Resenha: A dama oculta


Li A dama oculta tem um tempo já. Assim como Vertigo (Um corpo que cai) demorei a resenhar – este ocorreu pela profundidade e comoção causada em mim; aquele, por não ter palavras suficientes para descrever o que senti ao ler. Enquanto Vertigo me passou um sentimento fortíssimo e indescritível, em A dama oculta eu não consegui desvendar o que senti – se senti.

Eu tenho um bloqueio forte com livros com narrativas entre aspas e este livro foi o que conseguiu ganhar uma nota alta, mesmo sem gostar da ausência de travessão. Posso dizer, sem medo de errar, que essa obra foi como um teste para mim e deu certo. Certas vezes parecia como um calmante e eu consegui entender e compreender que nem todos os livros são como queremos (com travessões perto e aspas bem longe) – embora ainda prefira o primeiro.

A dama oculta deu origem ao clássico homônimo do queridinho Alfred Hitchcock em 1938. Originalmente, a obra foi publicada em 1936 e até hoje faz um enorme sucesso, podem apostar. Essa versão luxo é uma beleza e quero ter a coleção completa.


Iris Carr é uma jovem socialite que retorna para a Inglaterra após passar as férias no continente europeu. Sentindo-se intimidada durante a viagem de trem, ela encontra conforto na companhia de uma estranha que diz se chamar Froy. No entanto, o que era para ser confortável acaba se transformando em pânico, já que essa srta. Froy simplesmente some sem deixar vestígios.

Pelo fato de ter passado por um processo difícil antes de entrar no trem e pensar que foi assaltada, imaginam que tudo é apenas fruto de sua imaginação. Porém, Iris Carr está certa que não, tinha sim uma estranha ao seu lado e ela não entende o motivo do sumiço. Contudo, com o passar do tempo ela fica na dúvida se realmente era isso.

Então, questionando a própria sanidade e desconfiando das reais intenções das pessoas a sua volta, ela tenta desvendas esse mistério de ela desaparecer abruptamente. Ninguém mais se lembra de ter visto. O que há de errado com ela, afinal?


É difícil não ficar preso ao livro quando se está em busca de respostas e que atormentam a pobre protagonista. É difícil não desejar o fim porque o leitor está curioso para saber onde está ou se ela de fato existe. São tantas as perguntas e tão poucas as respostas para Carr, que se vê perdida num mundo onde todos afirmam algo e ela, no fundo, sabe que não é. Ou estaria ela apenas imaginando? Você precisa ler para saber.

Embora os travessões tenham sido substituídos por aspas, acreditem, a leitura me prendeu. Confesso que fiquei chateada quando me deparei com isso, mas no decorrer do livro fui deixando de lado e aproveitei para curtir o que estava bom. Eu só pensava numa coisa: queria ajudar Carr em todos os momentos.

Um adendo sobre as aspas, dessa vez não achei erros, pois alguns livros a gente pega para ler e nos confundimos, por usar aspas para mais de uma coisa e acabam errando. Isso reflete que o leitor fica perdido, sem saber o que é fala e o que não é – mas isso não ocorre nessa obra e é muito satisfatório.

Por óbvio, é bem fácil descobrir o desfecho da história, o que deveria ser o grande mistério, já que a qualidade do enredo fala por si – mas isso não acontece. Independente disso, a obra merece 4 estrelas e tem o seu lugar reservado ao lado de Vertigo (Um corpo que cai), deixando um espaço para os próximos da coleção.

Outras fotos:




Título: A dama oculta (exemplar cedido pela editora)
Autor: Ethel Lina White
Editora: Vestígio
Páginas: 272
Ano: 2016

35 Revelaram sentimentos:

  1. Olá!
    Eu não conhecia o livro, mas já fiquei apaixonado pela capa.
    O enredo é bem intrigante, por isso acho que irei gostar do livro.
    Há um tempo que não leio livros com aspas, mas não me incomodo com isso.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    não conhecia o livro e confesso que não curti a capa, mas a resenha e premissa do livro estão boas. Gostei.

    bjos
    Blog Vanessa Sueroz

    ResponderExcluir
  3. Eu amei a capa do livro e amei a história, parece ser um mistério muito bem escrito, que te prende do começo ao fim e fiquei louca pra ler. Também não costumo gostar de livros que usam aspas invés de travessão, mas é um detalhe que dá pra ignorar.

    ResponderExcluir
  4. Bela capa e, pelo visto, uma excelente história!
    Também me irrita muito quando eles trocam os travessões por aspas! SEMPRE me confundo! Sei lá, não consigo geralmente aproveitar a leitura como deveria. Ainda bem que até hoje me deparei pouco com livros assim. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas, Kelly.
      Espero que goste

      Excluir
  5. Oie
    O enredo do livro é interessante, ainda não conhecia. Ameii suas fotos, ficaram lindas!!

