03 junho 2018

Resenha: Nossa Música


Eu nunca tinha lido nada dessa autora, então foi a minha primeira experiência. Confesso que tive resistência no início por já saber da fama de seus livros serem tristes. Mas aceitei esse desafio por ser uma leitura coletiva com algumas amigas. E me surpreendi bastante! 

A história teve dois pontos que eu considerei previsíveis, pois na metade da leitura eu já matei a charada. Mas, ainda assim, o final tirou meu chão e terminei o livro engasgando de tanto chorar.

Ally e Charlotte tinham tudo para ser melhores amigas, isso se David, atual marido de Charlotte, não fosse o primeiro amor de Ally, e também seu primeiro coração partido.

O destino se encarregou de separar as duas e, após oito anos, elas se reencontram em uma sala de espera da emergência de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. O que elas menos queriam agora, de fato, era esse reencontro.

“- Como você soube que ele estava aqui? Quem contou?
- Eu... Eu estava em casa... A polícia me avisou – respondeu Ally. – Encontraram meu número na carteira dele. O que você está fazendo aqui, Chrlotte?
Por um momento as palavras dela me deixaram sem fala. Ela estava delirando? Era ela que não devia estar na sala. Era ela a intrusa.
- Por favor, vá embora. Seu lugar não é aqui – declarei.
- Não faço a menor ideia do que você está falando, mas é claro que meu lugar é aqui. O homem que eu amo está lutando pela vida, onde mais eu deveria estar?
- Ele não é seu marido. É meu! – gritei, a voz embargada enquanto as lágrimas que eu não queria que ela testemunhasse começavam a rolar.
Os olhos de Ally se arregalaram, incrédulos. Ah, claro, como se ela não soubesse que tínhamos nos casado.
- David? – perguntou ela, trêmula, e, só de ouvir o nome dele em sua boca, já sentia ódio. – David está aqui? Neste hospital? Nesta emergência?
Seus olhos fitaram os meus e, dentro deles, vi o reflexo de meu próprio ceticismo diante do que o destino fizera mais uma vez: nos reunira de uma forma implacável, sem que pudéssemos fugir.
- Não é por causa do seu marido que eu estou aqui. É por causa do meu – explicou Ally.”


David e Joe dividem a mesma emergência do hospital, ambos correndo risco de vida. David foi diagnosticado com uma doença rara no coração e precisa de transplante com urgência. Joe, o herói, se jogou em um lago congelado para salvar uma criança e seu cachorro, por isso encontra-se inconsciente, respirando apenas por aparelhos.

O livro se alterna entre passado e presente, nos dando uma visão ampla dos acontecimentos. Achei que dessa forma a leitura fluiu mais, a autora soube trabalhar bem todas as partes e mexeu com as minhas emoções.

Durante a leitura senti raiva de alguns personagens e ao mesmo tempo empatia. Mas Joe, sem dúvida, se tornou meu personagem favorito. 

Os dias correm e Ally e Charlotte são obrigadas a aceitar a presença da outra e aos poucos o muro de concreto que separa as duas começa a ruir. Elas precisam aprender a deixar o passado de lado e dar apoio uma a outra para superar esse momento tão difícil. E, nesse meio tempo, antigos segredos são revelados e decisões difíceis precisam ser tomadas.

É um livro lindo, que te desperta das mais variadas emoções. Confesso que comecei a leitura achando que não iria gostar. Mas ainda bem que insisti. Embora eu seja apaixonada por romances, sou bem durona para chorar. E, nesse, acabei me desmanchando em lágrimas. O principal responsável por tantas lágrimas foi o pequeno Jake, filho da Ally. Como se pode aprender tanto com uma criança?


Foi uma surpresa muito agradável para mim e recomendo a todos essa leitura. Ela te traz ensinamentos incríveis sobre amizade, família e reconciliação. Te faz refletir em como somos tão pequenos nessa vida e que devemos repensar nossos atos.

Sobre a edição: Como todos os livros da Editora Arqueiro, a edição e diagramação são impecáveis. A capa é fosca, com uma sensação de emborrachado, o que traz um diferencial incrível. O tom das páginas e o tamanho da fonte foram escolhidos na medida certa, proporcionando uma experiência única.

Maravilhosa essa leitura!
“Você pensa que tem o controle de sua vida, acredita que é você quem toma todas as decisões, e então algo assim acontece e você se dá conta de que é uma minúscula peça em um jogo de xadrez, sendo movida de um lado para o outro ao capricho de alguma coisa ou alguém muito maior.”
 
