Resenha: O Pacto de Três Graces

Por Je Vasques •
28 setembro 2020

O pacto de três Graces é uma fantasia com elementos sombrios e um pouco estranhos, confesso. É para quem curte histórias um pouco bizarras e diferentes, mas não se assuste: é uma história gostosa mesmo assim. 

Aqui nós temos um vilarejo chamado Três Graces, onde nada de ruim acontece. As plantações são sempre ótimas, todos têm uma ótima saúde, e as pessoas só morrem de velhice. Para que tudo isso seja possível, um pacto com um demônio foi feito pelas três bruxas Graces há mais de duzentos anos. Para que esse pacto continue em vigor, a cada sete anos o melhor garoto entre eles, o que tem o coração mais nobre a altruísta, deve ser sacrificado. Na noite da lua de sangue ele entra na floresta que fica ao redor do vilarejo, pronto para enfrentar o demônio que mantém o pacto vivo. 


Esse garoto é chamado de Santo, e o Santo da nossa história é o Rhun. Ele é sem dúvidas o melhor entre eles. Doce e com o coração enorme e sem maldade. Ele está ansioso por entrar na floresta pelo bem do seu vilarejo e das pessoas que ama. O problema é que ele estava se preparando para entrar daqui a quatro anos, mas alguma coisa deu errado e a floresta pediu o seu sacrifício antes. Mairwen é uma menina com duplo poder: ela é uma bruxa Grace, sua mãe é a bruxa atual do vilarejo e ela será a próxima, e além disso, ela é filha de um Santo. Sua ligação com a floresta é muito forte, mas ela sabe que não pode entrar lá, sua mãe já lhe disse que quando uma bruxa Grace entra na floresta ela jamais sai. Arthur é um garoto, mas ele não foi criado assim. Sua mãe tinha medo que ele fosse escolhido para ser um Santo e o criou como menina, mentindo para todos. Acontece que a mentira foi descoberta e Arthur cresceu questionando quem ele realmente era e querendo se provar. Movido pela raiva, ele quer ser o próximo santo, e se recusa a deixar os sentimentos que sente por Rhun tomarem conta do seu coração. 


Gostei muito desses personagens, para mim a melhor parte do livro. A autora soube trabalhar os mistérios e os questionamentos sobre sexualidade e gênero muito bem. São personagens bem construídos e cheios de camadas. Arthur, Mairwen e Rhun são totalmente ligados. Eles se amam como amigos, mas vai além disso. Aqui existe um poliamor, e eles precisam saber viver com isso, principalmente Arthur. Gostar de Mairwen é ok, isso faz dele um homem, já gostar de Rhun é um problema. Rhun não vê problema em nada, e ama Arthur com a mesma intensidade que ama Mairwen. Já Mairwen sente que precisa estar na floresta e que isso faz parte dela, mas ama os dois meninos que moram no vilarejo. Essa ligação e amor são parte essencial para a história, pois quando a floresta chama o próximo Santo quatro anos antes, eles se sentem desestabilizados e com medo, pois imaginavam que teriam mais tempo. 

A lenda do demônio que mora na floresta é bem interessante, eu gosto como ela é sombria e com o demônio é realmente um ser ruim. A floresta em si não é normal, os animais que vivem ali não são comuns, e quando temos a oportunidade de entrar nela, a autora nos dá ainda mais detalhes que a tornam um elemento a parte na história. Muitas coisas são descobertas dentro dessa floresta, eu fiquei bem impressionada em como ela foi abrindo espaço para mais detalhes sobre e lenda e o pacto. Eu achei o final um pouco corrido, muitas informações são trazidas nas últimas vinte páginas, mas o final me deixou feliz e satisfeita com a história mesmo assim. Gostei de ter lido uma fantasia mais sombria, com tantas questões legais compartilhadas, uma lenda legal, um romance diferente e uma história fechadinha em um livro único. Recomendo bastante!
 


Título: O Pacto de Três Graces
Autora: Tessa Gratton
Editora: Plataforma 21
Tradutora: Lavínia Fávero
Páginas: 376
Ano: 2020
Compre: aqui

Comentários via Facebook

9 Revelaram sentimentos:

  1. Olá! Com certeza estranho é uma boa palavra para definir essa história hein, que conseguiu aguçar minha curiosidade, estou bem empolgada para descobrir mais sobre os mistérios que permeiam esse vilarejo e o que esta por trás desses sacrifícios, sem contar em saber mais sobre esses três personagens bem complexos, e mesmo esse final corrido não me desanimou, ainda mais sabendo que o livro é único e teremos um final redondinho para essa história.

    ResponderExcluir
  2. Por isso sempre vou levar em mim o que acredito: cada livro é único, como cada leitor também é!!
    Li uma resenha desse livro bem negativa esses dias e agora essa, com recomendação de sim, Leia!
    Cada livro pega um leitor de jeito e isso é beleza da literatura.
    Eu amo fantasia e amo isso de florestas que escondem segredos.
    Com certeza,é um livro que agora quero muito ler!!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Que história Je!
    Com muitos elementos! Aventura,romance, descoberta, bruxa, mistério. Que são temas bem difíceis de serem trabalhados de forma individual, quiçá todos juntos.
    Parece que a autora conseguiu!
    Mesmo fugindo do que curto ler, fiquei interessada

    ResponderExcluir
  4. Oii!
    Não conhecia o livro, mas gostei bastante da historia. Uma fantasia bem diferente e que aborda temas interessantes, ainda mais trazendo uma mistura incrível. Já curiosa pra ler aqui!

    Blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Oi Je!
    Parece uma fantasia tão diferente e tão interessante.
    Nunca li nada com poliamor 'adolescente' e fiquei curiosa em ver e saber como eles lidam com isso, sem contar com todo mistério que ronda a floresta, seus seres diferentes e escabrosos, bem como toda essa história de pacto, etc...
    Adoro livro com seres fantásticos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Olá, Je
    Nossa é a primeira vez que vejo falar nesse livro, gostei da capa.
    Um enredo fascinante que prende o leitor com magia, rituais, demônio, bruxas, amor.
    Vai para a lista de desejos, beijos.

    ResponderExcluir
  7. Por algum motivo, achei que fosse um pacto entre três mulheres chamadas Grace hahah do jeito que a autora fez, parece bem mais interessante. Adoro essas histórias de bruxas e como se isso não fosse suficiente, ainda tem o fato do menino ter sido criado como menina e o poliamor, além da menina ser a próxima bruxa, que doideira! Fiquei com vontade de ler, apesar de ser bem diferente do que estou acostumada.

    ResponderExcluir
  8. ola
    realmente é uma fantasia estranha .que bom que mesmo com o final corrido a leitura foi boa para voce ,mas dessa vez deixo a dica passar .Não gosto de livros assim ,eu fujo deles rsrs

    ResponderExcluir
  9. Que livro legal, gosto de livros que tenham bruxas boas ou más eu curto muito. Lendo a resenha não consegui nem imaginar em como termina, estou muito curiosa mesmo e quero muito que esse seja minha próxima leitura.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in