Resenha: Frederick Douglass

Por Naty Araújo •
09 junho 2021

O livro já começa com uma frase que nos faz refletir: “Qual interesse nós, brasileiros, poderíamos ter na autobiografia de um homem que foi escravizado nos Estados Unidos e que viveu e morreu há dois séculos?”.

A trajetória de Frederick pode ser classificada como uma das mais impressionantes da história mundial. Antes de partir, ele nos deixou relatos que permitem assistir e refletir como funcionavam as sociedades escravocratas. E é por meio deste livro que nós, caro leitores, podemos sentir, bem pouquinho, o quanto ele sofreu. Douglass deixou registrado nesta obra, de sua própria autoria, suas dores e sua superação. Nasceu escravo, aprendeu a ler, escrever e conseguiu fugir, se tornando um líder abolicionista norte-americano.

Eu sei, muitos não gostam de ler biografias. Inclusive, sou uma delas. Mas quando vi não pude recusar, sabia que a leitura mexeria comigo – e não estava enganada. Encontramos na narrativa os horrores vivenciados pelo autor. Após se libertar e se engajar na luta abolicionista, Frederick percebeu que a abolição não era a solução definitiva – e foi então que tornou-se o principal pensador sobre a precariedade vivida no século XIX.


Durante a leitura, conhecemos pessoas através de suas fotografias, a exemplo de Harriet Tubman, nascida escrava, fugiu e depois ajudou pessoas no caminho da liberdade.

“Nossos compatriotas nas correntes!
O chicote na carne feminina!
E ainda o solo em mancha enrubescente,
Quente, quando a chibata mal termina!
Mãe afastada do seu filho amado!
Eis imagem de Deus em venda e nada mais!
AMERICANOS postos no mercado
A preço de ouro, feito uns animais.”

O conhecimento da narrativa de Douglass para nós, brasileiros, é essencial, pois nos permite pensar a história da escravidão aqui no Brasil e fazer um comparativo, com muitas semelhanças e diferenças a serem consideradas. Iniciando pelo tamanho dos territórios, a situação de colônias que se tornam independentes de suas metrópoles, a importância econômica e social da importação de seres humanos como escravos, a intensidade e as formas de tráfico de pessoas escravizadas em larga escala, o recurso à reprodução interna de pessoas escravizadas como forma de substituir o tráfico, as amplas consequências sociais que fazem da escravidão algo sempre presente – inclusive nos dias atuais. Além de muitas outras.


É um livro que pode ser trabalhado nas escolas, nas faculdades e em qualquer disciplina. Ficamos indignados com a forma que as pessoas tratam as outras, com preconceito, racismo. Até hoje muitas pessoas são vítimas de trabalhos escravos. Não é porque houve a abolição que parou de existir. No estado de Minas Gerais, uma mulher, negra, de 46 anos, ficou 38 anos, TRINTA E OITO ANOS vivendo em condições análogas à escravidão. Ela não recebia salário, não tinha direitos, e vivia reclusa, sob a vigilância dos patrões até o final de novembro de 2020, quando foi resgatada de um apartamento no centro de Patos de Minas.

Desde 1995, mais de 50 mil pessoas foram resgatadas em situação de escravidão no Brasil. Infelizmente, isso ainda existe. E é revoltante.

Inclusive, hoje, enquanto faço essa resenha, uma mulher grávida, negra, chamada Kathleen Romeu, foi vítima de uma bala perdida no Rio de Janeiro durante um tiroteio entre (adivinhem!) policiais e bandidos. E os argumentos dos policiais são sempre os mesmos… Os bandidos começaram a atacar e eles apenas se defenderam. Não tem nada a ver com escravidão, é só para mostrar que os negros ficam numa posição desfavorável, como se a cor da pele fosse mais importante do que o seu caráter. Como eu disse, é revoltante!

Espero que vocês leiam este livro e analisem mais as coisas ao nosso redor.

Título: Frederick Douglass (exemplar cedido pela editora)
Autor: Frederick Douglass
Editora: Vestígio
Páginas: 208
Ano: 2021
Compre: aqui

Comentários via Facebook

8 Revelaram sentimentos:

  1. Oi Naty,
    Sem dúvida uma leitura densa, forte, que por vezes dilacera mas ainda assim necessária para melhor compreender tudo o que de fato aconteceu durante o terrível período da escravidão

    ResponderExcluir
  2. Naty!
    Gosto demais de ler biografias, ainda mais como esta que traz uma realidade tão dura e cruel de algo que só ouvimos falar, nunca vivenciaos por sermos pesoas brancas.
    Embora saibamos que ainda hoje em dia o preconceito e racismo tomam conta e que a escravidão, mesmo que não seja apenas com negros, existe mais do que podemos imaginar.
    Deve ser um livro enriquecedor.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Ah Naty...tão triste isso que aconteceu com a moça linda e que além de ser mulher, linda, negra, estava grávida. Foram muitas vidas perdidas com essa matança,pois a família, o namorado, os amigos, ficaram ;/
    A escravidão só mudou de nome e as balas perdidas só encontram corpos negros e pobres.
    Triste que com essa pandemia, a maldade, o racismo, ganhou forças e não há como negar isso.Só ligar a tv.
    Por isso sim,a importância de biografias assim. Não só dos horrores vividos por um homem negro. Mas pela luta fundada ali e que sim, precisa ser nossa hoje em dia, cada dia mais, diga-se de passagem!
    Com toda certeza do mundo,é um livro que preciso muito ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  4. Esse livro ta tendo muitas ediçoes né, vi uma da Wish também. Gostei bastante dessa capa e to com muita curiosidade pra ler essa historia. Nao sabia desse caso da mulher de MG, mas é uma das provas que isso acontece ainda hoje pra quem ainda nao acredita e acha que é mimimi.
    Quero muito ler esse livro!!

    ResponderExcluir
  5. Sim, tá aí uma boa pergunta inicial. Acho que deve ser por ela que muitos se interessam ne? Eu ficaria bem curiosa, confesso.
    É como você falou, eu não gosto de biografias também, ou ao menos, não é algo que eu leia com tanta frequência. Mas alguns temas são tão bons que nos pegamos refletindo "porque não ler?" E esse me pareceu esse tipo de livro.

    ResponderExcluir
  6. Ola Natalia
    Por mais que pensamos que sabemos sobre o que realmente aconteceu com os escravos nunca chegaremos perto da realidade cruel que eles passaram. Há tanta coisa horrível na vida dessas pessoais que foram tratados como seres inferiores
    sendo que na verdade somos todos iguais .
    Leituras assim sáo essenciais para conhecermos mais sobre esse período tenebroso da escravidão .
    É infelizmente ainda hoje vemos ainda casos de pessoas que são escravizados de pessoas que sofrem racismo por causa da pele .
    Dica anotada
    ..

    ResponderExcluir
  7. Curto essas histórias que trazem a realidade desconhecida para nós. É um conhecimento necessário por fazer parte da história, e a escravidão é algo que todos deveriam conhecer independente do local ou país onde ocorreu. Quero muito ler esse livro e aprender um pouco mais sobre o assunto e sobre o personagem.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ao contrário de você eu curto bastante ler biografias, acho muito interessante a oportunidade de conhecer um pouquinho mais dessas pessoas tão importantes e aqui temos uma leitura para lá de enriquecedora, sem dúvida um ótimo livro para ser trabalhado com as nossas crianças, adolescentes e uma bela pedida para nós aprenderemos um pouco mais sobre história ao nosso redor.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in