Título: Nossa Música
Autor: Dani Atkins
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Ano: 2017

35 comentários

  1. Oi. Fernanda!
    Não conhecia o livro, mas sou manteiga derretida tenho certeza se um ler esse livro vou chorar por tudo.
    Nossa Música deve ser uma experiência enriquecedora de ler, duas amigas separadas que depois de anos se reencontram com mágoas.
    O livro tem muitos exemplos que nos fazem refletir, as crianças nos ensinam muitas coisas que depois que nos tornamos adultos esquecemos, amo crianças.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana,
      Sim, é uma leitura que te traz muitas reflexões sobre a vida. Vale a pena conferir. E prepare os lenços rsrs.
      Beijos!

      Excluir
  2. Oi, Fernanda.

    Ainda não o li, mas a forma como a autora desenvolveu esse livro, foi muito irreverente, indo além do romance. Por, através dos pontos de vistas alternados, nos dá a oportunidade de conhecer os dois lados da história.

    E, por através dos flashbacks, nos fazer entender o que aconteceu no passado. Acrescentando assim, aquela pitada de curiosidade em saber como os papéis foram invertidos.

    É um livro que eu quero ler, já tem um tempinho. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daiane!
      Se você já tinha o interesse de ler, acho válido dar uma chance. Sim, te mostra os diferentes lados da história e te desperta das mais variadas emoções.
      Beijos!

      Excluir
  3. Oii, Fernanda. Tudo bem?
    Esse livro parece ter um drama no final, tô correndo um pouco deles.
    Em todo caso, parece ser uma história interessante. Ótima resenha!
    Beijos
    Dear Masen

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anni!
      Estou bem e você?
      Não vou negar que tem um drama mesmo, mas é válida a experiência.
      Obrigada!
      Beijos.

      Excluir
  4. Eu acho essa capa linda, já tinha visto falar, mas ainda não li nada da autora.
    Não sou muito de livros tristes (Apesar de que nos ultimos meses tenho lido alguns, estou tentando sair da minha zona de conforto.
    Joe parece ser um ótimo personagem alem de corajoso, arriscando a sua vida para salvar uma criança.
    Não gosto muito quando os livros alteram entre passado e presente e esse é o principal motivo de não colocar ele na minha lista, mas seria um livro que se eu tivesse a oportunidade poderia dar uma chance.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Brenda,
      Livros tristes também não são meu forte, mas confesso que me surpreendi bastante com esse.
      Joe sem dúvida foi um personagem marcante na história.
      Entendo seu ponto de vista, mas no caso desse livro, foi necessária a intercalação do passado e presente para poder compreender tudo que envolvia a história.
      Se puder, dê uma oportunidade sim, vale a pena.
      Beijos!

      Excluir
  5. Nossa, parece muita leitura muito interessante de fato. Eu fiquei interessada. Nunca tinha ouvido falar dessa autora e nem desse livro, mas já deu para notar que ele é interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mary,
      Ele é interessante sim.
      Vale a pena dar uma chance a ele.
      Beijos!

      Excluir
  6. Oi Fernanda,
    Me indicaram esse livro esses dias, mas não fiquei tão empolgada para ler. Mas depois de ler sua resenha, fiquei com muita vontade. Vou dar uma chance sim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Theresa!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha.
      Acho super válido dar uma chance.
      Beijos!

      Excluir
  7. Já tinha ouvido falar desse livro e quero muito ler quando tiver oportunidade!! Gosto de tramas que nos fazem refletir sobre nossas escolhas, nossa vida, esse livro nos proporciona isso, apesar de ser uma história triste!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karina.
      Exatamente, ele te proporciona muitas reflexões sobre a vida. Afinal, nem tudo são flores, né?
      Beijos!

      Excluir
  8. Sempre achei a capa desse livro linda - e por isso eu sempre tive aquela curiosidade para ler, rs. Eu também nunca li nada da autora, mas diante dos seus elogios eu fiquei bem curiosa e morrendo de vontade de ler. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aléxia!
      A capa é linda mesmo!
      Leia sim, não vai se arrepender.
      Beijos!

