Ao Presidente

Senhor Luiz Inácio Lula da Silva,

Pela presente epístola venho para afanar minha alegria.
Há um bom tempo, algumas coisas que presenciei, estão me incomodando. Reconheço que a ‘reforma de lei de falências e a melhoria da legislação relativa a seguros’, foi pouco, pelo que ainda poderia ter sido realizado. Reconheço também que houve uma ajuda maior para a região do nordeste, com o projeto ‘Luz para todos’, beneficiando 12 milhões de pessoas, sendo 83% da zona rural; beneficiando a população com o projeto ‘bolsa família'. Os que não precisam, acabam tomando posse e tirando daqueles que não têm condições. Ainda existem muitas mães que ‘fazem’ filhos justamente para ter uma renda ‘garantida’, mas se esquecem que esses filhos crescerão e a tal renda já não existirá mais.
O analfabetismo diminuiu um pouco mais que 20 décimos, o que é considerado pouquíssimo, pelo que ainda poderia ser feito.
Acabastes com a dívida externa, mas de nada adianta fazer isso com o dinheiro que seria para os aposentados. Não adianta fazer bonito para a política externa, mostrando que foste capaz de acabar com a maior dívida externa que o Brasil já sofreu e que presidente algum foi capaz de abolir, apenas ‘afirmando vigorosamente’ o país na cena internacional, correndo o risco de tornar o Brasil um crescente individualista na política externa (até parece que seria assim), e acabar prejudicando a população brasileira, que perante os idosos, principalmente, aqueles que estão com mais de 65 anos, sua ‘fama’ não é uma das melhores.
O salário mínimo aumentando em menos de 8% a/a, enquanto os impostos e os pedágios aumentando absurdamente.
E se o Senhor estivesse no lugar de um dos idosos? E se tivesse idade o suficiente para receber a aposentadoria, porém o INSS se recusasse a dar-lhe qualquer quantia porque o presidente do país resolveu pagar uma dívida externa com o dinheiro da população. O que seria de você?
Viestes lá de baixo, como um bom pernambucano, mas obteve um sucesso ‘rápido’ que não conseguiu notar como pisou e ainda pisa em pessoas que não têm forças para lutar.
Senhor presidente, como você consegue ser feliz, dormir, acordar, viver a vida, tratando pessoas tão necessitadas desse jeito? Como consegue arrancar o salário tão mínimo que muitos têm direito? Como?
Lutar com alguém que consegue lutar, até aceitaria, mas lutar com pessoas que já não têm forças para vencer, aí é covardia.
Pense nisso!

P.S.: Ah, e desculpe-me o nível da carta, o português inadequado para sua língua culta. É que da mesma forma que a carta está, assim está o Brasil que deixaste para o próximo presidente: Um lixo!



A maior dádiva


A maior dádiva que recebi
foi conhecer-te.
Teu ser marcaste minha vida.
Minha vida sempre almejará ter bem de perto a sua existência.
És meu ânimo para viver,
minha força para prosseguir,
meu alvo para alcançar.
Em minha memória você percorre incansavelmente.
Meus olhos tremeluzem ao contemplar os teus.
Minha boca fica sedenta ao notar a presença da tua.
Encontrei em você tudo o que procurava,
pudera eu ser tudo o que você procura.
Quero olhar profundamente em teus olhos
e dizer tudo o que não consegui.
Quero poder tocar em teus lábios uma única vez...
Sentir o calor do teu corpo num único abraço...
Queria ter-te eternamente,
mas tê-lo apenas um instante já me faria feliz !!!!