Resenha: A Garota Anônima

Por Giovanna Prates •
08 fevereiro 2021

Esse livro pode conter gatilhos. Conteúdo: agressão sexual, suicidio, morte. 

Jessica Farris resolve participar de um estudo de psicologia, onde tem que responder várias perguntas sobre ética para ganhar um dinheiro extra. Mas a medida que as perguntas ficam mais invasivas, ela se sente observada, e começa a ficar paranoica com qual o verdadeiro sentido por trás desse estudo. 
"Quando um indivíduo confia em outro o suficiente para expor seu verdadeiro eu - os medos mais profundos, os desejos mais ocultos -, cria-se uma poderosa intimidade." 
Se você é aquele leitor que gosta de leituras que mexem com o psicologico, de uma forma perturbadora, mas torturosamente divertida...esse thriller é para você. Devorei o livro como se não houvesse amanhã e foi extremamente fácil de se envolver...e de ser enganada, também. 


A narrativa é construida em duas perspectivas: uma na primeira pessoa, e, a outra, na segunda pessoa. Creio que esse elemento foi pensado para adicionar um fator assustador à história, já que é bem perturbador pensar no monólogo interno de alguém sendo constantemente voltado para as ações e pensamentos de um outro personagem, sem o seu conhecimento. Funcionou perfeitamente, pois trouxe um sentimento doentio de obssessão, tóxico e perigoso - aquela vibe bem stalker, bem semelhante a sensação que temos quando vemos a série You, da Netflix.
"É impressionante como a mais simples das decisões pode criar um efeito borboleta; como uma ação aparentemente sem importância pode causar um tsunami." 
O tema do livro é focado na moralidade e na ética, onde o foco são as mentiras. Apesar de o livro empurrar esse determinado assunto de todos os ângulos, é possivel se permitir pegar o subtexto sozinho. A maneira como algumas decisões morais são integradas ao enredo foi, de certa forma, óbvia. Mas inteligente o suficiente. Se apenas o tema tivesse tomado alguns rumos diferentes, não teria sido inteiramente repetitivo ou cansativo. Creio que o livro teria se beneficiado de mais sutileza. A personagem Jessica é muito cética. Não é particularmente inteligente, mas está constantemente questionando os motivos e a verdade de TUDO sem qualquer razão suficiente, no início. Bem paranoica devido a seu passado, e isso criou um contraste real entre como Jessica se preparou para o conflito e como ela realmente tentou resolvê-lo. As autoras usaram suas habilidades inquisitivas do público para questionar os leitores sobre muitas questões, e isso trouxe diversas reflexões.

"Muitas vezes, as pessoas que julgamos com mais severidade somos nós mesmos. Todos os dias criticamos nossas próprias decisões e ações; criticamos até nossos pensamentos íntimos." 
Não é um dos thrillers mais chocantes ou horripilantes comparados com os que já li. É muito leve em sangue e violência, o que eu acho que o torna uma ótima escolha para aqueles que querem ler thrillers sem ficar com medo ou nojo. As reviravoltas, às vezes, eram inteligentes, mas principalmente, surpreendiam quando não eram esperadas. Eu teria gostado de mais fator de choque, mas o charme desta história é mais o ambiente geral do romance. A vibração desconcertante que te acompanha do início ao fim. Não foi o mistério mais inacreditável que já li, mas era distorcido, inquietante e único. Definitivamente recomendo!


Título: A Garota Anônima (exemplar cedido pela editora)
Autores: Greer Hendricks e Sarah Pekkanen 
Editora: Faro Editorial
Páginas: 368
Ano: 2021
Compre: aqui

Comentários via Facebook

7 Revelaram sentimentos:

  1. Olá Gio

    Rapaz, fiquei bem curioso agora =D. Parece ser o estilo de thriller que eu gosto kkkkk

    ResponderExcluir
  2. "Se você é aquele leitor que gosta de leituras que mexem com o psicologico, de uma forma perturbadora, mas torturosamente divertida" Eu sou esse leitor rsrsrs

    Quero muito ler esse livro, adoro thriller pscicologico! Nao sabia que tinha uma parte narrada em segunda pessoa, e acho que nunca li algo narrado em segunda pessoa. Diferente!

    ResponderExcluir
  3. Sempre me pergunto o que leva a gente a confiar tanto no outro. Sei lá, o ser humano é tão volátil! Por isso que gosto de livros assim, amo esse tema, amo coisas que envolvem a mente humana e o que leva a gente a pensar e fazer coisas.
    Fiquei extremamente curiosa com essa resenha, parece ser um livro excelente!

    ResponderExcluir
  4. Giovana!
    Bem o estilo de thriller que gosto, porque a sensação do perigo e do horror, estão mais presente do que o próprio, mexendo com o psicológico das personagens e consequentemente do leitor.
    E mesmo que a protagonista não tenha lá toda esa inteligência, instintivamente ela questiona e percebe as coisas, isso é bem bacana.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Mesmo com a falta de sangue e até mais violência, eu adoro livros assim, que deixam a gente com o psicológico mexido.
    E pelo que pude perceber, o thriller psicológico é bem eficiente, chegando a quase dar um nó na cabeça do leitor.
    Sem contar que é edição padrão Faro de fonte linda e diagramação perfeita!
    Preciso muito ler!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  6. Acredito que ainda não li um thitller em primeira e terceira pessoa simultaneamente.
    A Garota Anônima é um thriller instigante que estou querendo ler

    ResponderExcluir

  7. ola
    essa é a segunda resenha positiva que leio desse livro . curiosa para saber mais sobre esse thriller. dica anotada,não lerei no momento pois estou com muitos livros da lista para ler,mas como gostei da premissa do livro já adicionei na minha enorme lista

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos | Resenhas de livros – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in