Resenha: Dia de Folga

Dia de Folga é um delicioso conto escrito por John Boyne que foi criado para o jornal “The Irish Times” e disponibilizado em ebook pela Editora Companhia das Letras. Depois de ter lido a obra Fique onde está e então corra, Boyne entrou para a minha lista de autores favoritos e eu precisava ler mais sobre ele com urgência. E, com certeza, não me arrependi.

O conto relata sobre um soldado durante a Primeira Guerra Mundial. Hawke está em época de Natal, porém, sua vida continua a mesma: no campo de batalha, com feridas por todo o corpo. Ele recebe um presente de sua mãe: uma carta e uma meia com um pauzinho de canela no meio delas. Hawke ficou curioso para saber o porquê da canela, mas não fez indagações. Suas meias estavam velhas e cobertas de sangue e sujeira, porque seus pés estavam machucados e cheios de bolhas, então, o presente veio em um excelente momento.

Ele e seus companheiros recebem oficialmente um dia de folga. Staines começa a tocar “Noite Feliz” em sua gaita, mas ninguém se interessa pela música, apenas querem comemorar o fato de estarem de folga e de ser véspera de Natal.

É possível notar a maneira que alguns usam uns diálogos engraçados, mas reais e lastimáveis. Delaney pergunta a Hawke o que ele pediu ao Papai Noel de presente e ele responde que pediu apenas uma noite de sono. É uma coisa totalmente comum, para nós, porém, para um soldado e, no caso, para o personagem, isso é algo fora da realidade.

O protagonista ainda conta a história de um dos maiores absurdos, mas que infelizmente ocorre em diversos países: um casal homossexual foi fuzilado porque estavam abraçados. O autor faz-nos refletir se existe uma época feliz em um local tão desesperador quanto um campo de batalha. Ele ainda nos faz pensar como nossos dias e os momentos que temos são preciosos e, muitas vezes, não nos damos conta disso. Reclamamos de tudo e de todos. Contudo, como será o estado físico e psíquico daqueles que estão em um lugar absolutamente sórdido, enfrentando a própria morte, a cada segundo?

Já era noite, porém, o protagonista rastejava pela mata fechada. Estava cansado e faminto, desejando algo para comer. Seu amigo Cole, pela manhã, dera-lhe uma carne enlatada. Todavia, ela tinha um gosto podre e mesmo assim Hawke comeu, pois a fome era maior. Minutos depois, ele vomitara tudo o que acabara de comer.

Mesmo vivendo em um lugar totalmente triste e desolador, Hawke sabe aproveitar e reconhecer as coisas ao seu redor. Suas feridas em seu corpo e o cheiro fétido delas, o faz lembrar que ainda está vivo e isso é uma grande dádiva.

O autor fez um conto que, na verdade, daria um livro. É possível lê-lo rapidamente, mas a lição que essa história nos passa pode-se levar eternamente. Hawke é um grande exemplo de pessoa: determinado e otimista. Ele consegue enxergar as melhores coisas nas piores situações. Recomendo a leitura desse conto, é simples, rápida e emocionante. Vale a pena ler!

Quotes:
“Eram umas coisas atarracadas, as unhas dos dedos destroçadas e apodrecidas, as solas cobertas de bolhas, sangue negro escorrendo das feridas abertas”.

“Esse era o problema dos dias de folga. Eles eram tão raros, e você esperava tanto por eles, mas quando eles chegavam, seu corpo estava tão acostumado a se mover constantemente que era quase impossível relaxar”.

“Era véspera de Natal e não haveria folga para os ímpios. Ele pegou seu rifle mais uma vez e ajeitou o capacete na cabeça”.

Título: Dia de Folga
Autor: John Boyne
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 10
Ano: 2013

8 Revelaram sentimentos:

  1. Oiii! Que máximo! Adorei! Esse Quote me chamou atenção : “Esse era o problema dos dias de folga. Eles eram tão raros, e você esperava tanto por eles, mas quando eles chegavam, seu corpo estava tão acostumado a se mover constantemente que era quase impossível relaxar”... Bem nossa realidade ... As pessoas andam tão atarefadas que não percebem e não se permitem um descanso...Adorei! Parabéns pela resenha! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Das obras de John Boyne li somente O Menino do Pijama Listrado, e desde então, assim como você, ele entrou para a lista de autores preferidos.
    Histórias de guerra sempre me chamam atenção e este conto mesmo sendo tão curtinho, mostra uma história difícil da vida dos soldados, mas ao mesmo tempo linda. Adoraria ter a oportunidade de ler.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Do John Boyne eu só li o super conhecido Menino do Pijama Listrado até hoje, e há pouco tempo atrás eu nem sabia que ele tinha outros livros além daquele (na verdade, eu nunca nem havia pensado no assunto) hahaha
    As estórias desse cara sempre parecem me interessar muito, gostei do jeito dele. Onde eu posso encontrar esse conto? Ele faz parte de algum compilado?

    Abraço,
    Mago e Vidro

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Ainda não li nada do John Boyne mas li uma resenha de um livro do John Boyne aqui no blog que me deixou interessada na sua escrita e achei o conto bem interessante ainda mais o contexto histórico dele e gostei muito do Hawke !!

    ResponderExcluir
  5. Sabe que nunca li nada do autor? :/
    Tenho muita vontade de começar com O menino do pijama listrado, mesmo já tendo assistido o filme! ♥
    Não sabia desse conto, e como amo!, quero ler também!
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Já ouvi falar muito bem dos livros do autor e apesar de querer conhecer o trabalho dele ainda não tive oportunidade. Gosto muito de histórias de guerra e apesar desse não ser baseado em fatos reais quero muito ler.

    ResponderExcluir
  7. John Boyne é um autor que apesar de estar nos meus desejados, nunca li nada dele, mas são tantas pessoas que assim como vc leram algo e já saem por aí indicando e elogiando ao maximo que quero muito conhece-lo tbm

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, gostei do post John Boyne é um dos meus preferidos também,ele sempre entra em temas profundos, que faz leitor refletir muito.Nesta resenha vemos um pouco das dificuldades que o soldado passa, eu fiquei curiosa da mãe ter dado a canela para ele;só lendo mesmo para descobrir

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.