Resenha: Madame Bovary


Oi amores, logo vocês irão perceber que tenho uma queda gigante por clássicos e uma queda maior ainda por clássicos que vem em capa dura, e foi assim que surgiu meu interesse pelo livro Madame Bovary que foi publicado ano passado pela editora Martin Claret em um edição puro luxo que claro, fiz questão de ter pra mim.

Usando de uma narrativa extremamente minuciosa Flaubert presenteou o mundo literário com uma nova forma de escrever romances, forma essa que hoje é conhecida como realismo, ao mesmo tempo em que deixava a elite francesa tão chocada a ponto de censurar sua publicação e levar o autor a responder processo numa Corte Correcional Francesa.

Flaubert levou cinco anos para concluir a obra e ironicamente, ao escrevê-lo, ele buscava escrever algo que não tivesse matéria ou substância. Acontece que se tem uma expressão que não pode ser utilizada para descrever Madame Bovary é “sem substância”


A obra inicia nos apresentando Charles Bovary ainda jovem e sua rotina como estudante pouco dedicado, após formar-se em Medicina, Charles se casa com uma mulher mais velha que se mostra uma esposa controladora. Numa noite, após ser chamado para atender em um vilarejo próximo, um rico agricultor que quebrara a perna, acaba conhecendo Emma, a jovem filha do agricultor e ambos passam a sentir uma forte atração pelo outro, e com a desculpa de conferir o enfermo Charles passa a realizar várias visitas a fazenda, mas o objetivo mesmo é desfrutar da companhia de Emma o que o alegra tanto que ele deixa transparecer, despertando ciúmes em sua esposa que o obriga a deixar de visitar os Bertaux. Ao se ver inesperadamente viúvo, Charles decide retornar a visitar Emma e a pede em casamento o que é recebido com alegria pela jovem e seu pai.

Emma idealizava o amor com base nos romances que lia e desejava um estilo de vida incompatível com o interior da França onde o casal vivia. Logo, o que ela tanto desejava foi se mostrando tedioso e a atração foi aos poucos a abandonando até que ela começou a ser atormentada por um profundo sentimento de tristeza e não encontrar em sua vida rotineira nada que a motivasse. Descontente com suas próprias escolhas, ela encontra prazer sentimental no adultério, o que a deixa ainda mais aborrecida com seu marido e decepcionada por ter se casado com alguém tão insípido quanto Charles. O problema é que Emma enxerga a convivência amorosa com olhos sonhadores o que a torna exigente com seus amantes que não levam muito tempo a se aborrecer com suas constantes cobranças por demonstrações de amor.


Sempre com esse sentimento de desgosto pela vida que tem, Madame Bovary encontra no consumismo o prazer que não consegue ter na vida amorosa. O que a leva a contrair mais e mais dívidas. Enquanto isso, Charles segue figurante em sua própria estória enquanto se mostra cego às farras de sua esposa e deposita nela toda a sua confiança e afeto. Confiança essa que irá conduzir a família Bovary a um caminho destrutivo e sem volta.

Madame Bovary é uma obra sobre uma mulher insatisfeita com aquilo que lhe foi jogado nos ombros, e que não aceita viver sob os ditames da sociedade da época, a personagem não nos causa empatia, mas também não nos causa desgosto, na verdade se alguém não atrai a empatia do leitor de jeito nenhum, esse alguém é Charles que se mostra passivo diante de todas as situações, queixas e exigências de Emma. Não é difícil perceber que ela sofre de episódios depressivos, não creio que Charles pudesse mudar algo sobre isso porque ele é um dos maiores motivos de Emma se sentir tão insatisfeita com a vida, porém o amor idealizado por ela é irreal, portanto, inatingível.


A leitura não é fluída, mas esse não é um ponto negativo, a leitura apenas se torna um pouco lenta porque o autor aprecia o uso das palavras, para ele “o estilo está nas palavras e dentro delas”, cada acontecimento é descrito de forma que o leitor possa imaginar tudo perfeitamente em sua mente e com um tom lírico que é tão apaixonante quanto poesia.

Senti que cada minuto dedicado a leitura desse livro valeu a pena e no fim fui recompensada com uma obra tão genial que até hoje serve de inspiração para muito romancistas.

Leia também e não deixe de voltar aqui para me dizer o que achou.

Abraços.

