22 julho 2018

Resenha: Misery


Misery foi minha segunda experiência com o King e posso dizer que essa foi, de longe, a melhor leitura que eu fiz este ano.

Paul Sheldon é um famoso escritor nos Estados Unidos, conhecido principalmente pela sua obra de maior sucesso: Misery. Ele publicou uma série de livros dessa personagem que arrastou vários fãs. Um belo dia, não tão belo assim, Paul sofre um acidente e seu carro fica preso na neve. Para sua sorte, ou melhor, puro azar, Annie Wilkes estava passando pelo local e decidiu prestar ajuda.

Foi quando ela reconheceu que se tratava do seu escritor favorito, no qual ela é fã número um. Annie é enfermeira e levou seu ídolo para casa, para tratar dele ali mesmo. Ela prestou os primeiros socorros e deu alimentação e medicação intravenosa durante o período de inconsciência de Paul. Porém, ele tinha fraturado gravemente suas pernas e joelhos, mas ela sob hipótese alguma o levou a um hospital por acreditar que ela mesma podia fazer tudo por ele.

Paul acorda e se vê em uma cama de um quarto desconhecido, incapacitado de andar e sentindo dores alucinantes. E é aí que ele conhece sua fã número um, que deixa claro que ele deve sua vida a ela.

Acontece que Annie não é nada boazinha e tortura Paul a todo custo, lhe fazendo implorar por remédios e fazer qualquer coisa que ela quiser.

O último livro da série Misery foi lançado recentemente e Annie ainda não tinha lido. Ela encontra um exemplar de “O filho de Misery” e começa a ler. Quando descobre que sua amada personagem morre no final, Annie fica transtornada e castiga Paul, pois é inadmissível que ele mate sua personagem favorita.

Ela sai da casa por uns dias para espairecer e deixa Paul sozinho e é na sua ausência que ele consegue sair do quarto e descobre que além de preso na casa, ele está incomunicável.

Ainda inconformada com o fim de Misery, Annie obriga Paul a reescrever o final da história, pois a personagem não pode morrer de jeito nenhum. “O retorno de Misery” começa a ser escrito e essa é a única garantia que Paul tem que continuará vivo, pelo menos até que a obra acabe.

Annie descobre as saídas de Paul e o pune brutalmente por ter saído escondido. E é nessa hora que você fecha o livro, respira fundo, controla o coração e continua a leitura.

Paul sabe que seu fim está próximo, pois está terminando a sua história. Ele sabe que não vai conseguir escapar das mãos de Annie com vida então pelo menos que saia com dignidade e planeja dar ela o que merece. Fazendo com que sinta o mesmo que ele sentiu.

O livro é narrado em terceira pessoa e ainda assim consegue trazer os pensamentos de Paul em itálico. Você sente toda agonia e toda dor que o personagem sentiu. A riqueza de detalhes é incrível e você sente como se toda a cena tivesse diante dos seus olhos.

Annie é a pior vilã que já conheci. Quando você pensa que chegou ao limite, ela vem e faz algo muito, mas muito pior. Me vi várias vezes fechando o livro para respirar fundo antes de prosseguir. Ele me proporcionou várias emoções. Senti medo, raiva, adrenalina, agonia, nojo e tudo que você pensar.

Annie sem dúvida é aquela pessoa que merecia ter uma morte beeem lenta e com bastante tortura. Eu a colocaria fácil para participar do filme "O Albergue" só para vê-la sofrer.

Mas King jamais decepciona e o final é digno de uma boa adrenalina, um quase infarto e um puta susto daqueles. Ele encerra com chave de ouro essa obra eletrizante. Há quem diga que ele não é bom com finais, mas certamente quem disse isso não leu Misery.

Eu recomendo de olhos fechados a todos. O mundo precisa ler essa obra maravilhosa!

Sobre a edição: A Suma caprichou no livro, não encontrei nenhum erro e a diagramação está perfeita. Adorei o fato de que as partes do livro que o Paul escreveu apareciam datilografadas nas páginas, dando uma realidade incrível para a leitura.

 
Título: Misery
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 326
Ano: 2014

22 comentários

  1. Eu realmente fico chocado com esse homem (e olhe que nunca nem li).
    Não consigo pensar na hipótese dele escrever algo ruim.
    https://brancobolcado.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ruan,
      Ele é o cara mesmo! Mas leia algum livro dele, não sabe o que está perdendo!

      Abraço,
      Fernanda

      Excluir
  2. Eu adoro os livros dele, mas esse ainda não li!
    Vou providenciar isso! Amei sua resenha!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pathy,
      Obrigada! Fico feliz por ter gostado.
      Leia sim, é leitura obrigatória!

