Resenha: Anos de chumbo e Estorvo

by - janeiro 09, 2022


Quem nunca ouviu alguma música do Chico Buarque precisa parar tudo agora e ouvir pelo menos uma – o que acredito que seja impossível, mas...

Chico é músico, dramaturgo e escritor. Foi ganhador de dois Prêmios Jabuti, pelo livro “Budapeste”, lançado em 2004, e por “Leite Derramado”, lançado em 2009.

Hoje trago a resenha de dois livros dele publicados pela Companhia das Letras. “Anos de chumbo e outros contos” e “Estorvo”.


O primeiro nos apresenta oito contos, mas, obviamente, com estilos diferentes. Uma jovem e seu tio. Um grande artista sabotado. Um desatino familiar. Uma moradora de rua solitária. Um passeio por Copacabana. Um fã fervoroso de Clarice Lispector. Um casal em sua primeira viagem. Um lar em guerra.

Como a sinopse diz, os contos conduzem o leitor pela sordidez e o patético da condição humana. Com alusões ocasionais à barbárie do presente, o autor ergue um labirinto de surpresas, em que o sexo, a perversidade, o desalento e o delírio são elementos constitutivos da trama.

É uma leitura que contempla um misto de sentimentos e a experiência é válida.

Título: Anos de chumbo e outros contos (exemplar cedido pela editora)
Autor: Chico Buarque
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 168
Ano: 2021
Compre: aqui


O segundo livro, “Estorvo”, conta com uma edição comemorativa de 30 anos do primeiro romance. A obra foi lançada pela primeira vez em 1991. Agora, nessa edição especial, a obra conta com textos de Roberto Schwarz, Sérgio Sant’Anna, Marisa Lajolo e Augusto Massi.

Conheçam a sinopse: no livro, o leitor é mergulhado em um universo de delírio e digressões ― característica que viria a ser reconhecida como recorrente na ficção buarquiana, assim como o cenário carioca ― ao acompanhar o narrador em um nebuloso vagar pela cidade, após se deparar com um desconhecido em sua porta.

A fuga do que não reconhece leva o homem a um incessante ziguezaguear por locais já conhecidos, como o sítio da família, a boutique da ex-mulher e o edifício de um velho amigo.

"estorvo, estorvar, exturbare, distúrbio, perturbação, torvação, turva, torvelinho, turbulência, turbilhão, trovão, trouble, trápola, atropelo, tropel, torpor, estupor, estropiar, estrupício, estrovenga, estorvo"


A epígrafe do livro traz vários outros termos ligados ao campo semântico de “estorvo”, em Língua Portuguesa, Latim ou Inglês.

É uma obra que não é pra qualquer um, até porque nem todos gostam de clássicos ou de escrita profunda. Podemos dizer que é uma narrativa que mistura a realidade com a utopia, com devaneios.

Não é uma leitura fácil. Logo de cara você pode se sentir entediado. Então, se for pra indicar para começar, sugiro que leia o primeiro e esse segundo, apenas leia com calma, sem pressa.

Título: Estorvo – edição comemorativa (exemplar cedido pela editora)
Autor: Chico Buarque
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 208
Ano: 2021
Compre: aqui

You May Also Like

8 comments

  1. Achei interessante!!! Nao conhecia esse livro!!
    Fiquei curiosa especialmente com esse "Um fã fervoroso de Clarice Lispector" hahaha
    Engraçado que n tinha visto esse livro ainda, n sou muito de contos, mas fiquei curiosa em ler.

    ResponderExcluir
  2. Um ícone.
    Já conhecia o lado escritor do grande Chico.
    Espero ler

    ResponderExcluir
  3. Chico! Que nos apresenta sua voz, suas canções, sua luta. Chico, que inspira em uma luta necessária e urgente, ainda mais nos últimos anos.
    Chico, poeta, homem, batalhador!!!
    Eu nunca li um livro dele, somente trechos e textos soltos dele pela internet, por isso, já quero demais sentir tanto sentimento!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  4. Olá! Apesar de já conhecer esse lado escritor do cantor, confesso que ainda não me dei uma oportunidade a leitura dos seus trabalhos e pelo jeito estou perdendo hein, mesmo antes da dica sobre ler o livro de contos primeiro eu já estava pensando nisso, justamente por ele trazer contos, o que sempre me atrai.

    ResponderExcluir
  5. Anos de chumbo deve ser legal por ser de contos. Já imagino a motivação para este título.
    E Estorvo (apesar da capa "rabiscada" me dar agonia) deve ser legal por ser ambientado no Rio de Janeiro.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Naty!
    Aí está a grandeza de um grande escritor, poeta e músico: a diversidade das inspirações que trazem livros diversos e temáticas diferentes, mostrando o quanto tem conhecimento e sensibilidade para abordar vários assuntos e com profundidade.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. ola
    Um grande cantor ,compositor e tambem escrito , nunca li nada dele.Não leria no momento mas quem sabe futuramente.bjs

    ResponderExcluir
  8. Gosto muito das musicas de Chico Buarque,mas como escritor ainda não tive a oportunidade de ler. Fico imaginando a complexidade de sua escrita, pois suas musicas são inteligentes, mas na escrita deve ser mais ainda. Quero muito ter a oportunidade para ler algum livro dele.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.