Resenha: Gelo negro


Olá, amigos,
O post de hoje talvez não seja tão agradável assim, pois vim para falar de um livro que não me agradou, e de algumas tendências que tenho percebido nos livros há alguns anos: a tendência em fragilizar as mocinhas, a tendência de sensualizar algumas situações, a tendência de morder o lábio... Quer dizer, jura que essa história ainda vende?


O livro em questão é Gelo Negro da autora Becca Fitzpatrick, ele narra a história de Britt Pfeiffer, uma patricinha que passou meses se preparando física e psicologicamente para uma trilha na cordilheira Telton.  Daí você pensa: legal! Garota diferente, aventureira. Então você continua a leitura e descobre que ela vai fazer a trilha na cordilheira, única e exclusivamente porque seu ex namorado Calvin estará lá naquela temporada (ela na verdade odeia todo esse papo de trilha). Aquele ex que deu um pé nela por telefone há oito meses, no dia da sua formatura.


Então Britt e sua amiga Korbie (que é irmã de Calvin) vão para a cordilheira, e no caminho enfrentam uma nevasca terrível, são obrigadas a largar o carro na estrada e procurar abrigo. Por um azar sem tamanho, elas acabam achando ajuda em uma cabana, com dois criminosos procurados. As duas são feitas reféns e precisam ajudar os criminosos a fugir de lá (visto que elas conhecem o local melhor que eles).

Enquanto tenta tirar eles dessa situação, no que você acha que a Britt fica pensando? Se você disse: em quando o seu ex namorado, que ela não vê há oito meses, virá para salvá-las, você acertou! Britt gritava aos quatro ventos que era dona de si, mas só o que eu vi foi ela tomando atitudes pensando no ex. Alôooo, que tal pensar um pouco em você mesma? Afinal, você pode morrer de hipotermia, ser devorada por um urso ou tomar uma bala na cabeça!


Não bastasse isso, adivinhe só o que mais poderia acontecer?  Se você disse: Britt se apaixonar por um dos sequestradores, você acertou! E nesse caso, não estamos falando da Síndrome de Estocolmo ,não! É paixonite pelo criminoso mesmo. Pra quem não sabe, Síndrome de Estocolmo é o nome dado quando uma pessoa sequestrada ou feita refém passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade para com o seu agressor.


Claro que o sequestrador também se apaixona por ela, e o livro inteiro então gira em torno desse romance e de como eles vão fazer para escapar com vida do outro criminoso (que é o pior) e sobreviver ao tempo que fica cada vez pior. O livro é previsível demais, se você, assim como eu, já leu vários livros clichês, você já sabe como isso termina.

A história é essa, temos alguns assassinatos para serem descobertos, mas a história toda gira em torno dos dois se conhecendo e nos conflitos internos: eu penso isso, ele pensa aquilo, o que ele pensa quando isso, ai a mão dele nas minhas costas...! Até existe a reviravolta, quando a personagem começa a tomar as rédeas da sua própria vida, mas nessa altura do livro tudo já tinha ido por água abaixo. Não consigo mais engolir personagens assim, sorry!


Cara Becca Fitzpartick, tem certeza de que essa jovem do livro é espelhada nos nossos jovens? Ou será que os nossos jovens vão se espelhar nessa personagem? É esse fato que me preocupa. Essa tendência de mocinhas frágeis e mordedoras de lábios parece que veio para ficar. Fico me perguntando: por que essa tendência não vai embora? Assim como a moda tende a mudar, porque essa está perdurando tanto no mercado editorial?

Acho que a resposta é simples: está perdurando, pois ainda tem pessoas que consomem esse tipo de livro com personagens inseguros.

Sem mais a declarar, xau (e, por favor, não me odeiem).
Abraços.

Título: Gelo negro
Autor: Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Ano: 2015

24 Revelaram sentimentos:

  1. kkkkkk Acho que esse livro tava na minha lista de desejados (acho que adicionei pela capa achando que era algum thriller não sei) mas se estiver mesmo ele acaba de comprar passagem só de ida pra bem longe kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkk pois é Fabio, eu também pensei que poderia ser um thriller, mas ten uma frase na capa dizendo: é impossivel resistir ao perigo! Li porque ganhei de presente, mas foi tempo perdido.