Quotes:
“Porque nós nos conhecemos? Que acaso o quis? É que através da distância, sem dúvida, como dois rios que correm para se unirem, as nossas inclinações particulares nos tinham levado um para o outro.” (p. 185)

“Mas, se no primeiro dia ela me amou, ela deve, impaciente por me rever, me amar mais ainda.” (p. 192)

“Não se deve acostumar-se a prazeres impossíveis, quando se tem ao redor de si mil exigências.” (p. 278)



Título: Madame Bovary (exemplar cedido pela editora)
Autor: Gustave Flaubert
Editora: Martin Claret
Páginas: 398
Ano: 2015

25 Revelaram sentimentos:

  1. Eu to apaixonada por essa capa, ela é bem simples mas é maravilhosa. Eu vi um título de filme com esse nome e queria ver pq gosto de um dos atores mas ainda não consegui assistir.
    O livro me pareceu bem cansativo e não consigo ler nada que tenha personagens tão "neutros" que não despertam nenhuma emoção em mim, acho que passo a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Jess, que edição maravilhosa! Sou apaixonada por esse livro desde que recebi o marcador e pelo visto a edição não deixa a desejar mesmo! Quanto aos clássicos, é totalmente compreensível a leitura mais arrastada, pois é característico de livros de época os autores se apagarem a detalhes, fica até interessante pois você fica mais inserida no contexto, eu mesma me sinto dentro do próprio livro. A história por trás da publicação também é um espetáculo a parte, imagina o alvoroço que uma publicação que falava diretamente e abertamente sobre adultério? Imagino como esse livro deve ter sido segredo de leitura de muita gente, principalmente de esposas insatisfeitas com o casamento mas sem nenhum poder de voz. A estória parece muito interessante, principalmente pelos costumes da época e até pra gente comparar o que se era pensado e o que se esperava de um casamento naquela época. Acho que se não pela trama, seria muito interessante ler pra ter novas experiências de leitura, sair um pouquinho da nossa bolha de conformismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poise Eli, imagina só ler um romance sobre adulterio naquela época qnd as mulheres nao tinham muito poder sobre a propria vida...

      Excluir
  3. A edição parece realmente incrível. Não sou muito de ler livros de romances históricos, mas esse me chamou a atenção, principalmente por apresentar uma personagem fora dos padrões da época, personagem essa que me irritou um pouco, sei lá, achei ela meio chatinha...rs.... e confesso, fiquei com pena do marido...rs... Sei que para entender o detalhes e gostar ou não do personagem tenho que ler o livro, mas achei a personagem principal insegura e sonhadora demais, queria entender o que o Charles fez a ela para ela ficar tão depressiva... Gostei da dica, talvez um dia eu confira.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  4. Gente! Que edição é essa que não conhecia? Agora quero! *0*
    Faz um tempo que tenho curiosidade de ler esse livro, ainda mais depois de ver tantas menções em outros livros que lia. Mas não deu ainda =/
    E olha só, eis que surge aqui. E com uma edição de fazer qualquer leitor sair correndo pra comprar!
    Gosto de um bom clássico, são minhas leituras favoritas e até quando a coisa é meio arrastada ainda amo. As descrições, o ritmo, a cultura daquela escrita mais antiga...acho tão legal. E sempre tem uma crítica interessante no meio, então vale muito a pena a leitura. Esse parece ser tão bom! Ah que vontade de ler que deu agora *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hei Cris, que bom q te apresentei uma edicao q ainda nao conhecia, te garanto q é a mais perfeita e esses detalhes arrastados sao os q tornam q leitura classica melhor e mais profunda <3

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. esse livro está com uma edição linda
    eu começei a ler anos atrás e não consegui terminar justamente por não ter gostado da emma, ai junta com a leitura ia ser meio arrastada (e adiciona que era um livro de trabalho do colégio) eu não consegui terminar e ainda fiquei com um pouco de raiva dele
    mas concordo que é bom de vez enquanto a gente lembrar de ler os clássicos, quem sabe agora que eu não sou obrigada a ler eu consiga terminar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que amo ler nao conseguia ler nenhum livro obrogatorio da escola, fosse clásico ou nao, tenta outra vez sim prq qnd a gnt escolhe ler é bem melhor. E qnto a Emma, ela é uma personagem que causa um misto de sentimentos na gente e o odio ta valendo rss

      Bjus

      Excluir
    2. =) vou tentar
      eu digo muito quer estragar um livro/história coloque ele para ser obragatório até os filmes que a gente assistia que tinha que fazer trabalho virava um p****

      Excluir
  7. Que edição incrivelmente linda.

