Resenha: Lua de Mel


“As coisas nem sempre são o que parece” e, se você duvida dessa frase, ao ler o livro Lua de Mel de James Patterson concordará com ele e Howard Roughan. A história é repleta de reviravoltas e deixa o leitor convicto de que percorre um caminho, porém, nos damos conta posteriormente que somos levados por outro lugar inesperado.

Para quem não sabe, sou uma super fã de Patterson. Li esse livro tem um bom tempo, mas resolvi resenhá-lo apenas hoje. Não porque não gostei dele, pelo contrário. A narrativa é bem envolvente e a história é curiosa, embora não tenha sido o melhor trabalho do autor.


Estamos diante de uma protagonista por nome de Nora Sinclair, ela tem 33 anos e é considerada uma das melhores designers de interiores de Nova York. Ela tem um relacionamento com Connor, de 40 anos e é administrador de fundos de investimentos. Um homem muito rico e ambicioso, nada muito diferente de Nora, nesses quesitos.

Connor sofre uma parada cardíaca e morre dias depois de ficar noivo dessa sedutora mulher. Ele é o segundo homem que Nora se envolve e que morre da mesma maneira. Isso torna a protagonista como alvo de investigações de John O’Hara. O agente começa a buscar indícios do que poderia ter acontecido e se realmente foi ela a assassina desse caso. O’Hara precisa lutar para abandonar a sua atração por essa protagonista. Nora não é apenas uma sedutora de homens, mas uma dominadora. O agente precisa colocar em destaque o seu profissionalismo e deixar esse desejo de lado. Porém, será que ele vai conseguir resistir a esse jeito cativante de Nora?


Confesso que achei a construção da história um pouco forçada, em alguns momentos, sem colocar alguns pontos em cheque. Os autores usam algumas justificativas que poderiam ser mais exploradas. Muito embora eu tenha gostado da obra pela ideia do enredo e pela narrativa fluida. 

A obra é um verdadeiro jogo, em que vários personagens mentem e tentam persuadir um ao outro. O leitor se perde no livro com a frase inicial dessa resenha justamente por esse fator. É impossível não ficar com uma pulga atrás da orelha sempre que algo acontece, afinal, “as coisas nem sempre são o que parece”.


Desde o início somos apresentados ao assassino e a busca para colocar a pessoa na prisão é algo incessante. O fato de já sabermos o autor do crime não coloca a obra como inferior ou minimiza a ansiedade do leitor, pelo contrário, pois desejamos saber como colocar o criminoso atrás das grades. O mistério surge do início ao fim, isso é inegável.

Notei alguns erros de revisão, porém, foram poucos. A capa é linda, achei que o efeito das sombras ficou perfeito. Para quem gosta de capítulos curtos, James permanece como de costume e eu simplesmente adoro, isso deixa a leitura veloz e deliciosa. É impossível não aplaudir o querido James por essa obra, mesmo não tendo sido uma das melhores e mesmo tendo muitas coisas que poderiam ser melhoradas. Com todo ponto negativo possível, ainda é uma obra que eu leria novamente e indico para quem gosta do gênero.


Quotes:
“Estou morrendo, digo a mim mesmo. Mas, não: é pior que isso. Muito pior. Estou sendo esfolado vivo... de dentro para fora. E é apenas o começo. Como um fogo de artifício, a dor sobe e explode na minha garganta, bloqueia o ar e exige um esforço extra para respirar” (p.08).

“Os melhores mentirosos não dão detalhes” (p.41).

“- Não se mexa! – disse o entregador. [...] Agora ponha as duas mãos contra a parede.
- Quem é você?
- Eu sou o cara que vai fazer você desejar ter pedido comida chinesa, O’Hara” (p.114).


Título: Lua de Mel
Autores: James Patterson e Howard Roughan
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Ano: 2013

9 Revelaram sentimentos:

  1. Olá! Achei um pouco confuso, mas parece bem legal, gostei! Qro conferir em breve! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Só li James Patterson uma vez, e foi há muuuitos anos atrás. Uma amiga minha gostava muito e me perturbou, então acabei cedendo, rs. Acabou que não gostei muito, então nunca mais tentei ler nada do autor. Eu nem ao menos conhecia esse livro Lua de Mel. :/
    Acho que minha cabeça não mudou muito, pois os livros do cara continuam não me chamando atenção, mas quem sabe no futuro, né?

    Abraço,
    Mago e Vidro
    | Sorteio DamnedGirls | NOVE livros pra você!

    ResponderExcluir
  3. OLá! Tenho um livro do Paterson na minha estante esperando pra eu quem sabe, virar fã rss gostei de envolver romance na estoria, não sabia que tinha então talvez me ajude a gostar do autro

    ResponderExcluir
  4. Achei que já tinha comentado aqui, mas vou garantir.
    Estou louca para ler algum livro do James Patterson. Ele é um dos melhores autores de livros policiais da atualidade.
    A sua resenha ficou ótima.
    Parabéns!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Já tinha ouvido falar do autor pela obra Bruxos e Bruxas. sobre a resenha a Nora tem uma má sorte poxa o segundo a morrer,espero que se ela se evolver com o John O’Hara, ele não morra também,parece uma leitura divertida.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro. Quando li tinha visto muita coisa boa, gente que adorou e fui na fé. Mas a construção da história é forçada em muitas partes. Achei meio...sei lá, como se só jogasse aquilo ali e o leitor que engula? Mas ela até que prende, consegue te deixar com a pulga atrás da orelha mesmo, desconfiado de tudo na história e isso achei legal. Não me dou bem com muitos livros desse autor, mas esse acabou sendo uma boa surpresa. Tem umas coisas que me incomodaram, mas no geral é um livro bom. Ainda mais pra quem curte esse gênero mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Natalia.
    Eu confesso que a trama é muito interessante e me deixa curiosa com essa mulher, será ela a assassina ou muito azarada hehe. Gosto dos capítulos serem curtos também. Mas fico com um pé atras quando os livros do autor vem com um outro autor junto. Eu tenho uma impressão de que esses livros não são escritos por ele e sim que ele só emprestou o nome para vender a história. Posso estar enganada.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Por mais que a história tenha sido um pouquinho forçada, gostei bastante do mistério e das reviravoltas mencionadas. Além disso, a personagem principal é mais madura, o que é difícil de encontrar na literatura hoje em dia. Amei a capa.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, nunca li nada do autor apesar de ouvir muitos elogios às suas obras, na resenha pude perceber que o livro desafia o leitor a criar teorias e buscar respostas culminando numa leitura fluída e agradável. Beijos.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.