11 junho 2019

Resenha: A cidade perdida do Deus macaco


Fala galera, para quem achava que todos os mistérios do mundo já haviam sido descobertos, trago o livro que vai mostrar como vocês estão bem enganados.

Mapeamento da área (sinopse)
Bem-vindo à selva impenetrável de La Mosquitia, nordeste de Honduras. Esse é o lugar onde o escritor e jornalista Douglas Preston se aventurou, ao lado de uma equipe de cientistas, para investigar um dos últimos mistérios do nosso tempo: a famosa Cidade Branca, ou Cidade do Deus Macaco, cuja existência foi anunciada pelo conquistador espanhol Hernán Cortés no século XVI, mas que desde então ninguém foi capaz de localizar.

Maldições ancestrais, onças e cobras mortais, parasitas devoradores de carne e embates científicos… Esta história real, digna dos filmes de Indiana Jones e repleta de lições sobre a mais importante descoberta arqueológica deste início de século XXI, reconfigura o que pensávamos saber sobre as civilizações pré-hispânicas, numa época em que a globalização e o aquecimento global ameaçam condenar nosso mundo ao trágico destino dessa cidade misteriosamente desaparecida.

Uma aventura digna de Indiana Jones
Assim que eu vi esse livro fiquei com vontade de lê-lo. Gosto muito desse tema de cidades perdidas, aventura estilo Indiana Jones, Uncharted - uma série de jogos - e toda a mitologia ligada aos mistérios não solucionados da terra - como Atlântida por exemplo.

Esse livro trata justamente de um desses grandes mitos da história, A cidade perdida do Deus Macaco, ou A Cidade Branca, como também é conhecida. A primeira menção a ela começou lá no século XVI com o conquistador espanhol Hernán Cortés, que relatou a existência de uma enorme cidade.

De lá para cá várias expedições foram feitas com o intuito de encontrar a cidade perdida. Junto com essas expedições o mito da cidade também foi crescendo, pois muitos exploradores contavam com a ajuda de moradores locais como guias, ou com índios locais. Cada um deles contavam histórias e mitos sobre a cidade, como as pessoas podiam ficar loucas e como os deuses estavam de olho. Tudo isso contribuía para a curiosidade em encontrar essa grande cidade perdida pelo tempo.


Muitos chegaram a achar alguns sítios arqueológicos, grandes ou pequenos, que fizeram achar que finalmente teriam achado a verdadeira cidade perdida. Mas como sempre existiam indícios de um lugar ainda maior adentrando a floresta inexplorada da América Central, muitos exploradores começaram a achar que aquilo não passava de um mito que foi crescendo ao longo dos anos. Felizmente, eles estavam errados.

Finalmente, uma expedição liderada por Steve Elkins, com a ajuda de um equipamento chamado LIDAR ou Light Detection and Ranging - detecção e medição por meio de luz -, conseguiu detectar não só uma, mas três áreas com o que pareciam cidades enormes inabitadas, tudo isso no meio da floresta.

E com isso se confirma a descoberta do grande mito, procurado por anos por muitos. Mas as coisas não são tão simples como parecem. Ao longo de todo período de pesquisa, exploração e descoberta, muitos problemas foram encontrados, mostrando como é realmente uma aventura enorme se envolver com tais projetos.

Para começar, o fato de que a cidade se encontrava no meio de uma floresta nunca antes explorada pelo homem, uma das poucas inexploradas no mundo. Isso só dobrava o perigo encontrado pela equipe. Logo no primeiro capítulo do livro o autor nos relata uma palestra que foi data para a expedição sobre sobrevivência na selva e seus perigos, já que eles teriam que montar acampamentos rústicos lá para explorar o local.

E o principal perigo eram as cobras, que poderiam ser encontradas a cada passo dado, sem a pessoa notar, ou entrar na sua tenda enquanto você dorme, era inclusive aconselhável que, ao fazer xixi, você fizesse em cima de um tronco para não ser atacado sem querer. Para piorar, La Mosquitia é uma das principais rotas dos cartéis de drogas, o que poderia colocar a exploração no caminho deles e causar muitos problemas. Acrescente a isso um governo que poderia boicotar a situação. Pois é, perigos e dificuldades não faltavam.


Isso tudo faz lembrar muito de Indiana Jones e filmes ou jogos do tipo. Inclusive a própria equipe, já que além desses perigos encontrados a equipe continha um membro duvidoso, aquele cara que tinha contatos, o que nos filmes seria aquele ladrão que todo mundo gosta. Ele conhecia o pessoal, subornava quem tinha que subornar, falava com quem tinha que falar e etc. Um personagem muito caricato que, se você não soubesse que o livro era sobre fatos reais, diria que ele foi retirado de alguma história.

