10 julho 2018

Resenha: Heróis de Novigrath


Fala galera, hoje eu venho trazer para vocês a resenha do livro Heróis de Novigrath, lançado este ano pela editora Suma. É um livro de fantasia nacional com aventura que traz um grupo de jovens enfrentando perigos dentro e fora de um jogo de computador. E você que não gosta de jogos, calma, leia a resenha até o fim, pois o livro é muito mais que isso, mas primeiro vamos contextualizá-lo...

Tudo começa com Pedro, um ex jogador profissional de HDN (Heróis de Novigrath) que viu sua carreira e popularidade descendo ladeira abaixo devido ao seu comportamento e personalidade, e nunca mais conseguiu emplacar em nada do tipo, nem mesmo em lives no Youtube. Porém, isso muda quando ele recebe a visita de ninguém menos que Yeng Xiao, um dos avatares do jogo de HDN.

Pedro, no começo, acha que está ficando doido, mas quando percebe que aquilo não é um sonho sua vida muda radicalmente, pois Xiao avisa ao garoto que uma entidade poderosa e maligna está se alimentando da energia dos jogadores para poder vim ao mundo real. Cabe a Pedro então formar o time ideal para competir no campeonato mundial de HDN e vencer essa ameaça.


Começo dizendo que esse livro é, na minha opinião, uma surpresa agradável. Sempre gostei de jogos, mas de vídeo game. Jogos online nunca foi a minha praia e, acreditem, existe uma baita diferença. Por isso quando vi a Suma anunciando esse livro fiquei com um pequeno dilema, a parte da fantasia me atraía, já a parte de jogos me deixava com um pé atrás com medo de acabar me decepcionando, mas resolvi arriscar e felizmente tomei a decisão certa.

HDN lembra até um pouco de X-men, pois temos Pedro, que é o treinador, e temos o resto do time. Com o tempo eles vão adquirindo os poderes dos personagens dos jogos e isso pode ser associado a um professor Xavier e seus alunos. E não só por isso, já que os X-men foram criados justamente para tratar de preconceito com um grupo bem variado de personagens, assim também é em HDN.

Os personagens do livro são bastante variados, o que retrata muito bem essa diversidade. Um deles é um roqueiro de cabelo azul, seu irmão gêmeo é gay, a outra é uma coreana que sofre bullying por ser gordinha e também sofre com a pressão dos pais e por aí vai. É um grupo muito diversificado que serve para quebrar padrões em uma sociedade preconceituosa. 


Isso sem contar que apesar da quantidade relativamente grande de personagens a autora consegue dar a cada um deles um tempo certo de destaque. Todos são muito bem construídos e, mesmo o livro sendo pequeno, isso não afeta na trama, não temos pausas na história para desenvolver personagens e vice-versa, é tudo construído em conjunto, de forma fluida. Parabéns para a autora por isso.

Já na história temos aquele velho clichê: Time do bem x Time do mal. Porém, ele é muito bem trabalhado e isso que importa, pois, mesmo sendo algo batido, não cansa, trazendo algumas surpresas durante a trama. Por sinal, HDN é um livro muito direto, não enrola para se desenvolver, seguindo um ritmo rápido, todavia, que não deixa nada sem explicação.

No fim das contas, HDN foi uma boa surpresa para mim, o livro me surpreendeu e só demorei um pouco para ler porque aqui era período de festa junina + Copa, o que deixava a rua com muito barulho e impossível de se concentrar nas leituras. Só senti falta de duas coisas. A primeira é um glossário explicando os termos do jogos online, eu que jogo não entendo alguns, imagine quem não gosta de jogos e pega para ler? Acho que a Suma deu um pequeno deslize nessa parte.


Já a segunda coisa que senti falta foi um pouco mais de batalhas dentro do mundo virtual. Quando estão no campeonato jogando, o time dos Vira-latas (que é o time formado por Pedro) se “deslocam” para o mundo virtual, ocupando os corpos dos personagens dos jogos, mas muitas vezes as batalhas são descritas apenas pelas estratégias adotada pela equipe para vencer a rodada e eu gostaria de ver um pouco mais dessas batalhas pelo ponto de vista dos jogadores, como eles vivenciaram.

Obs: Existem batalhas pelo ponto de vista deles, mas eu acho que mais umas duas seria interessante. 

Tirando isso, HDN é sim um livro divertido e rápido de ler, não deixa a desejar e é muito agradável. Roberta Spindler tem uma escrita muito boa, facilita muito a leitura e ela não poupa nas gírias na hora da construção dos personagens, até se for para xingar ela xinga kkkkk. É um livro que tem uma história 99% fechada, digamos assim, pois ela se resolve nesse livro, mas nada impede de ter uma continuação. 

