Resenha A bolsa amarela


Olá pessoas, a dica de hoje, é de um livro bem curtinho, mas com muito conteúdo.

Raquel é uma menina cheia de querer e de vontades, que mora com sua família tradicional, onde "criança não tem querer". Devido a algumas experiências negativas, a menina passa a reprimir suas três grandes vontades: a de querer ser gente grande, a de querer ter nascido menino e a de ser escritora.

Dado momento, ela ganha uma bolsa amarela e resolve então "esconder" suas vontades dentro dessa bolsa. Conforme suas vontades vão sendo reprimidas, mais elas crescem e mais elas pesam na bolsa. Para dificultar mais ainda, Raquel abriga um galo fugitivo dentro da bolsa e uma guarda-chuva que não funciona.


Esse livro é uma reflexão sobre as regras impostas em nossa sociedade, onde menino pode, menina não. Onde adulto entende tudo e criança não entende nada. A família de Raquel trata-a como um móvel da casa, colocando onde bem entendem. São especialistas em zombar da menina pelos motivos mais ridículos, e são melhores ainda em cortar as azinhas dela, quando esta sonha em voar. Mas não pensem que eles não a amam; a meu ver, este é simplesmente o retrato de uma família comum do Brasil, da época: pra quê sonhar grande? O que criança entende de querer?


A narrativa é feita através do cotidiano de Raquel e de sua família, misturada ao mundo imaginário criado por ela. Pensei que o galo era um elemento inventado, mas quando a família inteira o vê, fiquei confusa. Daí parei para relembrar que este é um livro infanto-juvenil, e okay ela conversar com um galo: o pequeno príncipe conversava com uma raposa.

Um livro muito fofo que nos leva a algumas reflexões.



Abraços.

Título: A bolsa amarela
Autor: Lygia Bojunga
Editora: Casa Lygia Bojunga
Páginas: 135
Ano: 2013

14 Revelaram sentimentos:

  1. Parece ser um livro legal e com muitas reflexões realmente é como a personagem diz em relação ao que os adultos podem e os meninos, fiquei pensando que o galo era imaginação dela, então ele existe mesmo rs. Nossa que faília essa nela, zombar da menina, que horror.

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Bem interessante a premissa do livro. Não conhecia, mas gostei da indicação.
    Parece ser uma leitura reflexiva. Espero ter a oportunidade de ler.
    Ótima resenha. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Silvana!
    Que incrível esse livro, gostei muito de ele ser bem fora do nosso mundo, como Raquel o imaginava.
    Amei o livro, mesmo sendo bem curtinho.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Que fofuraaaa!
    Nossa, esses tempos vi alguém dizendo que esse livro é encantador, narrado por uma criança e tal, mas nunca chegou a dizer que era tudo isso, tão reflexivo assim. De fato parece ser uma leitura muito gostosa e que nos leva a perguntar de que forma estamos tratando e criando nossas crianças. Já quero ler!
    Ah, me indicaram um outro dessa autora também, acho que é O abraço o nome, sobre abuso sexual :/ deve ser muito tenso, mas a pessoa que recomendou disse que leu 12 vezes :O

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Abril você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
  5. Silvana!
    Livros que envolvem família e crianças trazem sempre grandes reflexões e servem para repensarmos nossas atitudes em relação a forma como criamos nossos filhos e o quanto isso pode prejudicar (ou não) o desenvolvimento deles e a forma como devem encarar o futuro e cultivar seus sonhos.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “ O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios.” (Samuel Johnson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  6. Achei interessante a reflexão sobre as regras, o que a gente acaba sendo acostumado a ouvir... Às vezes nem é questão de as pessoas próximas não nos amarem, mas sim porque aquela ideia já foi programada desde sempre e aí ficam com aquela coisa na cabeça que menina não faz o mesmo que menino, que criança não sabe de nada e querer o então "impossível" e sonhar é errado. Coisas assim. Achei isso legal no livro.
    E o troço do galo. Mas oi? Livro nesse estilo tem umas coisinhas que são bem loucas, mas fofas no fim das contas.
    Parece que o livro é fofo e com boas mensagens.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Silvana
    Sem dúvidas, o livro é muito interessante, ainda por mais essas reflexões sobre a sociedade. Coitada dessa menina! Fiquei curiosa pelo livro, ainda não o conhecia.

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Não conhecia o livro, gostei do título.
    Parece ser uma narrativa cheia de reflexões e também de dar nos nervos, com essas imposições a criança. Ótima resenha.

    tenha uma ótima semana =D
    Fizemos algumas mudanças no Obsession Valley, e com isso mudamos o nome. Venha conhecer o Canto Cultzíneo!
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro mas parece ser bem interessante. Me deu a impressão de que ele trata de assuntos sérios de uma forma mais leve e de um jeito que incentiva uma boa reflexão. Deve valer a leitura.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sil!!!

    Gostei da premissa. Gosto desses tipos de textos. Interessante os desejos dela. O mundo através dos olhos de uma criança é sempre um mundo que vale a pena ser descoberto. E o de Raquel parece ser encantador. Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Silvana!!
    O livro parece ser bem legal mesmo!! E é muito curtinho dá para ler em pouco tempo!! Gostei muito da indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Oi Silvana,
    Não conhecia esse livro, mas já anotei na lista para ler. Adoro livros assim, com a narrativa sob a perspectiva de uma criança, são histórias tão belas e tocantes, e sempre trazem várias reflexões. Uma boa dica de leitura rápida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visto o livro na biblioteca da escola e também em indicações em livros didáticos mas nunca dei uma oportunidade para ele, pensava que era um livro infantil e que não tinha tantas reflexões sobre como as crianças e como as mulheres são vistas, e retrata também a nossa época, apesar de que alguma coisas evoluíram e outras não no tratamento com as crianças onde muitas são feitas como reis e rainhas do lá. Gostei muito do livro, vou procurar para lê-lo em breve.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.