Resenha: Os condenados




Danny e Ashleigh são irmãos gêmeos, eles já estiveram do outro lado, até o dia em que Ash vai e não volta mais, mas Danny consegue retornar. Devido a um sério acontecimento, Ash acaba se tornando alguém fria e que não sente nada por ninguém, nem mesmo pelo próprio irmão. Suas atitudes são sempre egoístas e sua personalidade é de uma verdadeira psicopata.

A garota recebe admirações daqueles que não conhecem seu lado pútrido, o seu jeito diferenciado, por se destacar em tudo o que fazia e pela aparência física. No entanto, o mesmo não acontece por parte da sua família, enquanto o pai volta sempre tarde do trabalho e a mãe vive bebendo. Para infelicidade, todas atrocidades sobram para o Danny, sempre vítima das barbaridades da irmã psicopata.

Além de o fato de Danny ser uma pessoa reservada, sua irmã contribui para que a situação dele fique pior, era impedido de se relacionar com as pessoas; não tinha amigos, não namorava e sequer conseguia desabafar com alguém. Vivia atado numa prisão sem grades.


Com um resquício de esperança, o garoto consegue enganar a morte e ganha uma segunda chance para viver. Só que ele não voltou do inferno sozinho. Sua experiência de quase-morte ocorreu num incêndio há mais de vinte anos. Ash não teve a mesma sorte. Porém, seu irmão conseguiu transformar sua tragédia pessoal em um livro que se tornaria um best-seller. Ainda que isso não signifique que ele tenha conseguido superar a morte da irmã. Claro, ela nunca mais o deixaria em paz. Com uma personalidade forte daquelas, quem acreditaria que seria diferente? Inferno é pouco para o que ele ainda vai passar com sua própria irmã.

Mesmo depois de morta, Ash continua sendo uma garota vingativa e egoísta, como sempre foi. Danny parece condenado à solidão. Qualquer chance de felicidade é destruída pelo fantasma de seu passado, e se aproximar de outras pessoas significa colocá-las em risco. O que Ash é capaz de fazer para acorrentá-lo ainda mais? O que ele pode fazer para se libertar? São tantas perguntas e, enquanto lemos, as dúvidas parecem aumentar. O leitor se desespera e só quer ajudar Danny a se livrar dessa irmã que parece ter pacto com aquele outro lá.


O livro não é de terror, assim como não é exatamente sobrenatural. É mais uma obra voltada para o lado psicológico, que tortura os personagens e deixa o leitor em desespero. Foi uma história surpreendente e que deixa margem para diversos pensamentos, enquanto mergulhamos na leitura.

Ainda que tenha sido uma experiência agradável, senti falta de algumas conexões no decorrer da história. Não sei se isso ocorreu pelo fato de eu ter pausado a leitura durante uns meses e depois ter retomado. Acredito que outro fator que tenha contribuído para diminuir uma estrela são as idas e vindas excessivas. Ainda que isso seja algo bom, tendo em vista os tempos da história, considerei que isso atrasou o andamento da leitura, já que fazia com que apatia apenas aumentasse.  No entanto, isso não é de todo ruim, pois a conclusão foi surpreendente e proveitosa.

A diagramação segue o estilo Dark e fascina-nos, como sempre. Há alguns erros de revisão, mas nada tão graves. Uma leitura recomendada para quem gosta desse estilo. Para quem não gosta, certamente pode ser uma experiência positiva.


Quotes:
“Como se pode distinguir um homem bom de um homem mau quando se vive com ele, quando não se precisa confiar nele?” (p. 18)

“Que tipo de coisas Ash fazia? Por que ela era uma garota cuja própria mãe desejava que nunca tivesse nascido?” (p. 26)

“Às vezes, eu pensava em Ash, lembrando que ela nunca havia feito nada de ruim comigo, não diretamente. Ameaças, manipulações, sustos, sim. Mas, comigo, ela nunca ia até o fim, como fazia com os outros. Eu era o único que ela poupava, o único que Ash mantinha por perto mesmo que não soubesse amar, e, ao me lembrar disso, minha felicidade era momentaneamente abatida pela vergonha. No entanto, logo voltava à tona a perspectiva de uma vida longe dela, e eu só queria ver mais disso.” (p. 29)

“Um lado do meu rosto enterrado na grama, um olho olhando para cima, para ela. A bola inchada, prestes a se romper nas mãos de Ash. Seu rosto mostrando a curiosidade fria ao testemunhar o terror de seu irmão e sua luta convulsiva para respirar.” (p. 79)

“O calor me joga para o canto. O porão vive com fachos laranjas e vermelhos dançantes logo obscurecidos pela névoa preta. A fumaça atinge minha garganta. Tortuosa e pesada.
 Não é possível sair daqui indo para a frente. Também não é possível ir para trás. Apenas uma única janela entre duas vigas, alta demais para que eu a alcance e pequena demais para que eu a atravesse, mesmo se conseguisse chegar lá.” (p. 291)

