Resenha: A mais pura verdade


A mais pura verdade é o típico livro que você lê sem se dar conta das horas. Iniciei a leitura do livro sem ler nem a sinopse, não sabia de nada sobre ele e apenas a contracapa foi o suficiente para me chamar a atenção. Quando finalizei a amostra enviada pela Novo Conceito, tinha certeza: precisa receber o original e concluir a leitura.

Mark está doente, isso é algo que a família dele evita ao máximo comentar. Até mesmo Jessie, sua melhor amiga, desconhecia o que estava acontecendo com o garoto. Ele tem um cachorro amável chamado Beau; para Mark, ele é o melhor cão do mundo. O garoto adora fotografar e escrever haicais.

Logo no início, imaginei o protagonista como os personagens do John Boyne: doce, inteligente, sagaz e muito teimoso. No decorrer da leitura, também me lembrei de Sam, o personagem do livro Como viver eternamente. Assim como Mark, Sam também está doente e em fase terminal.


O garoto decide que está na hora de fazer a maior aventura da vida dele e, claro, o seu querido cão não poderia ficar de fora. Ele precisa apenas da máquina fotográfica, de um caderno, caneta, equipamento de alpinismo, remédios e uma passagem de trem de ida. Então, ele foge de casa e aventura começará.

É impossível não se encantar com a maneira astuta que Mark age. Sua história de vida é emocionante e deixa o leitor torcendo para que tudo dê certo, no entanto, um contratempo surge e nem tudo pode ser como flores. Os obstáculos surgem e o protagonista terá de enfrentá-los.

Além da capa, o título também é sugestivo e chamativo. A diagramação, como sempre, é de deixar o leitor embasbacado. Não notei erros na revisão, não sei dizer se é porque eles não existem ou se é porque estava emocionada demais com a obra e sequer tive tempo de reparar nesse detalhe.




Vários personagens são acrescidos na história e sempre aparecem na vida do garoto, tanto para ajudar quanto para atrapalhar os seus planos. É improvável não se emocionar com a forma que o enredo é criado e com a narrativa recheada de sentimentos.

Vi uma resenha criticando Dan e tentando compará-lo a outros autores com argumentos mostrando frustração por ele não ser como alguns. No entanto, acredito que a maestria do trabalho de Dan se dá pelo fato dele pegar um modelo de literatura atual e tratá-la com diferencial. Não é porque Dan Gemeinhart não escreve como outros autores famosos que ele não pode ser bom. O que seria de Sidney Sheldon se fosse comparado a Stephen King? O que seria de Agatha Christie se fosse comparada a J. R. R. Tolkien? Afinal, são gêneros diferentes; é necessário respeitá-los. A comparação apenas fere ambos os lados, mesmo um sendo mais conhecido que o outro. O livro do autor é de estreia, sim, isso é inegável; mas a emoção contida em suas palavras é perpétua.

Quotes:
“Isto é uma coisa que eu não entendo: por que as pessoas gostam de levar consigo uma coisa que as faz lembrar de que suas vidas estão indo embora” (p.11).

“Como ajudar quando ajudar e ferir são a mesma coisa?” (p.87).

“Um estranho é só um amigo que você ainda não conheceu” (p.136).

Outras fotos:




Título: A mais pura verdade (exemplar cedido pela editora)
Autor: Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224
Ano: 2015

35 Revelaram sentimentos:

  1. Vi esse livro em alguns sites e a capa não me chamou a atenção. Aqui acho que se aplica a famosa frase: nunca julgue um livro pela capa!
    Amei a resenha! Parece aquele tipo de livro que vc começa a leitura sabendo que vai sofrer com o desfecho da história. Amei! Adoro livros assim!
    Claro que vai para a minha wishlist! Rumo a falência. o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jaque.
      A capa não é tão chamativa, mas a história é marcante.
      Vale a pena ler. Leia sim!

