23 julho 2018

Resenha: Bibliotecas no Mundo Antigo


Para quem é amante da leitura, as bibliotecas sempre foram um lugar de encantos e sonhos. Há até aqueles que já quiseram morar dentro delas. Quem é nascido na década de 80, assim como eu, sabe como a biblioteca foi importante para pesquisas escolares. Hoje em dia, mesmo com toda a tecnologia e o acesso mais facilitado aos livros, elas continuam contendo o seu charme.

O livro Bibliotecas no mundo antigo conta, com muita propriedade e conhecimento, como elas surgiram e se desenvolveram. O autor, através de uma vasta pesquisa acadêmica, consegue mostrar como foi o seu início e como elas foram ganhando importância ao longo do tempo.

A primeira biblioteca colecionada de maneira sistemática no antigo Oriente foi fundada pelo rei da Assíria Assurbanípal. Ele ocupou o trono de 668 a 627 a.C. Esta biblioteca foi criada para “contemplação real” e pertencia a coleção particular do rei.

Já nessa época as bibliotecas sofriam com os mesmos problemas que temos hoje: a não devolução, a danificação das obras e a até mesmo o roubo. A estratégia usada pelos reis era escrever maldições no início do “livro” (mais precisamente rolos de papiro, pois os livros como conhecemos ainda não tinham sido inventados) para a pessoa que cometesse algum desses delitos. Outro método era escrever bênçãos para quem devolvesse o livro com zelo. 


Com a chegada do Império Grego e o desenvolvimento econômico e cultural, o incentivo às artes elevaram o avanço da erudição e o desenvolvimento da leitura. A primeira biblioteca que servia ao público, a de Alexandria, foi fundada por volta de 300 a.C.

Depois, com a dominação do Império Romano, as bibliotecas foram aumentando de quantidade e o seu formato foi sendo adaptado para, mais ou menos, o que temos hoje. No Império Grego, elas eram prateleiras de pilhas de rolos de papiro com uma certa organização. A pessoa pegava um rolo e saía do recinto para ler ao ar livre, pois ela não tinha espaço para os leitores. 

Já no Império Romano, as bibliotecas passaram a ter espaços para leituras e estudos. Elas eram espaçosas e muito bonitas, contendo várias esculturas. Elas também eram divididas em duas sessões, uma com escritos Gregos (que era a língua que ainda dominava) e a outra sessão com escritos em latim, a língua Romana. Elas funcionavam, provavelmente, do nascer do sol ao meio dia e atendiam a escritores, eruditos, amantes da leitura e escribas que negociavam com os comerciantes as cópias dos livros.

O crescimento do cristianismo no Império Romano contribuiu para a transição, mesmo que lenta, do rolo para o códice (que foi o precursor do livro que conhecemos hoje). O cristianismo desenvolveu também a literatura latina. Havia uma propagação de estudos dos textos da Bíblia e os monastérios foram os responsáveis por reunir em suas bibliotecas uma coleção amplamente vasta. Desses acervos encontramos a maior parte dos escritos de latim e grego que sobreviveram até os dias de hoje. Eles também foram os responsáveis por espalhar os escritos que viriam a formar as mais importantes bibliotecas da Idade Média e do Renascimento.


Eu, como uma amante de livros e de bibliotecas, gostei muito da leitura fluída do livro. Adorei conhecer um pouco da história das bibliotecas e de poder compartilhar este conhecimento com vocês. Não deixem de ler o livro que está coberto de mais detalhes e curiosidades sobre as bibliotecas no Mundo Antigo.

Sobre a edição: Livro bem escrito e bem editado. Capa bonita e em alto relevo. Folha amarela, perfeita para a leitura, com uma gramatura mais grossa. Divisão cronológica dos capítulos, repleto de ilustrações. O livro foi todo planejado, com muito cuidado e carinho, para o fácil entendimento do assunto.


Título: Bibliotecas no Mundo Antigo (exemplar cedido pela editora)
Autor: Lionel Casson
Editora: Vestígio
Páginas: 203
Ano: 2018

10 comentários

  1. Luana!
    Que livro mais lindo!
    Sempre bom saber mais sobre o lugar que abriga nosso maior objeto de desejo e realmente tem algumas que dá vontade de morar dentro, não é?
    Não conhecia o livro e fiquei encantada.
    Desejo uma semana plena de luz e paz!
    “O homem está sempre disposto a negar tudo aquilo que não compreende.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Olá Luana.

    Sabe de uma? Vou começar a fazer o mesmo para quem me pedir livro emprestado. Vou logo meter uma maldição na capa para ver se resolve KKKKKK.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? Também adorei essa ideia.
      Devíamos logo fazer um carimbo e colocar em todos os livros hahahahaha

      Excluir
    2. Melhor comentário hahahaha. Adorei a dica, vou adotar também!

      Excluir
  3. Oi Luana,

    Não conhecia o livro, mas adorei saber que se trata sobre bibliotecas e sua história.
    Primeira vez que vejo um livro desse gênero.
    Dica anotada.

    Bjs e uma boa semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  4. Oi, Luana!
    Que postagem legal!
    Adorei saber um pouco mais sobre a história das bibliotecas.
    Acho que eu nunca tinha parado para pensar nisso.
    Assubanípal será o nome do meu filho, HAHAHAHAHA. Que maravilhoso!
    Adorei o post.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, Luana.
    Eu vi esse livro entre os lançamentos e me interessei bastante por ele. Eu já tive esse sonho de morar em uma biblioteca hehe. E acho que vou pegar a dica e escrever uma maldição no livro quem sabe assim devolvem hehe. E acho que pode funcionar porque tem uma menina que trabalha comigo que viviam roubando a caneta dela e ela escreveu Não furtaras e nunca mais roubaram hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi, Luana!

    Esse parece ser um livro bem informativo e repleto de conhecimentos a serem transmitidos. Achei interessante!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Luana,
    Concorde que nem mesmo o avanço rápido da tecnologia tira o charme de uma biblioteca e o seu conteúdo, isso para mim nunca será diferente.
    Que inveja desse rei não é? Rsrs. Eu não fazia ideia de onde tinham surgido as primeiras bibliotecas, e menos ainda de como a história era interessante, como a cultura foi evoluindo!
    Não tem como negar que o livro encanta, só pela resenha me senti passeando por onde foi surgindo as bibliotecas, é um livro fascinante!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ah, as bibliotecas, minha paixão desde criancinha.. Sei o que você quer dizer sobre as importância das bibliotecas antigamente, também nasci na década de 80 e as bibliotecas eram além da fonte de diversão e cultura, pra quem gostava de ler, meu caso, era também a única fonte de pequisas que tínhamos. Hoje está tudo muito facilitado. Iniciei minha pequena biblioteca, ainda falta muito.. É muito legal ir conhecendo o crescimento e o cuidado que elas foram ganhando ao passar dos tempos.. Obrigada pelo post!

    Bjoxx

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.