05 setembro 2019

Resenha: Trilogia da Fundação


É até difícil começar esta resenha sem dizer que minhas expectativas para este livro eram altíssimas. E também não é para menos, a Trilogia da Fundação, em 1966, venceu o prêmio Hugo de melhor série de ficção científica e fantasia de todos os tempos. 

A trilogia vai contar a história da humanidade num ponto distante no futuro. Tudo começa em Trantor, capital do Império Galáctico, que existe há 12 mil anos. A humanidade chegou a esse nível, conseguiu conquistar toda a Via Láctea, formando um gigante império, um governo único e central. Todavia, um império tão vasto, antigo e importante pode ser destruído a qualquer instante.

O personagem, Hari Seldon, que desenvolveu a “psico-história”, ciência que une a matemática e a sociologia, capaz de prever o comportamento humano, prevê a destruição do império e de todo o conhecimento adquirido por milênios. Existe um plano para minimizar esses efeitos, já que o cientista sabe que não é possível impedir o desastre por completo. Duas Fundações passam a existir com o objetivo de diminuir o período de queda.

O livro é dividido em 05 partes. Parece um pouco complicado para entender, mas ele é construído com várias histórias menores. Não chega a ser um livro de contos, são personagens diferentes no decorrer de todas as partes, enquanto numa parte temos um protagonista, este, em outra, já está mais velho e até mesmo deixa de ser o principal, funcionando como um personagem histórico da Fundação.


A história surpreende porque acredito que não é o que estamos esperando, pelo menos eu não. Até mesmo o final, pois imaginei que fosse mais conclusivo e tivesse mais informações, embora o terceiro livro tenha sido o que mais gostei, ainda que tivesse acreditado em algo e não fosse o que previ.

Ao finalizar a leitura, fiz uma pesquisa e percebi que após esta trilogia, composta por “Fundação”, “Fundação e Império” e “Segunda Fundação”, ainda tem mais dois livros, “Limites da Fundação” e “Fundação e Terra”, assim como existem dois que antecedem à trilogia, “Prelúdio à Fundação” e “Crônicas da Fundação”. Talvez lendo todos esses teremos mais respostas e podemos entender detalhes que ficam sem respostas. Não que atrapalhe ler apenas a trilogia, mas para quem gosta de ir mais afundo é uma forma de compreender os detalhes, mas não posso afirmar com precisão, já que não li.

Ao fazer uma análise de todos os livros, percebe-se que a obra trata muito mais sobre política que propriamente a "mão na massa" da coisa em si. A guerra acontece, mas não é tão explorada como alguns podem imaginar. É como se estivéssemos ouvindo alguém narrando o que aconteceu e não assistindo a própria guerra em tempo real. Isso não é ruim, mas acredito que se espera mais ação, mais tensão, mais adrenalina. Não acontece a todo o momento, porém, temos o outro lado com mais intensidade, aquele que fomenta as ideias. 


É preciso dizer que é um livro que requer paciência para ser lido. Não acontece tudo de forma abrupta e muitas partes podem cansar o leitor por ter informações detalhadas, isso pode não ser uma coisa ruim, para quem curte uma boa narrativa. A dica que tenho é para ler com calma, sem pressa de acabar, sem desespero por causa das quase 900 páginas. Apenas leia sem preocupações, sem prazos, sem afobações. Leia um conto por vez e absorva a ideia, pois ler um atrás do outro pode provocar cansaço e até mesmo deixá-lo entediado com a disputa política  o que não é legal. Algumas obras são assim, é necessário ter calma para digerir aos poucos, para absorver sem pressa.

Acredito que finalizei a leitura um pouco cansada porque peguei as últimas 100 páginas e devorei num único dia. Por isso que recomendo a degustação, ao invés de se empanturrar e causar uma indigestão. Ao fazer a resenha percebi que gostei mais do livro que antes, quando terminei de lê-lo, justamente porque parei para analisar o compilado e não apenas um fator isolado. 

