Resenha: Mago – Aprendiz




Magos, humanos, anões, elfos, seres das florestas, trolls, dragões, objetos mágicos... calma, calma, calma!! Não estamos falando de “O Hobbit” ou qualquer outra obra do Tolkien. Mas essa é a essência que envolve “Mago – Aprendiz”. Pleno de uma atmosfera utópica, o autor nos traz uma batalha entre um mundo idealizado por muitos escritores e um mundo totalmente desconhecido, assim como seus guerreiros.

A princípio, imaginamos Pug como personagem principal. O menino órfão, do vilarejo de Crydee, que se descobre com poderes místicos. Pug tem um amigo, Tomas, que por sua vez tem vontade de fazer parte da Armada do Reino. Também tem uma Princesa, Carline, a qual Pug revela ser apaixonado.

Conhecendo os personagens, passamos a perceber que tudo na história começa a dar certo para nossos amiguinhos. Parece aquele livro do Harry Potter: Alguém de uma outra “casa” tomou sorvete errado? Ponto para Grifinória!!! (por falar nisso, vocês sabiam que tem uma incoerência enorme em Harry Potter envolvendo sorvete?) Enfim...

Durante a escolha dos aprendizes, que ocorre sempre no solstício de verão, data em que os adolescentes deixam de o ser, Tomas é escolhido como aprendiz do Mestre das Armas. Pug, que até então não havia sido escolhido por ninguém, e iria ficar ao relento, é chamado pelo grande Mestre Mago Kulgan. Passando assim a se tornar o Aprendiz de Mago.

Mesmo estudando muito com o Mestre, Pug é convidado a aprender a montar, coisa destinada apenas aos grandes nobres, para acompanhar a Princesa em seus passeios a cavalo. Em seu primeiro dia como acompanhante, ele descobre que ela não passa de uma esnobe. Porém, a menina é atacada por dois trolls e os poderes místicos de Pug salvam os dois. O que acontece depois? Tcharããã!!! A menina se apaixona por Pug. Ao relatar o acontecimento ao Rei, este, sem saber como agradecer ao garoto, dá-lhe um lugar de destaque em seu reino e muitas, mas tipo, muitas terras! Agora ele é um Nobre Aprendiz de Mago.
O que acontece de agora em diante é um misto de altos e baixos.

A partir de agora, o autor nos leva a várias aventuras em diversas terras (e mares). O problema é que as coisas ainda continuam a dar certo. Pug é convidado a fazer uma viagem muito perigosa, que em tese duraria uns dois meses, e, claro, seu amigo do peito também é convidado a ir.

O autor nos apresenta os elfos e os anões, que nós sabemos serem inimigos mortais uns dos outros. Mas eles são? Não! Eles são amiguinhos. O inimigo é outro. São seres de outro mundo cujos Magos têm poderes suficientes para viajar milhares de quilômetros por meio de um portal.

Eles partem então em busca de alianças para combater os tão temíveis inimigos. E a viagem que era para durar dois meses se transforma em quatro, oito, dois anos. O problema é que as coisas acontecem muito rápido. O tempo (meses e anos) passam de uma página a outra; de repente você está lendo uma batalha e ela acaba; beleza, tranquilo. Fim dessa parte! Quando a outra parte começa, você descobre, através de um diálogo ou mesmo na narração, que já se passaram quatro, seis meses dos acontecidos que você leu na página anterior.

Os capítulos são bastante compridos, até por isso são divididos em três ou quatro partes. O estilo narrativo desse autor... bem, deixe-me fazer um breve relato.

Estava eu lendo o livro, belo e formoso, observando o estilo de narrar desse autor. Nunca li nada dele, então decidi prestar bastante atenção. O cara é bom, mas em vários momentos eu pensava “nossa... que coisa de iniciante”. Um pouco antes de terminar o livro, então, decidi ler as informações a respeito do dito na contracapa. E qual não foi a minha surpresa? Tcharã!!! “Mago – Aprendiz” é o romance de estreia dele. Como eu disse, ele é bom; descreve muito as coisas e as descreve muito bem, mas seu ritmo é estranho, a passagem do tempo é estranha e às vezes a leitura fica cansativa.

