Resenha: Vidas secas


Olá,
Esse livro narra a história de uma família de retirantes e de sua cachorra Baleia. Fabiano, Vitória, Baleia e os dois meninos estão caminhando embaixo de um sol escaldante. Famintos e sedentos, estão praticamente mortos, os urubus os seguem, esperando o banquete. A seca pegou de jeito a região e eles precisaram procurar esperança e vida em outro lugar. Mas não há nada além de sol quente, animais mortos, fome e sede.

No meio do caminho, um dos garotos se entrega, desiste de viver e lutar, o pai Fabiano o espanca, cogita deixá-lo para os urubus, mas volta a pensar e carrega o rapaz, apesar de estar sem forças.


Após um tempo, encontram sombra. Baleia sai para caçar, volta com um preá (parecido com o porquinho da Índia) e todos comem. Longe eles avistam nuvens e a esperança retorna: vai chover! Haverá pasto! Haverá vida! Instalam-se em uma fazenda abandonada e lá fixam morada. As chuvas vêm e a vida floresce.

Nós vamos acompanhando o dia a dia dessa família bruta e não humanizada. Fabiano é o mais bruto, um homem sem estudo, sem modos; criado no laço, que só entende de bicho e superstição. Pouco entende da vida e de justiça, ou do que é certo ou errado. Através dos seus pensamentos, percebemos que o homem se assemelha mais com um animal do que com um ser humano em si. Ignorante, não entende de negócios ou números, e acredita constantemente que é roubado por seu patrão. Comunica-se mais por gestos e grunhidos do que por palavras. Sua esposa sonha com uma cama, cria as crianças no laço e com poucas explicações. As crianças, arteiras e curiosas, passam o dia com as cabras e com a cachorra fiel.


Esse livro reflete bem o que é miséria e desespero. O que incomoda é o fato de as pessoas estarem acostumadas àquela vida por não conhecerem outra, se contentam com tão pouco, desejam tão pouco, pedem tão pouco da vida, e sempre dependendo do clima para sobreviver.

Eu sempre fico sem palavras e falho quando tento descrever o quão bom é um livro! De início tive dificuldade em me acostumar com o linguajar totalmente regional da escrita, mas após algumas páginas já me senti alfabetizada em outro idioma hahaha.

Há quem diga que essa é a história da infância do próprio autor.

Sobre a minha edição, não tem muito que comentar, né? Bem feia. Acho que as editoras deveriam investir em melhorar as edições nacionais. Com certeza teria mais gente lendo.

Abraços.



Título: Vidas secas
Autor: Graciliano Ramos
Editora: Record
Páginas: 158
Ano: 2001

20 Revelaram sentimentos:

  1. Oi, Silvana
    Sempre quis ler esse livro! Adoro esse retrato da realidade, ainda mais a da miséria. Agora entendi porque o nome da cachorra da novela Senhora do Destino era baleia (eles também viviam na miséria). Acho que se inspiraram na obra de Graciliano.
    Linda resenha, quero muito ler.

    ResponderExcluir
  2. Li há muitos anos e gostei bastante. Seria uma ótima releitura, história forte, tocante.

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Gostei bastante da resenha!
    Parece ser uma ótima leitura!
    Adorei a capa e a história parece bem legal e profunda!

    ResponderExcluir
  4. Oi Silvana,
    Tenho bastante curiosidade de ler Vidas Secas, pois acho a premissa do livro bem interessante.
    Considerando que é um clássico, o livro poderia ganhar uma edição mais caprichada mesmo.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O ser humano esta acostumado com tudo, as vezes a mudança não é bem vinda assim como não é fácil. Nunca li nada do Graciliano Ramos, mas esta pode ser a minha primeira leitura. Gostei da resenha e as fotos estão muito belas.
    BEIJINHOS!

