Resenha: Uma canção de ninar


Hoje vou falar sobre Uma canção de ninar, o novo livro da autora Sarah Dessen. Meu conhecimento da obra desta autora não é vasto, li somente o livro que estou resenhando hoje e Os bons segredos, lançado em 2015, resenhado aqui no Blog. A experiência de leitura foi semelhante em ambos os casos.

Nesta obra Dessen conta a história de Remy, uma adolescente que tem mania de manter tudo organizado, que é capaz de solucionar qualquer problema alheio. Ela acabou de se formar no ensino médio e está contando os dias para ir embora de casa, rumo à faculdade.  Remy precisa apenas passar pelo verão, e tem em mente tudo aquilo que deseja fazer durante este tempo: organizar o quinto casamento da mãe, aproveitar a companhia das amigas, terminar um namoro que está ficando sério demais, conhecer algum carinha que não queira nada sério, assim como ela não quer, para aproveitar os últimos momentos na cidade.

Para sua surpresa, Dexter surge. E ele é tudo aquilo que ela não quer, o oposto do que ela busca em um rapaz: é vocalista em uma banda, desengonçado, bagunçado. Não é forte nem másculo, mora com os amigos e um cachorro. Embora seja tudo o que ela detesta, Dexter talvez seja aquilo que ela precisa. Talvez porque está de passagem pela cidade, é divertido, perseverante, costuma ver o lado bom de tudo. Ah, não poderia deixar de falar, ele entende tanto de casamentos e separações dos pais quanto a protagonista.

Percebi que falar de questões presentes no cotidiano é uma característica da autora. Ela é capaz de levantar indagações importantes, que podem despertar empatia em praticamente todos os leitores que investem no livro. Afinal, quem nunca pensou em se proteger de um coração partido? Quem nunca quis aproveitar a vida do jeito que achava certo, mesmo que não fosse? Quem nunca quis ter mais tempo com alguém que se foi, ou quem nunca sofreu e chorou ao ouvir uma canção que tocou a alma? O livro aborda questões muito humanas, por isso é fácil ser empático. Por isso a gente se permite ler até o final.

Embora tenha muito conteúdo, e conteúdo de qualidade, para esmiuçar, a autora peca no ritmo do livro. Sim, há momentos em que a gente ri, principalmente quando Dexter e sua banda estão em jogo. Ou, quando Macaco, um cachorro velhinho e simpático aparece. A gente se emociona também, quando a relação mãe e filha se torna o foco do livro, ou quando Remy percebe tudo aquilo que ela está perdendo, por medo de tentar. A gente se diverte quando as amigas estão juntas, compartilhando seus dramas e suas alegrias.

O leitor sente tudo isso, mas de maneira muito superficial. Pelo menos aconteceu comigo. Ou melhor, a sensação que tive durante a leitura de Os bons segredos, como disse, se repetiu. Aquele sentimento de que há tanta coisa ali capaz de tocar e emocionar, há tantas possibilidades de desenvolvimento, há uma profundidade tão grande a ser alcançada... Mas tudo fica no superficial. Acredito que esse é o maior pecado cometido pela autora, o único problema da leitura: não é capaz de nos alcançar, lá no fundo.

Confesso que fico triste quando isso acontece. Quando termino a leitura com a sensação de que podia ter sentido mais. Como leitora, fico triste ao pensar que a história tem potencial: protagonistas com conteúdo, personagens secundários cativantes, tensão emocional, reviravoltas (esperadas, mas reviravoltas), e um desfecho. E, mesmo assim, ‘não chega lá’. É como se a gente desse de cara com algo que pode ser perfeito, mas não é. Foi a sensação que ficou, ao término do livro. Uma tristeza, pelo que poderia ter sido, pelo que eu gostaria que tivesse sido.

Pode ser coisa minha, uma exigência absurda? Pode, claro que sim. Mas se a gente levar em consideração todo o sucesso que a autora faz mundo afora, é difícil não criar expectativas. É difícil o leitor ler uma sinopse interessante e ver uma capa tão bonita, e não associar a conteúdo de qualidade. Se for para indicar o livro, o faço com ressalvas. Sugiro que não crie expectativas. Que se permita acolher os personagens, mas sem esperar que eles abracem de volta. Que tente aproveitar a leitura e, quem sabe, ser capaz de estimar mais do que eu fui.

