Resenha: A criança do fogo

Por Naty Araújo •
20 dezembro 2019

Nem sei por onde começar fazendo essa resenha. A sinopse é atraente? Até que sim. O enredo é chamativo? Pode apostar que sim. Os personagens tinham tudo para conquistar o leitor? Sem dúvidas. Porém, lá no final da curva tudo acabou tomando outros rumos e nada foi o que esperava. Nem mesmo a desgraça.

Quando Rachel se casa com David Kerthen e se muda para Carnhallow, sua vida é tomada por luxos, romance e um carinhoso enteado, Jamie. Aparentemente um casamento perfeito, um marido perfeito, uma esposa perfeita e vida que segue. Porém, sua nova casa e sua nova família estão cercadas de segredos e mistérios que ela nem sequer consegue imaginar. 

O comportamento de Jamie começa a mudar, e suas perturbadoras profecias ameaçam abalar a sanidade de Rachel. À medida que o passado da família vem à tona, ela passa a questionar a verdade por trás da trágica morte da primeira esposa de David, temendo que a predição feita por seu enteado, de que ela irá morrer no dia de Natal, se torne realidade. Fantasmas habitam os corredores de Carnhallow, mil anos de história ecoam nos frios túneis, antes ricas minas de estanho e cobre, que se expandem sob a propriedade, e a vida que Rachel acreditava ser perfeita de repente se torna um terrível pesadelo.

Isso é um pouco sobre o livro e pelo que percebemos parece uma história tão, mas tão eletrizante que até perdemos a noção do tempo, a disposição de fazer qualquer outra coisa a não ser finalizar a leitura. Ledo engano. Confesso que todo esse resumo seria muito bem feito se o autor não tivesse colocado tanta confusão. A história não convence, o enredo não tem elementos que te fazem gostar do desenvolvimento criado. Os personagens são rasos, sem emoção ou tampouco demonstram sentimentos. Tudo me parece inverossímil demais, com características rasas e que não denotam credibilidade ao leitor.


O início te deixa com um ponto de interrogação no meio da testa e você quer prosseguir a leitura para ver o que pode acontecer, quem está certo, quem está errado e o qual o mistério. No meio do livro já estamos um pouco cansados pela ausência de qualidade na construção e, ao final, a única coisa que queremos é saber se tudo vai acabar assim ou se algo vai mudar. 

Me perguntei algumas vezes como podia existir uma relação entre esse casal, pareciam tão desconexos, pareciam que se encontraram no meio do nada e o autor resolveu uni-los da maneira mais inconveniente possível. Não senti carisma nem tampouco uma relação amorosa entre eles. Às vezes parecia um contrato, um negócio, uma troca de favores, qualquer coisa que não fosse um relacionamento. E do início ao fim isso não fica às claras. 

Outro ponto que achei desnecessário foi o fato de haver repetições e não é apenas uma repetição de algo, mas são várias repetições da mesma coisa ou de outras. É uma mistura que cansa o leitor e, possivelmente, até o revisor, já que é possível notar pequenos deslizes nesse aspecto. As 368 páginas poderiam muito bem ser reduzidas, no mínimo, para 260. Mas, não se enganem, há algo de positivo na escrita do autor, a descrição das paisagens. No entanto, não precisa exagerar, não é mesmo? Isso acaba sendo um ponto positivo, porque conhecemos e exploramos bem o lugar que os personagens perpassam, mas também é negativo, já que se torna cansativo, pois ele repete a mesma descrição como se não conhecêssemos aquele lugar que foi narrado anteriormente. 

Em suma, é um livro de suspense que não tem mistério; é uma história com elementos fantasiosos, mas que não surpreende. É um livro que pode agradar as pessoas por não haver tanta reviravolta, nem tampouco ser algo complexo. 

Sobre a edição:
A capa foi a primeira coisa que me chamou a atenção quando recebi o livro. Adoro capas com neve, com detalhes em vermelho e que demonstra bastante suspense. A diagramação segue confortável, com as folhas amareladas, espaçamento agradável. Gostei também pelo fato de a editora não ter dado tanta informação na sinopse, ela explica e te auxilia. Porém, a culpa fica por conta do desfecho da história que não ajuda. 