    Visitem meu blog!
    garotaeraumavez.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. OI Silvana.
    Verdade, pessoas que se vêem em uma situação de miséria e desespero já estão acostumadas a isso é tão triste, mas infelizmente não conhecem uma outra vida, não gsoto muito desse tipo de livro.
    Mas irei ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Quem nunca ouviu falar sobre esse livro, não é? Nunca cheguei a ler, mas na escola aprendi um pouco sobre essa história. Parece ser tão brutal. A miséria narrada ali, o tom de desesperança, o próprio desespero da situação. Parece uma história tão crua, tão difícil de se ler e não ficar ali torcendo pra que as pessoas mudem e queiram mais do que aquilo, consigam ter mais do que aquilo...
    Ao ler deve dar um negócio ruim no peito. É uma história forte e pelo jeito muito bem feita.
    Algum dia gostaria de ler. Só lembro do que ouvi minha professora falar e pelo que ela contou, a experiência dela ao ler, foi um livro bem impactante e cheio de lições.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Silvana!!
    Bateu aquela vontade de reler essa obra de Graciliano Ramos!! Já faz um bom tempo que li esse livro!! Excelente indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Silvana!
    Como bom nordestino Graciliano sabe contar uma história de maneira envolvente, sobre as experiências que viu ou viveu pelo sertão afora.
    Concordo com você, as editoras deveriam investir mais nos clássicos e dar uma nova roupagem as edições.
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Oi mana, ta ai um clássico de literatura brasileira que eu realmente gostei, eu nunca tive muita afinidade com os clássicos de literatura brasileira e geralmente eu os achavas chatos e me davam um sono imenso. Era uma história que me tocou muito e eu lembro que fiquei bem triste com a morte da Baleia. Embora eu tenha que confessar que não tenha a minima intenção de repetir a leitura.

    ResponderExcluir
  11. Oi Silvana, tudo bem?
    Sempre sinto muita dificuldade de ler livros clássicos, pelo linguajar e também pela época em que foram escritos. Achei a temática do livro bem forte, e também muito interessante pois mostra uma realidade bem diferente da nossa, e assim nos coloca pra pensar sobre as ações das personagens. Adorei a resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Silvana!
    Sempre tive um pequena curiosidade em ler Vidas secas mas até hoje nunca li, estudei o livro nos tempo de escola e lembro que a cena da morte da baleia foi o que mais me deixou triste... Vou tentar me organizar para ler Vidas Secas futuramente. Valeu pela dica.
    Ps: Achei linda essa edição sua e concordo com você, as editoras deveriam investir em melhorar as edições nacionais, valem muito a pena.

    ResponderExcluir
  13. Oi Silvana, tudo bem?
    Apesar de no ensino médio, esse livro ser muito utilizado, eu nunca li a obra acredita? Assisti ao filme e fiquei chocada com o que acontece com a Baleia. Não sei se um dia vou ler a obra por conta da linguagem. Mas quem sabe um dia né.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  14. Admito que nunca li nenhum clássico brasileiro, acho que por ser leitura obrigatória na escola eles acabam se tornando chatos, afinal ninguém lê por obrigação.
    Não conhecia a história e honestamente não me interessou muito mas acho que preciso começar a ler alguns clássicos.

    ResponderExcluir
  15. Li esse livro a muito tempo no ensino médio para trabalho. É uma historia triste e sofrida de um povo que não tem nada, mas pelo menos tentam encontrar uma vida um pouco melhor. Concordo que se contentam com essa vida por não conhecer outra, tive essa experiencia com uma prima que mora em um lugar muito longe e nem água encanada tinha, luz nem pensar banheiro então kkk, perguntei se ela gostava dali e disse que sim, então disse a ela é porque você não conhece outros lugares.

    ResponderExcluir
  16. Oi Silvana,
    Já vi tantos comentários desse livro, mas confesso que até então não tinha aquela vontade de ler. Mas esse livro é um clássico e tanto da literatura brasileira, uma história tão sofrida e cruelmente realista do povo do sertão. Indicação anotada, vou tentar achar uma edição para ler o quanto antes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Eu definitivamente preciso ler esse livro! Acho que até hoje nunca li esses livros clássicos, não que eu me lembre... não entendi direito a capa e concordo que as editoras deveriam investir em capas mais bonitas, pois as pessoas já fogem de livros nacionais, quem dirá com uma capa feia, né?
    Eu tenho um pouco de medo desses livros por causa da linguagem diferente, o que foi confirmado com a sua resenha, mas que bom que em algumas páginas você já estava familiarizada com ela.
    Deve ser uma leitura emocionante!

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bom?
    Eu ainda não li esse livro, mas li outros clássicos da literatura brasileira, acredito que começar sempre é um pouco difícil por causa da linguagem, mas depois sempre pegamos o jeito não é mesmo, que bom que gostou do livro, espero conseguir ler o livro, e a realidade retratada nele é triste né.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  19. Olá, Silvana.
    Eu não tenho muita vontade de ler esse livro. Acho que por ser daqueles obrigatórios na escola hehe. O triste é saber que mesmo depois de tanto tempo ainda existem famílias que estão passando por essa situação no nordeste.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  20. Bom dia!
    Com certeza ''Vidas Secas'' é um clássico da literatura nacional, tenho muita vontade de lê-lo, a história dessa família é emocionante e infelizmente real.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.