      Excluir
  2. Já li outros livros com a premissa parecida, a respeito da mocinha se apaixonar pelo sequestrador, e me lembro de ter dado muito certo, no entendo aonde a autora conseguiu pecar tanto nessa obra, será que foi pela falta de surpresas durante a leitura, torna a trama totalmente previsível, ou realmente foi o clichê da mocinha indefesa. Para mim a estória tinha tudo para ser bem construída, até porque a premissa e bacana, o que foi uma pena.

    ResponderExcluir
  3. Eu tinha interesse pelo livro, pois li uma série da autora e gostei muito, mas conforme fui lendo resenhas meu interesse caiu, agora caiu mais ainda rs. Mocinhas frágeis já eram não agradam mais, é uma pena tudo ser previsível, gosto quando inovam, surpreendem e tem uma mocinha pra lá de porreta rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gostou da série Hush hush,vai gostar tambem desse livro. A Britt é igualzinha a protagonista da série. A autora não mudou muito a fórmula (o molde) dos personagens, então você provavelmente vai amar esse livro. Abraços

      Excluir
  4. Wow! Mas caramba, esse não salvou nada pra você heim! Confesso que não me chamou muita atenção quando vi esse livro porque já tinha lido coisa dela que me disseram ser ótimo e achei muito sem sal. Mas fiquei com uma leve curiosidade e queria ler. Vi umas resenhas ótimas dele e tinha me animado, mas agora depois de ver tudo isso voltei pra estaca zero viu! Ahh quando um personagem é irritante e só faz burrada, tem coisas que a gente não engole e situações que não deveriam ser romantizadas porque o assunto é sério ou tem muito por trás daquilo....vishi, isso não é nada legal.
    Será que não salva nadinha nessa história? Se for assim mesmo nem sei se tenho coragem pra pensar em ler mais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristiane,
      Então, pra mim não teve nada que salvou, tanto que terminei de ler o livro e ja troquei ele no sebo kkkkk Mas nós somos pessoas diferentes, com gostos diferentes, se você tem interesse no livro, leia! Talvez você tenha uma opinião diferente :)
      O livro foi clichê e previsível demais pra mim, ja li muitos livros assim e ja não me agradam mais.
      Abraçoz

      Excluir
  5. Pela capa do livro imaginei uma história completamente diferente. É uma pena que a leitura seja decepcionante desse jeito, odeio histórias em que a mocinha se apaixona igual troca de roupa e que sempre precisa de um homem pra estar feliz, não me desce de jeito nenhum e a mocinha do livro parece ser exatamente assim, vou passar a leitura com gosto hahah

    ResponderExcluir
  6. "tendência em fragilizar as mocinhas, a tendência de sensualizar algumas situações, a tendência de morder o lábio... Quer dizer, jura que essa história ainda vende?" Perfeito! Eu penso da mesma forma! Não aguento mais ler livro assim, onde as mulheres são figuradas desse jeito. Não aguento mesmo. Sério que ainda por cima ela se apaixona pelo sequestrador ? Pelo amor. Esse livro tava na lista de desejados por que ouvi falar bem e falar mal, mas não dava pra adivinhar que era assim pela sinopse. Vou repensar duas vezes se vou ler essa história.

    ResponderExcluir
  7. Silvana!
    Não tem porque odiá-la, afinal, está expressando seus sentimentos em relação ao livro e isso é algo bem individual mesmo, cada pessoa percebe o livro a sua maneira.
    Acredito que esse lance de morder os lábios vende, porque sempre foi um gesto sensual e sensualidade vende livro. Agora só isso não torna um livro bom, tem de ter mais profundidade e um enredo bem amarrado para dar certo e aqui me parece que foi de uma forma tão rápida e exagerada, que nem sei mesmo se vale a pena a leitura.
    “A amizade, depois da sabedoria, é a mais bela dádiva feita aos homens.” (François La Rochefoucauld)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!!! Já livrors da Becca Fitzpatrick e gostei mas já cansou esses livros de Mocinhas Frageis, é sempre as mesmas historia, tudo previsivel!!! Esse vou passar!!!