    Lua, Meu Mundo da Lua
    FanPage (se inscreva no blog, te esperamos por lá)

    ResponderExcluir
  8. Oiii Jéssica! Apaixonada por esse livro!!!
    Ameei demais esse enredo, ainda mais sendo um gênero q eu amo!
    Qro ler com toda ctz!!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Olá, Jéssica.
    Eu sou dessas também que não resisto a essas edições de capa dura maravilhosas. tenho vários aqui que nem gosto da história, mas acho a edição perfeita hehe. Esse acho que seria o caso. Pelo o que li na sua resenha, não iria gostar da protagonista, de nenhum dos dois na verdade. Odeio pessoas que traem e já leria com essa implicância. Por isso acho que não vou ler. Mas comprar quem sabe? hehe

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi, Jéssica!
    Já conhecia o livro só por nome devido o clássico que é, mas não fazia ideia do que tratava. Achei interessante como o amor de Emma e Charles decaiu tanto, e pelos quotes, deu pra ver o quão bonito o livro é do ponto de vista da escrita. O que mais gostei foi “Mas, se no primeiro dia ela me amou, ela deve, impaciente por me rever, me amar mais ainda.”.
    Espero um dia poder conferir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana, esse foi o meu quote favorito tambem, escolhi os que mais gostei, o livro inteiro dava um quote rss de tantas frases marcantes.

      Le sim e volta aqui pra dizer o que acho, bjs

      Excluir
  11. Oi Jéssica,
    Também tenho uma queda por clássicos, os romances históricos são as minhas leituras favoritas. Amo essas histórias que me permitem embarcar em outra época, vivenciar os costumes dos séculos passados, amo tudo isso! Já me acostumei com o ritmo desse tipo de leitura, é mais lento e algumas vezes um tanto cansativa, mas mesmo assim fico completamente envolvida. Faz tempo que quero ler Madame Bovary e amei essa edição, que é puro luxo mesmo, vou tentar adquirir o quanto antes.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho q nos classicos a gente consegue embarcar na historia de verdade prq nao faltam detalhes pra imaginacao.

      Bj grande!

      Excluir
  12. Jéssica, tirando por essa resenha muito bem descrita que você fez, qualquer leitor que, realmente goste desse estilo literário ficaria instigado a ler este livro.A sua resenha pode despertar o interesse é muitos leitores por aí... Você trouxe a tona a essência da história, e também de sua personagem principal é um pequeno texto sem revelar ou dar spoilers revoltantes kkkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha vdd Bruno? Obgda! Detesto spoilers entao tento ao máximo nao deixar passar detalhes reveladores demais nas minhas resenhas.

      Abçs

      Excluir
  13. Jéssica!
    Tive oportunidade de ler esse livro ainda na adolescência, mais por obrigação por causa da escola e acredito não ter apreciado como gosto a degustação de um livro.
    Gostaria de relê-lo e vê-lo com novo prisma na atualidade.
    “Das coisas que a sabedoria proporciona para tornar a vida inteiramente feliz, a maior de todas é uma amizade”.(Epicuro)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Sou fascinada por romances de época, mas ainda não tive o prazer de ler esse. Que capa linda! Acho que já assisti o filme, mas faz muito tempo, já não me recordo. Então, está na hora de rever e também fazer a leitura. Clássicos são sempre fundamentais em uma estante!
    Sua resenha está muito bem explicada. Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Não tinha visto essa edição ainda,que bonita a 3º foto.
    Gosto de indicações de clássicos,ampliar mais minhas possibilidades de leitura.
    Tão lírico os quotes,tenho uma queda por escrita assim,o da página 185 prendeu minha atenção.

    ResponderExcluir
  16. Acredita que mesmo sendo um clássico eu nunca nem tinha ouvido falar desse livro? No entanto, gostei muito da edição, também amo livros com capa dura, além disso, percebe-se que a diagramação está super bem feita. Gostei da história, parece bem densa e de difícil leitura mesmo, no entanto, sabe-se quando o autor quer trazer um bom conteúdo. posso dizer que foi um prazer conhecer esse livro.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Sabe que eu tenho esse livro há pelo menos seis anos na estante e apesar de eu saber que é um classico e que é bom e etc eu realmente nunca me animei a ler esse livro...Porém, graças à minha promessa eu vou ter q acabar lendo ele mais cedo ou mais tarde hahahahahaha Obrigada pela resenha, porém. Saber exatamente sobre o que se trata (pra ser sincera eu nunca nem tinha lido a sinopse - comprei aquelas edições de capa vermelha por cinquenta centavos num sebo) fez com que eu tivesse um pouco mais de vontade de ler.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Jéssica!!
    Que livro é esse!! A edição é maravilhosa!! Sem dúvida quero muito ler esse clássico!!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.