Quotes:
“Passei dois anos com um único objetivo: sair. Ir embora. Conseguir as notas de que precisava para finalmente viver uma vida só minha. Sem organizar casamentos. Sem romances conturbados. Sem uma sequência de padrastos. Apenas eu e meu futuro, finalmente juntos. Agora conseguia acreditar num final feliz”.

“Apenas aprecie a liberdade do caos”.

“Talvez um casamento, como a vida, não fosse composto apenas de Grandes Momentos, bons ou ruins. Talvez fossem todas as pequenas coisas – como ser conduzida adiante lentamente, com segurança, dia após dia – que fortaleciam até o mais tênue dos laços”.

Outras fotos:






Título: Uma canção de ninar (exemplar cedido pela editora)
Autor:  Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Páginas: 320
Ano: 2016
Fotos: Natalia Araújo

21 Revelaram sentimentos:

  1. Eu ainda não li nenhum livro da Sarah Dessen, eu gostei muito da tua resenha, e é bem triste quando a gente acaba um livro com essa sensação de "poderia ser melhor", eu não conhecia esse livro ainda, mas gostei bastante da temática da história. É uma pena que o livro não tenha te envolvido tanto e feito você sentir mais emoções. Me interessei por ele, mas o final fez diminuir bastante a vontade de ler.
    Beijão,
    radioactivebookss.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jéssica!

      De repente vale a pena você ler, vai que gosta? Não à toa muita gente é fã desta autora, imagino que ela seja capaz de tocar muitos corações por aí ;)

      Beijo

      Excluir
  2. Oi, tudo bem? Eu ainda não li esse livro, provavelmente vou comprar para ler e para completar minha estante de livros haha

    www.robsonvascovith.com

    ResponderExcluir
  3. Li apenas um livro da autora, O Que Aconteceu Com o Adeus, e me apaixonei pela escrita dela, mas por incrível que pareça não criei muitas expectativas em relação a Uma Canção de Ninar, estou vendo algumas opiniões não muito positivas por ai e como a sua rs, e isso me deixou com um pé atrás.
    Confesso que gostaria de ler o livro sim, mas num futuro -um pouco distante-.
    Tenho outros livros dela que gostaria de ler mais :)
    Gostei da resenha.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. A gente simplesmente perde o tesão quando não chega lá, né? hahaha Trocadilho idiota, mas é verdade. É como se toda a leitura tivesse pedido por muito mais, mais e chega e... Broxamos. Enfim. De fato parece se rum livro que tem muito potencial, e eu amo quando se trata de fatos do cotidiano, dá uma sensação mais real para a literatura. Mas acho que pra concordar com você ou não, só lendo. Gostei demais da sua sicneridade, continue asism.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Acho que li um livro só da autora e gostei, mas entendo o que você quis dizer. A autora teve tantos sentimentos pra abordar que acabou não sabendo dar profundidade a um só, mantendo tudo superficial. É uma pena, mas acho que pelo resto da obra a leitura é válida, gostei muito da premissa e já sinto o Dexter botando a vida dela de cabeça pra baixo haha

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já eu gostei da leveza do livro, pode ser porque não tinha nenhuma expectativa de que fosse ser uma leitura profunda, que me causaria várias emoções, então gostei do que ele oferece. Foi o único livro que li da autora, mas talvez os livros dela sejam assim mesmo, um livro não precisa quebrar nosso coração em pedacinhos para que o autor fique famoso. xD
    O que estou tentando dizer é, melhor não criar muitas expectativas se um dia for ler outro. ^^

    http://youtube.com/tayrodriguesreality

    ResponderExcluir
  7. Admito que achei bem feia a capa do livro. Mas já ouvi falar muito bem da autora desde o livro anterior, então acredito que é um livro muito bem escrito.
    É uma pena que ele não atinja um nível acima mas mesmo assim parece ser maravilhoso e fiquei com muita vontade de ler.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Krisna.
    Nunca li nada da autora, mas nunca tinha visto nenhuma critica que não fosse positiva a ela até agora. Mas entendo o que você quis dizer. Será que não é pela autora abordar muita coisa que isso acontece? Já li livros assim, que o autor aborda vários temas e acaba não se aprofundando em nenhum e isso passa essa sensação na gente. Mas ainda assim eu quero ler algo dela e pode ser esse livro.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Acho que você esmiuçou o que sinto ao ler livros dela. É legal, tem tudo pra ser muito bom mas nunca chega lá no coração, nunca satisfaz totalmente. Fico sentindo que faltou alguma coisa em todo livro dela. É coimo se fosse muito bom mas acabasse sem pé nem cabeça, mesmo quando tudo termina certo. Superficial mesmo.
    Só que é bom, ela cria uns dramas bem reais e coisas que você consegue acreditar, ver acontecendo. Sentimentos que você entende...
    Tenho um caso de amor e ódio com ela. Vá entender. Queria ler esses dois últimos lançados porque parece que são um pouco melhores do que os que já li. Espero que essa sensação chata passe ao ler esses...

