Resenha: Renovo - o poder de se reinventar



Há quem pense que este livro se trata de apenas autoajuda; há quem discorde e o considere como uma dura realidade que enfrentamos e que precisamos refletir para mudar. Encontro-me no segundo tipo. Geralmente, as pessoas têm um certo preconceito com livros nessa linha. Aliás, com o que as pessoas não são preconceituosas? De fato, é difícil identificar um, ou melhor, diria que é impossível.

Renovo não é um livro comum, tampouco uma obra gigante que te deixa com sono. Mesmo em poucas páginas, o autor nos toca de maneira profunda e nos mostra como as pessoas são tão mesquinhas e egocêntricas. Ele nos faz entender a necessidade que temos em renovar, pois ele nos mostra que temos a possibilidade de fazer melhor, de transformar e mudar.


Qual foi a última coisa inspiradora que você fez? Qual foi a última vez que você elogiou alguém que você gosta? A arte de renovar consiste em olharmos nossos defeitos e observarmos as qualidades das pessoas. Os relacionamentos esfriam porque não se renovam; não existe carinho e romance no casal. O homem não compra flores à mulher; não saem para jantar fora; ele sequer dá um anel de compromisso para a jovem em sinal de amor e de demonstração de carinho.

Querer a mudança está aquém de fazê-la. É necessário arregaçar as mangas e fazer o que todos sabem que precisa ser feito. Todavia, muitas vezes a preguiça predomina e deixamos de lado. Não renovamos no trabalho, nos estudos, em casa, no namoro, no casamento. São sempre as mesmas coisas e da maneira mais automática possível.

Não há vontade de se esforçar para ser melhor no trabalho, inventar novos meios, chegar mais cedo, produzir mais e melhor. Os estudos são sempre em último lugar, faz-se o que o professor manda – e ainda reclamando; as provas são feitas apenas para passar, pois não há preocupação em aprender. Não há pique para renovar em casa, mudar os móveis de lugar e pintar algum cômodo. Não há clima para jantar romântico, para um encontro caprichado com flores, aliança e carinhos que demonstrem o amor. O fato é que as pessoas colocam a desculpa de que não há tempo, porém, para o que elas querem fazer sempre há. Há o tempo, o dinheiro e o famoso jeitinho brasileiro.

Não se enganem, Fernando não aborda todos esses assuntos, apenas nos faz subentender cada um. Ele nos apresenta a consequência que o renovo nos proporciona; renova-se para transformar-se. Há quem busque mecanismos para reclamar de tudo: da roupa apertada, da roupa folgada; do sapato velho, do sapato novo que machuca os pés; da comida sem sal, salgada, reclama que está fria ou está quente demais; do calor, do frio, da chuva, do sol. Muitos motivos existem para reclamar e as pessoas encontram diariamente. Porém, analise: temos mais motivos para agradecer.

Quantos pessoas são cegas e não podem contemplar a natureza, o rosto do seu amado e até mesmo as atrocidades que acontecem? Quantos não podem ouvir as reclamações, nem os poucos e rápidos elogios que algumas pessoas declaram? Muitos sequer tem o que comer, o que vestir e o dia seguinte é sempre um desespero, pois não se sabe o que esperar dele. A cada dia é um novo tormento, uma nova luta e uma contínua fome. Enquanto outros têm tudo isso, mas preferem reclamar do que não agradou. Muitos são ingratos e esquecem de agradecer o que tem. No entanto, a vida, automaticamente, ensinará a gostar e sentir saudades do que tinha. Quem tem e não valoriza acaba perdendo para quem tem sede em ter e sabe reconhecer isso. Não é uma praga, não é um desejo, é apenas a consequência.

De um modo informal, o autor faz o leitor refletir sobre a prática da esperança, da transformação. Não é novidade para ninguém sobre a necessidade de sermos humildes, de ajudarmos o próximo. No entanto, essa prática faz com que o renovo invada os dois corpos e transforma qualquer coração incontrito no mais brando dos corações.

Quotes:
“O Renovo se parece com o óleo que escorre para o seu coração, que frutifica a sua mente, que lhe dá sabedoria e discernimento para lidar com as coisas da vida. É preciso ser humilde diante das coisas que se sabe, prudente e generoso diante daquelas cujo conhecimento não se domina” (p. 18).

“Lidamos todos os dias com doentes da alma, que esbravejam por qualquer coisa, reclamam de tudo. Nada está bom, tudo é culpa de alguém. Essas pessoas estabelecem relações gélidas, sem emoção, como se tudo fosse ligado no automático” (p. 21).

“Para muitos, é fácil lidar com bichos, pelo menos em determinadas situações. Desde sempre ouço que 'o ser humano é um mistério, como é difícil lidar com gente'. Dito por um ser humano, isso soa como se ele estivesse fora do corpo, sem avaliar que essa dificuldade em muito tem a ver com a forma como nos comportamos diante dos outros; falamos de moralidade como se tivéssemos uma conduta irrepreensível, acima de qualquer suspeita, mas, ao mesmo tempo, compramos aparelhos falsificados para captar sinal de TV a cabo sem pagar a mensalidade, adquirimos CDs e DVDs piratas, isso quando o assunto é criticar o governo ou até mesmo falar do vizinho, somos a perfeição da natureza” (p. 24).


Título: Renovo: o poder de se reinventar
Autor: Fernando Moraes
Editora: Novo Conceito
Páginas: 112
Ano: 2015

6 Revelaram sentimentos:

  1. Esse livro eu não conhecia, mas fiquei completamente encantada com reflexão que nós traz, e como você mesmo disse e muito mais que auto ajuda, e uma forma de fazer com que você pense, reflita e isso me chamou muito a atenção, gostei muito, e com certeza vai entrar para minha lista de futuras leituras.

    ResponderExcluir
  2. Oláá
    Ainda não conhecia o livro, nem o autor, mas fiquei interessada em lê-lo, principalmente quando você disse que ele nos traz uma reflexão, pois amo livros assim e as quotes que você separou me encantaram e terminaram de me convencer a ler! haha
    Bjoos

    Jovem Literário

    ResponderExcluir
  3. Olá :D
    Eu sou mesmo meio preconceituosa com esse tipo de livro. Para mim ele entra no "auto ajuda" e não gosto de livros que seguem essa linha. Gostei da resenha, e até concordo com alguns pontos no livro, se reinventar deixa tudo mais divertido ;)
    Beijos :*
    Visite: Blog Passeando com os livros


    ResponderExcluir
  4. Naty!
    Gosto de livros do gênero, embora não tenha optado por pedi-lo na Editora.
    Acredito que podemos renovar sempre e com pequenas orientações dadas pelo livro, podemos melhorar.
    “Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.”(Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Fernanda Pedotte16/11/2015 13:04

    Naty!
    Não vou te falar que fiquei preconceituosa kkkkk mas já li muito livros de autoajuda, hoje passo longe, talvez uma fase.
    Acho que comecei a achar tudo meio igual, esse eu não conhecia, parece interessante e gostei da capa.
    Gostei dos quotes tb, deu pra ter uma ideia melhor do livro.

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Achei incrível como ele conseguiu nesse livro me fazer refletir sobre tanta coisa, vejo as pessoas dizerem que não gosta desse tipo de livro , mais no memento certo eles podem mudar a vida de uma pessoa, então sempre que são leituras super validas.
    Bjocas!!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.