24 julho 2019

Resenha: À Beira da Eternidade


Há muito tempo não lia nada sobre viagem no tempo, mas como gosto muito do assunto, À beira da eternidade despertou bastante minha atenção. Na história vamos conhecer Alora, que vive em 2013 com sua tia, Grace. Ela foi deixada com sua tia pelo seu pai ainda criança, e não se lembra nem dele e nem da mãe. Grace insiste em não lhe falar nada sobre esse assunto, e ela se culpa por não ter lembranças. 

O outro ponto de vista é do Bridger, que vive em 2146. Nesse futuro, as viagens no tempo são algo normal, as pessoas desenvolveram o gene que permite essa viagem, e ela foi aperfeiçoada ao longo do tempo. Bridger faz parte da academia que controla essas viagens. Eles não podem alterar a linha do tempo e viajam apenas para o passado para observar. Em uma dessas viagens, Bridger vê o pai, que pede que ele salve Alora. Isso por si só já é errado, pois alteraria toda a linha do tempo, mas, além disso, tem o detalhe de que o pai de Bridger morreu há um mês. Como ele conseguiu falar com o filho, e por que salvar Alora? 

Apesar de ter viagem no tempo, um assunto que eu amo mas é um pouco difícil de ser feito e explicado, esse livro é mais simples do que qualquer outro que já li. O foco não é necessariamente explicar como funciona a viagem no tempo, e sim por que Bridger precisa salvar uma pessoa que já está, no tempo dele, morta. Alora tem dezesseis anos, então vamos acompanhar seu dia a dia na escola, junto com Bridger tentando entender tudo. Alora se sente perdida, é uma personagem jovem e que se pergunta muito sobre o passado. Entender por que foi deixada pelos pais é uma coisa que permeia todos os seus dias, e a escola e amigos ficam em segundo plano. Ela é muito grata pela sua tia, mas acaba sempre mentindo para ela, pois tenta de todas as formas descobrir mais sobre si mesma.


Bridger está passando por um turbilhão de emoções. Seu pai morreu em uma missão secreta, ninguém sabe o que realmente aconteceu. Sua relação com a mãe é péssima, e, logo nos primeiros capítulos, ele perde mais uma pessoa especial. Quando decide seguir o que o pai pediu, e fazer uma viagem ilegal para o passado, ele se torna um personagem em constante conflito. Se envolver mais do que deveria com Alora, com sua tia e seu dia a dia. Deveria apenas observar, mas acaba sendo levado por uma trama que, a princípio, parece bem simples. 

Confesso que estava achando previsível a história, e um pouco lenta. Dia a dia escolar não é minha praia. Mas os dias na escola são descritos de forma superficial, e várias tramas se intercalam. Existe o bullying que é sempre tratado nos livros YA e acho muito válido, existe um princípio de relacionamento abusivo e homens que não aceitam um não. Existe também um assassino a solta em 2013, e o início de um romance. Tudo isso junto com a viagem no tempo e o que está realmente acontecendo com Alora. Adivinhei algumas coisas, mas nada foi da forma que achei. Adivinhei as pessoas, mas jamais as circunstâncias. Na reta final, nós temos muitas descobertas, uma atrás da outra, e todas as pequenas pistas que tivemos ao longo do livro vão se juntando.

Os capítulos são narrados em primeira pessoa, o que no final foi complicado. Temos dois parágrafos de um, dois parágrafos de outro, sobre a mesma situação, para entendermos os sentimentos. Acho que uma narrativa em terceira pessoa teria sido mais interessante. Também temos muitas páginas de especulação e sofrimento da Alora, que está sempre triste e preocupada. Isso poderia ter sido encurtado, e todas as revelações do final poderiam ter sido melhor distribuídas. Mas eu gostei bastante da escrita da autora, me vi super envolvida com a história, doida para saber o final. Para quem assistiu Dark, vai ser ligar no paradoxo de bootstrap que acontece no livro. Não é explicado, mas é obvio. Se nunca ouviu falar sobre, indico a pesquisa. 


Recomendo muito a leitura, foi super leve e divertida, e o assunto é bem desenvolvido. Esse é o primeiro livro da autora, e acho que ela começou muito bem. Curiosa para a continuação, até porque, creio, que vamos conhecer mais sobre 2146 no próximo, e eu simplesmente amo livros que se passam no futuro. 

 

Título: À beira da eternidade (exemplar cedido pela editora)
Autora: Melissa E. Hurst
Editora: Galera Record
Páginas: 322
Ano: 2019

19 comentários

  1. Oiii ❤ Livros de ficção científica, em geral, não chamam a minha atenção. Mas essa trama me deixou muito curiosa, ainda mais pra saber porquê o pai de Bridger pede para que ele salve Alora, que já está morta em 2046. Parece que tem muitos mistérios envolvendo a personagem.
    Histórias de viagem no tempo geralmente me agradam bastante, acho essa coisa de poder viajar tanto para o passado quanto para o futuro, incrível.
    Quero ver quais serão as consequências por Bridger ter trazido Alora para o futuro. Fico imaginando o quão confuso deve ser pra ela se adaptar a uma realidade tão diferente da sua.
    Essa coisa de ter parágrafos de um e logo após o de outro, me incomoda um pouco, pois pode confundir o leitor. Concordo que nesse caso teria sido melhor usar a terceira pessoa.
    Mas, mesmo assim a leitura parece valer a pena. Obrigada pela dica de leitura, vou acrescentar na minha lista de leituras.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rayane

      É uma trama bem maior do que aparenta, e o final foi bem surpreendente, acho que você vai gostar. Também não leio muita ficção cientifica, mas é legal sair um pouco da zona de conforto.
      Beijos

      Excluir
  2. Estava lendo algo sobre este livro estes dias e dizia que nem dava para acreditar que era o primeiro livro da autora.
    Fiquei aqui pensando enquanto lia a resenha se esse misturar muitos assuntos não teria bagunçado todo, afinal, não é um livro relativamente grande, então os assuntos ficaram até meio superficiais.
    Mas..acredito que tudo tenha dado certo no final e ela entregou um enredo fascinante, pois viagens no tempo sempre nos deixam de olhos brilhando.
    E este jeito de trazer assuntos atuais no enredo, é algo que sim, pode ter dado certo.
    Com certeza, quero conferir!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!

