Resenha: A letra escarlate


Heey "pipous", tudo bem com vocês?!

Desde que assisti ao filme A mentira com a Emma Stone, fiquei louca para saber que obra era essa que poderia inspirar um livro que tratou com maestria e deboche um assunto tão delicado quanto a pureza feminina. Agora que realizei esse desejo que me consumia a tempos, vim compartilhar com vocês minhas impressões sobre a obra.

A letra escarlate nos apresenta a Hester Prynne, uma jovem mulher à frente de sua época. Recém-casada, Hester viajou sozinha para a Nova Inglaterra com a promessa de que o marido logo viria encontrá-la, porém, passado um ano após a sua chegada nenhum sinal do marido fora recebido e sabendo que as condições de viagem naquela época não eram muito seguras, todos passaram a imaginar que seu navio tivesse afundado.

Sozinha nesse mundo novo e ainda selvagem, Hester acabou se envolvendo com um homem cuja identidade não teria graça se aqui fosse revelada e desse relacionamento surgiu um fruto, o fruto do pecado de Hester e a prova de seu adultério. Marginalizada, acabou presa e após o nascimento de sua filha Perola, foi posta sob o cadafalso da praça onde ganhou de volta a liberdade mas recebeu como punição carregar no peito uma letra, a letra A de “adúltera” na cor escarlate e o isolamento pelo resto da vida.


Sempre que Hester procurava a igreja em busca de consolo espiritual, acabava virando o tema da pregação, as crianças inocentemente percebiam que a comunidade desprezava a portadora da letra escarlate e faziam coro e lhe apontavam o dedo sempre que passava pela praça, as pobres inocentes sequer entendiam o significado do símbolo preso ao peito mas atingiam Hester como punhais. Fortalecida por seu tempo na prisão, Hester não abaixou a cabeça para as ofensas, os julgamentos e olhares implacáveis da multidão, sozinha aceitou a punição e se resignou a mostrar a todos o seu valor mesmo que eles lhe virassem a cara. Passou a se dedicar aos pobres que muitas vezes recusavam receber ajuda de suas mãos pecadoras e tanto quanto isso lhe doía, ela jamais desistiu ou retrucou qualquer ofensa.

Enquanto a jovem adúltera sofria humilhação pública, o homem com quem ela vivera uma paixão permanecia com a identidade oculta, mas sofria igualmente e estava sendo punido mesmo sem perceber, pois o silêncio levou um pedaço de sua alma e os esforços de um inimigo oculto o fez se transformar em uma casca do que fora um dia.
“Bem-aventurada é você, Hester, que usa a letra escarlate abertamente em seu peito! A minha queima em segredo!”

Com o passar dos anos, a jovem conhecida por todos como a adúltera foi ganhando o respeito de parte da comunidade, sempre disposta a ajudar os enfermos e oferecer-lhes um manancial de ternura enquanto esperavam que a luz divina brilhasse sobre eles, para alguns, o “A” de adúltera poderia muito bem ser “A” de abençoada de tanto que passaram a respeitar as atitudes benevolentes de Hester.
“É credito da natureza humana, salvo quando o egoísmo é posto em jogo, amar mais facilmente do que odiar.”
Hester nos mostra que permanecer fiel ao que somos é prova de caráter e também a atitude mais inteligente caso valorizemos uma vida tranquila sem perigo de adoecer a alma, ela, sendo pecadora e portadora de uma marca a identificando com tal, foi a única que resistiu aos anos e que ao invés de enfraquecer se tornou mais forte e se tornou maior que o símbolo do seu pecado, ao contrário dos seus antagonistas, o marido e o amante, que por se esconderem nas sombras encerram suas vidas em profundo amargor e fora de alcance da luz divina.

Garantia de grandes aprendizados, A letra escarlate é uma leitura que eu recomendo.


Quotes:
“Nenhum homem, por período considerável, consegue exibir um rosto para si e outro para a multidão sem finalmente se confundir sobre qual dos dois é verdadeiro.”
“Aquele a quem somente o mal externo é revelado sabe, muitas vezes, apenas metade do mal ao qual é chamado curar.”

Título: A letra escarlate (exemplar cedido pela editora)
Autor: Nathaniel Hawthorne
Editora: Martin Claret
Páginas: 270
Ano: 2017


26 Revelaram sentimentos:

  1. Gostei da historia e o que mais gostei do titulo combinado com a historia, a historia me pareceu realmente impressionante nunca tinha lido nada a respeito do livro só tinha visto a capa em alguns blogs, mas não sabia que era tão boa assim, uma protagonista que depois de passar por tudo que passou continua firme e forte tentando ser aceita, muito bom.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei interessada em ler é uma grande lição de vida que a personagem passa ao leitor, apesar do que aconteceu ela não abaixou a cabeça e seguiu em frente ajudando quem precisa, fiquei emocionada ao ler a resenha imagina lendo o livro rs. E como sempre não devemos julgar as pessoas sem conhecê-la direito.