      Abraço,
      Fernanda

      Excluir
  3. Só de ler sua resenha já deu um medinho :x
    Eu sempre quis assistir ao filme, mas sei lá, tenho receio haha

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Bom, eu não senti muito medo... O livro não chega a ser de terror.
      Mas dá uma baita agonia rsrs.
      Se tiver estômago fraco, não leia!

      Abraço!

      Excluir
  4. Oiie.
    Eu amo de mais os livros do King, mesmo tendo lido só um. O que eu gosto nele são as criticas e esse envolvimento que ele tem para com o leitor.
    Amei sua resenha.
    Fiquei com muita vontade de conferir o livro.
    Beijos.

    https://fanficcao.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica,
      Se você gosta do autor, vale muito a pena conferir.
      É uma leitura maravilhosa. Tenho certeza de que irá gostar.

      Abraço!

      Excluir
  5. Eu não curto muito as obras desse autor, mas eu gostei bastante da sua resenha. O enredo é bem interessante.
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com/2018/07/resenha-do-livro-barraca-do-beijo-beeth.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriela,
      Que bom que gostou. A minha primeira experiência com o autor também não foi das melhores, mas resolvi dar mais uma chance. E essa me surpreendeu muito.
      Quem sabe te surpreende também...

      Abraço!

      Excluir
  6. Fiquei curiosa para saber o final desse livro, afinal amo as reviravoltas que as histórias dele dão!

    www.vestindoideias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla,
      Pode ter certeza que esse final é muito bom!

      Abraço!

      Excluir
  7. Como não amar as escritas de Sthepen King? Só vejo comentários positivos sobre as obras dele. Já anotei a dica!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kaila,
      É díficil, viu?
      Essa obra ganhou meu coração.
      Vale a pena a leitura.

      Abraço!

      Excluir
  8. Acho que Annie não é apenas uma torturadora monstruosa, mas com certeza essa mulher precisa ir ao psicólogo e aprender que livros não são reais, haha. Fiquei bem curiosa com esse livro e o coloquei na minha lista de futuras leituras.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leslie,
      Certamente ela tem um distúrbio muito grande. Só lendo o livro para entender.
      Leia sim, vai se apaixonar!
      Abraço!

      Excluir
  9. Fernanda!
    Sou apaixonadíssima por thrillers psicológicos e King é o maior mestre nesse estilo literáro.
    Li Misery e confesso que não foi uma das melhores leituras do Mestre para mmim, talvez porque já tenha assistido o filme antes da leitura e não tenha havia surpresas, pois já sabia como tudo iria se desenrolar. De qualquer forma, é uma boa leitura.
    Desejo uma semana plena de luz e paz!
    “O homem está sempre disposto a negar tudo aquilo que não compreende.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy,
      Acredito que tenha sido isso então.
      Por isso não gosto de ver os filmes antes, pois atrapalham minha experiência.
      Como eu nunca vi o filme, fui muito surpreendida.
      Abraço!

      Excluir
  10. Oi Fer,
    Já li alguns livros do King, poucos, mas entre eles esse foi o melhor, o que mais me agonizou e me fez sentir medo.
    Sabe o que eu acho mais legal da obra? Como o autor trabalha a mente, a todo momento da leitura Du estava agoniada esperando Annie agir, eu tinha medo dela mesmo não estando na história entende? É genial como ele consegue isso!
    Sobre o fim, eu achei digno de tudo que foi apresentado!
    Indico a adaptação, ficou ótima e bem fiel ao livro, fora que os atores deram um show!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória,
      Sim, também sentia medo dela na leitura. Na verdade, eu já ficava imaginando do que ela seria capaz de fazer.
      Não assisti a adaptação ainda, obrigada pela dica!

      Abraço!

      Excluir
  11. Ei! Eu amo King. Sou suspeita pra falar dele, que ocupa um dos primeiros lugares da minha lista de favoritos da vida.. Aquela história da lista de supermercado e tal.. Amo este livro de uma tal maneira.. Porque além do terror habitual, tem uma dose muito real de loucura, onde uma pessoa doente acha que tem direito sobre outra, e que pode agir como quiser com essa pessoa. Pra mim, Annie é uma das melhores vilãs dele exatamente por isso, por ser real. Tanto que na adaptação, a Kathy Bates ganhou um óscar de melhor atriz, por essa personagem. Amei a resenha!

    Bjoxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline,
      Eu não cheguei a ver o filme, pois estava esperando terminar a leitura. Mas soube do Oscar mesmo e imagino como a atriz deve ter trabalhado com maestria.
      Essa obra é simplesmente completa.
      Abraço!

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.