29 outubro 2018

Resenha: Amor nas Highlands


Faz muito tempo que eu não pegava um romance de época para ler, pois são poucos os que conseguem me prender. Porém, ler os 5 motivos para ler esse gênero na matéria feita pela Jéssica, me despertou uma curiosidade sobre essa leitura e fui surpreendida de forma muito positiva. 

Amor nas Highlands é ambientado na Escócia, contando com personagens grossos e bárbaros, mas dignos de arrancar muitos suspiros. 

Graeme Maxton é visconde e líder de seu clã, é aquele bárbaro que te deixa babando. Alto, bruto, forte, cabelos castanho-avermelhados na altura dos ombros e olhos azuis vibrantes, é impossível não se apaixonar por ele. Aos 20 anos, quando seus pais faleceram, ele teve que assumir a posição de pai de família e cuidar de seus três irmãos mais novos e de seus colonos. 

Por mais que seja um Lorde, Graeme coloca a mão na massa. Faz o trabalho braçal e dá duro para garantir o sustento de sua família, visto que as condições financeiras não estão das melhores. 

No início da leitura, lidamos com uma visita que Graeme recebe de Dunncraigh, chefe do clã Maxwell, que além de cobrar o dízimo, insinua que Graeme dê um jeito em seu novo vizinho inglês, o Duque de Lattimer, pois são inimigos. Mas o nosso querido Lorde não quer entrar em uma guerra com seu vizinho por temer colocar em risco a segurança de seus irmãos. 

Marjorie Forrester é irmã de Gabriel, o Duque de Lattimer. Órfãos dos pais, Gabriel foi para o exército ainda novo e mandava parte de seu salário para pagar o internato para sua irmã, como forma de sobrevivência. Agora já adultos, receberam a notícia de que haviam herdado boas propriedades e passaram a ser pessoas de posses. 

Gabriel sai da Inglaterra e vai assumir as suas terras nas Highlands e deixa uma casa para Marjorie em Londres. Agora a garota, que antes era empregada de pessoas influentes, se tornou uma Lady com respeito na sociedade. Porém, ninguém dava a ela a devida importância, por isso se sentia muito solitária. 

Depois de receber uma carta de Gabriel informando que ficou noivo e pretendia se casar, Marjorie parte para a Escócia em uma visita surpresa para seu irmão. Acompanhada apenas de sua Hortênsia, sua acompanhante e dois cocheiros. 


Durante a viagem, já na Escócia, elas decidem fazer uma parada para uma refeição e descanso e lá nossa Marjorie é raptada pelos três irmãos caçulas de Graeme. 

Quando eles chegam em casa com a “surpresa”, Graeme quase tem um treco diante da confusão em que seus irmãos o meteram. E agora ele não sabe se entrega a garota para o seu irmão, provavelmente gerando atrito entre os dois; se devolve ela ao lugar onde foi raptada, mas correndo risco de entregar sua família e piorar as coisas; ou se a entrega a Dunncraigh, como forma de voto de confiança, como propuseram seus irmãos. 

Enquanto nosso Lorde não se decide, ele mantém Marjorie prisioneira em sua casa e ele descobre uma garota de pulso firme por trás daqueles cabelos negros longos e olhos azuis marcantes. 

Graeme e Marjorie são o típico casal gato e rato, um não se rebaixa para o outro. Mas é inegável a forte atração que sentem. 

Pensando em uma solução para salvar a moça e ajudar a situação da sua família, Graeme impõe a Marjorie que se case com ele pelo bem dos dois. Mas Marj não o aceita de forma alguma, pois acredita que casamento tem que ser por amor e não por interesses e Graeme acha que esse lance de amor é o maior papo furado. Mal sabendo o que o destino reservava a esses dois...

Em meio a confusões, brigas entre os dois, o romance vai sendo construído de forma leve e gostosa. Quando se chega à metade do livro, o ritmo acelera de tal forma que é impossível parar. 

