Resenha: A História Sem Fim

Por Fabio Pedreira •
26 outubro 2020
"'Gostaria de saber', disse para si mesmo, 'o que se passa dentro de um livro quando ele está fechado. É claro que lá dentro só há letras impressas em papel, mas, apesar disso, deve acontecer alguma coisa, porque, quando o abro, existe ali uma história completa. Lá dentro há pessoas que ainda não conheço, e toda espécie de aventuras, feitos e combates - e muitas vezes há tempestades no mar, ou alguém vai a países exóticos. Tudo isso, de algum modo, está dentro do livro. É preciso lê-lo para saber, é claro. Mas, antes disso, já está lá dentro. Gostaria de saber como…' E, de repente, sentiu que aquele momento tinha algo de solene.' Endireitou-se no assento, pegou o livro, abriu-o na primeira página e começou a ler A História Sem Fim."
E é com essa passagem incrível que começa uma das histórias mais nostálgicas que você poderia encontrar. Seja para você que já viu o filme em algum momento na Sessão da Tarde ou para você que lembra como é a emoção de encontrar mundos novos em um livro e se perder na leitura.

A História Sem Fim é um livro de fantasia que recomendo para absolutamente todos. Vou dizer o porquê.

O livro vai contar a história de Bastian Baltasar Bux, um garotinho gordinho que acaba entrando em uma livraria para se esconder de outros garotos que o perseguiam. A loja pertence a Koreander, um senhor estranho que não gosta de crianças. Os dois começam um diálogo e no meio tempo o telefone da loja toca. Ao ir atender, Baltasar acaba sendo atraído pelo livro que o velho tinha na mão o que faz com que o jovem se precipite e acabe roubando o livro, indo se esconder na escola para lê-lo sem parar. E é aí que a aventura começa.

Mas se engana quem pensa que o personagem principal é Bastian, (pelo menos não no ínicio). A História Sem Fim basicamente se divide em duas histórias, sendo a jornada de Atreiú a primeira. Já na segunda, aí sim vamos ter Bastian como principal. Quando Bastian começa a ler, nós vamos acompanhar as aventuras de Atreiú, um jovem guerreiro de uma tribo que é convocado pela Imperatriz Criança para poder descobrir como salvar o mundo de Fantasia do Nada. Isso mesmo, o Nada é o vilão, o mundo de Fantasia vai sumindo a cada dia e cabe a Atreiú descobrir o motivo.

Essa parte do livro é, a meu ver, simplesmente fascinante, me fazendo favoritar o livro antes mesmo de finalizá-lo. É uma parte extremamente metalinguística, em que, como eu falei, não é Bastian o personagem principal, nem mesmo Atreiú, mas sim o próprio livro, a própria fantasia (no sentido de imaginação) e o poder que nós temos de criar histórias.

É impossível não sentir uma vibe meio Nárnia ao ler esse livro. Criaturas de todos os tipos, um mundo onde o “protagonista” vai parar lá, uma imperatriz que é a representação de Deus, entre outras inúmeras coisas nas quais alguém poderia facilmente fazer altas dissertações e artigos literários baseados nessa obra. Só que, na minha opinião, esse livro é até melhor que Nárnia. A obra de Lewis é mais voltada para a questão religiosa, enquanto aqui, apesar de ter certa relação, a mensagem principal é… Histórias salvam.


Por isso a questão da nostalgia, é impossível não lembrar dos primeiros livros que a gente leu na vida e se empolgou, que nos fez grudar nesse mundo literário. E me desculpem os outros gêneros, mas aqui podemos ver o poder que tem a Fantasia. Todos os outros gêneros literários nos transportam para uma história, isso é fato e não nego, mas a Fantasia é diferente. Ela é ilimitada, ela cria mundos, criaturas, realiza todos os seus desejos e tudo é possível, possibilitando uma infinidade de mundos onde você pode ler e ser quem você quiser.

