Você

Que ao amanhecer de um novo dia
Todas as portas se abram para mim
que caiam todas as barreiras
que não exista mais distância
Que ao acordar possa sentir sua presença
que possa sentir seu doce perfume
que possa ver novamente
seu lindo sorriso
Que Deus me aproxime de você todos os dias
que você acredite em minhas palavras
que entenda meus sentimentos
que tome posse do meu coração
Que aquilo que fui não tenha importância
que aquilo que sou agora tenha valor
que meu amor por você seja abundante
e enriqueça sua alma e sua vida
Como é bom amar você
como é difícil estar longe
como seria bom tê-lo
como seria, como poderia ser
Agora só me resta esperar
o bom destino me presentear com sua presença
que eu mereça você
que me torne algo de muito bom
A cada dia a distância aumenta
meu amor e minha saudade.
Meu coração descontrolado bate
sinto você, respiro você, adoro você!
Que meu amor compense toda espera
que sobreponha a distância
que meu amor te faça sorrir
que meus carinhos te façam sentir mais vivo
Que o tempo agora acabe
que você permaneça
que todo dia ao levantar-me
eu nunca, jamais te esqueça.


Mudinho.

Vontades

Hoje tive vontade de desaparecer…
De fugir para outro lugar
Diferente do habitual em que vivo
Onde tudo fosse como sempre sonhei…

Hoje tive vontade de pintar uma tela
Onde nela estivesse só meia dúzia de cores
Apenas as cores da alegria
Sempre, mas sempre mais fortes que as cores da tristeza.

Hoje tive vontade de gritar bem alto
Para que o som da minha voz
Fosse mais audível que o timbre
De quem não merece sequer falar.

Hoje quis ser diferente do normal,
Não por me sentir fora dos sentimentos ideais
Mas apenas por me encontrar
Revoltado com o sofrimento de quem e do que não merece.

Hoje volto a afirmar que o mundo deveria ser perfeito
Deveria ser um exemplo do saudável e do correto
Sem o pânico, sem o terror, sem a sensação má
Que nos provoca ao assistir à sua destruição…

Hoje volto a ver a mais pura natureza
A ser consumida pelo ódio das chamas….
Assisto de forma odiosa a quem por ela nada sente
E por quem não a consegue fazer esquecer a dor de uma brasa percorrendo o seu corpo.

Hoje queria ser o dono do mundo,
Queria ter o poder de o salvar
De todo este terror que abunda
E do qual nos faz sentir impotentes para o poder ajudar.

Autor Desconhecido.

Nuvens Negras

As nuvens negras me seguem por onde vou
Procuro a luz, procuro abrigo, mas não encontro.
Venha, anjo...
Tire-me deste martírio incessante.
Procuro-te nas coisas mais simples.
Desejo tua presença,
Almejo tua proteção.
Os dias tem sido monótonos sem você.
Venha, anjo...
A vida me foge,
Traga-a...
A morte me acompanha,
Leve-a...
Tire esta nuvem negra daqui e substitua-a pela luz da tua presença.
Venha, anjo...
Espero-te deitada em meu leito para uma noite de amor.
Tire-me desta sequidão
Sacia-me com teus beijos
Cubra-me com teus carinhos.
Venha, anjo...
Me ilumine com a tua luz
E me cubra com teu corpo sobre o meu.


Cartas...

Enviar cartas é um ótimo método de ir a algum lugar sem mover nada a não ser o coração.

Pai...


Pai...
É aquele que cria, zela, ajuda,
Dá broncas quando precisa,
Dá conselhos quando lhe cabe,
Dá seu colo para chorar,
Suas mãos para acariciar,
Seus braços para proteger...
Pai...
É aquele que é "presente" na vida do filho
E não deixa-o com a mãe
Só para ir ao futebol,
Ao barzinho,
Ver os amigos
E tomar uma cervejinha.
Pai...
É aquele que mesmo querendo gritar...
Ele ouve.
Mesmo querendo bater...
Ele aconselha.
Mesmo querendo fugir de todos...
Ele corre para o colo da mulher pedindo conselho
E para o colo dos filhos pedindo sua compreensão.
O verdadeiro pai...
Não precisa ser perfeito,
Basta dar amor para aqueles que estão em volta dele.