    ResponderExcluir
  3. Oi Jessica.
    Que premissa mais interessante.
    E que lição de vida essa personagem passa, apesar de sofrer por um erro, não se deixou abater, fiquei super curiosa para saber quem é o homem com quem ela comete adultério, eu normalmente não leria um livro com essa temática, entretanto estou curiosa demais para resistir.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Jessica, tudo bem?
    Que história linda, já gostei mesmo só tendo visto um pedacinho dela através da resenha. Como não vou poder ler ao livro agora, vou procurar o filme pra poder conhecer pelo menos um pouco mais desta obra.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara, foram feitos dois filmes! Assisti a versão de 1995 e ficou bem diferente da estória narrada no livro. Agora quero ver a adaptação da década de 70, espero que essa seja mais fiel.

      Excluir
  5. Oi, Jéssica
    Nossa, esse livro parece ser intenso. E nem sabia que tinha um filme.
    Fiquei curiosa por essa jornada da protagonista e pela coragem dela. E também queria saber como foi o final de amargor dos dois homens. Adorei a dica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem dois filmes! Assisti a versão de 1995 e digamos que adaptaram de mais, ficou bem diferente da estória narrada no livro. Agora quero ver a adaptação da década de 70, espero que essa seja mais fiel.

      Excluir
    2. Nossa, bem antigos, né?

      Excluir
  6. Menina, mas acabei comprando esse livro porque vi A mentira também! Louco isso. Assisti um filme dele, mas já sabia que era bem diferente, muita coisa por lá foi mudada. Quase escolhi esse livro como minha leitura atual, mas deixei de lado por um outro. Agora me deu mais vontade de ler. Esse livro parece ser tão bom, fala de tantos temas fortes e coisas que fazem pensar...
    E confesso que esse tipo de julgamento e como isso estragava a vida de uma mulher sempre me deixou indignada. Acho que ao ler o livro vou ficar irritada com essa gente e o tratamento deles para com a Hester. Mas o mais legal de tudo é ver que nem isso conseguiu abalar totalmente essa mulher. Ela enfrentou a situação de maneira forte e ainda se prestou ao trabalho de ajudar outros e não se perder dentro de si mesma.
    Acho que vou adorar esse livro.

    ResponderExcluir
  7. Jéssica!
    O fto de ela ter sido adúltera, não alterou sua essência de bondade, deve ser um livro onde podemos acompanhar uma sociedade mais arcaica e depreciativa.
    Mas veja, acredita que isso ainda acontece?
    Pois é, aqui nos interiores, os homens marcam a ferro quente as mulheres que os traem, tremendo absurdo para o século XXI e a maior ignorância na minha opinião.
    Desejo um mês abençoado!
    “Muitas palavras não indicam necessariamente muita sabedoria.” (Tales de Mileto)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Linda resenha! Não sei porque mas vendo a capa e o comecinho da resenha achei que tivesse algo a ver com magia kkkk mas claro que me surpreendi positivamente ao saber a Real história por trás desse A. Gostei muito dessa protagonista, pela sua resenha da pra perceber que apesar de tudo e todos contra ela, não há nada que a derrube pra sempre, gostei bastante. Achei misterioso esse sujeito oculto com quem ela viveu essa paixao...outro ponto positivo, porque adoro um mistério! Fiquei meio curiosa pra saber se esse marido dela morreu ou não. Apesar de ter dado um sumiço nunca se sabe né? Kkk o livro é pequeno mas parece ter muuuita história pra contar!

    Beijos

    www.nebulosadeflores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi.
    Gostei muito da resenha e da indicação.
    Não conhecia o livro. Sabia do filme, mas também ainda não tive a oportunidade de assistir.
    Por tudo que você comentou, percebi que é uma leitura cheia de reflexão e com um aprendizado de que uma pessoa pode ser forte e superar muitas marcas. Ir além.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Oi Jéssica,
    Que livro mais incrível! Não conhecia esse livro e também não assisti ao filme A mentira, mas ambos estão na lista agora. Adoro livros que trazem protagonistas fortes que não se deixam abalar e estão sempre com a cabeça erguida, e a Hester é uma mulher valente e guerreira por encontrar o seu caminho após sofrer tanto. Amo livros assim, repletos de reflexão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Ainda não conhecia esse livro, muito menos o filme, e por isso me surpreendi e muito com essa leitura, estudei recentemente a respeito de eles marcarem as pessoas na pele quando elas cometessem algum ato infrator, para mostrar a sociedade de que se fizessem o mesmo estariam marcadas para sempre, hoje em dia isso não mudou, mas o tipo de marca e outra. Amei o fato da protagonista mudar essa visão de adultera para abençoada, por ser reconhecida pelo bem que se fazia a sociedade, essa deve ter sido uma leitura e tanto.