Por isso acredito que esse livro deveria ser lido por todos, e, quem sabe, principalmente por aqueles que estão iniciando na leitura e os que têm certo receio em relação a livros fantásticos. Mas, como eu disse antes, essa é apenas a primeira parte do livro. A segunda parte vai nos mostrar o outro lado dessa moeda, contando como percorrer outros mundos é incrível, mas que existem os perigos de se perder nela, que apesar de tudo não podemos esquecer quem nós realmente somos.

Nessa segunda parte, Bastian finalmente se torna o personagem principal, e começa a fazer parte da Fantasia. Ele ganha a possibilidade de transformar seus desejos em realidade, e a obra vai nos mostrando como isso pode ser perigoso, mesmo que você tenha boas intenções. 

Uma passagem do livro que ilustra muito bem essa segunda parte é: "E nada tem mais poder sobre um homem do que a mentira. Porque os homens, filhinho, vivem de ideias. E as ideias podem ser sugeridas. Esse poder é o único que conta." Essa passagem é perfeita para demonstrar como o poder de realizar tudo, vai corrompendo Bastian, e como seus desejos podem ser moldados pelas ideias dos outros, fazendo com que se esqueça de quem ele realmente é.

Como nem tudo são flores, apesar de eu favoritar o livro, favoritei com 4 estrelas, isso porque essa segunda parte, apesar de também ser interessantíssima, acaba ficando um pouco alongada demais (o que chega a ser irônico reclamar de ser longo um livro que se chama A História Sem Fim). Não é nada que estrague a leitura, mas com certeza poderia ter sido um pouco menor, e querendo ou não, passa a ideia de um complemento, de que o livro poderia ter apenas uma parte.

Já em relação a edição, ela é belíssima. Cada capítulo começa com uma letra do alfabeto, e conta com ilustrações belíssimas. Além disso, a edição traz essa metalinguagem do livro através das suas letras, elas são verdades e vermelhas. A primeira representando a passagem por Fantasia e a segunda representando o “mundo real” de Bastian, assim como no livro de Bastian. É um detalhe pequeno, mas muito legal.

Mas vou terminar por aqui antes que vire “a resenha sem fim”. Recomendo demais esse livro, para todas as idades e amantes de todos os gêneros literários, e para aumentar ainda mais a nostalgia de vocês, fiquem com o trailer do filme.



Título: A História Sem Fim
Autor: Michael Ende
Tradutor: Maria do Carmo Cary
Editora: Martins Fontes
Páginas: 396
Ano: 2016 (Ano Original 1979)
Compre: aqui

Comentários via Facebook

18 Revelaram sentimentos:

  1. Caprichou nessa resenha hein, Fábio??
    Merecimento, eu acredito!
    Ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas o filme? É um senhor clássico daqueles que acompanharão nossa vida para sempre!
    Dei uma volta ao passado agora, com aquela pontinha de emoção!
    O livro é o centro de tudo e ironicamente, na nossa vida de leitor(a) também!
    Com certeza, já vai pra listinha de mais desejados!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Angela

      Obrigado =D. Siim, essa história merece. O filme é um clássico, bem fiel a primeira parte até. Passe na frente mesmo, vale a leitura =D.

      Bjs

      Excluir
  2. Fabio do ceu !!!que resenha maravilhosa !
    Reli esse trecho maravilhoso que voce postou no inicio da resenha .eu estou procurando livros de fantasia em volume unico para ler e creio que achei .quero muito ler esse livro e conhecer a vida do Bastian e toda a sua trajetoria pois fiquei intrigada com o que voce resenhou sobre ele .
    Parabens pela resenha !.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eliane

      Obrigado =D. Esse ai é tecnicamente a sinopse do livro, tem outros quotes muito bons, vale a pena conferir. É um ótimo livro, recomendo.

      Obrigado *-*. Bjs.

