Resenha: Antes que você saiba meu nome

by - janeiro 16, 2022


O livro de hoje conta uma história forte. Alice Lee e Ruby Jones chegam no mesmo dia em Nova York. Ambas com um objetivo em comum: recomeçar. Alice tem 18 anos e chegou com apenas 600 dólares e uma câmera furtada. Ruby tem 36 e deseja tomar um novo rumo em sua vida depois de um relacionamento conturbado, para isso, atravessou o mundo em busca de paz e uma nova oportunidade.

Qual a ligação entre as duas pessoas? Ruby encontra o corpo de Alice às margens do rio Hudson. A partir desse encontro, ambas formam um vínculo inquebrável. Alice tem certeza de que Ruby é a chave para resolver o mistério sobre como tudo aconteceu. Ruby, lutando para esquecer a tragédia que presenciou, se recusa a deixar Alice ir... pelo menos até que ela tenha a oportunidade de contar a própria história.


Deu para perceber que o livro tem uma pegada sobrenatural, né? Já que quem narra a história é Alice, uma narradora póstuma. Ela foi morta após ser atacada e estuprada. Dessa forma, o leitor vai acompanhar a história através do seu espírito. Diferente, não?

A autora é ativista dos direitos das mulheres e em sua obra sabe evidenciar isso ao criar um thriller feminista. Não é nada forçado, mas nos faz pensar como muitas mulheres são tratadas e passam por situações semelhantes a que a Alice passou.

"(...) quando um homem descobre onde machucar você, a maneira como ele a toca muda. Ele não consegue se controlar e pressiona com força aquele local, não importa quantas vezes isso faça você chorar."
Achei a história bem tocante, principalmente por abordar temas que envolvem o meu trabalho. Lidar com vítimas de estupro não é fácil. Fiquei pensando quantas mulheres não têm a chance de se defender, de gritar por socorro e acabam como a personagem. Ainda, o fato de muitas delas nascerem num lar desprovido de amor e atenção.

Se você curte livros de suspense, pode ser uma ótima pedida. Mas não se enganem, o foco dele não é esse. Vamos descobrir os motivos que levaram Alice a fugir de Nova York e também a conhecer sobre o seu passado tão conturbado.


Uma situação interessante a ser abordada aqui na resenha, e que certamente rodeia a cabeça de muitas pessoas, é quando estamos comentando sobre uma mulher ter sido estuprada, assaltada, sequestrada... A primeira coisa que ouvimos não é se ela está bem, se saiu com vida e sim “por que ela estava sozinha na rua?” ou coisa do tipo “mas também, olha a roupa que ela estava usando!”. Parece que a culpa nunca é do autor do delito e sim da vítima. É um assunto que nos faz pensar a respeito de como é o comportamento alheio e como poderíamos fazer para melhorar isso.

Título: Antes que você saiba meu nome (exemplar cedido pela editora)
Autora: Jacqueline Bublitz
Editora: Faro Editorial
Páginas: 272
Ano: 2021
Compre: aqui

You May Also Like

8 comments

  1. Aquele questionamento de a mulher sempre ter provocado a situação onde ela é a vítima. A gente lê e ouve tanto isso que só por Deus;
    Eu já tinha lido sobre esse livro e por ser um gênero que amo muito, claro que imaginei o suspense, mas de fato, não fazia ideia sobre esse questionamento.
    Agora que vai pra listinha de muito desejados com certeza!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Já tinha visto o livro em um ig literário. E ao mesmo tempo que achei o plot interessante, Também o achei meio confuso...

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante o livro, a parte da narraçao que também é pela alice neh, bem interessante
    Adoro ler suspenses, to lendo coisas interessantes sobre esse e to bem curiosa
    Espero gostar dessa leitura!!

    ResponderExcluir
  4. O livros que li com narrativas póstumas gostei. Esse é um pouco mais pesado.
    O que você disse sobre o estupro é uma triste realidade que infelizmente não muda. Sempre procuram a culpa para a vítima.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. Naty!
    Absurdo pensarmos que a culpa de um estupro é porque a mulher anda só, ou com tal ou qual roupa e por aí vai...
    Fiquei muito interessada em ler, primeiro porque o assunto principal, se bem abordado como parece, é importante e também porque tem essa pegada mais sobrenatural.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. ola
    Nunca li nenhum livro assim onde o narrador já morreu.
    O tema é bem pesado e traz esses questionamentos absurdos a respeito das mulheres vitimas de abuso.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Caramba, achei a premissa do livro para lá de impactante, definitivamente não é uma leitura fácil, mas apesar do tema forte, acho que é válido entender um pouco mais sobre isso, ainda mais que é um fato, infelizmente, tão recorrente.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia esse livro, achei interessante, mas não tão curiosa para poder ler logo.Mas brevemente quero ler esse livro.

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.