Resenha: Mulher de Neve



Antes de começar a falar do livro, vou elencar sobre a editora Vestígio. Para quem não sabe, este selo trata apenas de livros policiais. Este é o segundo livro que li dela e já entrou no campo das minhas favoritas. Um gênero forte, envolvente e eletrizante. Mulher de Neve é o segundo livro que leio da autora Leena Lehtolainen, porém, não é o segundo que ela escreve. A autora tem uma bagagem admirável e uma escrita surpreendente. A primeira obra de Lehtolainen ela escreveu quando tinha apenas 12 anos e foi eleito o décimo melhor livro da Finlândia. Isso mostra o quanto a autora sabe cativar e envolver o leitor do início ao fim.

Se a primeira obra foi boa, a segunda foi coberta de satisfação. Fiquei admirada com o amadurecimento tanto por parte da autora quanto por parte da protagonista, Maria Kallio. O início do livro retrata o casamento civil de Kallio com Antti. Em primeiro plano, já me surpreendi logo de cara. Não imaginei que a história dos dois daria em união e fiquei surpresa para o lado positivo. Após o casamento, ela recebe um comunicado que Raitio foi preso no aeroporto de Turku e que ela precisa ir buscá-lo juntamente com sua equipe.

Raitio é um dos maiores traficantes da região, um dos membros mais importantes da quadrilha que os policiais estavam perseguindo há um bom tempo. Era a chance perfeita para pegá-lo. No entanto, para Kallio, era o momento totalmente inoportuno. A adrenalina já começa nas primeiras páginas do livro e só finda na última palavra. A obra me prendeu de tal maneira que não conseguia largar a leitura nem mesmo para dormir. Quando pensamos que tudo está mais calmo, eis que surge um corpo encontrado na neve para mudar os nossos planos.

Elina Rosberg, fundadora de um centro de terapia e dona de uma propriedade milionária que acolhia apenas mulheres, é encontrada morta na floresta de Nuuskio vestindo apenas uma camisola. Seria apenas um acidente ou um assassinato?

A autora soube construir o enredo com maestria. A narrativa, ainda em primeira pessoa, narrada por Kallio, permanece envolvente. Quanto mais se lê, mais sede se tem para saber o motivo da morte de Rosberg. Uma pessoa tão querida, simpática e filantrópica. Por que alguém tiraria a sua vida? Além dessa morte, ainda nos é apresentado outras. O livro fica cada vez melhor e o suspense só aumenta. Não obstante, dias após a morte de sua sobrinha Elina, Aira é agredida com uma estátua de urso que pesa 15 kg. Coincidência ou premeditação?

Lehtolainen não dá ponto sem nó. Em todo canto ela deixa uma evidência que só percebemos quando a obra chega ao fim. Todos são suspeitos, até mesmo aquela pessoa que menos aparece na trama. Claro, mais uma vez, eu não acertei quem fez tamanha atrocidade com Rosberg e sua tia Aira.

A dúvida de como Elina morreu é certa. Agora, está nas mãos de Maria Kallio desvendar esse crime tão bárbaro. Poderia ter sido suicídio, mas por que alguém ficaria na neve apenas de camisola esperando por sua morte? O assassinato seria mais provável, no pensamento de Kallio, afinal, suspeitos não faltavam. Dentre eles, as mulheres que estavam no centro de terapia, uma stripper do bairro e um poeta em que Elina mantinha um relacionamento. A lista não era pequena e o trabalho de Kallio também não ficou atrás.

Além de tudo isso, Maria tem um pequeno impasse pela frente: ela estaria grávida? Em todos os momentos de sua investigação ela se sentia mal, com náuseas e sem saber ao certo o que seria. Em alguns momentos, Kallio é chamada de Mulher de Neve, o que me fez levar a obra tanto para a morte de Elina, quanto para as investigações da protagonista no meio do frio.


A capa eu achei tão chamativa, a cor ao redor também ficou diferente. O título é bastante instigante. A diagramação é bastante confortável, a margem e espaçamento não deixam a desejar também. É uma leitura gostosa e fluida. Não dá para não se apaixonar pela escrita de Lehtolainen. Ela sabe te congelar nas páginas do livro e te deixar afoito até descobrir o desfecho.

Quotes:
“Não conseguia ignorar uma antiga regra de ouro da polícia: quanto mais tempo uma pessoa fica desaparecida, menos chance temos de encontrá-la viva” (p. 43).

“– Mulheres jovens e dinheiro, é isso que todos os homens devem desejar! Mais isso não me interessa. Elina era inteligente e sedutora e não queria uma relação em tempo integral, e nem eu” (p.95).

“Alguns encontravam, em seus rostos, motivos justificáveis para matar, ou agredir negros, ou liberar animais do cativeiro. Para mim, só precisava achar a pessoa que tinha visto uma razão para assassinar Elina e Aira” (p.270).


Título: Mulher de Neve (exemplar cedido pela editora)
Autora: Leena Lehtolainen
Editora: Vestígio
Páginas: 313
Ano: 2014

5 Revelaram sentimentos:

  1. Ai nem sei oq fazer qnd isso acontece. Não tenho vontade de ler romances policiais, mas o que vc apresentou sobre Maria me fez gostar da personagem <3
    Ainda não sinto vontade de ler, mas a curiosidade tá aqui martelando!

    ResponderExcluir
  2. Oii!! Adorei! Sinopse mto legal, qro mto continuar a história pra ver o q acontece...adorei! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a editora,li sua resenha de Indesejadas e acabei lendo o livro e amaei e desde então estou me surpreendendo com os livros da editora, gosto muito de histórias policiais e estou amando todas as capas e histórias que você está resenhando.

    ResponderExcluir
  4. Outro caso a ser resolvido pela Maria Kallio ,gostei da resenha e a capa é impressionante!

    ResponderExcluir
  5. Autores que sabem o que estão fazendo são simplesmente incríveis. Nunca li nada dessa autora e nem da editora, mas com um nome diferente como esse, fiquei bem atraída pelo livro, ainda mais pelos seus comentários positivos e enredo surpreendente.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.