      Eu pensei a mesma coisa enquanto lia, para um primeiro livro, a autora foi muito bem. A escrita é fluida dentro do que ela propõe. Não ficou bagunçado, mas ficou extremamente aberto para o próximo livro. Gostei muito do toque sobre relacionamento, livros jovens precisam tocar nesse assunto.
      Beijos

      Excluir
  3. Hey. Viagem no tempo é sempre coisa de doido, dá nó na cabeça se não for bem feito (né vingadores? kkkkk), mas gosto bastante também. Que bom que gostou, apesar de ser YA eu fiquei interessado nesse, e estava esperando sua resenha para confirmar se ia mesmo para minha lista ou não kkkk. Pois bem, já está anotado. =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fa, é YA bem tranquilo, mas divertido. Espero maiores explicações sobre a viagem no tempo para o livro não se tornar um Vingadores, rs.
      Mas é beem legal, acho q vai gostar
      Bjs

      Excluir
  4. Também gosto bastante de livros que falam sobre viagem no tempo. Como esse não é muito voltado para a explicação da viagem no tempo, acho que fica mais fácil a leitura. Agora, fiquei curiosa querendo descobrir o que o Bridger tem a ver com a Alora.
    Quero muito ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nil,

      É bem fácil a leitura, e as descobertas de Bridger com Alora são bem interessantes, rs. Você vai gostar!
      Beijos

      Excluir
  5. JESUS AMADO MIGA PARA DE DOBRAR A CAPA DO LIVRO DESSE JEITO PELO AMOR DE DEUS OBRIGADA.

    Eu gosto bastante de livros de viagem no tempo, mas tá todo mundo dizendo que esse é um pouco previsivel, então me deixa um pouco desapontada, sem saber se eu deveria investir meu tempo em le-lo. Gosto de ser surpreendida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, uma coisa que eu esqueci de falar é que eu realmente não gosto de livros em primeira pessoa que ficam mudando o narrador. Tipo, quando é em primeira pessoa com um unico narrador não vejo problema, mas mudando perspectiva é chato demais!!!

      Excluir
    2. Amiga, calma, hahahahha. Eu juro que foi rápido, só para tirar foto.

      Mas quanto à história é previsível em alguns pontos sim, mas teve muitas coisas no final que me surpreenderam bastante. Acho que vale a leitura sim. Você pode se irritar com o narrador em primeira pessoa, mas nada que vá afetar tanto assim a experiência de leitura

      Beijos

      Excluir
  6. Oi, Jéssica
    Apesar de gostar muito de viagem no tempo ainda não li nenhum livro que fala sobre essas viagens, só filmes.
    Mesmo sendo um livro de estreia da autora pela sua resenha parece ser um livro maravilhoso. Gostei muito da trama que sendo em primeira pessoa quero muito poder ler para descobrir porque salvar Alora.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana,

      É um bom livro para começar nesse universo, bem fácil de ler e divertido. Espero que goste!
      Beijos

      Excluir
  7. Olá! Adoro viagem no tempo, seja em livros, séries, filmes, geralmente é um assunto que me agrada bastante, por isso a premissa desse livro logo de cara chamou minha atenção.
    Achei interessante que a história tenha dois pontos de vista diferentes, de personagens que pertencem a épocas/anos distintos.
    Tô curiosa para saber porque o Bridger precisa salvar a Alora, mesmo que isso seja arriscado e perigiso, pois coloca em risco a linha do tempo.
    De fato o livro parece ter alguns aspectos que complicam e deixam a leitura um pouco cansativa, mas ainda sim parece ser um livro maravilhoso e muito bem escrito.
    Obrigada pela indicação! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayssa,

      Em alguns momentos senti sim que ficou cansativo, a autora poderia ter trabalhado melhor nessa parte. Mas não é um livro ruim, vale a leitura, e se você gosta do tema, vai curtir.
      Beijos

      Excluir
  8. Olá!
    Então somos duas porque eu adoro bastante essas coisas de viagem no tempo mesmo que é algo complicado de explicar. Eu adorei o livro, fiquei bastante curiosa por essa confusão que a personagem irá criar.Espero muito poder ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily,

      Espero que consiga fazer a leitura, esse não é tão complicado, com certeza você vai achara divertido.
      Bjs

      Excluir
  9. Eu sou apaixonada com essa temática de viagem no tempo. Como vc citou Dark aí, é uma das minhas séries favoritas. Minha referência de livro com esse tema é A Mulher do Viajante no Tempo. Estou surpresa q vc disse no final q a leitura é leve e divertida, geralmente quando aborda viagem no tempo o livro/filme/série acaba sendo mais pesado q isso... e complicado de entender, mas essa complicação q eu amo. Essa quantidade diferente de plots q vc disse ter é o q me chamou mais atenção.. vou procurar o livro depois pra ler :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yara,

      A viagem no tempo está bem o inicio aqui nesse livro, não tem muita explicação por isso não é muito complexo, nada no nível Dark, rs. Amo A Mulher do Viajante no Tempo, foi o primeiro livro que li sobre o assunto, pelo que me lembro. Leia sim, depois me conte o que achou!
      Beijos

      Excluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.