Resenha: A Parábola do Semeador

Por Je Vasques •
13 abril 2021

Esse é o meu quarto livro lido da Octavia Butler, e posso dizer com tranquilidade que ela é uma das minhas autoras favoritas. A Parábola do Semeador não é um livro fácil, ele te faz muitas perguntas, te deixa desconfortável e é extremamente provocador.

Nessa história nós estamos em um crise climática e política extrema. O futuro é 2024, e nós exaurimos o planeta, suas reservas naturais estão em colapso e a humanidade não é nada do que já foi um dia. A maioria da pessoas vivem em situação de miséria, viver em uma comunidade pode ser sua maior chance de sobrevivência, mas nada é garantido.

Nossa protagonista se chama Lauren, e mora em uma comunidade murada, onde os vizinhos se protegem da forma que podem. Do muro para fora o caos impera. As pessoas estão sempre armadas, atentas e preocupadas. Sair depois que anoitece está fora de cogitação. Lauren tem uma visão muito diferente do que é viver. Seu pai protege a família e a comunidade, e é o pastor da igreja deles. Mas ela não acredita no mesmo Deus que o pai dela, e acha que a comunidade precisa se preparar melhor para as coisas que podem acontecer. Essa divergência de ideias nos leva a primeira parte do livro, onde vemos Lauren desenvolver a semente da terra, que será sua religião e o Deus que ela acredita.


Uma noite, tudo que ela mais temia acontece, e então acompanhamos essa protagonista fora dos muros. Octavia constrói esse mundo devastado muito bem. Quando Lauren começa a percorrer as ruas, vemos como destruímos tudo. A água é artigo de luxo, comida é caríssimo, tudo é privatizado. Não existe a opção de chamar a policia se você não tiver dinheiro para pagá-los. Você precisa aprender a sobreviver, e isso inclui saber lutar, atirar, correr e matar. É um mundo perdido e muito próximo de nós. Você não pode confiar em ninguém, parar para ajudar uma mulher sendo atacada no meio da rua pode ser sua morte. Todos aprenderam a cuidar de si mesmos, e seguir em frente. Caminhar ao lado de corpos de crianças violentadas e mortas é natural, o mundo pós-apocalíptico do livro tirou a humanidade das pessoas, pelo menos em sua maioria.  

A crise ambiental já é uma realidade para nós, e aqui Octavia demonstra como isso pode de fato acontecer. Lauren é uma personagem que me causou muitas sensações. A parte da religião é muito grande e importante no livro, não é desrespeitoso, mas é provocador. Ela não entende Deus como eu entendo e por mais que ela tenha me explicado no que acredita, ainda não consigo concordar com ela. E isso acontece com vários outros personagens que entram na vida dela. Ela tem algumas frases e perguntas que fiquei muito pensativa. Eu gosto muito de como ela é inteligente, e como vê as coisas além. Ela é nova, mas consegue ver que no mundo em que vivem nada é seguro, e que ela precisa se proteger.

Lauren também tem uma doença que muda muito a forma como ela precisa enxergar o mundo e sobreviver, mas acho mais legal descobrir lendo. Eu amo muito livros que saem da minha zona de conforto e que mostram realidades que podem acontecer. Octavia tinha uma visão muito além, assim como lauren. Eu amei tudo nesse livro, mas já aviso que ele é lento, desconfortável, violento e sincero. É um belo aviso e assustador, porque é real e possível.


Título: A parábola do semeador
Autora: Octavia E. Butler
Editora: Morro Branco
Páginas: 432
Ano: 2018
Compre: aqui

Comentários via Facebook

12 Revelaram sentimentos:

  1. Por mais que se trate de uma distopia, o que mais assusta em Parábola é o fato de que, se as coisas continuarem do jeito que estão.....
    Sem dúvida uma leitura interessante, chocante e reflexiva

    ResponderExcluir
  2. Eu só conheço e li um livro da Octávia(Kindred) e já a considero fantástico somente por ele. Aí vem a resenha de mais esse livro que está na listinha de desejados há um tempo, mas não tinha lido dessa forma tão intensa, mostrando realmente todo o cenário cru que ela nos apresenta.
    Seja pela religião, pelo mundo, pelos medos e pela vida, real e nua. Por si só, já assustadora.
    Com certeza, espero ler e aprender mais uma vez com a autora que viver é se questionar o tempo todo!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Aiii eu ainda infelizmente nao li nada da octavia mas quero muito ler algo dela.
    Espero conseguir ler esse ano.
    Praticamente tudo dela quero ler. Essa serie to bastante curiosa, pelos assuntos principalmente.

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Uma autora muito elogiada .Mas ainda náo li nenhum de seus livros .
    O cenário que ela mostra na trama e assustador porque vemos que em toda a época os seres humanos estão sempre passando por cima dos menos favorecidos para obter vantagens poder.
    Náo e um gênero que costumo ler .Mas a premissa chama bastante a atenção.

    ResponderExcluir
  5. Je!
    Já tive oportunidade de ler esse livro e realmente é incômodo, principalmente porque nos faaz refletir sobre nossos próprios paradigmas.
    Como toda a distopia, tem um governo déspota por traz e por isso, acabamos nos identificando, porque muita coisa vemos diariamente na sociedade.
    É uma livro sensacional.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Um livro que te faz questionar é simplesmente INCRÍVEL ne? Gosto de ler pra relaxar, um romance clichê, mas gosto daqueles que me fazem pensar também, me perguntar o que estou fazendo de diferente nesse mundo enorme. Fiquei feliz de você ter falado que ele é lento, mas que traz muitos aspectos positivos.

    ResponderExcluir
  7. Você só precisa falar Octavia Butler pra me convencer a ler o livro, simples assim.
    Eu ainda não li esse, mas como eu disse, eu sou facilmente influenciável só por ser um livro dela kkkkkkkkkkkk Eu não sou de acompanhar lançamentos de livros ""menos famosos"" então não sabia da existência desse, mas já vou providenciar a leitura.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Je!
    Esse cenário pós-apocalíptico de A parábola do Semeador me deixou desconfortável apenas lendo os seus comentários, imagine então se eu fosse ler o livro?!
    Não curto livros lentos, violentos, e que me deixará desconfortável, prefiro evitá-los... Por isso eu não leria esse livro, mas eu amei sua resenha!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  9. Um livro bem questionador por sinal, tipo de leitura que não leio há bastante tempo. A mesmo sensação é sair daquilo que estamos habituados e buscar algo novo, quero ler esse livro em breve.

    ResponderExcluir
  10. Confesso que distopia não é um gênero que me chama a atenção, nem em filmes. Mas achei importante a reflexão que o livro implica na gente, porque querendo ou não a escassez de recursos naturais pode ser uma realidade para nós.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Mesmo sem ter lido nada da autora (ainda), já admiro demais o seu trabalho e mais uma vez ela nos entrega uma história daquelas que nos deixarão sem dormir, justamente por trazer algo tão próximo a nossa realidade.

    ResponderExcluir
  12. Oiie,
    Eu quero muito ler os livros dessa autora, já vi muitos leitores elogiando a sua historia e a escrita também.. Ao ler sua resenha vejo que ela traz uma ficção, mas não tão longe da nossa realidade.

    Beijocas:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in