Sobre a edição:
A editora Aleph criou uma edição deluxe composta por três livros, com capa dura e muitas ilustrações no decorrer das histórias. Existem páginas em outras cores ao término de cada parte e início de alguma história. Os detalhes são bem feitos e ainda criaram uma ecobag que não ganhei da editora, mas ganhei do Marcos, resenhista aqui do Blog.

Quotes:
“Para eles, toda vida tem um propósito e deve ser enfrentada com cálculos antecipados.”
"O ser humano individual é imprevisível, porém as reações das multidões humanas, descobriu Seldon, podem ser tratadas estatisticamente".
“Nunca deixe seu senso moral impedir você de fazer o que é certo!”
“Para ter sucesso, apenas o planejamento não é suficiente. Deve-se improvisar também.”


Título: Trilogia da Fundação (exemplar cedido pela editora)
Autor: Isaac Asimov
Editora: Aleph
Páginas: 896
Ano: 2019

6 comentários

  1. Nat!
    Não conhecia a trilogia, mesmo gostando muito de ficção, mas pelo jeito, não é bem o esperado, fiquei bem na dúvida, viu?
    Ainda mais que na verdade nem é uma trilogia, tem muitos livros mais, né?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Já tinha dado uma olhada nestes livros aí pelo mundo literário, mas admito que ficção científica não é meu forte em matéria de leitura.
    Eu sou uma bagunça, aliás, minha cabeça é uma bagunça e se não tiver um pouco de ação, eu me perco inteira.
    E por tudo que li acima, é realmente uma saga que precisa de paciência e se tem uma coisa que não tenho em matéria de leitura, é isso.rs
    Acho que é o tipo de livro que só os leitores mais pacienciosos e atentos, irão curtir,
    Por enquanto, não me tocou, mas isso não impede que num futuro eu ainda os leia e goste né?
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre achei que Fundação era só um livro, mas além da trilogia temos esses outros livros.
    Parece meio cansativa essa leitura. Realmente deve ser o tipo de livro que você precisa ir com calma para não odiar de vez. kkkkkkk
    No momento não pretendo ler, mas quem sabe um dia.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gosto bastante de ficção cientifica, onde retrata historias bem distópica e diferente. Eu já tinha lido a resenha desse livro mas acredite que não entendi nada, mesmo lendo a resenha umas três vezes ainda sim fiquei sem entender. E lendo aqui fiquei com algum entendimento melhor, acho. Espero que quando eu decida ler eu entenda melhor ou não, sou meio lerda para entender algo rápido. kkk Mas espero ler em algum momento!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Oiii ❤ Achei interessante que nessa trama os seres humanos conquistaram a Via Láctea.
    Fiquei curiosa para saber o que leva Hari a crer na destruição próxima do Império e como quem forma o Império pensa em minimizar o desastre.
    Gosto bastante de detalhes sobre o que está acontecendo, mas não demais ao ponto de me cansar. Ação me agrada muito, mas se a história for boa mesmo não tendo muita, gosto mesmo assim.
    Acho que vou dar uma chance a essa trilogia.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  6. Olá! ♡ Tenho que confessar que não sou muito fã de ficção científica, mas este livro chamou demais minha atenção! Gostei muito da premissa e do fato do livro contar com fantasia também, que é um gênero que amo. Acho que essa mistura entre ficção científica e fantasia pode funcionar muito bem!
    Livros que se passam em um futuro distante, geralmente chamam bastante minha atenção, já quero conferir essa trilogia!
    Achei interessante o livro ser divido em partes e cada uma ter o foco em personagens diferentes.
    De fato, é um livro para se ler com calma, têm muitas informações para serem absorvidas.
    Achei a edição muito caprichada e bonita.
    Adorei a resenha, foi a melhor resenha que li sobre essa trilogia, com certeza! ♡
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.