17 abril 2019

Resenha: Sexta-Feira 13 - Arquivos de Crystal Lake


Um documentário sangrento

[Possui spoiler do filme Sexta-feira 13 de 1980]

Em outubro de 1978 o cineasta Sean Cunningham, após dois fracassos de bilheteria, resolveu retomar o trabalho com filmes do gênero, já que alguns anos antes sua parceria com seu amigo de longa data, Wes Craven, havia lhe rendido bons resultados com a produção de Last house on the left (1972).

O lançamento e, consequentemente, sucesso mundial de Halloween (1978), de John Carpenter, plantou em Sean a ideia de que ele estava no caminho certo e esta seria a fórmula para o seu sucesso. 


Ao longo dos anos, e ainda hoje muito se fala sobre o quanto Sexta-feira 13 bebeu da fonte de Halloween, mas a verdade é que o filme de Carpenter serviu apenas de matriz para que Cunningham desse o pontapé inicial a este projeto que viria a, assim como sua obra inspiradora, se tornar uma grande franquia de sucesso mundial.

Com roteiro de Victor Miller, o filme original de Sexta-feira 13 acompanha um grupo de jovens monitores do acampamento Crystal Lake que pouco a pouco são assassinados por um misterioso serial killer. A trama é simples, e não possui o icônico Jason Vorhees que acabou se tornando o emblema da saga. Mas sua qualidade é garantida por meio do suspense e dos magistrais efeitos visuais criados pelo mago Tom Savini, que havia trabalhado anteriormente em Despertar dos mortos vivos (1978) de George A. Romero, e trouxe, de sua experiência na guerra, toda a realidade do horror que vivenciou por lá.

Este livro de David Groove é um grande arquivo documental de todo o processo de criação nos bastidores do longa de 1980, desde a captação de recursos, pré-produção, produção, pós-produção e até à venda de direitos de distribuição e bilheteria, abrangendo a carreira do Diretor e Produtor Sean Cunningham, dos Produtores Executivos, Roteiristas, Diretores de arte e fotografia, equipe técnica e os atores envolvidos na obra, até as mínimas dificuldades enfrentadas no set de filmagem. 


Acompanhamos todo o processo e desenvolvimento de um longa metragem por trás das câmeras, entendemos as dificuldades de produção e como o cinema é muito mais um mercado que simplesmente um campo da arte.

O livro serve como um bom workshop de produção audiovisual, pois nos permite entender como tudo acontece, muitas vezes de forma inesperada, dentro do set e de filmagem e fora dele. Como o projeto inicial pode ser, e será, alterado muitas vezes até chegar em sua forma final que chegará nas telas de cinema. Acompanhamos o processo criativo de seus realizadores e vemos de perto como pequenos detalhes foram influenciados por obras anteriores e também pela influência majoritária do dinheiro, seja positiva ou negativamente.

Arquivos de Crystal Lake nos apresenta ainda como grandes obras são espremidas ao máximo até que não se possa mais tirar sumo delas, gerando assim sequências que se diferenciam cada vez mais de seu original, entretanto, valendo-se de seu nome para garantir os royalties desta indústria milionária.


Sexta-feira 13 é também envolto por contradições, desde o fato de que, no primeiro filme, Jason está morto, e a verdadeira assassina é sua mãe vingativa, Pamela Vorhees, mas que a partir da sequência final do longa, que era para ser apenas um sonho de Alice, permitiu que Jason fosse trazido de volta em Sexta-feira 13 - parte II (1981) e se tornasse o grande ícone da franquia, até o desejo de Sean Cunningham de que não fosse feito uma sequência de seu longa, mas que retornou à franquia em 1992, como produtor de Jason vai para o inferno (1993) e sua sequência Jason X (2001), antes de enfim conseguir concluir seu desejo de produzir o sonhado Freddy VS Jason (2003), com o icônico Freddy Krueger, personagem criado por seu grande amigo Wes Craven da franquia A hora do pesadelo (1984).