Outras fotos:


Título: Os condenados
Autor: Andrew Pyper
Editora: DarkSide
Páginas: 336
Ano: 2016

14 Revelaram sentimentos:

  1. Nat, primeiramente amei essas fotos, combina bem com o enredo do livro. E eu, que não sou muito fã de livros desse gênero, achei esse surpreendente. O modo em que cada irmão voltou à vida é bem interessante, o Danny mesmo tentando contornar todo seu passado é atormentado por esse fantasma da solidão, e a Ash é uma pessoa fria, esses aspectos dos dois com certeza tornaram a leitura bem forte e instigante.
    Infelizmente não conhecia o livro antes, mas depois dessa resenha e desse quote serei obrigada à lê-lo.

    ResponderExcluir
  2. Achava que era mais terror e coisas assim, então nem acabei dando muita atenção pra esse livro. Mas que legal saber que tem mais esse lado voltado para o psicológico. Se for assim mesmo acho que gostaria da leitura. Pode acabar tendo uns furos, umas coisas que não fazem muito sentido ou excessivas, mas aí é só lendo pra ver o que acho mesmo. Se não for tão terror assim tenho coragem pra pegar...

    ResponderExcluir
  3. Oi, Natalia!!
    Amei as fotos ficaram lindas!! Como sou muito fã dos livros da Darkside sem dúvida fiquei morta de inveja por ainda não ter lido esse livro!! Adorei a resenha e fiquei bem surpresa por que imagina que o livro seria uma história de terror e não uma história de que envolvesse mais o lado psicológico.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Olá, Natalia.
    O nome do King está tão grande na capa que a principio achei que o livro era dele e eu ainda não conhecia hehe. Mesmo com as suas ressalvas eu me interessei pela história e vou deixar anotado aqui para uma futura leitura. Sou fã do gênero, mas acho difícil encontrar um que realmente me agrade.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Achei bem interessante, bem complicado de se viver em uma família assim...Agora fica a curiosidade do que acontece com todos eles.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Naty
    Como não sou a maior fã de terror, gostei de saber que a obra é mais voltada para o psicológico, porque a premissa é boa. Apesar das pequenas ressalvas, daria uma chance futuramente. Ainda não conhecia o livro.

    ResponderExcluir
  7. Eu já tinha visto esse livro mas nunca tinha lido nada a respeito e a história é completamente diferente do que imaginei. A resenha me deixou meio confusa mas eu gostei muito do terror psicológico que envolve a trama, fiquei bastante curiosa para ler.

    ResponderExcluir
  8. Natália!
    Está mais para um thriller psicológico daqueles bem tensos, que prende o leitor pelo fato de se compadecer da situação de Danny.
    Que irmãzinha mais macabra, hein? Não deixa o irmão ter uma vida, é como se ela tivesse morrido (e morreu), mas não quer que o irmão viva uma boa vida sem ela. o tornou um condenado em vida... vai-te!
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Oi Natalia, tudo bem?
    Eu não fazia ideia do que se tratava este livro, aliás pensei que fosse algo de terror. Gostei da premissa do livro, mas não sei se leria ele no momento, estou fugindo de histórias perturbadoras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, não leio livros assim com frequência mas pela resenha vejo que a trama é muito bem construída e inteligente pois descreve uma personagem que não quer lagar sua vida carnal e seguir em frente. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Gostei parece ser muito bom pretendo ler. Deve dar uma aflição os acontecimentos que a irmã causa em Danny, fiquei intrigada me perguntando porque ela ficou assim, ou já era e só agora que aflorou. vou passar muita raiva com ela pois pelo visto é uma verdadeira peste.

    ResponderExcluir
  12. Achei que o livro serie de terror mesmo, tenho medo de histórias com espíritos, mas por você ter comentado que é apenas um terror psicológico, fiquei com vontade de ler, mesmo que tenha um espírito no enredo. Que pensa de Danny, sempre viver atormentado. Fiquei bem curiosa para saber o desfecho da história. Uma pena que você não tenha conseguido se conectar tanto com a história.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  13. Oi Nati...
    Mas uma edição da Darkside que com certeza surpreende a cada página... As atitudes da irmã de Danny realmente parece causar desespero e aflição no leitor... Pretendo ler essa obra mas mais pra frente... Adorei sua resenha....
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  14. Oi.
    Eu achei a premissa desse livro bem interessante e fiquei muito curiosa para conferir, adorei saber que o livro não é de terror já que tenho um pouco de medo, e costumo não dormir quando leio livros do gênero, mas em compensação gosto bastante de sobrenatural, uma pena que ele não seja realmente um sobrenatural, mas enfim fiquei curiosa e este vai para minha lista com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.