Resenha: O livro de memórias


Olá todo mundo, preparem o coração, porque a resenha abaixo é só coisa boa:

Samantha McCoy é muito ambiciosa. Desde sua adolescência já participa de debates e vive com a cara enfiada nos livros, porque pretende fazer faculdade de direito na NYU e sair da sua cidadezinha de 500 habitantes. Agora, aos 18 anos, ela percebe que talvez vá adiar seus planos, pois foi diagnosticada com Niemann-Pick do tipo C. É uma doença rara, mas com bastante incidência em franco-canadenses, na qual o corpo não consegue metabolizar corretamente o colesterol, causando degeneração cerebral, muscular e dos órgãos internos.



Com essa doença Sammie não irá mais se lembrar, e nem poder fazer um monte de outras coisas. Mas não poder lembrar é inadmissível para ela, pois seu cérebro é seu melhor amigo. Para que ela não esqueça, resolve escrever suas memórias em seu notebook, e a história é contada a partir desses registros.

Lendo essas memórias, conhecemos Cooper, seu melhor amigo de infância, que por motivos ainda não esclarecidos, está distante nos últimos anos. Cooper está fazendo algumas coisas não muito legais e sofrendo as consequências pelos seus atos. Conhecemos Maddie, sua amiga sincera e autoconfiante, que consegue quebrar alguns paradigmas e barreiras, impostos por Sammie.

Somos apresentados à sua família: pais que fazem das tripas coração para sustentar seus quatro filhos. E irmãos, alguns estranhos, outros normais, como na família de qualquer um. E, por fim, conhecemos Stuart, o amor platônico de Sammie. Stuart é inteligente e já tem um livro publicado, feito este que impressiona muito a nossa mocinha.


Conhecemos o dia a dia de Sammie na escola, nos debates, em casa; também sua vida antes e depois da doença, e sua convivência com as pessoas ao redor. Acompanhamos o avanço da doença e a revolta da personagem ao ter alguns desejos negados e sonhos frustrados.

Sammie acredita que os registros no notebook irão resolver os seus problemas, pois é só consultá-lo e relembrar o que estava fazendo. Dito isto, ela decide que irá seguir normalmente com a sua vida, vai para o campeonato nacional de debates com Maddie, vai ser oradora no dia da sua formatura de ensino médio, e vai para a universidade. Mas, quando no dia do debate nacional, Sammie percebe que não sabe onde está, nem o que está fazendo e muito menos falar sobre o assunto em pauta, ela vai lentamente se dando conta de que talvez não consiga lutar contra isso.

Os personagens foram bem elaborados e desenvolvidos, sem floreios cansativos e desnecessários. Em certos momentos, Sammie parecia madura demais para alguém de 18 anos, mas em outros, parecia exatamente o que deveria parecer: uma garota de 18 anos, assustada com seu futuro e revoltada com a vida por ter uma doença sem cura. E nós mesmos não nos comportamos como crianças em algumas situações?

Achei que Maddie poderia ter um destaque maior no livro do que na verdade teve. Mas se analisarmos a nossa vida, existe pessoas que mesmo participando pouco, fazem toda a diferença.
Stuart é incrível! Eu não teria sido tão boazinha (só os que já leram entenderão).

A autora conseguiu abordar um tema pesado de uma forma mais leve e descontraída, te prendendo a cada linha, como a história do bode, que foi a cereja do bolo (haha, está curioso né?). Outra coisa que agradou, foi o fato de o drama da história existir, estar presente em cada página, mas a autora não o esfregar na sua cara. Ela tenta amenizar esse fator, mesclando com acontecimentos mais brandos, ou até cômicos.

Gostei muito da capa emborrachada no tom rosa, que foge um pouco das capas azuis que temos visto aos montes por aí (e que também são lindas). A diagramação do livro é excelente, a letra é grande, e existe bastante espaço entre os capítulos.

Comparando este com outros livros que possuem essa temática, devo confessar que não deixou nada a desejar! Superou minhas expectativas e vai ficar entre os queridinhos da minha estante.

Se você, assim como eu, gostou de Extraordinário e de A culpa é das estrelas, esse livro é para você.

Abraços


Quotes:
"Lembro vagamente de uma citação de um dos meus teólogos preferidos, Noam Chomsky - algo sobre otimismo como uma estratégia, não apenas um sentimento. Se você não acreditar que o futuro vai ser melhor, então não vai agir para melhorá-lo".

"Bette tinha um papagaio invisível que chamava de Babagaio. Ela alega poder conversar com todos os tipos de pássaros. Devo esclarecer que essa alegação vem do fato de que ela corre na direção de qualquer grupo de pássaros dizendo: 'Voem, voem!'. Então é claro, os pássaros 'ouvem' o que ela diz".

"Uma vez, Harry usou uma caixa de achocolatado da Sammie para misturar uma pasta de farinha que usaria como cola em sua 'máquina do tempo' para o projeto de ciências. Ele deixou uma etiqueta visível que dizia PASTA DE FARINHA NÃO BEBA, mas Sammie estava com a cara enfiada em um livro, não prestou atenção e tomou um belo gole de pasta de farinha! Ela cuspiu e sujou a porta da geladeira inteira. Enquanto tinha ido buscar um pano para limpar, Davy achou que estava bonito e jogou purpurina por cima de tudo. É por isso que parece que um unicórnio vomitou na porta da geladeira!".


