22 julho 2019

Resenha: Sobre o autoritarismo brasileiro



Olá pessoas,

Antes de começar a resenha, vamos só esclarecer um termo:

O que é autoritarismo?
Segundo o dicionário:
Qualidade do que ou de quem é autoritário.
Conjunto de princípios ou procedimentos autoritários.

Segundo a Wikipédia:
Autoritarismo é uma forma de governo que é caracterizada por obediência absoluta ou cega à autoridade, oposição a liberdade individual e expectativa de obediência inquestionável da população.

O livro Sobre o autoritarismo brasileiro, da autora Lilia Moritz Schwarcz, conta exatamente como, desde o princípio, fomos ensinados a obedecer cegamente, e com argumentos e dados, nos mostra que aquela velha história contada para todos, de que “Brasileiro é um povo receptivo”, “sofredor mesmo é o povo brasileiro”, “Deus é brasileiro” nos faz sentir especiais, mas que é tudo mito. A prova disso é que mais da metade do país é ou se considera negro/mulato/pardo e por coincidência ainda é a população mais pobre, com mais desigualdade, com o maior índice de mortes, com o maior índice de analfabetismo... e isso tudo ainda é um reflexo da escravidão, que gerou o racismo e impede a nossa democracia nos dias atuais.


Logo no início a autora começa explicando a origem que tivemos. O Brasil foi essencialmente colonizado por três povos: os índios (nossos habitantes naturais), os negros (forçados a vir para cá como escravos) e os europeus (os brancos que criaram a confusão toda), e mostra como as desigualdades e o patrimonialismo criaram o autoritarismo no Brasil. Já na época da família real portuguesa, os moradores das casas mais bonitas do Rio de Janeiro (na época, capital do Brasil), foram obrigados a saírem de seus lares, para abrigar a corte portuguesa, que veio para cá em grande massa.

A nossa tão conhecida corrupção também já teve origem naquela época. Com a chegada dos portugueses, foi necessário criar novos postos, títulos e ministérios, para que assim todos tivessem as devidas honrarias que já tinham em Portugal e pudessem, assim, continuar fazendo nada e usufruindo das regalias concedidas aos nobres aqui no Brasil.

A autora também explica algumas coisas simples, mas que talvez algumas pessoas não saibam ou não entendam o real motivo de existir, como, por exemplo, as cotas para os negros nas universidades. Já ouvi muitas pessoas questionarem: Mas se brancos e negros tem direitos iguais, por que negros são favorecidos com cotas nas universidades? A resposta a essa pergunta a autora dá no livro: “Trata-se de políticas compensatórias e transitórias que procuram desigualar para depois igualar. Buscam reparar injustiças históricas de grande impacto na educação e na inclusão das populações que foram alijadas de uma formação escolar formal, durante longo tempo”. 


Se formos para colocar no português bruto, a resposta para essa pessoa seria: Porque há 100 anos, a avó ou bisavó da atual geração negra estava apanhando no tronco ou servindo em uma casa branca. Enquanto a avó ou bisavó da atual geração branca estava sendo servida por negros e acumulando riquezas. Quando a liberdade aos negros lhes foi concedida, não houve um planejamento ou algum programa social para que eles fossem inseridos na sociedade com dignidade. Não lhes foi dado uma terra para plantar e cultivar, não lhes foi dado um emprego para que pudessem obter seu sustento. Eles tiveram que começar do zero, sem posses, sem uma terra ou casa para chamar de sua. E, infelizmente, esse quadro está refletindo nas atuais gerações, onde a população negra está começando a entrar mais nas universidades, enquanto os brancos estão vários passos a frente. 

As cotas estão aí para dar chance de igualarmos essa situação. Ainda sobre essa questão, li recentemente um comentário nas redes sociais que dizia mais ou menos o seguinte: “Pessoas brancas, em uma sociedade majoritariamente negra, vocês não ficam surpresos quando vão a alguma festa ou evento e só veem brancos?”. Por esse motivo, quando ouvimos a tal frase de que não existe preconceito no Brasil, proferida pela boca de algum líder político, é o autoritarismo falando. E, pelo que me lembro, isso está sendo bastante praticado no governo atual.


A autora também nos apresenta dados de mortes e mutilações para com a população LGBTQ no Brasil e são alarmantes. Ela aborda ainda muitas coisas no livro, as quais não pretendo me aprofundar agora, para não me estender. O fato é que este é um livro necessário e muito atual para todos nós. Consegue esclarecer algumas coisas que vem acontecendo e serve para nos dar um panorama geral do que já aconteceu, sem falar que ainda nos deixa apreensivos com o que ainda pode surgir.