      Excluir
  2. Esse livro tá na minha lista já faz um tempo, admito que mais pela capa do que pela história em si. O livro parece ser daquele tipo que te faz pensar e te deixa com vontade de não deixar nada para depois. Minha vontade de ler só aumentou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maíra.
      Se está em sua lista, então corra para ler.
      Você não irá se arrepender não. Prometo!

      Excluir
  3. Fiquei interessada em ler quando saiu, só que acabei deixando de lado. A trama dele é interessante, gostei dela e parece que o livro voa e você nem repara. É dessas leituras que prendem, acho. Ao menos penso que me prenderia pois a história parece ser bem contada. Tem sentimentos.
    Vi algumas coisas comparando o autor com outros também, mas aí é coisa de cada um. Talvez a pessoa tenha achado coisas parecidas ou só lembrado mesmo. Ao menos dá uma base, mas comparar de ser melhor ou pior é que não pode. Isso só cada leitor vai decidir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cris.
      Muita gente fez isso.
      Mas a obra é envolvente o bastante para você não querer desgrudar dele até finalizar e, quando fizer, não vai querer tirar da estante para trocar com ninguém.

      Excluir
  4. Já conhecia o livro mas ainda não li, depois da resenha fiquei com mais vontade de ler! E que chato isso de comparar o trabalho dos autores, cada um tem uma escrita única e isso é ótimo, o que seria de nós leitores se todos escrevessem igual, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Catherine.
      É a escrita diferenciada que faz toda a diferença sempre.

      Excluir
  5. Oi Natalia,
    Faz tempo que esse livro está na minha lista de desejados, se não me engano, desde o lançamento.
    Amo esse livros com histórias tocantes e reais, com assuntos densos tratados sem a necessidade de exagerar no drama, sem no entanto deixar de emocionar o leitor. Amo essas lições valiosas que essas histórias comoventes trazem, já sei que vou ficar envolvida com essa história e me encantar com a jornada de amadurecimento do Mark e seu fiel companheiro. É o tipo de livro para ser lido sem interrupções, com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz um tempinho então, pois lançou ano passado.
      Realmente o amadurecimento do personagem no livro é evidente e, mais ainda, o ensinamento que o cachorro nos passa é para a vida toda.
      Leia, leia e leia!

      Excluir
  6. Olá, Naty.
    Eu amei esse livro. Queria pegar o Mark no colo e salvar ele. Sofri muito em algumas cenas, me acabei de chorar em outras vendo a lealdade do Beau. É um livro que muito recomendo e inclusive já dei de presente.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, Sil.
      Quem não queria salvá-lo?
      Aquele cãozinho dele também foi muito amor e me arrancou lágrimas

      Excluir
  7. Que fofura esse livro! Ameeei amei!!
    Nunca tinha lido nada sobre a obra, já qro!!
    Parabéns a resenha tá mto boa Naty!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma fofura sim, ALine.

      Leia quando puder, você vai gostar.

      Excluir
  8. Aiii Naty,
    eu li esse livro ano passado logo que foi lançado e me apaixonei completamente!
    Que lindeza!!
    Maravilhoso!
    E o Beau, rouba a cena né?
    A história do Mark é de superação, amor, fidelidade, emoção, muitaaaa emoção demais!!
    Preciso relê-lo logo!
    lindo!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, Beau arranca e rouba a cena em todos os momentos. Até me fez chorar, aquela coisinha linda e mais meiga que existe.
      Ele não fala nada, mas os sentimentos daquele cão transmite tudo.

      Excluir
  9. Me encantei pela resenha! Quero muito ler!

    Tão cheia de sentimentos, imagina o livro!

    Beijos.

    Blog Jovens Mães

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, Bruna. Obrigada.
      Fico feliz em saber que eu tenha conseguido passar pelo menos um pouco do que a história me fez sentir.
      Leia o livro e saberá o motivo.