Desabafo: Nunca precisei da sua existência, do seu amor, pois você nunca me ensinou o que é amar.
Dinheiro não compra paternidade, fraternidade, educação e nem amor.
Gerar não é ser pai, e você nunca foi.

Volte...

Minhas mãos não podem te ter,
Não posso sentir mais essa alegria
Que você me proporciona.
Minha vida não será a mesma
Sem você aqui nos meus braços.
Deixe-me cuidar de você...
Há perigos que te afligem,
Seja compreensiva,
Não há quem te deseja mais do que eu.
Volte aqui e agarre meus braços.
Não posso tê-la novamente?
Se puder, volte a mim,
Você é quem mais desejo,
Minha jóia mais valiosa,
Volte a mim,
Não me abandone
Tenho medo das trevas me consumir,
Só você pode me curar,
Proteja-me,
Seu leito de alegria me inveja
Tendo você em mim,
Não serei engolida pelo medo,
Minhas entranhas não suportam essa dor
Você é a cura,
Você me ajudará,
Não espere acabar o tempo,
Ajude-me,
Não conseguirei viver sem ti...
Ó querida liberdade.

Medos...


Você tem medo?
Medo de alguma coisa assim... normal, banal?
Eu tenho medo...
Medo de me apaixonar;
Medo de sofrer o que não estou acostumada;
Medo de me conhecer e esquecer outra vez;
Medo de sacrificar amizade;
Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar uma coisa que mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros;
Medo se o telefone toca;
Medo se o telefone não toca...

Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em alguma conversa;
Medo de inventar uma desculpa para ser livre do medo;
Medo de me sentir observada ao excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente, não suportar ser olhada com esmero e devoção;
Eu tenho medo de ser engolida como se eu fosse líquido, de ser beijada como se eu fosse líquen e ser tragada como se eu fosse leve;
Medo de me apaixonar por mim mesma;
Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as minhas mãos quando criança;
Medo de ser a última a vir para mesa, a última a voltar da rua ou a última a chorar;
Eu tenho medo de me apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer;
Eu tenho medo de me roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta;
Medo de que ele seja um canalha ou até mesmo seja um poeta;
Medo de que seja amoroso;
Medo de que talvez ele seja um pilantra, incerto do que realmente quer, talvez todo em um único homem, todos um pouco por dia;
Eu tenho medo do imprevisível que foi planejado;
Eu tenho medo de que ele morda os lábios e prove a minha carne;
Medo de oferecer o lado mais fraco do corpo, o corpo mais lado da fraqueza;
Medo que ele seja o homem certo na hora errada;
Medo de dar a hora certa para homem errado;
Medo que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com o seu passado;
Medo que ele não queira se repartir com mais ninguém além dele;
Medo que ele seja melhor que minhas respostas, pior que minhas dúvidas;

Medo que ele não seja vulgar para escorraçar, mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar o tom da minha voz;
Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa e recolhida como se fosse paz;
Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas;
Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer;
Medo de não ser interessante o suficiente para prender a sua atenção;
Medo da independência dele, da sua algazarra, da facilidade que ele tem de fazer amigas
Medo de que ele não precise de mim;
Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou banque o sério quando faz uma brincadeira;
Medo do cheiro dos travesseiros;
Medo do cheiro das roupas;
Medo do cheiro nos cabelos;
Medo de não respirar sem recuar;

Medo de que o medo de entrar no medo seja maior de que o medo de sair do medo;
Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego;
Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade;
Medo de não soltar as pernas das pernas dele;
Medo de soltar as pernas das pernas dele;
Medo de convidá-lo a entrar, mas de deixá-lo ir;
Medo da vergonha que vem junto da sinceridade;
Medo da perfeição que não interessa;
Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida;
Medo de estragar a felicidade por não merecê-la;
Medo de não mastigar a felicidade por respeito;
Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la;
Medo do cansaço de parecer inteligente, quando não há o que opinar;
Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou;
Medo de faltar às aulas e mentir como foram;
Medo do aniversário sem ele por perto, do cinema, do shopping, do McDonald's sem ele por perto;
Medo da distância que está entre nós;
Medo de enlouquecer sozinha, e olha, não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha...

E quando eu menos percebi, eu estava apaixonada e com medo disso.

A.D.