    ResponderExcluir
  13. Olá, Jéssica.
    Eu sempre vejo referencias a esse livro em filmes e outros livros. Mas não tinha me interessado em ler ele até agora. Achei essa edição bem bonita e vou anotar aqui para ler. É engraçado como hoje temos pessoas nessa mesma situação mas que não precisam ter uma letra pintado no peito, ela está lá, mesmo não sendo visível.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  14. Oi Jéssica!
    Nossa, eu fui ficando agoniada ao ler a resenha. Não dá nem pra pensar no que ela passou. Ser marcada dessa forma, receber os olhares por onde ia. Fiquei curiosa quanto ao pai da criança. O que será que acontece com ele para que acredite que a "marca" dele é pior que a dela?
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  15. Oi, Jéssica!
    Nossa, que bacana a história. Já tinha ouvido falar do livro antes, mas não sabia que possuía uma trama tão impactante. Acho que qualquer um que lê-lo conseguirá tirar bons aprendizados. O exemplo da Hester, que mesmo marcada como uma pecadora sem perdão, continua fazendo o bem, sem perder sua ética. E isso aparentemente lhe traz bons frutos, depois de tanta bondade. Fiquei curioso com os outros personagens.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Eu conheço a história desse livro, mas nunca parei para ver o filme ou ler o livro. Acho que uma vez uma professora minha me falou sobre o enredo e eu nunca mais esqueci.
    Realmente, é uma alfinetada e tanto ela ser acusada de adultério numa época em que o puritanismo imperava.
    Parabéns pela resenha Jéssica!

    ResponderExcluir
  17. Oi, Jessica!
    Apesar de admirar personagens como a Hester, forte e guerreira apesar das adversidades, A letra escarlate não faz o meu estilo de leitura, mas fiquei curiosa em relação ao filme A mentira, nunca tinha ouvido falar dele mas pretendo assistir em breve, e quem sabe depois de assistir eu decida ler a esse livro?!... Mas por enquanto A letra escarlate não vai para a minha lista de leitura...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. Oi!
    Que triste ver todos apontando o dedo para Hester. Achei meio "pesado" gravar um "A" no peito dela. Mas ver que depois de um tempo as pessoas começaram a achar que o "A" era de "abençoada" e que ela nunca deixou de ser ela mesma é de escorrer uma lágrima haha Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oii

    Depois de saber do que se trata esse livro, fiquei curiosa pra ler. Histórias que possuem essa carga de crítica me estimulam muito na leitura. Obg pela dica !

    ResponderExcluir
  20. Olá, Jéssica!

    Sempre ouvia essa história por causa dos filmes baseados no livro. Me lembro até de ter lido uma sinopse de um filme que tinha a Demi Moore como a Hester.
    Mas o curioso é que o livro fala dos dois lados do preconceito e do tabu, tanto o de quem sofre como o de quem o gera. Até com mais de uma década de distância, esse livro ecoa as mensagens do Papa Francisco sobre misericórdia e inclusão. Os puritanos, ao segregarem a Hester como adúltera, sem tentar questionar e compreender o motivo, acabaram sendo mais pecadores que ela, que usou isso como uma força para fazer o bem a quem também era segregado, só que pela pobreza.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  21. Oi, já tinha visto falar mas ainda não li e infelizmente por enquanto não tenho interesse, mas vou procurar assistir ao filme para ver o que eu acho e quem sabe mais para a frente eu leia.

    ResponderExcluir
  22. Eu não conhecia este livro, mas lendo um pouco sobre o que se trata a história na sua resenha, fiquei bem interessada em ler, é uma história bem diferente e despertou minha curiosidade em ler.

    ResponderExcluir
  23. Oi, Jessica!!
    Já conhecia esse livro por que vi ele ser citado algumas vezes em filmes e outros livros mais nunca parei para ler a sinopse desse livro, agora lendo a resenha vi que é um livro bem interessante e vale super a pena a sua leitura.
    Bjoss

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.