Título: O livro de memórias (exemplar cedido pela editora)
Autor: Lara Avery
Editora: Seguinte
Páginas: 392
Ano: 2016

22 Revelaram sentimentos:

  1. Olá!
    Já tinha visto esse livro, mas não sabia muita coisa sobre ele.
    Apesar de ser um pouco triste, gostei do enredo. O fato da autora abordar esse tema de uma forma mais leve me agradou muito.
    A capa é linda e fiquei bem curioso pelo fato dela ser emborrachada. Vou anotar a dica.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sávio,

      leia sim!! Vale muito a pena. Depois conte o que achou.
      Abraços

      Excluir
  2. Oi Silvana,
    Confesso que quando vi o lançamento desse livro não criei muitas expectativas, mas depois de ler algumas resenhas tive uma grata surpresa e fiquei completamente cativada por essa história. Gostei da personalidade da protagonista, sempre encarando a vida com otimismo, nunca desistindo, uma garota inspiradora e guerreira. É uma boa dica de leitura quando estiver buscando um sick-lit, como sou do time das manteigas derretidas sei que vou me emocionar com essa bela história.
    P.S: Amo o livro Extraordinário ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Micheli,

      ahhhhhhh, se você é manteiga derretida leia!! Com certeza esse livro é pra você.
      Abraços

      Excluir
  3. Olá, Sil.
    Estou terminando esse livro. E estou amando. Gente que livro dificil. É impossível não se contagiar com a Sammie e acreditar assim como ela de que ela vai conseguir. Não gosto muito de livros com doenças, mas esse estou adorando.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá sil,

      sim, eu também estava crente: ela vai conseguir.
      Mas como o autor ja havia deixado claro que nao tinha cura, eu sempre precisava deixar um pé no chão.

      Abraços

      Excluir
  4. Ele me lembrou outros livros que já li e gostei, então penso que iria gostar desse também. Parece ser leve, mesmo tendo um tema tão pesado. Acho legal quando fazem isso, que mesclem sentimentos e coisas mais bonitas com a situação. Até quando deixam um tom cômico na história para quebrar o clima pesado. Não fica ruim de ler, angustiante sabe...
    Gostaria de ver como ele é, se é assim mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane,

      leia e aproveite, esse livro é bem assim!
      Abraços

      Excluir
  5. Silvana!
    Nem consigo imaginar todo problema vivido pela protagonista tão jovem. Deve ser um sick-lit enternecedor e envolvente.
    Gostei de saber que a protagonista faz meio que um diário de sua vida para poder se lembrar das coisas no futuro e mais, gostei de ver a força de vontade que ela tem para continuar vivendo sua vida e indo em busca de seus objetivos.
    “Para saber uma verdade qualquer a meu respeito, é preciso que eu passe pelo outro.” (Jean-Paul Sartre)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudy,

      siim, essa personagem é porreta! Não se deixa abalar fácil.
      Abraços

      Excluir
  6. Já li a Culpa é das estrelas, mas não li Extraordinário, confesso que não gostei do primeiro, fui com uma expectativa lá em cima, mas não achei nada de fantástico. Eu gostei da premissa deste livro, embora esteja um pouquinho enjoada de enredos assim, mas ele é ótimo dentro de seu gênero. Gostei de saber que os personagens são bem construídos também. Gostei da resenha e da dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mayla,

      também não posso ler muitos livros com a mesma temática que ja me canso. Por isso diversifico bem os temas :)
      Se resolver ler, nos conte o que achou.

      Abraços

      Excluir
  7. Oi Silvana, desde que vi esse livro pela primeira vez, fiquei louca para ler. Embora seja uma leitura um tanto difícil por conta do tema, fiquei encanta e muito curiosa. Parabéns pela resenha.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Priscila,
      Obrigada, quando ler, conte nos suas impressões.

      Beijos

      Excluir
  8. A capa desse livro me pegou desde o primeiro momento, mas a história em si não em encantou tanto.
    Achei maravilhoso a protagonista querer seguir normalmente sua vida mesmo com essa doença, gosto de personagens fortes mas mesmo assim não sei se leria, os trechos não me agradaram e fiquei com um pé atrás.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maíra,

      realmente é persistente sim! Ela não se deixa abalar facilmente.
      Passe para a próxima resenha :)

      Abraços

      Excluir
  9. Lindo Silvana!!
    Enredo tá perfeito!
    Qro mto ler, eu já anotei na listinha das metas!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline,

      adooooro essas listinhas!!! :)
      Que bom que gostou, abraços

      Excluir
  10. Deve ser bem comovente a historia a personagem é uma garota determinada e vai atras do que quer, mesmo sofrendo dessa doença que a faz esquecer das coisas ela não desiste que exemplo e lição de vida passa para o leitor. Quero muito ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria,

      leia sim, você vai adorar :)
      Abraços

      Excluir
  11. Oi, Silvana!!
    Ainda não li esse livro!!! Mas preciso urgentemente!! Linda resenha!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Oi Silvana, tudo bem?
    Quando vi a resenha deste livro a primeira vez já senti um pesar por a história seguir por um caminho triste. Não gosto muito de ler histórias na qual os personagens sofrem de alguma doença porque isso e deixa muito triste. Gostei bastante da sua resenha e quem sabe um dia eu tenha coragem para ler esta obra.
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.