      Excluir
  3. Oi, Fábio!

    Primeiramente, parabéns pela resenha! Ficou ótima.
    Eu particularmente não gosto do gênero fantasia e, por incrível que pareça, não assisti a esse filme, acredita? Conheço ele de nome e conheço a música super famosa, tanto que quando tocou em Stranger Things, eu cantei e pensei "Meu Deus, de onde conheço essa música?" Depois que fui me ligar que era de um filme que eu nem assisti, vê se pode. KKK Confesso que depois da sua resenha com tantos elogios, fiquei tentada a ver o filme e, quem sabe depois, ler o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ingrid

      Obrigado =D. Olha, tá ai um livro pra arriscar a leitura. Recomendo tentar, vai que gosta? Se for ver o filme, só vá em mente que é de 1984, então os efeitos não vão ser essas coisas todas kkkk.

      Excluir
  4. Fábio!
    Uma resenha sem fim foi ótimo...
    Gosto emais do gênero fantasia, porque nos faz voar por lugares iniagináveis e sempre com muita aventura.
    Uma história sem fim é um dos clássicos no gênero, na minha opinião e gosto ainda mais por ter duas histórias dentro de um único livro.
    Pode trazer muitas reflexões e não apenas ligadas à fantasia, mas também a importância de se trabalhar em conjunto e de sonhar...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudy

      kkkk se eu não parasse de escrever, com certeza ia acabar virando uma. Concordo, a fantasia faz a gente explorar mundos inimagináveis. Siim, tem muitas reflexões nesse livro. Gosto bastante disso.

      Bjs

      Excluir
  5. Oi, Fábio
    Já vi o filme várias vezes, mas não sabia da existência do livro.
    O livro envolve o leitor de tal maneira que pela sua resenha parece que estamos vivendo essa aventura.
    Amo fantasia e claro estou curiosa para saber mais, vai para a lista de desejos.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luana

      O filme é relativamente fiel a primeira parte do livro. O livro faz bem isso com a gente, parece que estamos vivendo aquela história, é muito bom. Opa, espero que consiga ler =D.

      Bjs

      Excluir
  6. Que legal!! Por incrível que pareça, não me recordo de já ter visto o filme, mas se passou na Sessão da Tarde, provavelmente eu vi sim hahah. Deve ser bem gostoso e nostálgico mesmo, ler o livro depois de ter assistido o filme há anos. Acho incrível quando as edições são bem feitas assim e eu também ficaria incomodada com o final extenso, mesmo já esperando uma "história sem fim".
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda

      kkkkk Pois, pelo menos a propaganda já deve ter visto kkkk. Sim, é uma edição muito bonita, vale a pena ler, com certeza.

      Bjs

      Excluir
  7. Isso sim é uma Resenha com R maiúsculo. Daquelas que instiga a ler.
    História Sem Fim, filme, é o típico clássico sessão da tarde que povoa o imaginário das crias dos anos 80 e 90

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Chelle

      Muito obrigado =D. Verdade, é um baita filme até hoje. Não tem como não ficar nostálgico.

      Excluir
  8. Olá! Com certeza essa é uma história bastante nostálgica, pelo título até achei que o livro possui poucas páginas (risos), ainda não li, mas sempre que leio uma resenha, bate aquela vontade de conferir a obra, ainda mais porque minha memória não é muito boa, então se já assisti ao filme, não me lembro de muita coisa não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elizete

      AAhh, recomendo muito, tanto a leitura como ver o filme. Vale a pena =D

      Excluir
  9. Oi, Fabio
    A história do Bastian parece ser muito incrível mesmo.
    Cheia de surpresas!
    Adoroooo fantasia. É meu gênero prefe e claro que lerei esse sem falta. Ainda mais você tendo amado tanto!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ana

      Siim, é muito massa. Se gosta de fantasia, com certeza vai amar esse. Vai fundo =D.

      Bjs

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in