Abraços. 



Título: Sobre o autoritarismo brasileiro (exemplar cedido pela editora).
Autora: Lilia Moritz Schwarcz
Editora: Companhia das letras
Páginas: 280
Ano: 2019

8 comentários

  1. Puxa, eu penso que livros assim deveriam meio que ser obrigatórios a todos nós, principalmente a quem ama ficar arrotando história na nossa cara..rs(e olha que nestes tempos turvos de politica no Brasil, o bicho tá pegando)
    Ainda não conhecia a obra, mas dar este mergulho no passado, com tanto fundamento ali, explicado e mostrado deve ter sido uma leitura fascinante!
    Com certeza, quero muito poder ter e ler algo assim!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ola,
      exatamente. Em tempos onde todo mundo sabe de tudo, é bom um livro pra dar uma esclarecida nas coisas.

      Abraços.

      Excluir
  2. A Lilia é uma excelente pesquisadora, e seus livros são bem fundamentados. Já li alguns livros escritos por ela e ela consegue ser muito clara e objetiva no que quer passar para o leitor.
    Me interessei bastante por esse livro. Precisamos aprender sobre o autoritarismo e como os governantes começam a impor sua autoridade de mansinho para nos precaver de qualquer coisa que possa vir no futuro.

    ResponderExcluir
  3. Oiii ❤ Primeiro, parabéns pela resenha, ela foi uma verdadeira aula de história.
    Regimes autoritários são horríveis, nos privar de nossas opiniões, é nos impedir de ser quem somos. Temos vários exemplos pela história de regimes assim e sabemos que isso nunca acaba bem, como sempre, é a população que leva prejuízo.
    Toda vez que leio sobre o quanto os negros sofreram, foram maltratados e humilhados, fico com dor no coração, é difícil ler e assistir obras sobre esse tema, mas é um tema que precisa ser falado, abordado e estudado.
    É tão triste que em pleno 2019 as pessoas ainda não entendam que as cotas são algo necessário.
    Outra coisa que me entristece muito é a questão de pessoas LGBTQ+ sofrerem discriminação, serem agredidas e muitas vezes até mortas. Tudo por causa da orientação sexual de uma pessoa, algo que é só dela, um direito.
    Quero muito ler esse livro, aprender sobre o autoritarismo é evitar que esse tipo de regime se faça presente.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Um livro muito bem interessante. Tem uma historia bem curiosa em relação ao Brasil, principalmente pela forma que aqui exista racismo sabendo que o Brasil já tiveram pessoas de todas as coisas. Sabem, adorei o que disse que os brancos, nesse caso os europeus que começaram a confusão toda, eu ri só de ler..Adorei, não sei se leria mas talvez um dia né!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Gente do céu, que medo. falei mal do governo e meu comentário não foi enviado ahahahah Acho o livro extremamente importante, ainda mais no atual periodo político em que nos encontramos, com esse governo facista e seus apoiadores...

    ResponderExcluir
  6. Oi, Silvana
    Desde o dia que li a sinopse do livro já me interessei.
    Mas agora depois de ler sua resenha sinto que preciso urgente desse livro que explica muitas coisas que tentam esconder de nós.
    Parece ser uma leitura necessária para todos, nas escolas e entender que sempre os governantes nos manipulam.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Ainda não tinha lido nada a respeito desse livro, fico feliz em saber sobre ele, já que o mesmo é tão necessário nos dias atuais e aborda assuntos extremamente importantes, assuntos que precisam muito ser trabalhados.
    Achei muito interessante e importante a autora explicar sobre como o autoritarismo surgiu e sobre a questão das cotas para os negros na universidade, já que as mesmas são muito importantes, e é triste que muita gente não entenda ou não queira entender o seu verdadeiro motivo para existir.
    Não consigo entender como alguém pode ousar dizer que não existe preconceito no Brasil, quando o mesmo sempre esteve presente na nossa sociedade, principalmente nos dias em que estamos vivendo, em que as pessoas julgam e discriminam cada vez mais, ao invés de respeitar e ajudar o próximo.
    Adorei a resenha, foi muito bem escrita!
    Muito obrigada pela indicação, sinto que preciso ler esse livro o mais rápido possível.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.