Resenha: A alpinista

Por Marcos Ferraz •
25 março 2021

Hannellore Schultz é uma bela jovem alemã que vê em si um potencial muito grande em... seduzir. Desde muito nova, ainda em tempos de escola, ela esteve ciente de sua beleza e capacidade de seduzir qualquer homem que porventura cruzasse seu caminho. Mantendo o foco de viver uma vida de luxo e sem precisar trabalhar, ela vê no sexo o atalho para as maiores conquistas. Para isso, casa-se com seu professor, um dos homens mais cobiçados da pequena cidade onde vivem, e o faz de cobaia para alguns testes sexuais.

Em Berlim, vive um caso com um advogado conceituadíssimo, conhecedor dos princípios do Reich e amigo de várias influências na comunidade ariana; inclusive o próprio Hitler. Esse caso, porém, é apenas o primeiro; mas é ele que a levará para um dos mais altos postos da High Society alemã.

Entretanto... quanto mais alto, maior a queda.

O título do livro é uma referência à “profissão” escolhida pela protagonista. Cada conquista, cada homem do qual ela se apodera e tira vantagens é um degrau que ela sobe na vida.


A história é bastante simples. Nós temos uma protagonista que quer ser rica e usa o sexo para isso. Entretanto, tal protagonista é tão sem escrúpulos que a história da sua vida gira unicamente em torno disso, o que torna o enredo extremamente repetitivo. Fragmento atrás de fragmento nós vamos vendo a mesma coisa, deixando apenas para o final de algumas partes (o enredo é dividido em partes) a consequência dos seus atos. Algumas raras vezes o autor nos apresenta alguns fatos sobre a guerra, algumas descrições sobre estratégias ou vontades do Hitler, mas tudo acaba refletindo na vida da protagonista.

O que nos ajuda a levar a leitura é justamente essa estrutura da narrativa e o estilo narrativo do autor: Marcio Pitliuk é um ótimo contador de história. Ele desenvolve a narrativa de modo a excluir tudo o que for desnecessário, o que recai na estrutura dos capítulos, confeccionando-os com cerca de dez páginas a capítulos que ocupam metade da folha em dois parágrafos.

Os personagens, infelizmente, não têm nada de carismático. Nós não nos vemos torcendo por alguém. Os homens são sempre velhos babões, tarados, doidos para transar com uma jovem de peitos grandes. Quando se fala de oficiais da SS, algumas figuras mudam, entretanto os pensamentos são os mesmos.

Este é o primeiro livro que leio desse autor, então não tenho capacidade técnica para falar de suas evoluções. A princípio, porém, é válido dizer que o romance em questão deixa um pouco a desejar em vários pontos estratégicos. O livro segue o estilo montanha russa. Momentos de tensão mesclados com momentos de monotonia, resultando em um plot twist até interessante, mas que, por conta de duas linhas, acaba se tornando previsível.

Título: A alpinista (exemplar cedido pela editora)
Autor: Marcio Pitliuk
Editora: Vestígio
Páginas: 237
Ano: 2021
Compre: aqui

Comentários via Facebook

8 Revelaram sentimentos:

  1. Eu li sobre este livro esses dias e confesso que até o momento não sei ao certo se tenho vontade ler ou não.
    Pensei que os fatos, o pano de fundo da Segunda Guerra fosse mais explorado, o que faria uma diferença enorme, já que para leitores que como eu gostam do tema, isso seria sim, um presente.
    Mas só pra ver a escalada de uma mulher rumo ao poder? Sei lá,pareceu pouco demais.
    Mas, quem sabe em algum momento não o leia né?

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida uma premissa bem interessante! Uma sedutora na época da Segunda Guerra Mundial!
    Pena que o autor não colocou Hanellore mais ativa na questão da guerra. Teria sido ainda mais interessante

    ResponderExcluir
  3. Eu to com bastante vontade de ler esse livro, e acho que livro nao é muito consenso neh.
    Muito curiosa pela historia.
    Pelo titulo, e por saber que é ficcao, nao espero que fale muito da guerra, e que tenha a protagonista como foco mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto muito de livros nesse período da história, acho que nos faz aprender um pouco mais do que estava acontecendo, mesmo tendo que colocar alguns filtros importantes. Fiquei em dúvida de que gênero se trataria, se alcançou algum objetivo sabe? Uma pena não ter personagens que cativam o leitor.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Gostei da sua resenha .voce pontuou muito bem os pontos negativos da estória e sinceramente náo fiquei com vontade de ler .

    ResponderExcluir
  6. Marcus!
    Confesso que esperei mais desse livro. Assisti um filme uma vez com um enredo similar, onde a protagonista se utilizava de sua beleza para ter acesso aos pertencentes a elite Nazista, porém para utilizar, pois era uma espiã dupla.
    Sexo, por sexo e ainda mais repetitivo em uma época tão cheia de fatos que poderiam ser abordados mais intensamente.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Olá! Eita que eu esperava mais desse livro, afinal o enredo tinha tudo para nos entregar uma história para lá de instigante, mas pelo jeito é melhor diminuir um pouco a expectativa e talvez encarar a leitura sem muitas pretensões, até porque o tema (Alemanha/guerra/nazismo) sempre chama minha atenção.

    ResponderExcluir
  8. Oiiie,
    Não conhecia o livros, mas parece ser bem legal.. não me chamou tanto atenção assim o entendo, nem sei se leria.. quem sabe né!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.

Instagram

© Revelando Sentimentos – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in