Mas se acham que é só alegria a descoberta dessa cidade, se enganam. A expedição encontrou grande resistência por parte de alguns arqueólogos - ao meu ver sem razão - que foram contra a utilização do LIDAR, assim como do método que foi utilizado para encontrar ou das coisas que foram publicadas.

Relatos do Inexplorado
Mas, no fim, toda essa aventura e suas adversidades foram muito bem relatadas e descritas pelo autor. É impossível não compartilhar junto com a equipe a alegria que foi a descoberta, o perigo e ao mesmo tempo a maravilha que foi adentrar uma floresta nunca antes visitada pelo ser humano ou vivenciar toda a repercussão e a história por trás da tão famosa Cidade Branca.

A cidade perdida do Deus Macaco é uma excelente obra que eu recomendo a todos, seja pela sua aventura, pelo seu conhecimento em relação a uma grande descoberta da humanidade ou seja pelo simples fato de se divertir lendo um bom livro.

Não esqueça de pegar seu repelente contra mosquitos e boa leitura. =D.


Título: A cidade perdida do Deus Macaco (exemplar cedido pela editora)
Autor: Douglas Preston
Editora: Vestígio
Páginas: 336
Ano: 2019

14 comentários

  1. Adorei seu esse seu artigo, realmente é um dos melhores blog que estou visitando. Suas postagens são excelente! Parabéns!

    Já até salvei em meus favoritos ❤️..

    Meu Blog: Site Fernanda Loterias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda

      Obrigado =D. Fico feliz que tenha gostado. Todos nós do blog agradecemos *_*

      Excluir
  2. Eita! Eu fiquei lendo a resenha acima e vendo literalmente tudo isso numa adaptação!
    Sei lá, também sou meio que fascinada em cenários assim, estilo Indiana, Tomb e afins.
    Aventura e real! Melhor ainda..rs
    Dar esta oportunidade a mente de viajar, de criar o cenário e enfrentar todos os perigos é fascinante.
    Vai para a listinha de desejados agora!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá

      Sim, toda vez que eu lia lembrava de Tomb Raider, Uncharted ou Indiana Jones. Claro que você tira toda a parte fantasiosa, mas ainda assim existe a parte mitológica. Da para entender né? kkkk. Vale muito a pena a leitura. Recomendo demais.

      Excluir
  3. Olá Fábio,
    Esse não faz muito meu estilo de leitura, mas fiquei com muita vontade de ler! Parece ser muito bom e cheio de aventuras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Theresa.

      Que bom que gostou mesmo não sendo seu estilo de leitura. Espero que possa dar uma chance a esse livro. Entra no site e baixa uma prévia para ver se não vale a pena a compra.

      Excluir
  4. Sabe que eu consegui ir imaginando tudo o que você disse com o Indiana Jones desbravando a Cidade Perdida dos Macacos (até a musiquinha veio na minha mente kkk). Gostei demais. Parece ter muita aventura, muitas reviravoltas e o melhor de tudo é que realmente aconteceu.
    Nosso quero ler logo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nil.

      Eu me senti naqueles documentários da National Geographic kkkkk. É bem legal sim esse livro, recomendo. E boa ideia, reler escutando a trilha sonora de Indiana Jones kkkkk

      Excluir
  5. Olá! Obrigada pela indicação, ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro. Sou fã de livros de aventura, tipo Indiana Jones! Achei esse tema de cidade perdida, um tema muito interessante para ser trabalhado! Adorei a resenha e estou bem curiosa para conferir a obra. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rayssa

      Obrigado =D. Espero que possa ler sim e que goste do livro =D

      Beijos

      Excluir
  6. Olá!
    Uma historia estilo Indiana Jones?! Por favor já quero o livro..(haha)
    Adorei muito o livro, uma historia bem interessante e que me fez ter uma boa curiosidade sobre essa cidade do deus do macaco. Espero ter a oportunidade de ler em algum momento.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lily

      Ahh, que bom =D. Espero que consiga ler mesmo viu. Eu achei o livro muito bom, é bem curioso saber como é essa coisa toda na realidade. Muito interessante.

      Excluir
  7. Oiii ❤ Como amo História, acho que vou adorar esse livro! Além de que aventura é um dos meus gêneros literários queridinhos, é uma pena que faz tempo que não leio esse tipo de livro. Acho que A Cidade dos deus macaco seria um bom livro pra eu matar a saudade desse gênero.
    Ahhh, Indiana Jones é incrível, tão cheio de aventura e ação... Tô muito curiosa sobre esse livro, já que envolvem mistérios da História, cidades perdidas, Atlântida... ❤
    Obrigada pela dica de livro. Espero ler esse livro em breve ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rayane

      Essa é uma historia real, mas impossível de não sentir esse clima de mistério que envolve esses mitos perdidos. Acho que se ler, no mínimo vai te fazer voltar a ler livros de aventura. =D

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.