    ResponderExcluir
  9. Olá, Silvana.
    Como gostei bastante dos outros livros da autora que li, fiquei interessada nesse quando lançou. Mas dai vi bastante resenhas negativas dele e perdi a vontade de ler. Ainda bem que não li porque essa mocinha já me irritou só lendo a resenha, imagine o livro então. Acho que vai ter esse tipo de livro por bastante tempo sim, tem um publico que infelizmente acha isso bonito.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi Silvana.
    Se tem uma coisa que eu gosto em resenhas a sinceridade Então não preciso nem dizer que adorei a sua esse livro até tava na minha lista de leitura mas confesso que agora não tenho certeza se quero mesmo não sou muito fã de personagens em Seguros e pelo que você comentou a mocinha se mostrou se uma pessoa assim a coisa toda de se apaixonar por um dos sequestradores é muito bizarro até mesmo para mim enfim não acho que esse seja o melhor para mim.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Sil
    GOstaria de ler esse livro um dia, mas bateu desânimo total kkk
    Li um parecido esses dias, e sei lá, também fico pensando na falta de criatividade para criar protagonistas assim. Gostei da opinião sincera.

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Gosto muito da escrita da autora e esse livro não foi diferente. Fiz uma ótima leitura, que prendeu minha atenção e gostei muito da protagonista. Não senti nenhum ponto negativo, o enredo foi bem construído, personagens cativantes e o mais importante, com um ótimo final.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. É uma pena que não tenha lhe agradado, eu vi algumas resenha positivas sobre ele e estava ansiosa, e mesmo voce não tendo gostado ainda vu dar uma chance e torcer para gostar, já li outros livros da autora e gostei muito da escrita dela, espero que esse não seja diferente.

    ResponderExcluir
  14. Eu tenho este livro mas ainda não li, mas fiquei bem decepcionada com a história do livro após ler sua resenha, além da personagem fazer tudo pensando no ex, ai ela se apaixona pelo sequestrador, eu fiquei bem indignada, pois eu não gosto de ler livros com este estilo de história, mas vou acabar lendo Gelo Negro por que tenho o livro.

    ResponderExcluir
  15. Oi Silvana,
    Pois é, também estou cansada de encontrar histórias com mocinhas frágeis, indefesas e mordedoras de lábios, já deu né?
    Eu até tinha ficado interessada em ler esse livro pois tinha a impressão de que teria um bom mistério e suspense, mas se o desenrolar da trama é muito previsível... ai desanima de vez.
    Por enquanto, vou deixar de lado, essa história não me fisgaria no momento. Mas tenho curiosidade de conhecer a escrita dessa autora, então vou escolher outro titulo para estrear.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi! Que triste saber que a autora de uma das minhas séries favoritas (Hush-Hush) fez um livro tão decepcionante. Eu juro que eu dei uma risada muito alta quando li que ela fica pensando no ex enquanto corria risco de vida e que ainda se apaixona por um dos bandidos. É rir pra não chorar! Hahahaha Eu já tinha ouvido falar do livro mas já exclui ele da minha listinha. Beijos

    ResponderExcluir
  17. Livros com mistério a ser desvendado, sempre me prendem e quero ler.
    Mesmo que o romance não seja lá essas coisas, tentar descobrir sobre o desaparecimento das moças no passado e relacioná-los ao desaparecimento da moças no presente, é instigante.

    ResponderExcluir
  18. Olá,Silvana!

    Acho que o motivo para tramas como essa continuarem vendendo é ainda o resquício da onda de Crepúsculo, pois a Bella era a moça frágil atraída pelo misterioso perigoso que podia lhe fazer mal. Mesmo nos livros seguintes de Crepúsculo, a Bella ter momentos que ela vai atrás e salva o Edward, a imagem que fica dela é da mulher frágil a ser salva e amada. Também penso que é um pouco daquele pensamento machista (Não que a Becca seja misógena.) de que a mulher depende do homem, mesmo que ela seja considerada independente. A protagonista pensa que dependia do ex para ter uma vida como ela quer, depois encontra o bandido e ao ter a paixonite por ele, pensa que depende dele para sair. E isso acaba vendendo porque é confundido muito com romantismo, tipo aquelas situações de contos de fadas em que príncipe salva a princesa. Mas romantismo não é dependência, é cortejamento, e isso não depende de gênero sexual para ocorrer. E uma personagem forte pode sim se apaixonar, mas não vai depender de ninguém para se salvar, se precisar.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  19. Oi, Silvana!
    Assim como você também não suporto mocinhas frágeis e mordedoras de lábios, e sinceramente não simpatizei com a Britt, por isso não vou nem me aventurar em ler Gelo Negro. Mas eu amei sua resenha e as fotos.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  20. Oi, Silvana!!
    Como não li nenhum livro da autora não posso opinar, mesmo com toda crítica negativa ainda quero muito ler esse livro.
    Bjoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.