13 julho 2018

Resenha: Desenhados um para o outro


SINOPSE: Abrangendo quatro décadas de uma colaboração artística e romântica sem igual, Desenhados um para o outro é um retrato hilariante dos Crumb, um casal singular na sua excentricidade e adoravelmente infame. O livro documenta a saga do relacionamento boêmio dos dois, retratando a confusão, a violência e a constante (e maravilhosa) sordidez que é o dia a dia chez Crumb: colapsos nervosos, neuroses, desastres na educação dos filhos, conjunções carnais repletas de fluidos e muito mais. O escopo cronológico de Desenhados um para o outro também serve ao panorama contracultural e de exilados dos Estados Unidos por quase meio século. As histórias começam nos morros do norte californiano, com singelos passeios pela Haight-Ashbury, e vão até uma louca e malfadada aventura pelo deserto do Arizona. Os hippies dos anos 1970, os yuppies dos anos 1980, o nascimento da filha Sophie, o êxodo do casal para a França, está tudo aqui. Este volume extraordinário mostra como essas duas almas profundamente cativantes, neuróticas e atormentadas encontraram a redenção ao se autodesenhar.

RESENHA: Imagine o que um casal que está junto há 40 anos já não viveram e experimentaram. Não dá, né? Por sorte existe essa HQ, Desenhados um para o outro, da Aline e Robert Crumb. O casal criativo, neurótico e hilário que nos contam toda a sua trajetória em uma coletânea de tirinhas que reúne tanto trabalhos dos dois quanto individuais. Nas páginas eles traçam um panorama do longo tempo de convivência e sua excêntrica intimidade. O relacionamento irônico, debochado – porém, com companheirismo – e perspicaz do casal Crumb é entregue em histórias hilárias narradas pela dupla de quadrinista.

Para entendermos um pouquinho dos Crumb, Aline é uma mulher judia, divertida e depressiva, até parece eu, apesar de eu não ser judia; e Robert é um excêntrico exemplar de homem. Essa combinação de duas pessoas de sexos opostos geram o casal que vai te fazer rir, gargalhar, se contorcer no chão e, apesar de tudo isso, sentir um enorme apreço pela cumplicidade que pode existir entre duas pessoas.


Uma vida a dois dividida com o grande público por meio de pequenas histórias que retratam o dia a dia e a rotina de um casal nada convencional, porém, até comum.

A diversão é servida em um prato cheio. Uma das coisas bacanas é que, como as histórias foram escritas ao longo dos anos, é perceptível as pequenas mudanças no comportamento do casal, individual e como parceiros.

Outro ponto bem interessante é que você consegue perceber nitidamente que o traço é feito por um e o texto por outro. Confesso que quando comecei a perceber isso achei meio estranho, mas já havia visto tal efeito em outras HQs, e aqui esse efeito é bem mais nítido e agradável.


Com certeza Aline é o personagem destaque dessa HQ. A falta de controle na língua é espetacular, dá até vontade de ser igual, porém, isso não tira o brilho de sua alma divertida e dos momentos de paixão que são inspiradores.

E aguarde muita coisa chocante, como a própria capa alerta. Eu achei chocante, são coisas incomuns para mim, tanto no imaginário como na vida real. Ah, e se preparem para apreciar um material de primeira, categórico e sobre pessoas reais. Pessoas como eu, você, como todos nós.

Sobre a edição: O material da Quadrinhos na Cia é incrível. Tem acabamento de primeira e um tamanho agradável, sem sombra de dúvidas é um ótimo material para se ter na coleção e ao alcance das mãos numa tarde de domingo para uma leitura rápida.

Título: Desenhados um para o outro (exemplar cedido pela editora)
Autores: Aline & Robert Crumb
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 272
Ano: 2018

5 comentários

  1. Olá! Até vir ler essa resenha, não tinha nem ouvido falar sobre essa HQ. Achei interessante demais o casal ter colocado sua vida nos quadrinhos, ter usado a convivência e as experiências pra criar essa obra. Eu acho muito gostoso de ler histórias assim onde o autor, no caso, autores, usam coisas que acontecem no dia a dia. E com certeza, deve ser mais divertido de ler pelo fato deles serem tão incomuns, com hábitos e culturas diferentes das quais costumamos ver. Adorei a dica!

    Bjoxx

    ResponderExcluir
  2. Oi, Paulo!
    Interessante isso do traço ser feito por um e o texto por outro.
    Essa HQ deve ser bem divertida pelo que pude ler na sua resenha.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. amei conhecer esse HQ divertida com essas coisas que acontecem no nosso dia a dia, com certeza quero ler

    insta: @liviaalli
    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Paulo!
    Pode existir uma declaração de amor maior do que faazer uma HQ em conjunto, contando a própria história de vida passada por eles? Existe não.
    E ainda dando para diferenciar quem faz o que na HQ e trazendo um tom hilário.
    Adorei!
    Bom final de semana!
    “A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Olá Paulo,
    Até eu que não sou fã de Hq's curti essa. Apesar dos pontos peculiares, é uma bela história, só o fato do casal sentar para escrevê-la e desenhar, já mostra um pouco do companheirismo deles!
    Os opostos se atraem sim, mas se matam também, rs, tá aí a prova disso não é?
    Achei bem legal e e qro ler, não imagino como dê para sentir essa diferença entre escrita e traços do desenho, fiquei curiosa!
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.