É o típico romance que te arranca suspiros, risadas e aquece seu coração. Impossível não shippar esses dois. O casal mais improvável e ao mesmo tempo tão certo. Um lorde escocês bruto e pobre e uma lady inglesa fina e delicada. 


O livro é curto, de leitura rápida e conta com algumas cenas hot que são escritas com muita delicadeza, a fim de esquentar a leitura, mas sem ser apelativo. Eu adorei. 

Senti falta apenas de um Epílogo (a doida hahaha), mas é porque a história nos deixa com um gostinho de quero mais. 

Adorei a história e toda a composição da obra. Fazer essa leitura me encorajou a ler mais romances de época. Eu recomendo bastante! 

Sobre a edição: As páginas amareladas, tamanho da fonte e disposição dos capítulos são bem confortáveis. O que me incomodou foram alguns erros de digitação, acho que a editora poderia tomar um cuidado a mais com isso. Fora isso, poderiam caprichar mais na capa, não é feia, mas também não é nem um pouco atrativa. 


Título: Amor nas Highlands (exemplar cedido pela editora)
Autora: Suzanne Enoch
Editora: Gutenberg
Páginas: 251
Ano: 2018

8 comentários

  1. O que eu mais amo nos romances de época é o cenário maravilhoso que eles possuem como panorama. A Escócia é um destino ainda mais incrível que os outros na minha opinião pessoal, foi um dos primeiros que conheci quando comecei a ler romances de banca. Adoro também os diálogos perspicazes e divertido, além das mocinhas seguras e de língua afiada, que não tem nada de donzelas. Achei essa capa maravilhosa, e apesar dos elementos um tanto quanto clichês do enredo acredito que vale a pena a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrini,
      Eu quase não leio romances de época para comparar, mas adorei o cenário das Highlands!
      Os protagonistas são incríveis, adorei o jeitinho teimoso de cada um.
      Vale a pena sim, recomendo muito!

      Abraço!

      Excluir
  2. Oi Fer,
    Que bom que decidiu ler, eu amo romances de época, e aaaah, a Escócia, não sei se é porque eu amo esse lugar, os melhores romances se passam ali, mas sei que os mocinhos, de mocinhos não tem nada, rsrs.
    A história é pura confusão, e é assim que eu gosto, quando o casal já começa, vamos dizer, se odiando, e imagino que esse sequestro deve ter causado belas risadas.
    Já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória,
      Eu também adoro esses casais que se odeiam mas no fundo querem se pegar logo haha.
      Não conhecia o cenário da Escócia na literatura e devo ressaltar que estou encantada! Pretendo fazer mais leituras como essa.
      Beijos!

      Excluir
  3. Sou fã de um bom romance de época e quando este romance traz um Highlander, melhor ainda!Os danados além de brutos, fortes, destemidos, lindos...são ainda, fiéis!!!E quando se apaixonam, cuidam de suas amadas com afinco.
    Admiro muito tudo isso(e sonho também.rs)
    Namoro este livro já faz um tempinho e não vejo a hora de poder conferir ele.
    O enredo parece leve, descontraído, tenso em alguns momentos, mas no fundo, romântico!rs
    E a gente adora!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Sim, posso afirmar que tem tudo que você disse e é de fechar o livro suspirando.
      Ele está em premiação no Top Comentarista esse mês, se tiver interesse em participar é só conferir as regras.
      Beijo!

      Excluir
  4. Sou super fã de romance de época, adoro personagens brutos e apaixonantes hahaha.
    Que jeito mais diferente do casal se encontrar, sequestrada... Nunca li nada parecido. Já li livros onde as princesas são entregues por dividas ou por casamento arranjado mas, sequestrada? Bem diferente mesmo e inusitado a situação.
    Adorei a resenha, beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andressa,
      Eu também nunca tinha lido com essa situação e devo dizer que me rendeu umas boas risadas.
      Foi uma ótima leitura. Obrigada!
      Beijos.

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.