Por fim, dou 4 estrelas para esse livro e lembre de escolher seu avatar sabiamente.


Título: Heróis de Novigrath (exemplar cedido pela editora)
Autora: Roberta Spindler
Editora: Suma 
Páginas: 296
Ano: 2018

18 comentários

  1. Oi, Fabio
    Eu adoro jogos mas só sei jogar LoL, mesmo assim fico encantada com histórias de jogadores, pra mim é uma sacada ótima dos autores. Eu provavelmente leria só por ter essa vibe, e olha que fantasia não é um gênero que eu goste.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Miriã.

      Acho então que você iria gostar do livro viu. Se gosta de jogos então esse livro será um atrativo a mais.

      Bjs

      Excluir
  2. Oi, Fábio!
    O único jogo que faz parte da minha vida é The Sims. De resto, eu não sei nada e não conheço hahahaha eu sentiria muita falta de um glossário pelo que você disse na resenha. Não sei se é um livro que me agradaria, mas quem sabe um dia, né?
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mari.

      Já joguei muito The Sims, passava mais tempo construindo casa do que jogando kkkk. Realmente deveria ter um glossario, mas talvez dê para passar sem ele. Arrisca.

      Bjs

      Excluir
  3. Oi, Fábio!
    Eu não sou uma pessoa de jogos, até que entendo alguns termos, mas seria bacana mesmo um glossário pra galera que não é acostumada.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiza.

      Sim, seria legal ter um, mas até que dá para ler sem um. Vale a pena ler.

      Bjs

      Excluir
  4. Oi! Já li outro livro da autora e gostei, mas eu ainda não decidi por este por causa desta questão de jogos, não sou muito fã. Por outro lado, quando você citou X-Men me deixou animada. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cida.

      Eu fiquei nessa mesma duvida (apesar de gostar de jogos), então eu entendo sua duvida. Espero que a resenha ajude a decidir.

      Bjs

      Excluir
  5. Olá, Fábio

    Este é um livro muito fora da minha zona de conforto. Não curto o gênero, achei junenil demais e ainda não curto jogos que não sejam de tabuleiro, sendo assim, não é uma leitura que eu faria. Mas acho que meu sobrinho iria gostar!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tamires

      Verdade, nesse caso melhor passar. Mas é uma boa dica de presente para seu sobrinho.

      Bjs

      Excluir
  6. Olá,
    Ah, eu também não curto jogos online. Criei um ranço danado devido ao meu irmão haha.
    Eu achei a premissa interessante, mas não é um estilo me deixei ansiosa.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nana

      kkk eu entendo. É uma premissa interessante sim, eu achei que não iria gostar do livro, mas felizmente acertei. Quem sabe ai você não pegue ele para ler como uma leitura leve depois de um livro denso?.

      Até

      Excluir
  7. Fábio!
    Não sou muito adepta aos jogos de video games ou jogos de computador, mas achei interessante que o livro traga um quê de fantasia parecido com os X-men e trate sobre diversidade, o que tem sido amplamente discutido ultimamente e é uma proposta bem válida.
    “A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rudynalva

      Recomendo esse livro até para quem não é muito fã de jogos. Vale a leitura para quem gosta de fantasia.

      =*

      Excluir
  8. Olá! Eu gosto muito de jogos também, de videogame. Online eu já tentei, mas não consigo acompanhar. Achei a ideia do livro muito legal, embora eu tenha lembrado de Jogador nº 1, talvez pelo fato dos personagens entrarem no jogo e usurem os avatares e tal.. Achei a dinâmica da história legal, com um guia para os outros jogadores, e mesmo com esse clichê de turma do bem e do mal, eu achei bacana. Obrigada pela dica!

    bjoxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline

      Já que você gosta de jogos acredito que vai gostar desse livro. Ele é bem interessante, mas a questão dos avatares é um pouco diferente de Jogador n1. Da uma chance a ele.

      Bjs

      Excluir
  9. Oi Fábio,
    Eu poderia dizer que o livro não me cativa, maaas, li O jogador número um recentemente e foi uma bela surpresa, então, deixando esse pensamento de lado, a trama é interessante, e o fato dos personagens serem jovens combina bastante, com o tema, e com a diversidade trabalhada na história. Também acho legal as batalhas online, pena que não tem tantas...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vitória

      Olha, acho que vale a pena tentar ler viu. Eu ainda não li jogador n1, mas to querendo.

      Bjs

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.