      Excluir
  10. Oi.
    Não conhecia esse livro, mas por suas palavras, que descreveram muito bem o enredo, com certeza é uma leitura emocionante. E que toca fundo o coração! Se tiver oportunidade, vou ler. Resenha perfeita. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, Márcia.
      É um enredo muito bem construído.
      Obrigaaada :D

      Excluir
  11. Concordo com você, Naty. Não tem como comparar autores por suas qualidades. Cada um tem um modo de escrever também.
    Eu gostei bastante do livro. Acho que a única coisa que me desagradou foi o fato dele não ter congelado naquela montanha, o que era mais obvio que acontecesse. Mas gostei da mensagem do autor. É um ótimo livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade não foi bem assim, Leeh.
      Enfim, não tem como realmente comparar e dá até raiva de pessoas que ficam criticando buscando que ele fosse igual ao escritor X. Impossível.
      Ele jamais será.

      Excluir
  12. Gosto de livros neste estilo e também não gosto quando comparam a escrita de um autor com outro. São pessoas diferentes, logico que a historia é contada de formas diferentes. Não entendo esta necessidade de para um ser bom o outro tem que ser ruim. Quero conhecer a historia de Mark.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheça, Lu.
      Um livro tão fofo e emocionante.

      Excluir
  13. Eu adorei o enredo, também sinto como se já tivesse ouvido estórias parecidas. Acredito também que o que vale é contar bem o que se propõe e, por fim, nos fazer apaixonar por seus personagens. É muito difícil encontrar algo super diferente de tudo o que já vimos. Eu leria, com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode até ter havido histórias parecidas, mas essa me ganhou sem dúvidas.

      Excluir
  14. Olá, Natália.
    Eu li a amostra da Novo Conceito, mas não terminei de ler o livro quando a editora mandou.
    Até onde li estava adorando a estória. Mark e Beau possuem uma relação bem genuína e tocante. Pretendo reiniciar a leitura em breve.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sávio.
      Uma pena que não tenha terminado. Você teria gostado de cada detalhe, acredito eu rs.
      Retome sim, espero que goste.

      Excluir
  15. Este tipo de livro mexe demais com a gente, tenho ele já algum tempo na minha lista de desejados, pois gosto de historias simples e que de alguma forma nos tragam algum aprendizado, ainda mais quando envolve uma doença desta caso e o protagonista ter um cachorro. Ansiosa para ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mexe muito, Michelli.
      Um livro tão pequeno, com poucas palavras, mas com uma emoção sem tamanho.

      Excluir
  16. Li sobre esse livro em outros blogs e com certeza ele não deixa a desejar. Não consigo entender qual é a necessidade das pessoas de compararem um autor com outro, é claro que cada um tem seu ppróprio modo de escrever e de nos passar a história, e isso não significa que é ruim. Gosto muito da proposta desse livro, se mostra um tantinho aventureiro e parece ser uma leitura bem leve.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oii, já tinha lido sobre este livro em vários lugares mas ainda não tinha tido interesse em ler mas sua resenha me fez ficar doida para começar a leitura, parece ser um lviro muito bom.
    Beijoss!

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  19. Gostei da história! Não conhecia o livro mais adorei a indicação!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. MEU DEUS NA PRIMEIRA FOTO ACHEI QUE ERA UM CACHORRO DE VERDADE UIEHIUEHEIUHEUIHEUEIHEUIHEUIHEIHEIUHE que burra meu deus, eu não tenho a menor noção de perspectiva. Só quando vi o cachorrinho deitado que pensei: nossa, que posição estranha pra um cachorro ficar... PERA!!!

    Enfim, também recebi a amostra desse livro e curti a leitura, mas não o suficiente pra querer loucamente concluí-la. No entanto, poucos dias depois ganhei em um sorteio e pensei: por que não?
    É uma leitura muito leve apesar do tema ser pesado, mas na época não foi uma das minhas melhores leituras, não. Lembro que fiquei emocionada e surpresa com o final.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.