Resenha: Sem clima para o amor


Sem clima para o amor é um daqueles livros que poderia virar filme. A obra te faz rir do início ao fim. A protagonista se chama Clare, escritora de romances históricos e filha de Joyce Wingate.

Clare conhece Lonny em uma exposição de Degas. Para ela, é um cara perfeito: o romântico e diferente dos arrasadores de coração que já passou por sua vida. Após um ano de namoro, Lonny se muda para casa de Clare. Ele pede-a em casamento, o que é prontamente aceito.

Traída pelo seu noivo com o homem que havia consertado sua máquina de lavar, Clare não pensava em fazer mais nada. Queria ficar em casa e afogar suas mágoas. Porém, ela tinha de ir ao casamento de sua melhor amiga, Lucy. Ao ouvir os votos de compromisso, ela sentiu seu coração em pedaços. Estava feliz por sua amiga, mas o que vira em seu closet, horas antes, ruiu a esperança de um amor eterno para si.

Em todo desenrolar da história, imaginei o livro sendo adaptado em um filme de comédia romântica. Clare seria a Jeniffer Aniston na versão morena e de olhos azuis, Sebastian seria o Adam Sandler.

Clare bebeu tanto que, quando acordou, estava deitada em um quarto desconhecido. Ela desesperou-se por ouvir o barulho do chuveiro: isso só lhe dava a certeza de estar acompanhada; só não sabia com quem.

Clare, após muitos anos, reencontra Sebastian Vaughan, seu suposto amigo de infância. Ele formou-se em jornalismo, sendo conceituado como um dos jornalistas mais bem-sucedidos do país e também publicara um livro. Vaughan passou anos de sua vida sem o pai e foi criado apenas pela mãe. Com a morte dela, Sebastian se vê sozinho. O pai de dele, Leo, é funcionário de Joyce; ele trabalha há anos para a mãe de Clare e foi dessa relação de trabalho que se conheceram.


Sebastian passou por muitos momentos bons, contudo, também enfrentou momentos difíceis. Nos tempos de bonança, chegou a relatar sobre a diversidade da arte pré-histórica nas cavernas de Bornéu oriental, percorreu a Rota da Seda e chegou a ver a Muralha da China. Porém, os momentos difíceis chegaram e ele teve de enfrentar o Primeiro Batalhão do Quinto Regimento dos Fuzileiros Navais, tendo que percorrer o Iraque até Bagdá.

Além de muita comédia, o livro tem um drama bastante profundo, sem contar o romance que predomina por toda a obra. O processo que Sebastian vivenciou é de lição para todos. Não pelos momentos bons, mas por tanta coisa difícil que ele teve de enfrentar. Ainda, por saber que tem um pai e não receber o carinho dele. Fui criada sem um pai e sei como isso é difícil. Por mais que seja fictício, a trama mexeu muito comigo nesse quesito.

Os diálogos de Sebastian são bem sarcásticos: ele provoca Clare de um jeito incrível. Meu personagem preferido, sem dúvida, é ele. Um cara descontraído e que não está preocupado em cantar a mulher com palavras doces e gentis. Preocupa-se em falar a verdade e, até mesmo, dizer algumas mentiras só para deixá-la irritada.


A obra é uma boa pedida para aqueles que gostam de um romance mais descontraído. Confesso que a autora me surpreendeu nesse sentido. Não esperava dar tantas risadas com essa obra.

A diagramação desse livro é incrível. O design do título do livro em todas as páginas ficou bem diferente. A revisão impecável. A editora tem um cuidado incrível com esses três trabalhos: diagramação e capa. E, diga-se de passagem, muito linda. O sombreamento do contorno do vestido e da sandália ficou excelente; o contraste das cores também. Uma pena que a revisão tenha deixado a desejar.

Quotes:
“Não restava dúvida de que havia feito a mesma coisa de novo, e como nas vezes anteriores, não conseguia se lembrar dos detalhes importantes depois de um determinado momento da noite” (p.10).

“Conhecia o gosto da fome e da violência, já vira as chamas do fanatismo ardendo nos olhos de homens-bomba e as esperanças de homens e mulheres corajosos, determinados a proteger a si mesmos e a suas famílias. Pessoas desesperadas olhando para ele como se pudesse salvá-las, mas a única coisa que podia fazer por elas era contar sua história” (p.27).

“Por que todo o mundo que afirma ser a reencarnação de alguém, diz ser de alguém famoso? É sempre de Joana d’Arc ou Cristóvão Colombo ou Billy the Kid. Nunca é nenhuma camponesa de dentes podres nem um marinheiro que limpava o banheiro de Cristóvão” (p.39).

“Ela escrevia sobre amor. Histórias profundas, emocionantes, lindas. Mas era um fracasso total no que dizia respeito ao amor na vida real. Como podia escrever sobre o amor? Saber sobre o amor e senti-lo, mas, ainda assim, entendê-lo tão mal? Várias vezes?” (p.43).

“Sebastian não sabia por que tinha tanta dificuldade de falar com seu pai. Já havia entrevistado chefes de Estado, assassinos em série e também líderes religiosos e militares, mas não conseguia pensar em nada para dizer a seu pai além de um comentário bobo a respeito do clima ou de puxar uma conversa superficial a respeito do jantar” (p.51).


Título: Sem clima para o amor (exemplar cedido pela editora)
Autora: Rachel Gibson
Editora: Geração
Páginas: 318
Ano: 2014

24 Revelaram sentimentos:

  1. Olá Nati! Fiquei encantada com a resenha deste livro, com certeza uma leitura que adoraria fazer. Ainda não tive a oportunidade de ler nada da autora, apesar de amar romances, e nada melhor do que falar de amor e rir ao mesmo tempo. Beijoo querida, livro incluido a lista de desejados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele nos faz dar umas boas risadas mesmo, Michelli, e nos passa uma lição ou outra. Mas é só.
      Acaba por aí.