Em determinado momento da história, conhecemos vários reinos, vários lugares diferentes, vários reis e príncipes e senhores de guerras, alianças, que nos são apresentados ao mesmo tempo e acaba nos confundindo um pouco (inclusive por causa dos nomes que quase se igualam ao da Daenerys). Alguns personagens são inseridos na história, o grupo se separa, o que dá um pouco mais de movimentação no roteiro, mas é preciso prestar bastante atenção, pois, como eu disse, as coisas mudam muito rápido; quando você se dá conta, o assunto já é outro.

Bom... esse é mais um livro daqueles que eu falo que deveria ter outro nome. Como eu disse lá no início, a princípio imaginamos Pug como personagem principal da história. Verdade seja dita, nem o Mago Mestre chega perto disso. O livro teria outro nome fácil, se pensado um pouco mais; o personagem principal, o menino de treze anos que se torna um aprendiz de mago, deixa de ser principal e, assim como seu amigo, passa a ter um papel mais secundário. 

A história é cheia de acontecimentos; o acolhido aqui é uma parte bem ínfima, descrita apenas para situar o leitor a respeito do que se pode encontrar na leitura. Vale a leitura? Com certeza vale! É uma fantasia com muita ação e muitos atrativos.

Minha avaliação fica nas três estrelas porque, como eu disse, o estilo narrativo do autor é um pouco estranho e as coisas parecem ser um pouco previsíveis, além de o fato de o título do livro não condizer com a história.


Título: Mago – Aprendiz (exemplar cedido pela editora)
Autor: Raymond E. Feist 
Editora: Arqueiro
Páginas: 416 
Ano: 2016

20 Revelaram sentimentos:

  1. Essa serie tá na minha lista faz tempo, amo uma boa fantasia mas admito que a resenha me deixou meio desanimada. Tudo parece ser confuso e corrido e não gosto disso.
    Na verdade já abandonei um outro livro do autor então acho que não vale a leitura.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Marcos!!
    Gostei muito do livro, gosto de fantasia, esse livro parece ser muito bom!!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Já tive vontade de ler coisas desse autor mas não consegui pegar nada. Esse é um dos que gostaria de ler algum dia.
    Uma pena o ritmo ser um pouco estranho, mais lento...mas para um romance de estréia ele me parece bom. É cheio de elementos que tem nesse tipo de história e pode até inovar um pouco por causa do inimigo escolhido ali, sair um pouco do clichê esperado, sei lá. Com a coisa do personagem principal também.
    Acho que iria gostar de conhecer essa história.

    ResponderExcluir
  4. Marcos!
    Para um primeiro livro do escritor, achei até diferente, porque escrever fantasia não é fácil e ele mostrou um mundo diferente do que estamos acostumados.
    A questão da passagem de tempo rápida, realmente pode confundir um pouco e teremos de ter mais atenção na leitura.
    Como gosto de fantasia, até leria.
    Adorei sua miniatura do Mestre dos Magos, sou fã.
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Olá, fiquei muito curioso para ler o livro, pois como amante de livros de fantasia essa trama com certeza irá me encantar. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Fiquei bastante curiosa!
    Adorei a resenha!
    Mão sou muito acostumada a ler fantasias, já li algumas e gostei bastante, mas não é minha praia!
    Mas talve eu leia esse!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marcos!
    Que pena que a leitura de Mago - Aprendiz tenha sido tão decepcionante para você... Nunca tinha ouvido falar de uma passagem de tempo como essa, concordo com você, é muito estranha. E esse monte de informações uma atrás da outra, então?! Se fosse eu que estivesse lendo esse livro teria ficado perdidinha, mas como não pretendo ler esse livro dificilmente isso iria acontecer...
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Oi! Fiquei curiosa, mas não sobre o livro. Sobre a tal incoerência do sorvete de HP hahahaha
    A resenhista do meu blog fala super bem desses livros mas eu nunca consegui me interessar por eles. O fato de saber que é previsível e "estranho" só fez acabar com qualquer intenção que eu tivesse. Mesmo sendo iniciante, tem muito autor que faz trabalho de "gênio".

