordinha na escola e posso dizer que criança ou não o povo não tem pena de você. Sabe até que eu queria culpar a menina mas quando você passa tanto tempo sofrendo acho que depois de um tempo fica difícil até mesmo pensar fora desse bolha. Eu sinto uma pensa da menina porque na verdade ela não queria que isso acontecesse e não deixo de pensar no queria teria ocorrido se não tivesse sofrido o bullying. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  8. Sil,
    bullying é um tema muito importante e que precisa muito ser discutido. Não, eu não sofria bullying na escola, nunca passei por algo assim, mas tenho vários amigos virtuais que passam por isso e me dói demais ver eles tristes, magoados, chorando, por causa de um idiotinha que não tem mais o que fazer da vida.
    Isso é um tema muito sério, e que o mundo ainda precisa melhorar e deixar de lado todo e qualquer preconceito para nos livrarmos disso.
    Quero ler o livro, parece ser bem interessante.

    BJS

    ResponderExcluir
  9. Oi Silvana! Primeiro de tudo, vi meu nome na sua lista. Como assim??! haha eu quero muito muito mesmo ler esse livro, só espero que esse "egoismo" que você identificou na personagem nao seja muito exagerado porque eu imagino ela sofrendo e arrependida por ter criado a lista...

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, o livro pelo visto é bom, é claro que toda situação vivida nele é horrível. Graças a Deus eu nunca sofri bullying na escola, e eu acho que pessoas que agem assim são sem noção, para não falar um palavrão. Espero ter a oportunidade de ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  11. Silvana!
    Hoje sei que sofria bullying na escola, porém há 40 e poucos anos atrás, esse termo nem era conhecido e não sabíamos que era uma agressão a nós...Era gorda, usava óculos e era a mais nova da turma, embora fosse a mais alta e a maior, sem contar que era 'nerd', imagina então o tamanho do bullying que sofri, mas graças a Deus, sempre tive uma família bem estruturada e de certa forma, consegui superar tudo e manter uma vida 'normal'. Amor familiar nos faz superar todas as vicissitudes que a vida impõe...
    Chegar ao extremo como o personagem do livro, é porque muita coisa mexeu com a cabecinha dele, coitado...
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. OI.
    Eu quero muito esse livro, e adorei a premissa.
    Ele tomou uma atitude realmente extrema mas como já vemos muitas vezes isso é o resultado do Bullying, o fato da mocinha ser egoísta me desanimou um pouco, mas nada que me faria desistir da leitura, adorei essa capa e não vejo a hora de desfrutar dessa leitura.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Faz um tempo que esse livro esta na minha lista de compras, quero muito ler, achei essa atitude do personagem bem drástica, por mais que os dois sofriam deveriam ter procurado ajuda e não ele ter chegado a esse ponto. Infelizmente praticamente todos sofrem ou sofreram Bullying, eu já sofri mas na minha época não tinha nome e eu nem ligava, era muito nova.

    ResponderExcluir
  14. O bullying sempre existiu e está ao nosso redor, de certo modo tambem já sofri, mas não liguei muito, ainda bem. Tenho saudades do meu tempo de escola, acho que este livro pode ser uma boa dica para eu me recordar do meu tempo. A capa do livro já é de chamar a atenção, e já te deixa curiosa.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Silvana!
    Sofri bullying na escola e sei bem como é, mas diferente da Valerie e do Nick eu sempre contava a minha família o que acontecia, eles sempre me deram apoio mas teve ocasiões que essas situações terminaram porque eu me impus, mas até hoje me lembro das experiências... como esquecer?!
    Em relação a A lista negra, não me interessei pela trama, mas curti sua resenha e amei as fotos!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Eu estou doida para ler esse livro. Tenho o outro dela que é Amor Amargo e eu me apaixonei pelo livro. Gosto de livros com temas mais fortes!
    Tenho que comprar esse livro!
    Estou doida para começar a ler.

    ResponderExcluir
  18. Oi Silvana, tudo bem?
    Li esse livro ano passado e me lembro de ter gostado muito dele, embora tenha visto muitas críticas negativas sobre a obra. Infelizmente coisas desse tipo acontecem, e a forma como a história da Valerie foi tomando forma só a fez parecer a culpada de tudo e o fato do namorado ter morrido deixando todo o fardo pra ela, não ajudou em nada. Essa menina sofreu muito nessa nova fase da vida dela e eu sofri em quanto lia.
    Sempre que posso, recomendo esse livro.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  19. Oi Silvana,
    Esse livro está há tanto tempo na minha lista de próximas leituras que chega a ser vergonhoso, pois não tenho mais desculpas de ainda continuar adiando a leitura :/
    É um livro bem comentado, e como amo uma história bem densa e forte com certeza será uma leitura e tanto. Estou bem intrigada em ler como a autora tratou o bullying nessa história, e também em saber qual será o desfecho da vida da personagem.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Já conheci pessoas que disseram nunca ter sofrido bullying e outras que dizem que isso é frescura. Eu sofri MUITO e posso dizer que nem de longe é frescura. Quem dera fosse. De fato, isso reflete muito a educação (ou falta dela) que essas pessoas recebem em casa.
    Só discordo que o bullying não tenha motivos. Tem, sim: inveja, necessidade de se sentir superior, complexo de inferioridade, etc etc etc
    Tenho esse livro há um tempinho e nem sei por que ainda não li :x

    ResponderExcluir
  21. Olá, Silvana.
    Quem nunca sofreu ou até já praticou? Mas as coisas parece que antigamente não eram assim tão violentas como é hoje em dia. Eu gostei bastante desse livro, e no final fica aquela sensação de que eles mereceram o que aconteceu. Sei que a violência nunca é a resposta, mas o que eles fazem é horrível.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.