Resenha: Darkham

https://images.livrariasaraiva.com.br/imagemnet/imagem.aspx/?pro_id=9855691&qld=90&l=430&a=-1Olá, pessoal. Hoje vim trazer para vocês a resenha do livro Darkham, em parceria com o autor Jean Vallens. Sinceramente, eu fiquei meio dividido em relação a ele, sem saber se gostei ou não, então vamos para a sinopse e depois direi os motivos.

“Quando a Lei não consegue mais combater o crime, talvez um vigilante possa fazer toda a diferença. Isso é o que ocorre em Hollandon, uma importante cidade para assuntos internacionais e, amplamente, considerada a segunda capital cultural do mundo. Nela, acompanhamos a história de Jack Lewis, um empresário e vigilante, perseguido por agentes corruptos da Agência de Inteligência Centralizada (A.I.C.). Ele é incriminado por um assassinato e isso o leva a fugir das autoridades. Enquanto tenta provar sua inocência, não pode deixar de dar suporte a cidade na figura de Darkham, um vigilante honesto em meio a uma cidade corrupta e inescrupulosa. Sua jornada não será fácil, ainda mais quando Royal King quer ver o vigilante morto. King ainda designa Frank Tupelo, seu braço direito, a uma missão crucial para sua organização. Entretanto, quando o caminho de Tupelo cruza com o de Darkham, vidas são perdidas”.

Olhando a capa e a sinopse acredito que praticamente 99% das pessoas, assim como eu, devem pensar “Olha, é o Batman”. Jack Lewis assim como Bruce Wayne tem dinheiro a beça, um cara na polícia que o ajuda (olá, comissário Gordon), um mordomo que sabe seu segredo (mas aqui no caso é uma governanta), uma “batcaverna”, muitos acessórios, pensamento estratégico, um super vilão e, claro, uma fantasia para combater o crime.

Eu não sei o que pensar disso. Como fã de carteirinha do Batman admito que a capa e a sinopse me fizeram lembrar do herói e foi um grande fator que me chamou atenção para querer ler essa obra. Porém, o personagem é bem diferente em algumas coisas daquele ao qual, acredito eu, tenha sido inspirado. Ao mesmo tempo em que diz ter pensamento estratégico eu vi umas partes com resoluções de problema muito clichês, como por exemplo, se fantasiar de mendigo (olá, Batman Cavaleiro das Trevas) para entrar em um local vigiado.

Em compensação o livro é todo feito de ação e isso é positivo, te prende em um ritmo frenético e faz a leitura passar mais rápida. Inclusive a escrita do autor também é outro ponto que elogio e critico ao mesmo tempo, isso porque ele escreve como se estivesse narrando um roteiro de filme mais ou menos, às vezes de certa forma se incluindo na história – e eu gostei da forma como ele fez.

É uma escrita boa e divertida, porém, o que critico (e nesse caso vejo mais como uma crítica construtiva) é que: lembra daqueles vários acessórios que o personagem tem? Pois, às vezes dá a impressão de que o autor está mais preocupado em descrevê-los do que dar prosseguimento à história. Porque tem partes, por exemplo, que ele vem me dizer que o personagem está bebendo seu suco feito com uma fruta tal e tal e tal e que só existe no Japão em determinada ilha. Ou que pega sua faca “rambo” não sei das quantas durante o combate.

Essas descrições estão em notas no livro, contudo, são muitas e acredito que sem algumas delas a história iria fluir bem mais, como na parte da faca por exemplo, acredito que seria mais importante saber que a faca fez seu papel do que saber que tipo de faca ele usa. Tudo bem que talvez pelo fato de ser escrito como um roteiro essas descrições sejam necessárias, mas poderia deletar algumas.

Mas, tirando isso, a obra é boa, rápida, divertida de se ler e acredito que se fosse posta na forma de quadrinhos ficaria muito boa devido ao fato de ser muito visual e de ação constante. Ela também conta com um final em aberto, então por aqui vou dando nota 3 à obra e vamos esperar para ver o que nos aguarda na continuação de Darkham e sua busca pela justiça.

Título: Darkham
Autor: Jean Valens
Editora: Viseu
Páginas: 129
Ano: 2017

16 Revelaram sentimentos:

  1. Humm, confesso que vendo assim de cara e sinopse ele lembra muito de Batman mesmo e não sou lá muito fã desse personagem. Por isso não chama muita atenção. Mas é legal ver que eles tem suas diferenças e mesmo que o livro possa acabar caindo em alguns clichês, umas coisas que excesso tipo isso das descrições de acessórios e tal, ainda parece bom pelo ritmo e toda ação que tem na história. Parece fácil de ler por isso e poderia ser bem interessante. Só não sei se é muito pra mim. Esse teria que ler pra ver mesmo, mas acho que ele acaba chamando mais atenção de quem é fã do Batman ou coisa no estilo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristiane.