Título: A criança do fogo (exemplar cedido pela editora)
Autor: S.K. Tremayne
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 368
Ano: 2019
Compre: aqui

Comentários via Facebook

10 Revelaram sentimentos:

  1. É...este livro deu o que falar quando foi lançado e infelizmente, negativamente.
    Sei lá, soou como propaganda enganosa. Já que capa e título são incríveis, mas lendo as resenhas, a gente percebe que o autor ficou totalmente perdido no desenrolar da história e acabou literalmente enfiando os pés pelas mãos!
    Não digo que ainda não desejo ler, pois sei que cada livro funciona de certa maneira a um leitor, mas..já vou sabendo muito bem o que não encontrarei!rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde,
    Tudo bem?
    Nossa, que triste :(
    Pela sinopse e pela capa eu fiquei curioso por este livro....ainda bem que não comprei e me decepcionei :(
    Gostei da resenha, bem sincera :)

    Beijos e tenha um excelente final de semana
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  3. NAT!
    Tantas coisas desconexas e tanta repetição...
    Gosto dos livros descritivos, mas o fato de ambientação ser uma região que não conhecemos e por ter sido excessivo, se afastando um pouco do terror que é trabalhar em mina e todos os prejuízos que esse trabalho traz, o livro não me chamou muito a atenção.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Oi Nat
    Eu não curto esse gênero mas com certeza da pra saber que numa trama como essa a construção da história é essencial, o suspense em si necessita disso né? Pq se vc não fica curioso e na expectativa de saber o que tem na próxima página não é suspense. Apesar de não curtir o gênero adorei a premissa, chama mesmo muita atenção e é uma pena essa falta de entrosamento entre os personagens. A edição ta linda, essa capa é bem chamativa e deixa o leitor curioso!

    ResponderExcluir
  5. Olá! Nossa muito chato quando o autor não consegue desenvolver a história da melhor maneira, e nossas expectativas não são atendidas hein. Definitivamente o enredo parecia ser bem promissor, uma pena que o autor não soube trabalhar tão bem assim com a trama e acabou entregando uma história, pelo jeito, bem difícil de engolir.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu já tinha visto o livro mas não parei para saber mais. Aqui, lendo a resenha fiquei bem receosa pela trama, vejo que não foi uma leitura bem agradável. Gosto de gênero que tenha suspense e tão mas da forma que você descreveu parece ser bem fraco. Talvez, eu leia e tire as próprias conclusões né.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Nossa, tinha tudo para ser um bom livro. Achei bem atraente a sinopse, a capa... pelo menos sua resenha nos ajuda a não criarmos expectativas também para depois quebrarmos a cara kkk

    ResponderExcluir
  8. Olá, Naty
    A capa é belíssima, as folhas amareladas, diagramação excelente, uma pena que o enredo não ajuda.
    Li o livro é concordo com você a descrição dos lugares é interessante, mas se torna repetitivo. Segui lendo porque queria muito descobrir o mistério em volta da morte da primeira esposa. Se não tivesse tanta enrolação eu teria adorado a estória, não é de todo ruim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Suspense sem mistério não me atrae kkk. Acho ótimo que o autor descreva muito bem as paisagens, mas nem isso me faz ter vontade de fazer essa leitura, que apesar de ter uma premissa que chama atenção, me incomoda em vários aspectos.
    Não gosto de repetição e enrolação, já li vários livros que acredito que se tivessem sido desenvolvidos em apenas metade das páginas que tem, teriam sido leituras bem mais agradáveis.
    É uma pena que a história não te cativou, acredito que a mesma dificilmente me agradaria também.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oiii ❤ Nossa, receber uma profecia de que vai morrer é no mínimo assustador, tô curiosa pra saber se essa profecia se concretiza. Também quero descobrir como a falecida esposa de David morreu e como Jamie pode prever essas coisas.
    É uma pena que a obra tenha tantos problemas de desenvolvimento. Achei bem chato que esse casal não tem a menor sintonia, que nem sequer parecem que são casados.
    Triste que seja um livro cansativo e que falte mistério.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Editoras parceiras

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in