      Excluir
  9. Fernanda!
    Quando gostamos muito de uma autora e já sabemos a dinâmica de sua escrita, ficamos mesmo com medo de ler um livro que traz uma premissa diferente, porque não sabemos o que virá.
    E que bom ver que mesmo trazendo duas famílias ligadas pelo passado e com seus problemas a serem resolvidos no presente, a autora soube conduzir a trama com maestria.
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “O que eu sinto eu não ajo. O que ajo não penso. O que penso não sinto. Do que sei sou ignorante. Do que sinto não ignoro. Não me entendo e ajo como se entendesse.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudynalva!
      Sim, é um livro muito bom para sair da zona do conforto. Eu me surpreendi bastante e espero que outras pessoas se surpreendam também.
      Beijos!

      Excluir
  10. Simplesmente apaixonada pela história desse livro e pela capa, fiquei bem curiosa para conhecer!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kaila!
      Vale super a pena dar uma chance para essa leitura.
      Beijos!

      Excluir
  11. nossa fiquei super curiosa com esse livro pela sua resenha, adorei que o final é surpreendente ja quero ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lívia,
      É uma boa pedida. Espero que se surpreenda também.
      Abraço!

      Excluir
  12. Sofro com livros que me fazem chorar, sofro junto com os personagens. Gostei muito dessa história e realmente parece ser muito emocionante mesmo. Gostaria de dar uma oportunidade a esse livro, mas tenho medo do que posso encontrar no final da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana Paula,
      Esse realmente é um livro muito emocionante, não posso te dizer o que acontece no final, mas te deixa uma lição maravilhosa de vida.
      Abraço!

      Excluir
  13. Oi Fernanda,
    Não vou mentir, adoro livros que me fazem sofrer, rs. Eu já tinha o livro na lista de desejados, e claro que percebi como a leitura vai emocionar com esse reencontro das amigas. Gosto bastante quando intercalam a narração, concordo com você, isso flui mais a leitura e mantém a curiosidade do leitor viva. Fico bem curiosa para saber como essa história chegará ao fim, claro que já quero ler, assim como outros da autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória,
      Que bom que gosta desse estilo. Tenho certeza que irá se apaixonar por essa leitura!
      Abraço!

      Excluir
  14. Eu não conhecia o livro e também não li nada da autora. Eu gosto de enredos tristes e dramáticos, na verdade o que me incomoda são aqueles livros com estórias e finais tão felizes que a gente duvida poder existir. É uma situação interessante esse encontro das duas personagens no hospital e deve render diálogos fortes e muitas lembranças. Fiquei curioso com a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Evandro,
      Se gosta desse tipo de enredo, certamente gostará dessa leitura.
      Realmente ele nos faz refletir que isso pode acontecer com qualquer um de nós e nos faz repensar nossos atos.
      Abraço!

      Excluir
  15. Olá, Fernanda!

    A Dani tem sim essa capacidade de fazer o leitor se emocionar com suas histórias, que podem até parecerem mirabolantes, mas que poderiam muito bem acontecer com todos, já que o destino é capaz de fazer essas coisas. Charlotte e Ally foram separadas por um homem e reunidas por esse mesmo homem e por aquele que se tornou o ombro amigo de Ally. Não tem como não pensar em como poderia ter sido se Ally ficasse com o David e com sua doença cardíaca. E também em como Charlotte e Ally poderiam ser amigas, com ou sem o David. Só mesmo o destino para fazer isso com as pessoas!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leti,
      Sim, durante a leitura nos fazemos esses questionamentos que você colocou. E no final entendemos o motivo de tudo ter acontecido dessa forma e a mensagem que a leitura nos deixou.
      Um abraço!

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Eu sou um pouco difícil de chorar durante ou até mesmo depois de concluir o evento é impossível não derramar lágrimas no final dessa história eu também tive a mesma experiência que você e acabei matando toda a história do livro logo na metade e isso me decepcionou um pouco por ser tão previsível mas mesmo assim não deixa de ser uma ótima leitura simplesmente me encantei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina,
      Realmente ele tem essa parte previsível, mas a mensagem que nos deixa é maravilhosa.
      Abraço!

      Excluir
  18. Também nunca li nada dessa autora. Já tinha visto fotos e tal desse livro por aí, mas nunca parei pra ler alguma resenha e na verdade nem a sinopse, então estou bem impressionada com o tema dele, pela capa e título achava que era algo bem menos complexo. Curti bastante o que você falou sobre o enredo e estou com muita vontade de ler. Também sou difícil de chorar com livro, vamos ver se vou acabar a leitura igual você hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helena,
      A capa realmente engana bastante. Rsrs
      Vale a pena se aventurar por essa leitura. Depois me conte como foi.
      Abraço!

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.