É fato que a produção de Sexta-feira 13 foi precária e de baixíssimo orçamento, mas alcançou a marca de R$ 37.7 milhões de dólares em renda ao redor do mundo, e cravou de vez o sucesso dos filmes Slashers e deu início a uma franquia que, apesar da decadência com a sequência cada vez pior de filmes que se distanciam do seu predecessor, segue viva e influente na cultura pop até os dias de hoje.

Esta é uma obra necessária para estudantes de cinema, amantes do gênero ou fãs da saga do serial killer mais brutal do cinema.

Além de tudo, a Bloody Limited Edition da Darkside está com um trabalho gráfico primordial que simula sangue escorrendo pelas laterais das páginas, e está recheada de fotos dos bastidores da produção.

Outras fotos:





 

Título: Sexta-feira 13 (Arquivos de Crystal Lake)
Autor: David Groove
Editora: DarkSide Books
Páginas: 320
Ano: 2015

21 comentários

  1. Jason é um mito do cinema. Mesmo quem não gosta de terror acho que bate a curiosidade para assistir pelo personagem ou comprar a famosa mascara para alguma festa a fantasia. Excelente resenha mestre, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é maravilhoso, apesar da ausência do Jason, pois afinal, ele foi o responsável por iniciar a saga desse mito do Horror ♥ Muito obrigado, man \o/

      Excluir
  2. Não é lá uma história que já tive muito contato porque fujo dessas coisas xD
    Mas acho legal que o livro mostre tanto da produção do filme. A edição só ajuda também. Pra quem ama cinema e essas coisas é bem interessante poder ver todo o processo de criação, as dificuldades pra fazer essas cenas do filme e tudo mais. Isso leria porque adoro essas coisas. Mas ainda fujo do negócio, não é lá meu gênero preferido e nem tive tanto contato assim com essas histórias pra dar aquela curiosidade boa de saber mais e entender tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se familiarizar com o gênero de terror é super comum, mas o livro é super interessante justamente por mostrar como tudo isso é feito por trás das câmeras. Mas por ai você encontra outros livros documentais como esse que relatam sobre filmes de outros gêneros, como Clube da Luta, Laranja Mecânica, 2001: Uma Odisseia no Espaço etc

      Excluir
  3. Douglas!
    Não sou estudante de cinema, mas gosto de saber mais sobre tudo que acontece para o surgimento dos filmes e como se desenvolvem.
    E sendo fã da continuidade dos filmes Sexta-feira 13, fiquei muito curiosa para ler esse livro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudy! E nem precisa ser estudante de cinema para amar a sétima arte, pois o cinema justamente existe para agraciar os amantes de boas histórias ♥ Se tiver a oportunidade, leia sim, creio que irá gostar bastante ^^

      Excluir
  4. Que jogo de imagens na postagem! Show demais!!!!
    Mesmo não sendo assim, uma grande conhecedora de cinema e sua arte no todo, amo cinema e acompanhei as duas sagas e Jason não só marcou uma geração inteira, mas trouxe uma verdadeira revolução na época.
    Por isso de trazer um orçamento bem baixo sem tantos efeitos mirabolantes e cenas que causavam risada em vez de pavor, os longas alcançaram marcas altíssimas e oh, isso até hoje em dia, mesmo com tanta evolução.
    Por isso, adorei saber sobre este livro que não conhecia e com certeza, se tiver oportunidade, quero muito me jogar neste universo por trás do enredo!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico feliz que tenha gostado e a resenha tenha te instigado a buscar o livro para ler, creio que irá gostar bastante. O livro realmente é um grande compilado de relatos sobre os bastidores da produção, e é muito gostoso de conhecer tudo isso. Beijo!

      Excluir
  5. Olá! A lembrança que eu tenho desse filme, é de assistir na casa da minha madrinha, e confesso que fiquei morrendo de medo e sem dormir por alguns dias, mas depois de alguns anos, ao repetir a experiência, dei foi algumas risadas, no entanto é inegável que o filme é um marco na história do cinema, por isso, essa edição além de linda (para variar, em se tratando da Darkside) é leitura obrigatória para conhecer um pouco mais sobre a história e seus bastidores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que essa história se repetiu com todos que tiveram a oportunidade de assistir ao filme durante a infância ou adolescência, eu mesmo sou um deles haha Mas é muito bom rever depois de adulto e saber que continua maravilhoso. A edição é maravilhosa sim e vale muito a pena, se tiver oportunidade, desbrave-a!