      Sim, o livro é bem fácil de ler e a ação é constante. Só arriscando a leitura então para ver kkkk. Eu recomendo. Mas como assim você não é lá muito fã do Batman? =O Que crime kkkkkk

      Excluir
  2. Oi Fábio!
    Impossível ler a sinopse e ver a capa e não lembrar de Batman, meu queridinho!
    Ainda não conhecia esse título, mas acho que, mesmo o autor tendo caído em alguns clichês, escreveu uma obra que pode me agradar - principalmente pela ação.
    Vou anotar a dica, não consigo não anotar rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Batman melhor pessoa kkkkk

      kkk Anote mesmo e de uma chance tambem se puder. Fico feliz por ter despertado essa curiosidade.

      Bjs Bruna =*

      Excluir
  3. Por não gostar de Batman a sinopse não me lembrou dele haha mas me pareceu um livro bem interessante.
    Essa parte dos clichês e das descrições muito detalhadas me deram um pouco de preguiça mas acho que são coisas que conseguimos relevar. Aco que vou dar uma chance se tiver oportunidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maíra.

      Que crime não gostar do Batman =O kkkk. Ótimo, dê uma chance mesmo, espero que goste =D.

      Excluir
  4. Fábio!
    Possivelmente o escritor quis trazer uma releitura do Batman, afinal, são tantas releituras dos contos de fadas, pro que não dos super heróis, não é mesmo?
    Se as notas atrapalham a leitura, deveriam ter sido inseridas no contecto da narrativa, não é verdade?
    Mas... se traz ação, acredito que como entretenimento, deve ser uma boa leitura.
    Que outubro venha carregado de boas energias!
    “O tempo é teu capital; tens de o saber utilizar. Perder tempo é estragar a vida.” (Franz Kafka)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudynalva.

      Sim, provavelmente foi isso mesmo.A ação é boa, constante e deveria se conseguir transformar em quadrinhos ficará melhor ainda.

      =*

      Excluir
  5. Oi! O livro possui uma proposta interessante, mas confesso que, se tu não tivesse dito, eu nem teria me ligado na semelhança com o Batman hahaha Acho isso um ponto meio negativo, pois parece que foi uma falta de criatividade do autor, principalmente com os clichês na hora de resolver as coisas. Uma pena também que o autor é tão detalhista em coisas sem tanta importância. Espero que tu goste da continuação! Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Olá Gabriela =D

    Na verdade apesar desses itens eu gostei dessa obra no geral. Espero que a continuação seja melhor e que essa obra possa sair em quadrinhos um dia. Será ótimo. Beijos =*

    ResponderExcluir
  7. Olá, Fabio!

    Darkham puxou muito ao Batman. Como não sou muito conhecedora do Batman, penso que a única diferença que tem é essa perseguição ao Jack por um crime que não cometeu pela A.I.C, como se ele atrapalhasse seus planos. E o que acho curioso é que além da sigla lembrar um velho estúdio de dublagem de filmes e desenhos, de trás para frente, a sigla se transforma em C.I.A. e muita gente sabe que a C.I.A. está no meio de várias teorias da conspiração por aí, então cai como uma luva como referencia.
    Um professor de escrita acadêmica me disse que notas podem ser úteis para não fugir muito do foco do texto, mas em exagero poluem e tornam a leitura complicada. Acho que se tivesse esse mesmo conselho, o Jean Vallens teria um livro menos poluído de notas!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leti.

      Pois, tenho que ser sincero em admitir que nem me toquei nessa sigla de trás para frente kkkk. O negocio não são nem as notas, mas as explicações como se fossem um catalogo de itens caros kkk. Mas vale a pena a leitura.

      Abraço

      Excluir
  8. Quando vi a capa nem pensei no Batman, mas a sinopse lembra rs. Como adoro ação fiquei curiosa com o livro, ainda mais por envolver assassinato que acaba tendo um clima de misterio que gosto bastante, pena ter tantas descrições pois acaba deixando a leitura cansativa,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maria.

      Se você gosta de ação então leia vai gostar desse livro. Certeza =D

      Excluir
  9. Oi, Fábio!!
    O livro parece ser bem interessante!! E essa capa parece realmente parece com o Batman!! Gostei muito da indicação pois livro de ação sempre é uma boa pedida! Principalmente quando o livro é rápido de se ler!
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marta.

      Que bom que se interessou. Então recomendo a leitura sim. Porque ação é o que não falta nesse livro.

      Beijos

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.