29 julho 2018

Resenha: O idiota


Olá leitores, encarei o desafio de ler um clássico em quadrinhos e nesse post pretendo falar como foi essa experiência. O livro, que faz parte da coleção Quadrinhos na cia, nos apresenta o impressionante trabalho de André Diniz que transferiu a obra de Dostoiéviski não somente para os quadrinhos como também deu um ar “cordelesco” a ela.

O idiota traz a história de Liév Michkin, um príncipe russo que fica internado por anos num sanatório para tratar de epilepsia e que após a morte de um parente distante recebe uma grande herança, mas que com isso também se vê praticamente sozinho no mundo. Ao sair do sanatório, ele procura se reinserir na sociedade e criar laços com a última descendente da família Michkin. O príncipe é uma pessoa boa e generosa e seu jeito simples e por muitas vezes condescendente faz com que ele seja subestimado e tido como idiota e incapaz quando, na verdade, ele encontra nesse prejulgamento a chance de avaliar e desvendar o caráter daqueles que o rodeiam, o “idiota” acaba por ser mais perceptivo do que imaginam. Uma destas pessoas que o cercam é Rogójim, ora amigo, ora inimigo com quem ele disputa a atenção de Nastácia, uma jovem órfã apadrinhada por Ivan Epántchin, cuja beleza exerce atração nele antes mesmo de conhecê-la.

De início, Nastácia parece ter um ego muito grande, mas vamos aos poucos percebendo que ela carrega na pele os julgamentos daqueles que ignoram o fato de que seu protetor controla sua vida. Já Liév sempre deixa as necessidades dos outros sobre as suas, o príncipe tenta ajudar até mesmo quem não merece a mínima consideração e seu comportamento condescendente talvez seja uma das maiores singularidades dessa história e uma forma do autor de nos despertar para a seguinte reflexão: em que ponto a idiotice supera a bondade? E o que é válido perdoar? Gostaria de saber a opinião de vocês nos comentários.


O livro cumpre o que propõe, que é recriar a obra clássica de Dostoiévski em quadrinhos com o mínimo de diálogos possível, mas justamente esse diferencial foi o que mais me prejudicou durante a leitura. Não é fácil interpretar toda uma história com base em imagens. Em alguns quadrinhos as emoções e intenções de alguns personagens ficaram difíceis de decifrar e até mesmo momentos em que pensei que a história tomaria certo rumo e que somente bem mais para frente eu percebi estar completamente enganada, o que me levou a pensar se este livro seria melhor indicado para pessoas que já conheçam a narrativa de O idiota e que também tenham uma excelente percepção visual.

Sobre a edição: com traçados em preto nas folhas brancas e utilizando elementos do cordel para recontar essa história quase que auto-biográfica criada por Dostoiéviski, André Diniz conseguiu dar um toque de brasilidade a obra russa e suas ilustrações ficaram muito bonitas mesmo sem nenhum toque de cor e na imagem acima vocês podem ver como seus desenhos são capazes de transmitir emoção. Da arte de capa a história em si, a beleza de seus traços é indiscutível. Pecou, porém, na economia de linguagem textual pois um pouco mais de informações (caixas de texto contento narrações e mais diálogos) poderiam ter feito essa experiência literária muito mais gratificante para quem está tendo o primeiro contato com o clássico russo.



Livro: O idiota (exemplar cedido pela editora)
Autor: André Diniz 
Editora: Companhia das letras, selo “Quadrinhos na Cia” 
Páginas: 413
Ano: 2018

20 comentários

  1. Jéssica!
    Trazer uma releitura da obra de Dostoiéviski para um HQ, é a princípio muita ousadia, concorda?
    Mesmo que seja em preto e branco, porque prefiro as coloridas, acredito que os traços ficaram mais retratos.
    Deve sere muito boa a leitura.
    Que a semana seja abençoada!
    “O prazer dos grandes homens consiste em poder tornar os outros felizes..” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, não acho. Inclusive aplaudo a iniciativa e a hq ficou linda de viver. Ousadia foi a minha de tentar ler sem saber nadinha de nada sobre a história rss

      Cheiros,

      JESS

      Excluir
  2. Oi
    até hoje só li um quadrinho, ele parece ser interessante, mas não se se leria só que pelo que falou até parece ser bom, os traços da arte pela foto são bem bonitos.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São bem lindos! Eu tbm não li muitos, estou dando um CHANCE para novos gêneros.