      Excluir
  6. Nunca assisti sexta-feira 13, nem tenho tanto interesse porque geralmente fujo de filmes desse tipo kkkk. Mas acho super interessante conhecer os bastidores de um filme, esse seria um livro que com certeza eu leria. A Darkside tem edições tão lindas, a editora faz um trabalho incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Por ai você encontra outros livros documentais como esse que relatam sobre filmes de outros gêneros e também valem muito a pena serem lidos, como Clube da Luta, Laranja Mecânica, 2001: Uma Odisseia no Espaço. E essa edição é um toque magistral que só torna a experiência ainda mais maravilhosa ♥

      Excluir
  7. Adoro livros nesse estilo, principalmente se for de um filme que eu goste. Acho brilhante ver todo o processo de produção, todos os perrengues passados até as escolhas de trilhas sonoras pra chegar ao resultado que vemos nas telonas. É bom para sabermos que não é só chegar com o roteiro e gravar, muita gente rala bastante pra que tudo seja o mais fiel possível. E o que falar dessa edição em? Um capricho sem igual

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Exatamente isso, Luana! Eu vivo isso e sei bem como é complexo o processo de produção. Mas no final, vale muito a pena ♥ E sim, ler mais sobre tudo isso é maravilhoso, ainda mais com uma edição primorosa como essa!

      Excluir
  8. Oi, Douglas!
    Eu assistia bastante filmes de terror na minha adolescência - Sexta-feira 13, O massacre da serra elétrica, Todo mundo em pânico, Jason... - mas hoje em dia não assisto mais, "perdeu a graça", sabe?!... ou talvez não fazem mais filmes como antigamente...
    Em relação ao livro Sexta-feira 13 - Arquivos de Crystal Lake, não costumo me interessar por livros do tipo arquivo documental de um filme, seu processo de criação nos bastidores... por isso eu não leria esse livro.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Eu cresci assistindo a todos esses filmes e amo até hoje ♥ Em relação aos filme de hoje em dia, é necessário garimpar bem no gênero, pois devido a fins lucrativos são realizadas muitas produções com diretores e produtores de baixa qualidade que resultam em 2hs de puro jump scare barato e sem sentido, mas acredite, existem bons exemplos como The Babadook, Hereditário e Um Lugar Silencioso.

      Excluir
  9. Olá!
    Adoro filme de terror, mas acredite que esse não vi, apesar de ele ser bastante famoso né. O livro e bem feito e com imagens incríveis, não tive uma oportunidade de ler livros que mostra todo o processo de filmagem mas espero ter a oportunidade.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  10. Oi, Douglas!!
    Adoro filmes de terror e gosto muito Sexta-feira 13 e fiquei muito empolgada com esse livro maravilhoso!! Tinha que ser a Darkside para trazer esse presente para nós fãs do terror!! A edição está linda demais!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Olá, Douglas
    Assisti ao filme mesmo morrendo de medo, mas assisti outras vezes sem problema algum.
    Em se tratando da Darkside tenho certeza que o livro é um espetáculo. Deve ser incrível saber sobre os bastidores do filme, onde a mágica acontece de verdade.
    Quero muito esse livro, beijos!

    ResponderExcluir
  12. Jason ja me fez tanto medo na infância que atualmente não assisto nada dos filmes com ele. Ja passei noites acordadas por causa dele. kkkkk Acho que não tenho coragem nem de ler esse livro mesmo sendo bom.

    ResponderExcluir
  13. Eu fui uma criança do anos 90 então, Wes Craven para mim é sinônimo de Pânico e não Sexta-feira 13. Na verdade, nem tenho a lembrança de ter assistido nenhum filme do Jason (pelo menos inteiro). Confesso que tenho dificuldade de identificar a diferença entre Jason e Freddy. Gosto desse terror, meio filme adolescente com facadas um pouco fake. E acho interessante a ideia do livro de mostrar o processo, bastidores de uma sequencia tão clássica do terror.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.