    ResponderExcluir
  9. Oi.
    Que premissa interessante, estou muito curiosa para conferir a leitura, adoro esse cenário de elfos e os anões, e o que é mais intrigantes é que eles são inimigos mortais, isso me cativou bastante.
    Enfim adorei.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marcos!!
    Adoro livros de fantasia!! Mas também acho bem cansativo quando os capítulos são mais longos!! Pois são bem cansativos!! Adorei a indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  11. Vou ler esse livro, mesmo porque tenho o box da série, então já que tenho vou ler um dia e adoro fantasia ainda mais com muita ação, pena os acontecimentos serem rápidos, mas quando for ler como já sei disso então tentarei prestar o máximo de atenção possível para não me perder rs.

    ResponderExcluir
  12. Oi Marcos, tudo bem?
    No começo com a sua descrição do livro realmente lembro O Hobbit <3
    Achei a história rica em detalhes, só fiquei meio assim por que você disse que as coisas vão tomando um rumo previsível, e isso desanima um pouco.
    Beijos
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  13. Ahhh que foto fofa!!
    Eu amo gatos! kkk Já adorei o post!
    Nunca ouvi falar desse livro, mas gosto de magos e essas coisas!
    Magia é comigo mesma!

    ResponderExcluir
  14. Amo histórias com um toque sobrenatural então estou mega curiosa com esse livro!
    Achei estranho o Pug, não ser o protagonista e apesar das 3 estrelas, parece ser um bom livro de estreia e me deixou curiosa

    ResponderExcluir
  15. Oi, Marcos
    As opiniões sobre esse livro são meio divididas. Eu estou com ele na minha estante faz muuuuuito tempo e até hoje não li. Nem sei se vou ler na verdade. Uma pena que não gostou do estilo da narrativa do autor. Quando isso acontece é difícil gostar muito de um livro. Estranho o título não condizer com a história também.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bom?
    Gostei da resenha, ainda não li nenhum livro do autor, parece ser bom, mesmo que como você disse que as vezes chega a ser cansativo, e que a escrita possui um ritmo estranho. Gosto muito desse mundo utópico, porém por agora não pretendo ler o livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  17. Já vi este livro mas nunca li uma resenha. Parece ser muito bom, e a capa é muito bem feita. Vi que disse que o titulo poderia ser diferente, achei bem curioso e isso que deixou com vontade de ler. Quem sabe um dia eu leia.

    ResponderExcluir
  18. Oi Marcos,
    Tenho muita curiosidade em ler essa série há tempos, o box esta devidamente anotado na minha lista de desejados. Mas agora confesso que fiquei meio perdida kkkk Achei uma tremenda confusão, muitos personagens, muitas informações e muitos acontecimentos, acho que ficaria totalmente perdida durante a leitura kkk Mas não descarto a possibilidade de ler não, pelo contrário, fiquei ainda mais intrigada com essa série.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi Marcos, eu não tinha muita intenção de ler esse livro sabe ? Histórias assim tendem a me deixar com um sono do caramba, muita informação e muitos personagens pra minha memoria de peixinho dourado não me permito ler um livro assim kkk Se um dia esse livro viesse parar na minhas mãos acho que leria por pura curiosidade mas sem muitas expectativas.

    ResponderExcluir
  20. Olá, Marcos.
    Apesar da sua opinião não ser tão positiva e da nota não ser tão alta, ainda estou com as expectativas lá em cima para ler esse livro. Eu amo livros assim e mesmo sendo o primeiro livro do autor, e ele ter pecado em alguns pontos, acho que vou gostar.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.