      Não vi nada de extraordinário.

      Excluir
  2. Adoro romances com essas pitadinhas de divertimento.
    Apesar de não conhecer nenhuma obra da autora, confesso que estou bastante curiosa pra conhecer a escrita dela.
    Esse livro parece ser uma leitura boa.
    Já está na minha listinha de leitura e espero conhecer em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você vai gostar desse, Carol.
      Ele nos faz rir e ainda tem cada tirada irônica que é demais rs.

      Excluir
  3. Eu achei ele fofo quando li, porque tem cada cena mais doida!
    Mas pra mim não foi o melhor da autora. É bom, só que leve demais.
    Ele é uma boa pedida pra quem quiser quebrar ressaca com um livro bem água com açúcar e pra dar uns risos. Aí sim vale a pena ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não achei fofo não, Cris.
      Achei meio lá e meio cá.
      Uma leitura boa para dar risada, não para ser algo além. Senti raiva de alguns personagens até.

      Excluir
  4. Olá, Naty!
    O livro não chamou muito minha atenção, mas penso em dar uma chance já que arranca boas risadas haha Ótima resenha!
    Beijos, Garota Vermelha
    www.livrosdagarotavermelha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, xará.
      O meu também não e acho que é o mal das Natalias hahahaha.

      Excluir
  5. Oi Natália,
    Confesso que os erros gramaticais nesse livro me irritaram muito. Vários erros repetitivos me cansaram. Além do que não é nada UAU a história, rs.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também vi os erros, confesso.
      A diagramação ficou bem caprichada, uma pena que a revisão não tenha seguido o mesmo embalo.

      Excluir
  6. Oi Natalia!

    Sabe que eu li algumas críticas negativas desse livro? Tanto que até tinha me desanimado, bom saber que vc gostou! Eu já li outros da Rachel e gostei muito! E a capa desse é linda!! Adorei as fotos!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade eu não gostei como você disse, Mi.
      Eu achei algumas partes engraçadas e algumas coisas me fizeram refletir. Mas foi isso e não teve nada a mais. Para mim foi o mesmo de sempre, sem elementos fortes e envolventes.

      Excluir
  7. Oi, Naty! Tudo bem? Não sou o maior fã de romances e não gosto muito das premissas dos livros dessa autora. Por isso, passarei essa dica. Mas adorei a resenha, viu? <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Nath! Estou quase enlouquecendo pra ler os livros da Rachel Gibson! Tenho acompanhado resenhas desse livro e tenho me surpreendido com as opiniões...Qro mto ler! A escrita da Rachel tem me conquistado mto!
    Parabéns, a resenha está excelente!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. O título do livro parece muito nome de filme da sessão da tarde hahaha e tem tudo a ver com o que estou passando no momento.
    Fui surpreendida em ver que o livro tem um toque bem grande de humor, acho que isso acaba dando outra cara para o romance e apesar de parecer divertido eu não leria, sempre fujo dos romances.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Sua resenha, como sempre, muito bem elaborada e sincera. A premissa do livro não me chama muito a atenção. Talvez, um dia venha a ler, mas não vou adicionar a minha lista. Parece bem divertido, mas não é uma leitura daquelas que prende você do começo ao fim, e romances, eu gosto assim! Valeu pela dica! Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Naty!
    Já li um outro livro da autora e gostei muito.
    Gosto de romances e se me fazem rir, ainda melhor porque torna a leitura leve e não me obriga a ficar tensa.
    Adorei! Quero ler.

    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Naty.
    Eu perdi meu pai no começo do ano e sempre que leio algum livro que tem alguma relação entre pai e filho já fico comovida. O livo me interessa. Eu acho essa capa linda e amo um livro que me faz rir. Já li três livros da autora, um eu amei, um gostei e o outro não gostei tanto assim, mas esse eu acho que vou gostar.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  13. Esse livro realmente parece ser do tipo que pode virar um filme de comédia romantica, e logo a capa já dá essa sensação. Gostei do enredo e faz muito tempo que não leio um romance mais descontraído, sempre fui mais adepta ao drama e tudo mais. Gostei muito da forma que você apresentou o livro, e que ótimo que você se surpreendeu com a autora! Imagino que se eu tiver a oportunidade de ler, acontecerá o mesmo comigo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, Naty
    Romance, drama e comédia sempre caem bem juntos. Pelo menos eu adoro. Acho que esse livro poderia dar mesmo uma ótima comédia romântica rs
    Adorei a resenha e tenho curiosidade pelo livro. Acho que também ia dar boas risadas.

    ResponderExcluir
  15. Oi Naty,
    Faz tempo que quero ler um livro da Rachel Gibson, sempre tive a curiosidade de conhecer sua narrativa. Adoro histórias que nos fazem suspirar e rir ao mesmo tempo, com drama na medida certa e com um romance mais descontraído, então acho que vou dar uma chance a esse livro quando tiver a oportunidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Quero! Quero! Quero! Preciso desse livro! Amo comédias românticas!
    A capa não havia me chamado a atenção, mas após ler a resenha fiquei muito interessada na história!
    Falindo em 3, 2, 1...

    ResponderExcluir
  17. Oii, apesar de não gostar de livros que contenham muito drama, gostei bastante da história depois da sua resenha, vou procurar saber mais sobre o livro.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  18. Oi, Nath!!
    Adorei a indicação de leitura parece ser um livro bem legal!! Já faz muito tempo que não leio nada da Rachel Gibson!!
    Bjoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.