    ResponderExcluir
  10. Oie Krisna =)

    Comprei esse livro na Bienal e estou bem curiosa para ler ele. Li Os Bons Segredos da autora e me surpreendi com a narrativa dela, ou seja minhas expectativas em relação a Um Canção de Ninar são boas. Espero não me decepcionar, já que a sua não é a primeira resenha que eu lei que comenta que não consegui se envolver tanto com a leitura aqui.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Estou há meses querendo ler um livro dessa autora, mas ainda não tive a oportunidade certa. Muitos elogiam e isso só me anima! Foi uma pena esses fatores negativos que você apontou, porque no deixar a desejar é horrível quando a premissa é interessante. Foi uma pena mesmo :(
    Beijos!

    http://our-constellations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Krisna
    Estou com esse livro em casa e ansiosa para ler. Diferentemente de você, ainda não li outro livro da autora. Fico feliz que tenha gostado, mesmo não sentindo que o livro te tocou tão profundamente. DE qualquer maneira, adorei saber que a autora trabalha tantas coisas para tentar mexer com nossos sentimentos.
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  13. Olá Krisna!
    Adorei sua resenha e a forma que vc colocou mto bem sua opinião sobre o livro, fiquei curiosa pra ler já que a autora trás o cotidiano junto que parece ser bem bacana, espero em breve conseguir ler...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Ainda não li nada da autora, portanto não conheço sua escrita. Ganhei esse livro em um sorteio, mas ainda não recebi. Que pena que a leitura não permitiu sua total satisfação. Vou ler, para tirar minhas próprias conclusões, mas por tudo que você comentou, é provável que pense muito parecido como você. Chega um ponto em que somos exigentes com os enredos e personagens, e isso é muito bom, no meu ponto de vista, mesmo que as vezes nos traga decepções. Mas faz parte. Ótima resenha, sempre sincera e muito bem elaborada. Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Oi Krisna,
    Ainda não li Sarah Dessen, tenho muita curiosidade de conhecer a escrita tão elogiada dela. Gosto de livros reflexivos e tocantes, que tem como foco no crescimento dos protagonistas, adoro acompanhar o amadurecimento dos personagens, sempre trazem boas lições e aprendizados em suas histórias. Amo quando os autores são capazes de despertar empatia, mas que pena que a profundidade da história seja um pouco superficial.
    Estou com Os Bons Segredos na estante, será minha próxima leitura, e Uma Canção de Ninar está na lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Ainda não li nenhum livro dessa autora, Krisna. Quem sabe em breve não tenha a oportunidade de ler algum. Aí falo se tive a mesma percepção que você.
    Uma pena quando o livro tem tudo para ser maravilhoso, mas a autora não consegue despertar o sentimento do leitor.

    ResponderExcluir
  17. Ainda não li nehum livro da autora, creio que fosse ler talvez não teria tantas expectativas como você, mas acontece, creio que a historia do livro seja legal ,mas não me chamou tanto a atenção, pois protagonistas assim com este tipo de ideia acaba mais me irritando do que fazendo da leitura algo fluido e interessante. Mas achei super bacana conferir tua resenha e saber mais sobre ele.

    ResponderExcluir
  18. Eu estava louca por esse livro mas desanimei um pouco depois da resenha, eu gostei da história mas uma pena que seja tão superficial, então provavelmente riei deixar esse livro de lado na minha meta de leitura.

    ResponderExcluir
  19. Eu estou bem curiosa para fazer a leitura do livro, mas agora não sei se vale a pena!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  20. Eu sou muito doida para ler da Sarah!
    Todos falam que são maravilhosos!
    Esse em especial chamou minha atenção!
    A capa está linda e a história tbm!

    ResponderExcluir

Gostou da postagem? Deixe um comentário. Se não gostou, comente também e deixe a sua opinião.
Se tiver um blog deixe o endereço e retribuiremos a visita.
Aproveite e se inscreva nas promoções e concorra a diversos prêmios.