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu acho tão diferente quando os livros não usam travessões, não tenho bloqueio, mas é difícil adaptar quando não faz parte da nossa cultura. Mas que legal que o livro te prendeu de forma que até fosse difícil de resenhar, eu sei bem como é isso. Gostei demais da proposta do livro e espero poder conhece-lo muito em breve.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho e deteeeeeesto kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  7. Adorei a edição, é muito bonita, se eu for ler vou procurar por essa. A história me chamou a atenção, parece ser bem interessante, mesmo eu não tendo visto o filme, por que não sou muito fã de filmes, principalmente os antigos. Enfim, vou colocar na lista de desejados, e pretendo ler, a história parece ser boa, estou curiosa se a Iris tinha mesmo visto a mulher ou era a imaginação dela.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edição da vestígio está perfeitinha

      Excluir
  8. Que edição bonita! Desde que assisti Psicose comecei a me atrair por obras que o Hitchcock eternizou, e fiquei feliz de descobrir essa coleção de livros.
    Sobre o livro em si, me lembrou muito aquele filme que passa muito na TV, que fala de uma mãe que diz a mesma coisa sobre a sua filha (ou filho, não me lembro) dentro de um avião, até que de tanto negarem, quem assiste começa a ficar na dúvida se a pessoa existe ou não. Acho essa premissa muito interessante e, apesar de achar que também iria estranhar esses diálogos com aspas, acho que iria gostar muito do livro como um todo.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Natalia.
    Primeiro que amei essas fotos, ficaram maravilhosas. Segundo que quero esses livros também na minha estante, que edições perfeitas. Nunca assisti nada do diretor, mas tenho muito interesse em conhecer. Acho que vou ter problemas com essa falta de travessão, mas se a leitura prende e a gente nem nota essa falta, vou dar uma chance ao livro.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sil.
      Fico feliz em saber que gostou delas :D:D:D

      Excluir
  10. Oii Nath! Adorei sua resenha, até pq eu tinha lido uma resenha só desse livro e sua resenha me prendeu completamente a atenção, fiquei com mta vontade de ler viu...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aline
      Fiquei feliz em saber que gostou :D

      Excluir
  11. Natália!
    Já adorei a cor da capa, linda!
    E como adoro thrillers psicológicos, fiquei totalmente envolvida com sua resenha, buscando mais algumas pistas para descobrir se tudo não passou apenas do imaginário da protagonista ou se realmente aconteceu e todos tentam enganá-la... Curioooooooosa...
    “A sabedoria consiste em ordenar bem a nossa própria alma”. (Platão)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. Tem uns estilos de livros em que a pontuação acaba deixando qualquer leitor confuso, ainda mais quando tem erros. Mas na maioria das vezes não ligo muito pra isso. Não acho que veria problema.
    O livro é bem interessante pra mim pela coisa do Alfred. Qualquer obra, filme, série que relacione com ele já me faz ao menos querer saber mais. Acho legal.
    O filme não vi, mas já tinha visto algumas coisas desse livro e gostei dele. Acho que seria bom de ler. Até porque a gente deve ficar ali se perguntando um monte de coisas e isso faz devorar o livro. Gosto de leituras assim, que fazem querer saber o final logo e o que acontece. Acho que iria gostar de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo menos com esse isso não acontece, eu teria surtado hahaha

      Excluir
  13. Assim como você tenho um certo preconceito com livros que não apresentam travessão, mas devido a umas duas obras que li recentemente venho mudando um pouco. Gostei muito do enredo desta obra, algo que mexe com o psicológico, o que realmente é real para o personagem ou apenas fruto da imaginação do mesmo. Gostei muito da resenha e com certeza vou conferir a leitura. Amei as fotos!
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho e muito.
      Fico agoniada demais rsrsrs

      Excluir
  14. Olá!
    Não tem como não querer essa coleção na estante! As capas estão maravilhosas. Clássicos do Hitchcock, são imperdíveis, assim como esses livros. Estou muito ansiosa para ler! As fotos ficaram lindas e sua resenha, perfeita! Obrigada. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, as capas estão trabalhadas na elegância

      Excluir
  15. Primeiramente, eu também tenho nojinho de livros em que os dialogos são entre aspas hahahaha Segundamente, eu não conhecia esse livro ainda! Na verdade acho que nem o filme vi!!! Mas parecem ser muito bons :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho nojo, só não gosto mesmo.

      Excluir
  16. Olá Natalia,
    Não conhecia essa coleção mas depois de ser apresentada na resenha de Vertigo (Um corpo que cai) fiquei interessadíssima em ter essas lindas edições de luxo na minha estante.
    Também não sou muito chegada em livros com narrativas entre aspas, isso me incomoda muito sem falar que em alguns casos deixa tudo muito confuso.
    Adoro histórias que despertam sentimentos variados, isso torna a leitura bem surpreendente e intrigante, então estou bem empolgada para ler esses livros.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, você lembrou da minha resenha de Vertigo. Que excelente rs
      Eu amei com todo amor aquele livro. Esse aqui eu gostei bastante tbm

      Excluir
  17. Se tem Alfred Hitchcock já chama minha atenção,essa coleção é pra ficar atenta,edições bonitas.
    Fiquei flertando com A Dama Oculta na livraria outro dia,não vi sua resenha do Vertigo,qual dois dois você mais recomenda?
    Espero ter a oportunidade de ler,adoro um suspense.

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro, Natalia!! Mas amei a premissa dele!! As fotos ficaram lindas!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  19. Oi Natalia! Eu não entendi muito bem a parte do "some sem deixar vestígios". Ela sumiu do nada enquanto estava do lado de Iris? Se a resposta for sim, já quero muito ler esse livro! Hahaha Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.