      Excluir
  3. Oi Jéssica,
    Não tenho muito costume de ler quadrinhos, mas acho extremamente interessante! Realmente não é fácil interpretar imagens, mas acredito que isso vai se aprimorando com a prática - assim como quando começamos a ler nem sempre é fácil interpretar o próprio texto :) Achei bem legal o livro, mas eu leria antes a obra escrita também hehe. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aléxia, melhor mesmo. Acho que a experiência de leitura será melhor e mais completa acompanhada da obra escrita. Boa leitura!

      Excluir
  4. Parece ser um livro legal, gostei da sinopse.
    Sem contar que o nome chama bastante atenção haha. Bacana!

    https://heyimwiththeband.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou e que algo nessa resenha te chamou a atenção.

      Bacana!

      Excluir
  5. Oi Jéssica,
    Não conheço a obra, mas acho bacana reescrever ela em uma HQ, mesmo não sendo de uma forma que entendemos e compreendemos os personagens totalmente, é uma edição muito bonita, gostei dos traços dos desenhos!
    Sobre o personagem, bem, em minha pequena opinião, a bondade demais te faz sim um idiota, não generalizando, mas, a maioria das pessoas a volta acabam por te fazer ser um idiota, então acredito que tudo deve ter um limite, e, em hipótese alguma, a vontade de outra pessoa deve prevalecer acima da nossa!
    Em um geral a história é boa, e também parece divertida.
    Beijos .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória! Tbm achei bacana, podem fazer de todos que vou ficar feliz haha a moral da história aqui tbm foi muito boa.

      bjos

      Excluir
  6. Achei interessante a história do livro e as ilustrações também.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. "a que ponto a idiotice supera a bondade?" essa é uma reflexão que eu sempre discuto com o meu marido, eu tenho um conceito mais rígido, minha bondade tem limites, a do meu marido não, e sabe que eu até mesmo o admiro por isso, ele consegue ser generoso por completo, mas, as vezes as pessoas com má índole, vê nisso a oportunidade de se aproveitar. É aquilo sabe... a gente dá uma mãozinha e a pessoa quer o braço todo.
    Achei as ilustrações do livro muito lindas, sem dúvida eu passaria muito tempo admirando cada página, porém, como vc comenta sobre a linguagem textual, eu seria o tipo de pessoa que me perderia na narrativa por conhecer pouco do clássico.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leslie, pior que é uma atitude até difícil da gente criticar né. O mundo carece de pessoas boas e se a gente for pensar, o mundo é que precisa mudar, não pessoas como o seu esposo.. As ilustras estão mesmo lindas de morrer. Espero que você ou seu esposo possam aproveitar a leitura.

      Beijo!

      Excluir
  8. Oi Jessica, eu confesso que a obra original me dá um certo receio de encarar, mas a adaptação em quadrinhos me parece um ótima forma de conhecer o clássico!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Oi! Nunca li nada de Dostoiévski, embora tenha um exemplar de Os irmãos Karamazov. Fiquei nesse sentimento de será que eu iria conseguir absorver tudo na leitura. Este livro eu não conhecia e pelo visto parece ser bem profundo e cheio de temas pertinentes. Gosto da ideia de se contar a história através das ilustrações, acho que deixa ainda mais espaço pra nossas interpretações. As linhas são mesmo parecidas com as do nosso cordel. Obrigada pela dica!


    Bjoxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu só tenho dificuldade pra fixar os nomes dos personagens, mas depois vai ficando mais fácil. Se joga, os clássicos do Dostoiéviski valem a tentativa!

      Excluir
  10. Olá Jessica,


    Essa é a primeira resenha que leio desse quadrinho, aliás preciso urgentemente ler mais quadrinhos, apesar das suas ressalvas gostaria de ler, dica anotada...bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marco, essa foi minha segunda tentativa e acho que vai demorar um pouquinho para me acostumar. Pretendo ler O idiota na vs original e depois revisitar essa obra em quadrinhos. Acho que assim irei gostar muito mais.

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.